1094 capítulos
Medium 9788553131242

15.8 CONVENIÊNCIA DA DISTRIBUIÇÃO DO PONTO DE VISTA DO ÔNUS TRIBUTÁRIO

VICECONTI, Paulo Editora Saraiva PDF Criptografado

Contabilidade Avançada

482

15.7.3 Pessoas jurídicas isentas e pessoas físicas

Nesses casos, a tributação na fonte é definitiva.

15.7.4 Pessoas jurídicas imunes

A incidência do imposto de renda na fonte sobre os juros remuneratórios do capital próprio não se aplica à parcela corresponde a participação de pessoa jurídica imune (IN SRF no 012, de 1999, art. 3o).

15.7.5 Fundos, carteiras de investimentos e assemelhados

Estão isentos, do Imposto de Renda, e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), os juros sobre o capital próprio recebidos pelos fundos, clubes ou carteiras de investimento, bem como por outras formas de investimento associativo ou coletivo.

15.8 ` CONVENIÊNCIA DA DISTRIBUIÇÃO DO PONTO DE VISTA

DO ÔNUS TRIBUTÁRIO

15.8.1 Para sócios pessoas físicas

A pessoa jurídica que efetuar o pagamento dos juros sobre o capital próprio para sócios pessoas físicas terá menor carga tributária do que aquela que não o fizer, pois o ônus do imposto de

Ver todos os capítulos
Medium 9788547221188

3.1 PONTO DE EQUILÍBRIO DE PRODUÇÃO

VIRGILITO, Salvatore Benito Editora Saraiva PDF Criptografado

3

Princípios de otimização linear

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Nas operações diárias de uma empresa o administrador é constantemente desafiado a manter ou reduzir custos por meio de melhorias que vão desde a racionalização das compras de insumos de produção, racionalização dos processos das linhas de produção, além, é claro, do incremento do faturamento com o aumento nas quantidades vendidas.

Quando nas primeiras aulas de Teoria da Administração o estudante já é colocado diante de definições clássicas, como: “administrar é aplicar de forma eficiente os recursos escassos”.

Os processos de otimização têm por finalidade a alocação de recursos limitados de maneira a produzir os melhores resultados possíveis. Mas qual ou quais são esses resultados? E, ainda, de que maneira projetá-los e medi-los? Ao contrário do que possa aparentar, formulações algébricas nos ajudarão a atingir esse objetivo.

Em administração existem alguns exemplos clássicos de aplicação que se referem a atividades específicas das empresas. Vamos definir alguns deles, os quais julgamos os mais importantes ou corriqueiros.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547217679

6 Como vai funcionar a arbitragem do ponto de vista do direito aplicável? A arbitragem na aldeia global

VERÇOSA, Haroldo Malheiros Duclerc Editora Saraiva PDF Criptografado

6

Como vai funcionar a arbitragem do ponto de vista do direito aplicável?

A arbitragem na aldeia global

Do ponto de vista constitucional, a arbitragem é uma expressão da autonomia privada dos interessados, que podem a ela recorrer com liberdade para a escolha do direito aplicável, tanto do ponto de vista material (segundo o seu conteúdo) como processual (relativamente aos caminhos utilizados para a garantia dos direitos fundamentais do procedimento), sendo permitido utilizar a equidade, os usos e costumes mercantis e os princípios gerais de direito.

Dileto empresário, não pretendo encher a sua cabeça com discussões quanto ao sexo dos anjos, mas preciso dizer uma diferença clara entre autonomia da vontade e autonomia privada. Muito simplesmente se pode dizer que a primeira, resguardada nos códigos do século XIX,

62

Os segredos da arbitragem 025-136.indd 62

08/05/2017 10:10:03

dava às pessoas a mais ampla liberdade de contratar e a segurança de que o avençado era definitivo nos seus efeitos. A segunda, que aparece nas modernas constituições do século passado, restringe a validade e a eficácia do exercício da mencionada liberdade dentro de limites voltados basicamente para a proteção da sociedade e da parte mais fraca no campo do contrato. Ultimamente, o direito brasileiro está caminhando na direção oposta do tempo da autonomia da vontade, o que se percebe quando, por trás da realização da função social do contrato, o que foi contratado somente vale e é aplicado quando existe algum benefício social, que se revela de conceituação impossível.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553131242

17.13 APÊNDICE MATEMÁTICO – G.A.O. E O PONTO DE EQUILÍBRIO DA EMPRESA

VICECONTI, Paulo Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo 17

Análise das Demonstrações Contábeis (ADC)

557

O G.A.F. em 31.12.20X4 é maior que o do ano anterior, 31.12.20X3, nesse caso o benefício aos proprietários foi prolongado e acentuado, devido à política de endividamento anteriormente adotada.

Conclusão:

O GAF representa o retorno sobre o patrimônio líquido obtido com a combinação de recursos de terceiros e próprios. Essa combinação deverá ser comparada com o retorno que seria obtido se a empresa utilizar apenas recursos próprios.

Se o grau de alavancagem financeira é maior que 1, o endividamento provoca efeito de alavanca sobre o lucro, ou seja, puxa para cima a taxa de retorno para dos proprietários.

17.13 ` APÊNDICE MATEMÁTICO – G.A.O. E O PONTO DE EQUILÍBRIO

DA EMPRESA

17.13.1 Análise algébrica

Definindo-se:

Pv

Cvu

MCu

L

Q1

Q2

=

=

=

=

=

=

Preço unitário de venda do produto

Custo variável unitário (constante na faixa de produção considerada)

Ver todos os capítulos
Medium 9788547228484

CAPÍTULO 4 - Priorize o ponto de partida

MAURYA, Ash Editora Saraiva PDF Criptografado

CAPÍTULO

4

Priorize o ponto de partida

Agora que você tem uma lista de possíveis modelos, o próximo passo é priorizar o ponto de partida. Se não fizer isso, será fácil cair na armadilha de fazer apenas progressos mínimos e ficar atolado mais adiante, sem conseguir avançar.

A priorização incorreta do risco é uma das maiores formas de desperdício.

4.1  O QUE É RISCO?

Antes de prosseguirmos, é importante definir o que quero dizer com risco. Sabemos que as startups são extremamente incertas, mas incerteza e risco não são a mesma coisa. Podemos ter incerteza em relação a muitas coisas que não são necessariamente arriscadas.

Douglas Hubbard traça uma distinção clara entre os dois conceitos:1

Incerteza: a falta de certeza completa ou, em outras palavras, a existência de mais de uma possibilidade.

Risco: um estado de incerteza no qual algumas das possibilidades envolvem perda, catástrofe ou outro resultado indesejável.

Douglas W. Hubbard

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos