528 capítulos
Medium 9788520434536

Fundamentos da respiração

ELLSWORTH, Abigail Editora Manole PDF Criptografado

FUNDAMENTOS DA

RESPIRAÇÃO

A yoga é composta basicamente pelas posturas físicas, ou asanas, executadas.

Os asanas se concentram na força, na flexibilidade e no controle físico. Entretanto, sob nossa estrutura de ossos, tendões e músculos, há todo um sistema respiratório funcionando simultaneamente. Semelhante aos processos de digestão e de função celular, a respiração leva nutrientes para o corpo e expele o que não é aproveitado.

A respiração é o elo entre as nossas partes física e mental, e o seu controle, ou Pranayama, é uma prática importante da yoga, a qual você deve exercitar isoladamente e incorporar à prática do asana. Assim, a expansão e o fortalecimento da respiração e da mente coincidirão com o alongamento e o fortalecimento do corpo.

CONTROLE DA RESPIRAÇÃO

FUNDAMENTOS DA

RESPIRAÇÃO

(PRANAYAMA)

SIGNIFICADO EM

SÂNSCRITO

• Prana = energia interna da respiração, sopro vital; pra = antes; an = respirar, viver; ayama

Ver todos os capítulos
Medium 9788520432921

2. Teaser (abdominal em V) e o períneo

CALAIS-GERMAIN, Blandine; RAISON, Bertrand Editora Manole PDF Criptografado

2

Teaser

(abdominal em V) e o períneo

23

Teaser (abdominal em V) e o períneo

Este exercício de enrolamento da coluna, se mal executado, pode provocar pressões indesejáveis sobre a parte inferior da pelve e sobre o períneo.

24

Princípio do exercício

Posição inicial

Deitado, com as costas sobre a caixa, os pés apoiados na barra, os braços ao lado e as mãos nas alças.

Apoiado sobre a caixa, o tronco fica mais alto que as extremidades dos membros. Resultado: a coluna vertebral fica em posição de extensão, dadas a retropulsão dos braços e a extensão do quadril (aqui, o alongamento dos músculos flexores do quadril), que provoca a anteversão da pelve.

Deslocamento

É feito em duas etapas: ida e volta.

• Na ida, a parte superior da coluna

é flexionada e, depois, todo o tronco deixa o apoio da caixa até ficar retilíneo e oblíquo, o apoio passa a ser sobre a parte de trás dos ísquios.

Ao mesmo tempo, o quadril é flexionado enquanto os joelhos permanecem estendidos, as mãos seguram as alças e se dirigem, durante todo o movimento, para frente e para o alto, com os cotovelos estendidos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713709

Treinamento de agilidade

James C. Radcliffe Grupo A PDF Criptografado

Treinamento funcional para atletas de todos os níveis 165

Treinamento de agilidade

Manobra de desaceleração com joelhos flexionados

Progressões de manobras de desaceleração

OBJETIVO: Diminuir a velocidade, colocar o corpo em posição para mover-se de forma adequada em outra direção e evitar estresse desnecessário sobre o corpo.

Útil para todos os esportes quer a mudança de direção seja, ou não, um fator.

POSIÇÃO INICIAL: Acelere a uma velocidade moderadamente alta por 4,5 a 13 metros.

1-2

Comece o processo de desaceleração inclinando seus joelhos e abaixando seus quadris. Mantenha os ombros elevados e o tórax amplo. Os pés devem aterrissar em contato total com o solo e ficar atrás dos quadris.

Repita este processo de aceleração/desaceleração no campo na seguinte progressão:

Posição inicial

• Comece descalço no início para assegurar a mecânica e a colocação do pé.

• Aumente a distância da aceleração e diminua a distância na qual ocorre a desaceleração (p. ex., acelere 4,5 metros, desacelere em 13, então acelere 9 e desacelere em 9).

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431665

19. DEPOIMENTOS

DEUTSCH, Alice D'Agostini; DORNAUS, Maria Fernanda P. S.; WAKSMAN, Renata Dejtiar Editora Manole PDF Criptografado

DEPOIMENTOS

DEPOIMENTO DE LIGIA KEMPFER, MÃE DA JÚLIA

— Julinha, qual seu prato favorito?

— Rabada!

Quem ouve essa criança de quase três anos de idade falando assim, de boca cheia, acha muito interessante que alguém desse tamanho possa gostar logo de rabada! Mas o que a maioria das pessoas não sabe é como ela lutou, desde bebê, para conseguir chegar ao ponto de comer as coisas mais gostosas (e as nem tanto...) deste mundo.

Júlia nasceu com 29 semanas de gestação, pesando apenas 670 g.

Os obstetras não acreditavam que ela sobreviveria na minha barriga e, se nascesse com vida, que poderia levar uma vida normal. Mesmo assim, ela nasceu e não precisou ser intubada: começou a vida respirando sozinha, apenas com a ajuda do CPAP (ver capítulo “A UTI neo-

339

natal”). Antes de completar um mês de vida, com 900 g, sofreu duas cirurgias que levaram 2/3 do intestino dela. Ficou quatro meses na

UTI neonatal do Hospital Israelita Albert Einstein e só foi para casa quanto atingiu 1,8 kg.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714836

Capítulo 22. Terapias cognitivo-comportamentais aplicadas ao tratamento da dependência química

Alessandra Diehl, Daniel Cordeiro, Ronaldo Laranjeira Grupo A PDF Criptografado

22

Terapias cognitivo-comportamentais aplicadas ao tratamento da dependência química

Neide Zanelatto

PONTOS-CHAVE terapias cognitivo-comportamentais (TCCs) integram técnicas e conceitos vindos da teoria cognitiva

 As e da teoria comportamental, mas se traduzem em algo mais do que a simples combinação de ambas as teorias.

 Mudanças na cognição tornam as mudanças comportamentais mais duradouras. dos principais objetivos das TCCs é identificar e corrigir erros de pensamento que geram problemas

 Um para o indivíduo em decorrência de suas vulnerabilidades cognitivas e auxiliar no desenvolvimento de estratégias de enfrentamento de situações que põem em risco o alcance dos objetivos estabelecidos durante o tratamento.

dependência de substâncias, esse referencial teórico tem sido apontado como um dos que apresenta

 Na maior eficácia (padrão ouro) em termos de resultados obtidos com o tratamento.

A dependência de substâncias é um fenômeno complexo e tem sido considerada em um sem número de visões, muitas vezes contraditórias em seu veredito. O clínico dessa área, ao observar os vários contextos que circundam tal fenômeno, deve ter em mente que seu papel fundamental é auxiliar os indivíduos que buscam ajuda no sentido de modificarem seus comportamentos dependentes da forma mais eficaz possível, diante dos recursos de que dispõem. O trabalho com dependentes de substâncias é árduo, dadas as características desse transtorno e consideradas as limitações dos vários modelos de tratamento. Nosso trabalho é compreender e tratar o indivíduo como um todo, vendo além do seu problema de dependência, mas não perdendo o foco clínico do tratamento. Muitos referenciais teóricos têm sido desenvolvidos para tornar essa tarefa factível.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos