16 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788521632559

Módulo 8 - Lendas do Brasil. São Francisco, o rio e o santo

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 8

Lendas do Brasil

São Francisco, o rio e o santo

200

Duzentos

goncalves_008.indd 200

05/01/17 10:53

A menina que engolia sapos —

Encenação

Apresentação das personagens:

Severo: Pescador carioca rude, adora beber cerveja.

Ritinha: Camponesa, dona de casa que trabalha muito.

Seu Januário: Dono de terras muito rico. Gosta de ser tratado por “meu rei”.

Dona Juliana: Filha do seu Januário, tratada como princesa, mas não consegue se livrar das vontades do pai e vive “engolindo sapos”.

Machado: O cozinheiro baiano de seu Januário.

Conhecido como “O príncipe das moquecas”.

Valente: O segurança gaúcho de seu Januário.

Assis: O motoboy paulistano que leva e traz os recados de seu Januário.

Socó: Jardineiro mineiro, espécie de conselheiro de seu Januário.

Objetos sugeridos: guardanapo; pratos, talheres e panelão; gelo seco; sapos; balões em forma de coração; seringa gigante; roupas ou acessórios para caracterizar cada região do Brasil mencionada; pote enorme escrito “pimenta”; desenho de vaca; cartazes com dizeres, lápis enorme.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632559

Módulo 7 - Histórias, estórias e aventuras luso-brasileiras

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 7

Histórias, estórias e aventuras lusobrasileiras

172 cento e setenta e dois

goncalves_007.indd 172

13/12/16 11:00

O DESCOBRIMENTO DO BRASIL E

OS ÍNDIOS BRASILEIROS

Os portugueses chegaram ao Brasil no dia 22 de abril de

1500, depois de 43 dias de viagem atravessando o Oceano

Atlântico. A frota comandada por Pedro Álvares Cabral era composta por treze navios, sendo três caravelas, nove naus e uma naveta com alimentos. Uma das naus se perdeu no caminho e nunca mais foi encontrada. Os marujos pensaram que a nau tinha sido devorada por monstros marinhos.

O rei de Portugal dizia que o objetivo da viagem era propagar o cristianismo e vender e comprar produtos da

Índia. Mais tarde, os comandantes portugueses disseram que estavam a caminho da Índia, mas, com a mudança dos ventos, saíram da rota e chegaram ao Brasil por acaso. No entanto, há historiadores que dizem que Cabral já sabia que chegaria às terras brasileiras, pois ele não parou nas

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632559

Módulo 6 - Encenações e caracterização de personagens

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 6

Encenações e caracterização de personagens

148 cento e quarenta e oito

goncalves_006.indd 148

13/12/16 11:41

Festa no céu

PARTE 1

Na lagoa

Um urubu passa perto de uma lagoa muito bonita e se dirige a dois sapos:

Rabentus: — Bom-dia, senhores sapos.

Froxi: — Bom-dia, senhor galo. Por que o senhor está tão preto?

Rabentus (com raiva): — Eu não sou galo. Eu sou um urubu. Eu me chamo Rabentus.

Fruxi (ouvindo mp3): — Que nome esquisito.

O senhor não é brasileiro?

Rabentus: — Não, eu sou um urubu alemão. Eu sou músico. Eu vou tocar violão no céu.

Froxi: — Festa no céu? Que legal! Podemos ir também?

Fruxi: — Festa... Nós a-do-ra-mos festas.

Rabentus: — Sapos não têm asas. Sapos não vão

à festa no céu.

Fruxi: — Você não pode levar dois pobres sapos?

Rabentus (inflexível): — Eu só levo o meu violão.

PARTE 2

Com a galinha e a pinta

Galinha Hennelene: — O que está acontecendo aqui?

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632559

Módulo 5 - Histórias e opiniões

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 5

Histórias e opiniões

Fábulas, lendas, narrações e leituras dramatizadas

120 cento e vinte

goncalves_005.indd 120

05/01/17 10:56

O sapo Rei e a princesa que deixou a peteca cair

Era uma vez um rei que tinha muitas filhas, todas bonitas, mas a caçula era a mais bonita de todas. Ela era mesmo linda e se chamava

Isabel. Todos no palácio faziam tudo o que ela queria, por isso a menina ficou muito malacostumada, mimada:

— Que menina linda! Você é a menina mais bonita do reino!

— Oi, princesa Isabel, Vossa Alteza gostaria de um picolé?

— Vossa Alteza gostaria de uma fruta?

— Vossa Alteza gostaria de uma maçã?

— Vossa Alteza gostaria de uma banana?

Toda manhã, ela ia para o bosque em torno do palácio para jogar sua peteca de penas coloridas de aves raras. Ela jogava a peteca para cima e depois corria para apanhá-la. Era sua brincadeira favorita. Mas uma vez, Isabel deixou a peteca cair num poço imundo e profundo. Então, a princesa muito, muito bonita ficou muito, muito triste e começou a chorar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632559

Módulo 4 - Brincadeiras de rua e jogos

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 4

Brincadeiras de rua e jogos

90 noventa

goncalves_004.indd 90

24/11/16 16:58

A Fogueira

Juca, Edu e Zeca eram três amigos muito bagunceiros. Eles moravam perto de um bosque muito bonito e adoravam brincar. Às vezes, eles brincavam de pega-pega; às vezes, eles brincavam de garrafão; e, às vezes, eles soltavam pipa.

Um dia, Juca teve uma boa ideia e contou logo para seus amigos:

— Vamos fazer uma fogueira?

Zeca adorou.

— Que legal! Eu trago o serrote de meu pai e então podemos cortar galhos secos.

— Eu trago fósforo da cozinha da minha mãe, diz

Edu. E você, Juca, o que você vai trazer?

— Eu trago salsicha para assar no fogo, responde

Juca.

— Então, eu trago uma garrafa cheia de suco de laranja.

Os três amigos foram correndo para casa e trouxeram tudo.

Zeca foi até uma árvore muito alta e subiu rapidinho para cortar galhos. Ele se sentou no galho e começou a serrar com o serrote.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632559

Módulo 3 - O que vamos fazer hoje?

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 3

O que vamos fazer hoje

?

56 cinquenta e seis

goncalves_003.indd 56

24/11/16 16:21

Foguete

Cadu tem doze anos e adora jogar bola com seus amigos. Ele acorda cedo todos os dias, porque as aulas começam às sete e meia e ele mora longe da escola.

No futebol, o apelido dele é Foguete, porque ele tem muita energia e corre muito pela quadra de futebol. Cadu mora perto da praia e, aos domingos, vai jogar bola na areia.

Na praia, os jogadores gritam o tempo todo:

— Corre, Foguete!

— Passa a bola, Foguete!

— Marca o nove! Marca o nove!

— Chuta pro gol, Foguete!

— Volta, Foguete!

— Valeu, Foguete!

— É gooooool!

Cadu corre pelo campo, passa a bola para um amigo, recebe a bola e chuta forte. Ele faz um gol.

— É gooooool!

Os goleiros têm medo, pois Cadu chuta muito forte e nunca perde um gol de pênalti.

1. Responda.

Quantos anos tem Cadu?

Resposta:

Com quem ele joga bola?

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632559

Módulo 2 - Todo dia

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 2

Todo dia

24

VINTE E quatro

goncalves_002.indd 24

12/12/16 15:31

Vamos saber o que

Leonardo faz todo dia?

Preparação

Na página seguinte, você vai encontrar espaços para montar uma história sobre o dia a dia de Leonardo.

Na última página deste módulo, você vai encontrar os quadros com figuras e quadros com textos para recortar.

Então, recorte os quadros com as imagens e os quadros com os textos da história nas linhas pontilhadas. Quando todos os participantes estiverem prontos, o jogo começa.

Como jogar

Primeiro, todos devem colocar as imagens

(sem colar ainda) na ordem correta.

Depois, todos devem colocar os quadros com os textos de acordo com as imagens.

Ganha o primeiro que ordenar corretamente as figuras e, em seguida, os textos correspondentes.

É possível haver alguma variação na sequência, mas o importante é que a história não apresente incoerências.

No fim do jogo, você pode colar ou guardar os quadros em um envelope para jogar outra vez.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632559

Módulo 1 - Tudo bem?

GONÇALVES, Claudenir Grupo Gen PDF Criptografado

Módulo 1

Tudo bem

?

1. Diálogo 1

Carl: — Oi, menina! Como é seu nome?

Luísa:

— Meu nome é Luísa, e o seu?

Carl: — Meu nome é Carl.

Luísa: — Você é brasileiro?

Carl: — Não, eu sou alemão.

Luísa: — De que cidade você é?

Carl: — Eu sou de Berlim, e você?

Luísa: — Eu sou do Rio de Janeiro.

numer

2. Complete.

— Oi, menino!

— Meu nome

— Você é

— Não, eu

— De que

— Eu

0

é seu nome?

Carl.

? alemão. você é? de Berlim.

1

2

3

4

3. Diálogo 2

— Oi, Carl! Tudo bem?

— Tudo bem.

— Onde você mora?

— Eu moro em Ipanema, e você?

— Eu moro no Leblon.

— Quantos anos você tem?

— Eu tenho 12 (doze) anos.

— Onde você estuda?

— Eu estudo na Escola Suíça.

2

5

6

7

8

um dois

quatro cinco

seis sete

oito nove

10

dez

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Introdução

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea Grupo Gen PDF Criptografado

Introdução

Aprenda a conjugar verbos em italiano é mais um título relacionado à língua italiana que chega ao mercado editorial brasileiro, tão carente neste setor.

Esta obra inovadora pela forma de apresentação e pelo conteúdo é mais um instrumento, ou melhor, um guia essencial para quem trabalha, estuda ou se interessa pela língua italiana. Aqui, o leitor poderá encontrar tudo o que é necessário saber sobre o sistema verbal e o uso das formas verbais em italiano. Serve para todos os níveis de aprendizagem, do mais básico ao mais avançado, incluindo não só os cursos de língua, mas também aqueles de formação universitária.

Aprenda a conjugar verbos em italiano não contém todos os verbos da língua italiana, o que seria uma tarefa praticamente impossível, mas oferece a possibilidade de conjugar todos eles! Isso graças às inúmeras tabelas de verbos regulares e, sobretudo, irregulares, divididas pelos modos e tempos verbais, o que facilita a leitura e o entendimento.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Capítulo 6 - As três conjugações

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

6

As três conjugações

O sistema verbal da língua italiana possui três conjugações, cujas desinências são:

�are (primeira);

�ere (segunda);

�ire (terceira).

Os verbos que pertencem à primeira conjugação, normalmente, são regulares. Já o grupo que compõe a segunda conjugação tem uma grande parte de verbos irregulares. A terceira e última conjugação tem tanto verbos regulares como irregulares.

22

AS TRÊS CONJUGAÇÕES

O

6.1 VERBOS DO 1 GRUPO (–ARE)

6.1.1 Regulares

> AMARE

INDICATIVO

io tu egli noi voi essi

io tu egli noi voi essi

PRESENTE

IMPERFETTO

PASSATO REMOTO

FUTURO

amo ami ama amiamo amate amano

amavo amavi amava amavamo amavate amavano

amai amasti amò amammo amaste amarono

amerò amerai amerà ameremo amerete ameranno

PASSATO

PROSSIMO

TRAPASSATO

PROSSIMO

TRAPASSATO

REMOTO

FUTURO

ANTERIORE

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Capítulo 5 - Verbos modais

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

5

Verbos modais

Os principais verbos modais em italiano, chamados de verbi servili, são três: potere, volere e dovere. Eles precedem o infinitivo de outro verbo para acrescentar algo no significado.1

Nos tempos compostos, os verbos modais pedem o auxiliar do verbo que acompanham:

Non sono venuto da te. Þ Non sono potuto venire da te.

(Não fui à tua casa.) (Não pude ir à tua casa.)

Non ha mangiato. Þ Non ha voluto mangiare.

(Não comeu.) (Não quis comer.)

Sei rimasto fino tardi? Þ Sei dovuto rimanere fino a tardi?

(Você ficou até tarde?) (Você teve que ficar até tarde?)

1

Os verbos potere, volere e dovere podem ser usados sozinhos e, neste caso, possuem um significado autônomo: �Lui è uno che può� (Ele é um que pode); �Vorrei un�informazione� (Queria uma informação); �Ti devo le mie scuse� (Estou te devendo desculpas).

18

VERBOS MODAIS

5.1 POTERE

O verbo potere expressa uma possibilidade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Capítulo 4 - Verbos auxiliares

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

4

Verbos auxiliares

Os verbos auxiliares são usados para formar os tempos compostos e a voz passiva. Em italiano são dois: essere (ser) e avere (ter).

4.1 ESSERE

O auxiliar essere é usado para formar:

>

>

>

>

>

>

os próprios tempos compostos do verbo essere:

Noi siamo stati.

(Nós fomos.) os tempos compostos da maior parte dos verbos intransitivos:

Noi siamo andati.

(Nós fomos.) a forma passiva de todos os verbos:

È rispettato da tutti.

(É respeitado por todos.) os tempos compostos dos verbos reflexivos:

C�eravamo tanto amati!

(Nós tínhamos nos amado muito!) os tempos compostos dos verbos pronominais:

Si è fatto male.

(Machucou-se.) os tempos compostos dos verbos impessoais:

Si è parlato molto di te.

(Falou-se muito de ti/você.)

14

VERBOS AUXILIARES

N

ATENÇÃO! O particípio passado dos verbos que pedem o auxiliar essere concorda em gênero e número com o sujeito da oração, com exceção dos verbos impessoais:

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Capítulo 3 - Vozes do verbo

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

3

Vozes do verbo

A voz indica o tipo de relação do verbo com o sujeito. As vozes verbais podem ser quatro: ativa, passiva, reflexiva e pronominal.

3.1 ATIVA

Na voz ativa é o sujeito do verbo que exerce a ação da frase: isto é, o sujeito é agente, tem uma função ativa em relação ao enunciado.

Il centravanti fa un gol.

(O centroavante marca um gol.)

3.2 PASSIVA

Na voz passiva o sujeito do verbo sofre a ação realizada por algo ou alguém, definido em italiano complemento d�agente ou di causa efficiente: isto é, o verdadeiro agente da frase não é o sujeito, que só recebe passivamente o efeito da ação.

Il gol è fatto dal centravanti.

(O gol é marcado pelo centroavante.)

Obs.: em italiano, o verbo venire pode substituir o verbo essere nos tempos simples: Il gol viene fatto dal centravanti.

12

VOZES DO VERBO

3.3 REFLEXIVA

Na voz reflexiva o sujeito faz e sofre, ao mesmo tempo, a ação expressa pelo verbo; isto é, a ação se reflete no próprio sujeito.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Capítulo 2 - Flexões do verbo

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

2

Flexões do verbo

2.1 MODO

O modo de um verbo é a forma como uma situação ou uma ação é apresentada por quem escreve ou fala. O modo pode expressar certeza e segurança, incerteza e hipótese, ou, ainda, condições e ordens.

Em italiano existem sete modos, divididos em dois grupos: finiti e indefiniti.

MODI FINITI

Modo

Descrição

Em português

Indicativo

É o modo da realidade, da certeza, da fala objetiva.

Indicativo

Congiuntivo

É o modo da possibilidade, do desejo, do temor, da opinião subjetiva e da dúvida.

Subjuntivo

Condizionale

É o modo que indica ações, fatos e situações subordinados a uma condição.

Pode também expressar um desejo.

Em português esta noção é dada pelo futuro do pretérito.

Imperativo

É o modo da ordem, da exortação, da invocação e do comando.

Imperativo

4

FLEXÕES DO VERBO

MODI INDEFINITI

Modo

Descrição

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Capítulo 1 - O que é um verbo

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea Grupo Gen PDF Criptografado

CAPÍTULO

1

O que é um verbo

1.1 DEFINIÇÃO

O termo �verbo� deriva do latim verbum, que significa �palavra�. De fato, o verbo é a palavra por excelência: não é possível formular um enunciado com sentido completo sem usar este elemento. Toda a tradição judaico-cristã, escrita e oral, tem como origem o famoso incipit bíblico: �No início era o verbo� (João, 1:1).

O verbo é a parte principal de um discurso e varia de acordo com o sujeito. É o centro sintático da frase e pode expressar uma ação (verbos de ação) ou um estado (verbos predicativos).

Carlo beve una birra. (Carlo bebe uma cerveja.)

Carlo è malato.

(Carlo está doente.)

Se tirarmos os verbos beve e è, as orações acima perdem o significado.

Carlo una birra.

Carlo malato.

(Carlo uma cerveja.)

(Carlo doente.)

Como podemos perceber, a função que o verbo exerce na oração é aquela de fornecer notícias e informações acerca do sujeito. Dessa forma, o verbo deve, obrigatoriamente, concordar com o sujeito.

Ver todos os capítulos

Carregar mais