76 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788565848466

Capítulo 1. Conceitos básicos de estratégia

Johan Hellsten Grupo A PDF Criptografado

1

Conceitos básicos de estratégia

Introdução

O meio-jogo talvez seja a fase mais exigente da partida, na qual o jogador está constantemente se deparando com desafios de tática e estratégia. Sem dúvida, a capacidade tática é fundamental para conduzir um confronto direto no tabuleiro, criando e evitando ameaças, etc. Contudo, também precisamos de algumas noções básicas sobre o que nos será benéfico a longo prazo. Na sua incrível obra Strategia, o famoso instrutor de xadrez

Mark Dvoretsky esboça uma série de conceitos e definições em relação a isso, que, com algumas leves modificações, estão de acordo com a base teórica deste capítulo.

Um resumo dos conceitos

Basicamente, qualquer ação empreendida no jogo pode ser resumida como sendo operações táticas ou estratégicas. As táticas são fáceis de reconhecer: ameaças diretas, cravadas, garfos, desvio, etc. As estratégicas podem ser diferenciadas em: a) melhorar nossas peças; b) jogar com os peões;

c) trocas; d) profilaxia (com restrição e provocação).

Ver todos os capítulos
Medium 9788536313634

Capítulo 7. Uma solução para a abertura

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

XADREZ VITORIOSO: ABERTURAS

233

7

Uma solução para a abertura

L

evei vários anos para compreender as informações apresentadas nos capítulos anteriores. Aprender todas as aberturas e defesas clássicas, bem como seus nomes, foi realmente difícil. Mas, sem dúvida, isso me ajudou a perceber que nunca mais voltaria a usar minhas aberturas de Canhão ou do Assalto da Dama! Meu lance de abertura favorito tornou-se 1.e4 e teria ficado assim para sempre se não fosse por um pequeno problema: eu perdia. Na verdade, perdia com bastante freqüência, e a abertura era a verdadeira culpada. Eu achava que era preciso tornar-se um especialista em todo tipo de abertura e defesa! Assim que encontrava uma linha para lidar com a Dragão, eu perdia porque não estava ciente da última novidade do

Ataque Keres da Scheveningen. As coisas não melhoravam com a Defesa

Petroff. Desconhecer as nuanças de tantas aberturas significava que eu não conseguia ter uma vantagem, independentemente da linha escolhida. Todos concordavam com minhas reclamações: “É isso aí, Yaz. Me avisa quando você achar alguma coisa que valha a pena”.

Ver todos os capítulos
Medium 9788565848466

Capítulo 6. Miscelânea

Johan Hellsten Grupo A PDF Criptografado

6

Miscelânea

Este capítulo final contém um mix de elementos e conceitos relacionados à estratégia.

Casas fracas

O tópico “casas fracas” está presente em várias partes deste livro, especialmente na seção sobre melhorar o cavalo. Aqui, vamos continuar a investigação, começando por dois exemplos nos quais as casas fracas são exploradas por outras peças.

Exemplo 189

V.Kramnik – V.Zvjaginsev

Tilburgo, 1998

As Brancas estão um pouco na frente graças às suas peças mais ativas. Um olhar mais atento também revela que a ala da dama das Pretas está algo exposta nas casas pretas, o que Kramnik explora imediatamente.

25 ♘d1!

O cavalo é reposicionado para e3, e, ainda mais importante, a dama ganha acesso à casa protegida b4.

25…g6?!

Zvjaginsev evita uma futura transferência do cavalo para f5, porém mais eficaz seria 25…♕d6!, prevenindo 26 ♕b4.

As Brancas poderiam reagir com 26 ♖xe8

♖xe8 27 ♖xe8+ ♗xe8 28 ♘e3 ♗d7 29

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Capítulo 3 - Punindo os Caça-peões

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

3

Punindo os

Caça-peões

Take heed,

Never take advantage of the things you need,

Never let yourself be overcome by greed,

Walk the straight and narrow and you shall succeed.

– Shaggy*

Na mentalidade capitalista e supostamente democrática de hoje, a ganância costuma ser vista com bons olhos. Mas, conforme a Igreja Católica há muito nos adverte, a ganância pode levar à queda do indivíduo. O xadrez não é diferente.

Na abertura, um jogador com frequência pode ser punido por capturar um peão cedo demais. Leva tempo para capturar material, e, em alguns casos, esse tempo pode ser usado de uma melhor maneira, rocando ou desenvolvendo uma peça.

Decidir pegar ou não material requer pensar seriamente, mas em geral você tem que ter muito cuidado. Nunca pegue um peão sem pensar muito a respeito!

Por que o seu adversário deixou aquele peão en prise? Será uma armadilha? Você tem tempo para capturar aquele peão?

Por outro lado, se você acabou de sacrificar um peão, então como deveria prosseguir? Espero que você tenha ganhado uma iniciativa ou algum tipo de ata-

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Introdução

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Como e por que alguns jogadores de xadrez vencem seus jogos em muito menos tempo do que outros? Será porque eles têm sorte? Tem algo a ver com o seu estilo de jogo? Ou talvez os seus adversários estejam jogando mal e cometendo muitos erros na abertura?

Eu suspeito que muitos jogadores adorariam acabar com seus oponentes o mais rápido possível, seja com um ataque brilhante ou com uma armadilha bem planejada. Bem, este livro tenta entender exatamente como e por que certos jogadores conseguem vencer em menos de 25 lances.

Em geral, é uma combinação dos fatores acima que faz os jogadores vencerem rapidamente. Afinal, um jogador tende a fazer sua própria sorte. E ele faz isso escolhendo a abertura certa e causando o maior número de problemas possível ao seu adversário, especialmente fazendo-o mostrar tudo o que sabe desde o início. De fato, seu estilo de jogo terá um grande impacto no modo como a partida se desenvolve. Se sua abertura for ligeiramente arriscada, você terá mais chances de vencer rapidamente; por outro lado, você também aumenta suas chances de perder muito rápido. Realmente, é necessário ter cautela quanto ao modo como você encara uma partida. Costuma ser uma boa ideia correr riscos, mas também é necessário escolher o oponente certo para correr esse risco.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536313634

Capítulo 8. Uma solução para a Abertura do Peão da Dama

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

XADREZ VITORIOSO: ABERTURAS

247

8

Uma solução para a

Abertura do Peão da Dama

F

iquei tão encantado com a Abertura Barcza ao jogar com as brancas que tentei a mesma formação com as pretas contra a Abertura do Peão da Dama.

Conhecida como Defesa Índia do Rei (DIR), essa é a defesa favorita de Garry

Kasparov e Bobby Fischer. Ela vem bem recomendada! Vamos vê-la em ação:

1.d4 Cf6

3.Cc3 Bg7

2.c4 g6

4.e4 d6

É claro que as brancas não têm a obrigação de ocupar o centro. Elas podem fazer jogadas muito mais discretas com seus primeiros quatro lances, mas são esses lances de abertura que mais pressionam a formação das pretas.

O Diagrama 212 serve como posição inicial. As brancas têm um amplo leque de opções. As principais tentativas são:

Diagrama 212

248

YASSER SEIRAWAN

5.f4 (Ataque dos Quatro Peões);

5.f3 (Variante Samisch);

5.Be2 (Variante Averbach);

Ver todos os capítulos
Medium 9788565848046

2. Vassily Smyslov (1921-2010)

Craig Pritchett Grupo A PDF Criptografado

2

Vassily Smyslov

(1921-2010)

O teor de uma partida de xadrez deve ser a busca pela verdade, e o da vitória uma demonstração de sua justeza.

Vassily Smyslov, 125 Selected Games

Assim como Rubinstein fez anteriormente, Smyslov via-se principalmente como um artista do tabuleiro. Smyslov não apenas visava à vitória no xadrez, mas também a um ideal que ele chamava de “verdade”. Às vezes ele referia-se a esta verdade como “o triunfo da lógica”. Ainda que de maneira vaga, ele insistia que a verdade deve existir no xadrez, e deve ser tão atingível quanto em qualquer outra forma de arte.

Symslov sempre deixou bem claro que para ele o xadrez era uma arte. Ele também insistia que seu ideal de xadrez derivava de outros de seus gostos artísticos mais amplos, em especial a música. Um homem de vasta cultura, era um músico talentoso cuja rica voz de barítono, muitas vezes procurada em momentos fora do tabuleiro em eventos internacionais de xadrez, havia lhe conseguido um teste na

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899682

Capítulo 4 - A História de Vida de um Cavalo

Neil McDonald Grupo A PDF Criptografado

4

A História de Vida de um Cavalo

Neste capítulo, veremos as vicissitudes da fortuna pelas quais um cavalo pode passar em um tabuleiro de xadrez. Começaremos por seus momentos mais felizes, quando ele pode combinar o seu poder único com o da dama. A seguir, o veremos avaliando todo o campo de batalha, a partir de um posto avançado, encantado e não temeroso de estar na linha de frente do ataque. Depois disso, o clima fica obscuro, quando o cavalo é apanhado em um ataque que fracassou. E, finalmente, para sua vergonha completa, ele é paralisado pela ação de meros peões.

Combinações com o cavalo

Como será demonstrado neste livro, Morphy possuía um domínio de estratégia maior que qualquer outro de seus contemporâneos. Mesmo assim, ele entrou para a crença popular como um tático brilhante e aventureiro, não muito diferente de Anderssen. Certamente, quando o americano enfrentava adversários relativamente fracos, em partidas não oficiais, manifestava completamente seus poderes táticos surpreendentes. Eis o meu exemplo favorito de seu talento para uma combinação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899675

Introdução

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

Introdução

Lembranças da Síria

Eu nasci em 24 de março de 1960, em Damasco, filho de pai sírio, Muyassar Seirawan, e mãe inglesa, Margaret Elvin. Meus pais se conheceram na época em que meu pai era estudante e estava obtendo seus títulos universitários avançados na Inglaterra. Ele estudava inteligência artificial e programação de computadores no Instituto Boots, em

Nottingham, onde conheceu minha mãe e se casou. O casamento não foi nenhum mar de rosas. Meu pai provinha de uma nação muçulmana e, ainda que não fosse um muçulmano praticante nem particularmente religioso, era observador. Minha mãe frequentava a Igreja Anglicana e foi criada na cultura judaico-cristã, embora, como meu pai, tampouco fosse particularmente religiosa.

Minha piada predileta é que minha mãe e meu pai eram apostadores, traço que passaram para seus filhos; que meus pais jogaram dados genéticos e saíram-se vitoriosos; graças a meu pai, da cintura para baixo eu era um árabe beduíno e, graças à minha mãe, da cintura para cima eu era um cavalheiro britânico ortodoxo. Você ri, mas este é um jogo perigoso. Você certamente não quer que a matriz genética se misture, tampouco quer

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899569

Capítulo 5 - Jogue com Propósito!

Simon Williams Grupo A PDF Criptografado

5

Jogue com

Propósito!

Todo lance deve ter uma intenção por trás.

Quando estou dando aula para os iniciantes, uma das primeiras coisas que noto é que eles frequentemente fazem lances sem sentido. Isso é ainda mais verdadeiro com os jogadores mais novos, que podem jogar 1 a3, 2 c3, 3 e3 e 4 g3 só porque é um padrão bonito. Isso obviamente é um exemplo extremo de jogar sem propósito, mas tais lances ainda podem ser vistos nos níveis mais altos do jogo. Mesmo em partidas envolvendo fortes Grandes Mestres, um jogador pode simplesmente perder tempo, começar a divagar e jogar superficialmente. Vamos ver alguns exemplos desses tipos de erro neste capítulo, assim como ver de que forma eles podem ser punidos.

Conseguir encontrar com sucesso a chave de uma posição costuma vir com a experiência, mas existe uma série de coisas que você pode fazer para ajudar a encontrar o plano correto:

1. Estude as partidas dos melhor jogadores

Se sua principal abertura é a Defesa Francesa, veja o que os melhores jogadores do mundo fazem na Defesa Francesa. Um óbvio jogador pelo qual começar seria Morozevich. Ele é um grande jogador e possui uma compreensão estupenda, talvez única, do xadrez, então todos podemos aprender muito ao ver o que ele faz na abertura. Veja o que ele joga e tente entrar em sua cabeça. Por que ele fez aquele lance? Qual a ideia por trás dela? Existem planos típicos que ele usa em seus jogos com a Defesa Francesa?

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899545

A Eterna Fraqueza – A Casa f7

Garry Kasparov Grupo A PDF Criptografado

A Eterna Fraqueza – A Casa f7

Todos têm alguma fraqueza em algum lugar. Mesmo os mais fortes, os mais adaptados ou os mais rápidos entre nós têm pontos fracos. Provavelmente a fraqueza mais famosa que alguém já teve pertencia ao herói mitológico grego Aquiles.

Aquiles foi o maior guerreiro na Guerra de Troia.

Ele era “semi-imortal” e seu corpo era invulnerável, exceto por um ponto – seu calcanhar. De fato, ele morreu quando uma flecha envenenada foi disparada contra seu calcanhar. Isso nos rendeu a frase “calcanhar de Aquiles”, que passou a significar a principal fraqueza de alguém.

Dê uma olhada na posição inicial de uma partida de xadrez.

Onde você acha que está o

“calcanhar de Aquiles”?

39

Os peões em d e em e

Se você não tem certeza, de uma olhada na fileira de peões pretos e veja o quão bem (ou mal) cada um está protegido. Além do mais, uma tarefa importante dos peões é agir como soldados de infantaria e fornecer proteção para os membros mais valiosos do exército.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536306513

Capítulo 8. O domínio territorial

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

8

O domínio territorial

N

um jogo de xadrez, uma das aquisições mais importantes é ganhar espaço.

Parece que os bons jogadores estão sempre dispostos a lutar por mais espaço.

Assim como Karpov, sou um viciado em espaço, e qualquer grande mestre com inclinações posicionais acredita tanto quanto nós nas virtudes do território.

Ganhamos território pelo uso estratégico de nossos peões. Em geral, todas as casas atrás de nossos peões são consideradas como nosso espaço, a não ser que um peão inimigo possa atacá-las. No Diagrama 95, por exemplo, as casas marcadas com “x” e “�” são o território controlado. Numa rápida olhada, já percebemos que as brancas têm mais “�” atrás de seus peões do que as pretas; portanto, as brancas têm mais espaço em todas as três seções do tabuleiro (ala da Dama, centro e ala do Rei). No campo das brancas, as casas marcadas são plataformas seguras para o exército branco. No campo das pretas, as casas marcadas são as

únicas que as pretas possuem para suas próprias peças. Observe que as casas em que estão os peões não são consideradas território, apenas se tornando território quando os peões avançam. A casa-f4, por exemplo, tecnicamente não é uma casa

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899675

8: Garry Kasparov, 1985-2000

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

8

Garry Kasparov,

1985-2000

Garry Kimovich Kasparov foi e é o maior enxadrista que já existiu. Ele foi um meteoro, cometa e corpo celestial que riscou o cosmo do xadrez. Todos assistimos boquiabertos de arrebatamento à sua incrível lista de realizações. Por quase duas décadas, de 1986 até sua aposentadoria, em 10 de março de 2005,

Garry ocupou o degrau máximo na lista de ratings, detendo a primeira posição. Uma vez ele teve que dividir o posto mais alto, mas amiúde foi o número um com grande diferença. Foi uma realização extraordinária no xadrez moderno e nos esportes modernos de qualquer tipo.

Sua carreira também foi encantada noutro aspecto. Garry não foi apenas o enxadrista que alcançou o rating mais alto do mundo; ele também tinha um extraordinário talento para ser o centro das atenções. Se houvesse alguma controvérsia ou se alguma coisa de excepcional interesse de qualquer tipo acontecesse no mundo do xadrez, você podia ter absoluta certeza de que Garry estaria na frente e no centro do acontecimento. Quando essas duas habilidades são relacionadas, começamos a ver a carreira rara e espetacular que Garry teve. A atenção pública sobre ele foi tão constante que se tornou difícil não mencionar “Kasparov e xadrez”

Ver todos os capítulos
Medium 9788565848466

Capítulo 2. Melhorando as peças

Johan Hellsten Grupo A PDF Criptografado

2

Melhorando as peças

Neste capítulo, vamos estudar mais detalhadamente como melhorar nossas peças. Em muitas ocasiões, observaremos a cooperação entre duas ou mais peças, como torre e dama ou o par de bispos, por exemplo.

tes a desenvolver seu bispo restante. Ideias como 12 ♗g5 ou talvez 12 f3 seguido por

♗e3 vêm à mente. Contudo, há uma diagonal mais poderosa.

O bispo

Em todas as fases da partida, devemos constantemente procurar por diagonais ideais para nossos bispos. Já que o bispo é capaz de se mover rapidamente de um lado para o outro, seu alcance pode melhorar drasticamente em poucos lances.

Vamos começar com alguns exemplos em que um jogador toma uma das longas diagonais. O fato de elas cruzarem o tabuleiro inteiro se comprova mais importante do que se poderia pensar inicialmente.

Exemplo 11

A.Bujakevich – L.Kritz

Moscou, 1996

Já na abertura nos deparamos com as chances de diagonais para nossos bispos. Na posição do diagrama, as Brancas estão pres-

Ver todos os capítulos
Medium 9788536306513

Capítulo 1. A importância da estratégia

Yasser Seirawan Grupo A PDF Criptografado

XADREZ VITORIOSO: ESTRATÉGIAS

11

1

A importância da estratégia

O

s jogos estão presentes em toda a história da humanidade. De todos os jogos do mundo, o xadrez é o único chamado, com toda razão, de Jogo Real ou O Rei dos Jogos. Que elogio estimulante! A beleza singular do xadrez tem atraído as maiores mentes da história humana. E por quê? O que o torna tão fascinante?

Quem o deprecia afirma que esse jogo consiste apenas em alguns marmanjos gastando horas intermináveis em estado de meditação e, vez ou outra, movimentando algumas peças de madeira posicionadas num tabuleiro quadriculado. Supondo ser verdadeira essa avaliação, então por que as pessoas gostam de jogar xadrez? Deve haver algo que o torne tão fascinante. Caso contrário, ele não teria sobrevivido por milênios.

Obviamente, se seus críticos estivessem certos, o xadrez não existiria. Mas ele sobreviveu, e muito bem! A Federação Internacional de Xadrez (FIDE –

Fédération International des Échecs) é a terceira maior organização esportiva do mundo (a primeira é o Comitê Olímpico Internacional e a segunda, a Federação

Ver todos os capítulos

Carregar mais