58 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788563899545

Soluções

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

Soluções

Desafio 1

Desafio 4

Desafio 6

As Brancas gostariam de mover o seu cavalo e descobrir um ataque contra a dama preta.

O rei branco está muito exposto.

As Pretas querem jogar ... Be5

(ameaçando mate em h2), mas f4 é uma defesa. Logo, elas jogam...

Nesse final, as peças pretas estão muito ativas, e o rei branco está um pouco constrito. A solução demonstra a eficiência de um par de torres, quando combinadas.

1 Th8+! Rxh8

2 Cf7+, ganhando a dama.

Desafio 2

As Pretas gostariam de criar uma ameaça movendo o bispo de b6, já que esse lance exporia a dama branca.

1 ... Txh2+!

2 Rxh2 Dh6+

3 Rg1 Bxd4+ ganhando a dama.

Desafio 3

As Brancas abrem caminho para que a torre e o bispo construam uma posição típica de mate.

1 Txd6+! cxd6

2 Bg5+ Re6

3 Te7 mate

1 ... Bxf3+!

1 Bxf3 Be5 e o mate segue em h2.

Desafio 5

Há dois temas-chave aqui: a primeira fileira fraca e a vulnerabilidade da casa g7 das Pretas. As Brancas tiram proveito dos dois com uma maravilhosa tática.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899545

Perigo na Abertura

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

Perigo na Abertura

Já consideramos diversos temas táticos nas páginas anteriores. Agora quero alertá-lo quanto aos perigos ocultos que espreitam no início da partida. Existem diversos estratagemas táticos complicados que vivem aparecendo devido às típicas configurações das peças nos estágios iniciais da partida. Nós já consideramos uma delas – táticas baseadas nas fraquezas da casa f7.

Contudo, existem muitas outras, e examinaremos algumas delas aqui. Você deve estar consciente delas, para não cair nessas armadilhas, além de enxergar as oportunidades quando um adversário as permite.

Dica

Não existe possibilidade de cobrirmos todos os diferentes tipos de táticas que podem ocorrer no início da partida. Se você tiver algum software de xadrez e algumas partidas, ou acesso a bases de dados online, então faça uma busca de todas as partidas que terminaram em menos de, digamos, 25 lances. Assista-as todas – algo catastrófico deve ter acontecido.

O que foi? Identifique o problema e faça uma nota mental. Você ficará surpreso ao ver os mesmos temas surgindo repetidamente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899545

Mais Ideias Táticas

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

Mais Ideias Táticas

Neste capítulo, iremos examinar as formas como o jogo tático pode ficar mais complexo. Nós já olhamos como os elementos básicos (garfo, espeto e cravada) das táticas funcionam, e agora vamos considerar o plano geral. Para fazer isso, precisaremos considerar estas três ideias:

Ataque duplo

27

Ataque descoberto

Dica

Ao ler o material a seguir, considere por um momento cada posição antes de olhar para a sequência e ver o que acontece. Em todos os casos, será a vez de as Brancas jogarem, então tente desenvolver sua sensibilidade para onde a posição das Pretas pode estar vulnerável.

Sobrecarregar, defletir ou remover a defesa

Pergunte-se o seguinte:

• Há peças vulneráveis (preferencialmente não defendidas) que podem ser ameaçadas?

• Há peças que pareçam prontas para táticas básicas (garfos, cravadas e espetos)?

• Há outros pontos a se considerar?

28

Ataque duplo

Grande parte de tornar-se um jogador habilidoso envolve desenvolver uma sensibilidade para o tipo de coisa que você deve procurar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899545

introdução

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Por que as táticas são importantes?

Estratégia, por outro lado, é a compreensão do que você

(e o seu oponente) está tentando fazer a médio e a longo prazo. Ela envolve tais elementos como o planejamento e a compreensão da estrutura de peões e um entendimento das casas fortes e das casas fracas.

Quando se pensa estrategicamente, não se considera necessariamente lances individuais. Você está pensando mais em termos de: “meu adversário tem um ponto fraco em f7, mas eu não posso atacá-la diretamente. Portanto, vou avançar meu peão até b4, depois b5 e depois capturar o peão dele em c6. Ele vai recuperar a casa com ... bxc6, mas aí eu vou abrir a coluna b para a minha torre até b7, onde ela vai pressionar a casa f7”.

Falando de modo geral (e, admito, isso se trata de uma simplificação um tanto brutal), o xadrez pode ser dividido em táticas e estratégia. Táticas são a luta, o mano a mano. São as coisas que os jogadores estão tentando resolver quando dizem: “se eu jogar aqui e ele lá... e aí eu capturo esse peão... aí, o que ele vai fazer... etc”.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899675

Introdução

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Lembranças da Síria

Eu nasci em 24 de março de 1960, em Damasco, filho de pai sírio, Muyassar Seirawan, e mãe inglesa, Margaret Elvin. Meus pais se conheceram na época em que meu pai era estudante e estava obtendo seus títulos universitários avançados na Inglaterra. Ele estudava inteligência artificial e programação de computadores no Instituto Boots, em

Nottingham, onde conheceu minha mãe e se casou. O casamento não foi nenhum mar de rosas. Meu pai provinha de uma nação muçulmana e, ainda que não fosse um muçulmano praticante nem particularmente religioso, era observador. Minha mãe frequentava a Igreja Anglicana e foi criada na cultura judaico-cristã, embora, como meu pai, tampouco fosse particularmente religiosa.

Minha piada predileta é que minha mãe e meu pai eram apostadores, traço que passaram para seus filhos; que meus pais jogaram dados genéticos e saíram-se vitoriosos; graças a meu pai, da cintura para baixo eu era um árabe beduíno e, graças à minha mãe, da cintura para cima eu era um cavalheiro britânico ortodoxo. Você ri, mas este é um jogo perigoso. Você certamente não quer que a matriz genética se misture, tampouco quer

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899682

Introdução

Neil McDonald Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Os enxadristas podem ser divididos entre os estrategistas e os agressivos. A batalha pela supremacia entre estes dois estilos de jogo levou a combates criativos como Capablanca-Alekhine, Botvinnik-Bronstein e Kramnik-Topalov.

O objetivo deste livro é examinar e celebrar as ideias de cinco enxadristas famosos que contribuíram para o desenvolvimento do estilo agressivo. Espero que o leitor ache as partidas emocionantes e agradáveis. Com um pouco de sorte, uma pequena parte do talento e da mágica destes cinco gigantes pode acabar reaparecendo no nosso próprio xadrez.

Mas antes vejamos um exemplo do estilo estratégico em ação:

Partida 1

V.Kramnik – M.Carlsen

Dortmund, 2007

Abertura Catalã

1 f3 f6 2 c4 e6 3 g3 d5 4 d4 e7 5 g2 0-0 6 0-0 dxc4 7 c2 a6 8 xc4 b5

9 c2 b7 10 d2 c6 11 e3 b4 12 xb4 xb4 13 a3 e7 14 bd2 c8 15 b4 a5 16 e5 d5 17 b3!

8

Neil McDonald

17...axb4 18 a5 a8 19 ac6 xc6 20 xc6 d7 21 xd5 exd5 22 axb4 fe8 23 a5 f8 24 e5 e6 25 xb5 b8 26 xb8 xb8 27 xc7 d6 28 a5 xb4 29 b1 d6 30 a4 1-0

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Introdução

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Como e por que alguns jogadores de xadrez vencem seus jogos em muito menos tempo do que outros? Será porque eles têm sorte? Tem algo a ver com o seu estilo de jogo? Ou talvez os seus adversários estejam jogando mal e cometendo muitos erros na abertura?

Eu suspeito que muitos jogadores adorariam acabar com seus oponentes o mais rápido possível, seja com um ataque brilhante ou com uma armadilha bem planejada. Bem, este livro tenta entender exatamente como e por que certos jogadores conseguem vencer em menos de 25 lances.

Em geral, é uma combinação dos fatores acima que faz os jogadores vencerem rapidamente. Afinal, um jogador tende a fazer sua própria sorte. E ele faz isso escolhendo a abertura certa e causando o maior número de problemas possível ao seu adversário, especialmente fazendo-o mostrar tudo o que sabe desde o início. De fato, seu estilo de jogo terá um grande impacto no modo como a partida se desenvolve. Se sua abertura for ligeiramente arriscada, você terá mais chances de vencer rapidamente; por outro lado, você também aumenta suas chances de perder muito rápido. Realmente, é necessário ter cautela quanto ao modo como você encara uma partida. Costuma ser uma boa ideia correr riscos, mas também é necessário escolher o oponente certo para correr esse risco.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899545

Ideias Táticas Básicas

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

Ideias Táticas Básicas

Sempre que tentamos aprender uma nova habilidade, não tentamos adquirir todo o conhecimento de que precisamos de uma vez só.

Isso não dá certo, e um bom professor sabe disso.

Assim, o professor irá dividir o processo em suas partes constituintes, que aí então serão absorvidas individualmente.

Portanto, quando estamos aprendendo a dirigir, o instrutor não vai nos ensinar a controlar a direção, operar os pedais, escolher e trocar a marcha, olhar para as placas e dar o sinal corretamente, tudo de uma vez. São informações demais para se absorver, então o que acontece é que aprendemos as habilidades necessárias, uma de cada vez.

Quando tivermos dominado a primeira habilidade, aí tentamos coordená-la com a próxima habilidade de que precisamos.

É a mesma coisa que acontece quando estamos tentando dominar as táticas de xadrez. O processo precisa ser dividido em elementos individuais.

15

Os três elementos-chave do jogo tático

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899545

Desafios

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

Desafios

Os seguintes desafios irão testar o quanto você entendeu e absorveu do material anterior deste livro.

Todos os desafios dependem de estratagemas táticos que já consideramos, mas você não receberá pista alguma. Ninguém lhe dirá para procurar pelo espeto, pela cravada, pelo xeque-mate ou qualquer outra coisa. Assim eles se assemelham a uma partida de verdade, onde você precisa encontrar as táticas sem auxílio.

Uma boa ideia é considerar uma posição e, se nada lhe ocorre imediatamente, dizer para si mesmo: “Não seria bom se...”, e a partir daí tentar encontrar uma forma de fazer o “se...” acontecer.

79

Exemplo 1

Exemplo 2

Short – Biyasis

Hastings, 1980 jogue com as Brancas

Gerstner – Machelett

Alemanha, 1994 jogue com as Brancas

Claramente as Brancas têm um bom ataque e as Pretas têm casas fracas ao redor do rei. As Brancas gostariam de jogar Txf8+, forçando o mate, mas, infelizmente, sua torre está cravada. Existe algum modo de libertar a torre dessa cravada?

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Capítulo 9 - O Superpeão em h

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

9

O Superpeão em h

Este capítulo é um pouco divertido, na verdade. Achei que deveria incluí-lo, já que tive muitos momentos interessantes em minha vida de enxadrista avançando o peão na coluna h ao longo do tabuleiro.

Em termos gerais, não costuma ser uma boa ideia avançar o peão na coluna h muito cedo. O centro é a área mais importante do tabuleiro, e é ele que o jogador deve tentar controlar. Infelizmente, em muitas de minhas partidas o sangue me sobe à cabeça. O peão na coluna h está ali, me olhando, e antes que eu perceba o que fiz, ele foi pego e movido até h4!

Ainda assim, pode haver razões muito boas para avançar o peão em h com antecedência, especialmente quando seu adversário jogar o fianchetto na ala do rei. Na partida seguinte, elas são amplamente demonstradas por ninguém menos que Vishy Anand.

Partida 47

V. Anand – S. Mamedyarov

Campeonato Mundial de Blitz

Moscou, 2007

Defesa Moderna

1 d4 g6 2 c4

Ouso dizer que valia considerar 2 h4?

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899682

Capítulo 9 - A Psicologia da Preparação

Neil McDonald Grupo A PDF Criptografado

9

A Psicologia da

Preparação

Nossos cinco gigantes tiveram destinos distintos na busca pelo reconhecimento de melhor enxadrista do mundo. Morphy nasceu antes mesmo do Campeonato Mundial ser inventado; Alekhine morreu com o título de Campeão Mundial; Bronstein provou ser do mesmo nível do Campeão Mundial da época, mas nunca ganhou a mesma honra; Geller derrotou uma porção de Campeões Mundiais em torneios sem alcançar um match pelo título; Topalov venceu o Campeonato Mundial em um torneio e, no momento em que escrevo, pode ainda vencê-lo em um match.

Neste capítulo pretendo analisar como a preparação psicológica, incluindo uma análise profunda do estilo do adversário, tem agido nas tentativas de nossos cinco enxadristas de atingirem o desempenho ideal.

O match entre Morphy e Harrwitz

Daniel Harrwitz (1823-1884) havia se tornado o enxadrista profissional residente do Café de la Régence, em Paris, após a morte de Kieseritzky. Ele era, portanto, um dos mais formidáveis adversários que Morphy teria de enfrentar em sua conquista da Europa, em 1858. Um match foi organizado: o vencedor seria aquele que primeiro conseguisse sete vitórias.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899682

Capítulo 8 - Peões Atrasados e Bispos Indianos

Neil McDonald Grupo A PDF Criptografado

8

Peões Atrasados e

Bispos Indianos

Nos anos de 1920, tanto Lasker quanto Capablanca temiam que os melhores enxadristas do mundo aperfeiçoassem o conhecimento sobre abertura e estratégia.

Todas as partidas entre os enxadristas com esse conhecimento iriam acabar inevitavelmente em empates e, como consequência, o xadrez competitivo de alto nível chegaria ao fim. Esse fenômeno foi chamado de “a morte por empate”.

Deve-se mencionar que Capablanca demonstrou sua preocupação enquanto ainda era Campeão Mundial, portanto, não eram resmungos de um homem derrotado. Além disso, o próprio cubano conseguiu manter-se sem derrotas entre

10 de fevereiro de 1916 e 21 de março de 1924. Portanto, em suas condições era sensato supor que outros enxadristas da elite desenvolveriam uma invencibilidade parecida com o passar do tempo.

Felizmente essa profecia nunca se concretizou, por duas razões: em primeiro lugar, há um dinamismo inerente em posições alcançadas até pelas aberturas mais simétricas ou clássicas, isto é, começando por 1 d4 d5 ou 1 e4 e5. Isso quer dizer que nem tudo pode ser resolvido somente por lógica ou senso comum. É preciso calcular variantes e tomar decisões baseando-se em intuição, o que dá espaço à criatividade humana, a julgamentos ruins e à boa e velha sorte e, portanto, a perdas e ganhos. Como Capa ficou oito anos sem perder? Bem, ele era um gênio. Sua intuição espantosa guiou-o em posições pouco claras que desafiavam as ciências exatas. Enxadristas “comuns” da elite não seguiram os seus passos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Capítulo 8 - Lances Desnecessários com os Peões

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

8

Lances

Desnecessários com os Peões

Os peões são a alma do xadrez. – Philidor

Os peões não podem se mover para trás!

Você tem de ter muito cuidado ao mover um peão, já que é a única peça do tabuleiro que não pode se mover para trás. Além do mais, depois de ter avançado um peão, ele costuma ter de ficar na casa onde você o colocou por algum tempo.

Um avanço particularmente hediondo seria enfrentar 1 e4 e5 2 d4 exd4 3 xd4 com o horrível lance 3...c5?, atacando a dama branca, mas deixando um rombo em d5. Pelo resto da partida, as Pretas não conseguirão cobrir a casa d5 com um peão, então as Brancas sempre vão ter um belo posto central à disposição. Esse é um exemplo obviamente extremo, mas você tem sempre de considerar a fraqueza resultante, especialmente quando estiver tentado a mover os peões na frente de seu rei.

Quando estiver decidindo avançar ou não seus peões, tente ter as seguintes considerações em mente:

1. Minhas peças estão desenvolvidas?

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899682

Capítulo 7 - Um Aríete na Coluna f

Neil McDonald Grupo A PDF Criptografado

7

Um Aríete na Coluna f

A caminho de seu match no Campeonato Mundial de 1951, Bronstein superou seus adversários nos três componentes do xadrez agressivo: psicologia, preparação de abertura e conhecimento de dinâmica. Como resultado, ele venceu partidas importantes contra Najdorf e Keres ao introduzir energia de ataque em seu peão na coluna f. Neste capítulo, analisaremos essas partidas e observaremos como os nossos outros quatro gigantes utilizaram o peão da coluna f como uma

“varinha mágica”.

A maestria de Bronstein no xadrez agressivo

Na partida seguinte, Miguel Najdorf, um dos melhores enxadristas fora da URSS naquela época, será arrasado em 21 lances. Aqui estão os elementos do xadrez agressivo que tornam isso inevitável:

1) Preparação de abertura em variantes forçadas: Bronstein havia chegado ao Torneio de Candidatos de 1950 tendo estudado detalhadamente as variantes agudas da Defesa Nimzo-Índia com 4 a3.

2) Conhecimento de dinâmica: Najdorf é arruinado pelo poder do peão f4-f5 que serve de aríete. Parece que demorou muito tempo para que o mundo do xadrez tomasse conhecimento do poder deste avanço.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Capítulo 7 - Não Percebendo o Perigo

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

7

Não Percebendo o Perigo

Uma das coisas mais importantes no xadrez é ficar atento o tempo todo ao que o seu adversário está tentando fazer. Se você conseguir entender o que ele quer, então terá meio caminho andado para impedir todos os seus planos. Um senso de perigo vem com a experiência, mas existem certos fatores que devem ligar o alarme. Aqui vai uma lista de “perigos” nos quais consegui pensar:

1. Um grupo de peças próximo ao seu rei

Quanto mais peças inimigas posicionadas ao redor do seu rei, mais perigo você irá enfrentar.

2. Tenha a mente aberta!

Você não pode ficar preocupado com um único plano, já que isso pode cegá-lo a outras possibilidades que a posição contém. Certifique-se de ter cada área do tabuleiro em mente.

3. Tente não ser muito pessimista nem otimista

É mais fácil falar do que fazer, mas você deve tentar pensar quase de um ponto de vista externo à partida. Veja o seguinte exemplo:

Como vencer no xadrez rapidamente!

Ver todos os capítulos

Carregar mais