196 capítulos
Medium 9788584290345

Capítulo 12. Orações subordinadas adjetivas: período composto por subordinação

Roberta Adalgisa de Azevedo Grupo A PDF Criptografado

12

Orações subordinadas adjetivas: período composto por subordinação

Azevedo_Cap_12.indd 153

29/04/2015 16:45:39

12

>> ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS: restritivas e explicativas.

Azevedo_Cap_12.indd 154

29/04/2015 16:45:39

ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS: PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO

155

As orações subordinadas adjetivas podem ser classificadas, de acordo com seu sentido, em adjetivas restritivas ou adjetivas explicativas.

ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS RESTRITIVAS

Referem-se a um termo restringindo o seu significado, particularizando-o.

Fonte: Conectado com a Língua Portuguesa (2014).

Na propaganda acima, a oração “que você joga na rua” restringe, particulariza, deixando claro que não é todo lixo que volta para dentro de sua casa, apenas aquele jogado na rua.

ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS EXPLICATIVAS

Têm a função de acrescentar alguma explicação ou informação suplementar a um termo já definido e delimitado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521622840

PARTE II | 1 - O QUE É A GRAMÁTICA INTUITIVA

SCHUMACHER, Cristina A. Grupo Gen PDF Criptografado

1 O QUE É A

GRAMÁTICA

INTUITIVA

P

ara entender a nossa Gramática Intuitiva, reuni algumas Vivências que têm como objetivo revelar o conhecimento que trazemos conosco e do qual de modo geral não estamos conscientes.

Ao longo deste capítulo e dos seguintes, que descrevem os conceitos básicos da

Gramática Intuitiva, você vai observar que existe uma relação entre nossos conhecimentos intuitivos da língua e aquilo que aprendemos sobre gramática na escola. Essa relação não é sempre evidente ou necessária, mas ela esclarece, organiza e valoriza o que para muitos de nós foi, por muito tempo, um conteúdo sem utilidade prática. Mais adiante, quando virmos a relação entre a Gramática Intuitiva e a Normativa, da escola, e indicarmos suas semelhanças, teremos uma oportunidade renovada para usar nosso idioma com maior segurança e consciência.

schumacher_PII.indd 41

18/07/13 12:42

Parte II

A palavra-chave em todo o nosso trabalho é consciência: da língua, do papel das palavras e de como são compostas, e da forma como as empregamos.

Ver todos os capítulos
Medium 9786586618105

B

Deonísio Da Silva Editora Almedina PDF Criptografado

B

BAFO DE ONÇA

Bafo de onça designa mau hálito. A onça é animal carnívoro. Para comer, lambuza-se toda, depois vêm as moscas, o animal passa a feder uma barbaridade. Pelo mau cheiro, sua presença é detectada de longe. Bafo de onça aplica-se, então, às pessoas de hálito ruim, cuja proximidade vem a ser evitada. Mas recebeu o título de João Bafo de Onça em Portugal o personagem

Peg-Leg Pete, de Walt Disney, aqui-inimigo de Mickel Mouse. Ladrão de bancos e político muito corrupto, ele enfrenta também o Pato Donald e ao lado dos Irmãos Metralha integra a galeria dos vilões de Patópolis. Casado com Tudinha, tem Escovinha como parceiro eventual em alguns roubos.

O personagem surgiu em 1925 em Alice Solves the Puzzle. Mas, curiosamente,

Bafo de Onça inicialmente era um urso e depois passou a ser um gato. Em

A Turma do Pateta ele deixa de ser vilão, casa-se com Peg e têm dois filhos:

Bafo Júnior e Matraca. Mas, ó glória, Bafo de Onça foi também mascote da

Ver todos os capítulos
Medium 9788584290345

Capítulo 7. Predicação verbal e complementos verbais

Roberta Adalgisa de Azevedo Grupo A PDF Criptografado

7

Predicação verbal e complementos verbais

Azevedo_Cap_07.indd 109

29/04/2015 16:37:50

7

>> VERBO INTRANSITIVO.

>> O

VERBO direto e indireto. que é TRANSITIVO: o novo ACORDO

ORTOGRÁFICO.

VERBO DEdas

LIGAÇÃO.

>> Exemplos

NOVAS REGRAS: alfabeto, trema, acentuação e hífen.

Azevedo_Cap_07.indd 110

29/04/2015 16:37:50

PREDICAÇÃO VERBAL E COMPLEMENTOS VERBAIS

111

Quanto à predicação os verbos podem se classificar em transitivos, intransitivos e verbos de ligação.

VERBOS INTRANSITIVOS

São aqueles que apresentam, dentro de determinado contexto, um sentido completo, não necessitando assim de complemento (objeto direto e objeto indireto).

Ex.: O bebê de Joana acabou de nascer.

No exemplo acima é possível notar que o verbo “nascer” não precisa de complemento para transmitir a ação expressa pelo verbo. Logo, dizemos que “nascer” é um verbo intransitivo.

VERBOS TRANSITIVOS

Ver todos os capítulos
Medium 9788553131099

9.4 TRANSFERÊNCIAS

Ernani Terra Editora Saraiva PDF Criptografado

98

Linguagem, Língua e Fala   

não há como evitar que incorporemos termos estrangeiros ao português.

Isso sempre existiu, claro que em menor escala. Houve época que importávamos os termos da língua francesa, considerada a língua da cultura.

Palavras como avenida, bulevar, gafe, boné, toalete, garçom são de origem francesa e já estão devidamente incorporadas à nossa língua. Hoje, os empréstimos são predominantemente da língua inglesa. Como a língua varia o tempo todo e estamos o tempo todo em contato com outras línguas, não será nada estranho se daqui a alguns anos os empréstimos provierem do mandarim, língua oficial da República Popular da China, o país mais populoso do mundo, com uma população estimada em mais de 1 bilhão e 300 milhões de habitantes.

9.4 TRANSFERÊNCIAS

A palavra mina, que alguns falantes utilizam para nomear uma pessoa jovem do sexo feminino, originariamente era uma gíria usada pelos malandros para designar a mulher que sustentava o amante. Ocorreu, portanto, transferência de uma variante social (a gíria dos malandros) para outra. O Dicionário

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos