108 capítulos
Medium 9788562938467

CELSO LAFER

José Nêumanne Pinto Editora Almedina PDF Criptografado

CELSO LAFER

21 de setembro de 2018

Ex-chanceler prega moderação e tolerância e não aceita polarização e intolerância na disputa eleitoral, nem na formação, conduta e gestão do presidente a ser eleito.

O professor emérito da USP Celso Lafer confessou ter “uma preocupação salutar com o futuro que faz velar e ingressar no combate político, o que, no meu caso, significa afirmar a moderação da tolerância e sustentar a inaceitabilidade das polaridades extremistas.” O ex-chanceler citou seu colega na USP e na Academia Paulista de

Letras, José de Souza Martins, “tanto no conturbado processo eleitoral como no futuro governo, que deverá ser um governo para todos Celso Lafer na Faculdade de Direito da USP, os brasileiros.” Lafer lembrou ainda que, ao em que está aposentado insistir na versão não confirmada pela reacomo titular. lidade da perseguição de polícia, Ministério

Foto: Acervo pessoal.

Público e Justiça a Lula, “o uso abrangente, mesmo instrumentalizado, desses recursos legais patenteia que em nosso país, como cabe numa democracia, verifica-se a plenitude do respeito ao devido processo legal e do direito à ampla defesa e ao contraditório, que a Constituição assegura. É um mérito político da democracia brasileira e do papel que nela desempenha o Poder

Ver todos os capítulos
Medium 9788562938467

MARY DEL PRIORE

José Nêumanne Pinto Editora Almedina PDF Criptografado

MARY DEL PRIORE

6 de setembro de 2018

Autora de 41 livros sobre História do Brasil, Mary Del Priore pergunta:

“o que esperar de uma corja de ladrões incompetentes que nunca pisaram num museu?”

Emocionada com o trágico incêndio que devorou a coleção insubstituível do Museu

Nacional da Quinta da Boa Vista, domingo, no Rio, a historiadora Mary Del Priore disparou: “a pergunta devia ser: o que fazemos com a nossa indiferença?” Em sua opinião,

“ao buscar ‘culpados’ pelo incêndio, raramente pensamos que os culpados somos nós, o povo. Qual a parede que não está pichada?

Qual o busto ou placa de bronze que não foi derretido? Quantos casarões coloniais não Foto publicada na orelha do livro de Mary Del viraram estacionamento? Quantos pais levam

Priore Matar para não filhos aos museus, em vez de levá-los ao shomorrer sobre trágico triângulo amoroso de pping? E pior, quantos se incomodam com

Euclides da Cunha e Anna que isso aconteça? Passamos com absoluta e Dilermando de Assis. insensibilidade diante das perdas de nosso

Ver todos os capítulos
Medium 9788562938481

MAYANA ZATZ

José Nêumanne Pinto Editora Almedina PDF Criptografado

MAYANA ZATZ

8 de junho de 2019

Geneticista da USP acha que professores do ensino básico deveriam ganhar mais do que seus colegas universitários.

“É terrível ter de decidir entre pagar o tratamento de um paciente ou salvar milhares com doenças tratáveis de baixo custo quando as verbas são escassas. Uma solução seria fazer triagem de mutações em casais que querem procriar. Muitas doenças genéticas de herança recessiva, isto é, em que o paciente para ser afetado precisa receber dois genes com mutação, um de cada progenitor, poderiam ser evitadas com um exame genético preventivo. É o caso, por exemplo, da amiotrofia espinhal (AME), Mayana pesquisa genoma e células-tronco para a qual acaba de ser aprovada uma terano Departamento de pia pelo FDA a um custo de US$ 2,1 milhões,

Genética da USP em busca de avanços ou seja, totalmente inacessível”, diz a bióloga científicos para curar

Maya Zatz, professora titular de genética da doenças ou deficiências.

USP. Na opinião da geneticista, “professores de

Ver todos os capítulos
Medium 9788562938481

SILVIO MEIRA

José Nêumanne Pinto Editora Almedina PDF Criptografado

SILVIO MEIRA

22 de junho de 2019

Silvio Meira acha que mensagens teriam sido obtidas em grupos de discussão dos envolvidos e não será nada fácil polícia localizar invasores.

O especialista em tecnologia da informação da Universidade Federal de Pernambuco

(UFPE) Silvio Meira acredita que dificilmente a Polícia Federal (PF) conseguirá identificar os hackers que invadiram celulares de agentes das operações de combate à corrupção.

Para ele, “numa investigação de rotina, só com muita sorte. Que pode aparecer ao tentar identificar todas as pessoas, num período de tempo muito longo, que estiveram perto

Paraibano de Taperoá, de quem teve conversas vazadas, e ir atrás formado no ITA e de cada imagem de cada um e dos interesses doutorado em Kent, que teriam nessas conversas, ou nas pessoas no Reino Unido, Meira enverga com orgulho envolvidas.” Meira acha que “há a possibilibandeira de Pernambuco dade concreta de que as mensagens tenham na televisão. sido obtidas ‘dentro’ dos grupos de disFoto: Acervo pessoal cussão dos envolvidos, por alguma pessoa que fazia parte das conversações e era pelo menos conhecida dos envolvidos ou, ainda mais provável, por meio do ‘sequestro digital’ de um ou mais dos dispositivos envolvidos nas conversas

Ver todos os capítulos
Medium 9788562938467

LUIZ FLÁVIO GOMES

José Nêumanne Pinto Editora Almedina PDF Criptografado

LUIZ FLÁVIO GOMES

2 de agosto de 2018

Para Luiz Flávio Gomes, mestre em Direito Penal na USP, nosso problema não é dinheiro, mas roubalheira, pois clube de ladrões canaliza para seus sócios quase toda a riqueza do País.

“Quem quer ficar rico com a f u nção pública não pode fazer política e quem faz política não pode querer ficar rico”, disse o criador do movimento

#QueroUmBrasilÉtico e diretor-presidente do Instituto de

Mediação, Luiz Flávio Gomes.

C om mest rado em D i reito

Penal pela Faculdade de Direito Luiz Flávio conversa com os repórteres da Universidade de São Paulo à frente do Fórum de Santana no julgamento do casal Nardoni, em 2010.

(USP) e doutor na mesma disciFoto: Paulo Pinto/AE plina pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri, o entrevistado da semana na série Nêumanne Entrevista, no Blog do Nêumanne, disse que “o

Judiciário e a sociedade civil devem atacar a doença da formação brasileira, que é a existência de um clube de ladrões que canaliza para seus membros a quase totalidade da riqueza do País. Enquanto não vencermos nosso inimigo comum, não podemos nunca sonhar com a felicidade coletiva”. Segundo ele, “enquanto não faxinarmos com valentia e firmeza os ladrões, corruptos e aproveitadores que mandam na nossa nação, nunca sairemos do subdesenvolvimento. Voto faxina nos políticos corruptos. Império da lei contra os ladrões (sobretudo endinheirados) da República”. Para tanto, na sua opinião, “temos de baratear as campanhas, impor limites estritos de gastos eleitorais e

151

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos