58 capítulos
Medium 9788563899545

introdução

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Por que as táticas são importantes?

Estratégia, por outro lado, é a compreensão do que você

(e o seu oponente) está tentando fazer a médio e a longo prazo. Ela envolve tais elementos como o planejamento e a compreensão da estrutura de peões e um entendimento das casas fortes e das casas fracas.

Quando se pensa estrategicamente, não se considera necessariamente lances individuais. Você está pensando mais em termos de: “meu adversário tem um ponto fraco em f7, mas eu não posso atacá-la diretamente. Portanto, vou avançar meu peão até b4, depois b5 e depois capturar o peão dele em c6. Ele vai recuperar a casa com ... bxc6, mas aí eu vou abrir a coluna b para a minha torre até b7, onde ela vai pressionar a casa f7”.

Falando de modo geral (e, admito, isso se trata de uma simplificação um tanto brutal), o xadrez pode ser dividido em táticas e estratégia. Táticas são a luta, o mano a mano. São as coisas que os jogadores estão tentando resolver quando dizem: “se eu jogar aqui e ele lá... e aí eu capturo esse peão... aí, o que ele vai fazer... etc”.

Ver todos os capítulos
Medium 9788565848046

1. Akiba Rubinstein (1882-1961)

Craig Pritchett Grupo A PDF Criptografado

1

Akiba Rubinstein

(1882-1961)

Rubinstein criou as partidas mais perfeitas desde a época de Steinitz... as demonstrações mais perfeitas dos ensinamentos de Steinitz.

Richard Réti, Masters of the Chess Board

Sem o grande exemplo de jogos e ideias do primeiro Campeão Mundial, Wilhelm

Steinitz (1839-1900), provavelmente seja justo dizer que a base para o que tenho em mente quando utilizo o termo xadrez classicamente objetivo não teria sido desenvolvido até o tempo de Rubinstein.

Steinitz é considerado pela maioria o fundador das regras fundamentais do xadrez posicional “correto”, especialmente em posições fechadas. Sua contribuição principal foi desenvolver a ideia de “equilíbrio” no xadrez, e a noção de que vencer depende muito de vantagens acumuladas suficientes para perturbar o equilíbrio natural em qualquer partida entre enxadristas a favor de ataques bem-sucedidos do que ataques quixotescos.

Steinitz submetia fatores posicionais, em especial estruturas de peões, a análises minuciosas. Ele enfatizava o valor das estruturas de peões sólidas, com pontos fortes no centro (normalmente baseados em peões em e4/e5 ou d4/ d5), manobrabilidade e ausência de casas fracas desprotegidas. Steinitz estava

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309064

4. Princípios dos finais

Matthew Sadler Grupo A PDF Criptografado

4

Princípios dos finais

“Amigos, estamos em desvantagem numérica...”

Qual o objetivo dos finais de partida?

Pensando a longo prazo

Avaliando finais de partida

O final é a parte mais apavorante do jogo de xadrez, tanto para iniciantes como para grandes mestres. Todos sabem como é importante ser um bom jogador de final de partida. Essa é a última chance para salvar uma posição perdida, ou a última esperança para ganhar uma posição melhor. Apesar disso, todos, realmente, têm medo de não conseguirem ser eficazes no final de uma partida!

Isso pode parecer estranho. Quando estava ensinando minha mãe a jogar xadrez, ela costumava perguntar se, uma vez que havia uma quantidade menor de peças no tabuleiro, o final de uma partida não deveria ser muito mais simples do que a abertura ou o meio-jogo. Há menos ameaças, menos peças que podem lhe dar um garfo e menos peças para esquecer e deixar sem proteção! Essa é, de fato, a questão fundamental: a partir do momento em que você entender por que o final de uma partida não é tão simples, compreenderá a atitude geral que tem de adotar nesse estágio do jogo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Capítulo 8 - Lances Desnecessários com os Peões

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

8

Lances

Desnecessários com os Peões

Os peões são a alma do xadrez. – Philidor

Os peões não podem se mover para trás!

Você tem de ter muito cuidado ao mover um peão, já que é a única peça do tabuleiro que não pode se mover para trás. Além do mais, depois de ter avançado um peão, ele costuma ter de ficar na casa onde você o colocou por algum tempo.

Um avanço particularmente hediondo seria enfrentar 1 e4 e5 2 d4 exd4 3 xd4 com o horrível lance 3...c5?, atacando a dama branca, mas deixando um rombo em d5. Pelo resto da partida, as Pretas não conseguirão cobrir a casa d5 com um peão, então as Brancas sempre vão ter um belo posto central à disposição. Esse é um exemplo obviamente extremo, mas você tem sempre de considerar a fraqueza resultante, especialmente quando estiver tentado a mover os peões na frente de seu rei.

Quando estiver decidindo avançar ou não seus peões, tente ter as seguintes considerações em mente:

1. Minhas peças estão desenvolvidas?

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899682

Capítulo 2 - Perseguindo o Rei no Centro

Neil McDonald Grupo A PDF Criptografado

2

Perseguindo o Rei no Centro

Deixar o rei no centro por muito tempo é um risco ocupacional para os enxadristas. Há muitas razões para arriscarmos a segurança de nossa peça mais importante, incluindo incompetência, falta de senso de perigo e um sutil erro de cálculo. Apesar de parecer um erro cometido por culpa própria, enxadristas do estilo agressivo empregam várias técnicas para persuadir seus adversários a correr riscos desnecessários com seu rei.

Então, imaginemos que tenhamos motivado o adversário a manter o seu rei centralizado. Qual é a melhor maneira de puni-lo? Um método clássico do xadrez agressivo é trazer as torres rapidamente para o ataque. É improvável que o adversário responda trazendo as próprias torres para a defesa, mesmo porque seu rei estará no meio do caminho. Portanto, mesmo que se faça um sacrifício de material muito grande para envolver suas torres na investida, provavelmente ainda se terá muito poder de fogo ao qual a defesa terá que resistir.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos