588 capítulos
Medium 9788582715116

Capítulo 8 - A Dependência Química e o Modelo Cognitivo de Aaron Beck

Neide A. Zanelatto, Ronaldo Laranjeira Grupo A PDF Criptografado

8

A DEPENDÊNCIA QUÍMICA E O MODELO

COGNITIVO DE AARON BECK

 CLÁUDIO JERÔNIMO DA SILVA

PONTOS-CHAVEPONTOS-CHAVEPONTOS-CHAVEPONTOS-CHAVEPONTOS-CH

�� O modelo cognitivo proposto por Beck considera o uso de substâncias como uma estratégia compensatória que tem a função de eliminar e neutralizar crenças disfuncionais básicas e centrais a respeito da substância, de si mesmo, do outro, do mundo e das relações entre eles.

�� O uso contínuo de substâncias leva ao desenvolvimento de um grupo de crenças muito próprias a respeito da substância utilizada. Essas crenças, no conjunto dos usuários, compõem a subcultura do consumo de substâncias e constituem fatores de risco para o uso.

�� A terapia cognitiva de Beck propõe técnicas que visam a desafiar as crenças relacionadas ao uso de substâncias, identificando e desafiando as crenças centrais que as ativam. O processo de modificação da estrutura cognitiva do indivíduo permite educá-lo a respeito da própria técnica, tornando-o terapeuta de si mesmo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431665

18. A PRÓXIMA GESTAÇÃO

DEUTSCH, Alice D'Agostini; DORNAUS, Maria Fernanda P. S.; WAKSMAN, Renata Dejtiar Editora Manole PDF Criptografado

A PRÓXIMA GESTAÇÃO

A primeira gestação terminou cedo, muito antes do planejado. O recém-nascido ficou internado por bastante tempo, os medos acerca de sua saúde surgiram, e os desafios estão sendo ou já foram enfrentados. Agora, surge a dúvida: o que fazer para que isso não aconteça novamente?

A gestante que já teve um parto prematuro, ao chegar à consulta pré-natal da sua nova gestação, após contar a sua história ao obstetra, certamente ouvirá que é uma gestante de alto risco para um outro parto prematuro. A chance de prematuridade é 3 vezes maior se o primeiro parto foi prematuro.

No entanto, ao descobrir na “anamnese” (entrevista inicial com o médico) que sua paciente já teve um parto prematuro, o obstetra pode decidir por prevenir que ele ocorra novamente. Ele questionará como foi a gestação anterior, se houve contrações ou cólicas logo antes de o bebê nascer, ou se surgiram alterações como hipertensão, diabete

333

melito ou doenças reumatológicas, que levaram à necessidade da realização do parto mais cedo. Dessa maneira, o obstetra poderá, então, classificar qual foi a causa do parto prematuro anterior.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713709

Como utilizar este livro

James C. Radcliffe Grupo A PDF Criptografado

Como utilizar este livro

Esta seção de Treinamento funcional para atletas de todos os níveis apresenta séries de exercícios físicos para uma grande variedade de esportes, como beisebol, luta, ciclismo, basquete e ginástica.

A fim de escolher a melhor para seus objetivos, você deve primeiro avaliar seu esporte e os movimentos envolvidos.

É

necessário avaliar os elementos do atletismo a fim de melhorar o planejamento e o desempenho do treinamento e, portanto, da competição. Vern Gambetta escreve que um fracasso em avaliar completamente as demandas de seu esporte manifesta-se mais tarde como erros de desempenho, lesões ou treinamento excessivo. Considere os elementos do esporte para o qual você está fazendo condicionamento.

1. Há contato (em especial com o solo) ou colisão? Quais são as regras? Como as regras se aplicam a extensão do jogo, extensão dos períodos de repouso, extensão da superfície de jogo e largura da superfície de jogo?

2. A percentagem de voo é vertical

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714836

Capítulo 63. Prevenção seletiva com filhos de dependentes químicos: o projeto Cuida

Alessandra Diehl, Daniel Cruz Cordeiro, Ronaldo Laranjeira Grupo A PDF Criptografado

63

Prevenção seletiva com filhos de dependentes químicos: o projeto Cuida

Neliana Buzi Figlie, Elizabete Milagres e Jaime Crowe

PONTOS-CHAVE de indivíduos com dependência química têm maior tendência de desenvolver transtornos

 Filhos relacionados ao uso de substâncias, transtorno da conduta e transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade que filhos de indivíduos sem dependência química.

série de transtornos mentais encontrados em crianças e adolescentes tem relação direta com a

 Uma dependência química vivenciada em suas famílias. emocional e estressores familiares podem influenciar o desempenho das crianças, sobretudo

 Instabilidade em relação a problemas de aprendizagem e comportamento. atuação preventiva com crianças e familiares que convivem com a dependência química, pautada na

 Uma resiliência, traz para o campo da saúde uma nova práxis, na qual a interação entre sujeitos se estabelece como vínculo de confiança, com espaço de acolhida e escuta.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580552539

Conclusão

Robert M. Wachter Grupo A PDF Criptografado

CONCLUSÃO

A grande expectativa que acompanhou a publicação do To Err is Human pelo Institute of Medicine (IOM), no final de 1999, gerou um pensamento mágico sobre quão fácil seria resolver o problema dos erros associados à assistência em saúde. Alguns sistemas informatizados aqui, outros processos padronizados ali

(duplas checagens, teach back), e talvez apenas um pouco de mudança cultural – e pronto! Os pacientes estariam mais seguros.

Hoje sabemos o quão ingênua era esta perspectiva. O problema dos erros associados à assistência em saúde é demasiadamente complexo, e as soluções deverão ser tão variadas quanto os problemas. Precisamos de melhor tecnologia de informação? Sim. Trabalho em equipe mais adequado? Sim. Normas e regulações mais firmes? Sim. Listas de verificação, simulação, apoio à decisão, ações condicionais? Sim, sim, sim e sim.

Do ponto de vista organizacional, chegamos à compreensão de que as soluções devem ser tanto de cima para baixo, quanto de baixo para cima. A liderança sênior e o Conselho Administrativo devem disponibilizar os recursos necessários para o treinamento de trabalho em equipe, para os computadores e para o dimensionamento adequado de pessoal. Ainda assim, grande parte da ação em segurança do paciente acontece na linha de frente: um enfermeiro irá simplesmente contornar uma situação arriscada, deixando-a como está, ou irá dedicar tempo e esforço para notificá-la e ajudar a solucioná-la? Os residentes participarão de forma entusiástica dos programas de treinamento de trabalho em equipe e das reuniões de M&M? O cirurgião-chefe receberá bem, verdadeiramente bem, a opinião do residente ou do enfermeiro que veem algo que possa colocar o paciente em risco?

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos