29 capítulos
Medium 9788527733632

15 - Sistema Linfático e Imunidade

TORTORA, Gerard J; NIELSEN, Mark T. Grupo Gen PDF Criptografado

Sistema Linfático e Imunidade

15

INT R ODU Ç Ã O   O ambiente em que vivemos

é repleto de micróbios que têm a capacidade de provocar doença caso venham a encontrar a ocasião ideal. Se não tivéssemos condições de enfrentar esses micróbios, estaríamos constantemente doentes ou até mesmo poderíamos morrer. Felizmente, possuímos diversos mecanismos de defesa que impedem a entrada dos micróbios em nosso organismo ou que os combatem quando eles conseguem invadir o corpo. O sistema linfático é um dos principais sistemas do corpo que ajuda na defesa contra micróbios produtores de doença. Neste capítulo, iremos estudar a organização e os componentes do sistema linfático, bem como a sua função na manutenção da saúde. •

Mark Nielsen

Mark Nielsen

Tortora 15.indd 544

?

Você já se perguntou como o câncer consegue se propagar de uma parte do corpo para outra? Você pode encontrar a resposta na página 561.

27/11/18 17:54

SUMÁRIO

15.1 Conceito de imunidade, 545

Ver todos os capítulos
Medium 9788527733632

20 - Sentidos Somáticos e Controle Motor

TORTORA, Gerard J; NIELSEN, Mark T. Grupo Gen PDF Criptografado

Sentidos Somáticos e

Controle Motor

20

INTROD UÇÃ O  Imagine uma viagem de acampamento para um lindo litoral rochoso no meio do qual se encontra uma extensão arenosa de praia. Quando desperta depois de uma noite de sono sobre a areia dura, você lentamente estica as articulações endurecidas e sai cautelosamente do saco de dormir para saudar o ar fresco da manhã. Esfrega os olhos e vê o nevoeiro subindo das cristas brancas das ondas agitadas. Conforme caminha em direção ao mar, respira profundamente, sente o cheiro salgado da maré e percebe os grãos de areia entre os dedos dos pés. De repente, você para e então esfrega vigorosamente os braços diante do ar fresco que lhe transmite uma sensação de frio pelo corpo ainda sonolento. Você vê e ouve as gaivotas que grasnam e planam no ar acima de sua cabeça e também escuta a sirene de um barco distante. Você segue caminhando em direção

à água, onde seus sons produzem melodias características próprias contra as rochas. Você vislumbra as piscinas formadas pelas ondas que recuam com a maré e percebe um mundo colorido de vida nessa zona entremarés – estrelas-do-mar, mexilhões, anêmonas e caranguejos apressados. Quando se inclina para observar mais de perto, seu rosto é salpicado por uma onda que chega, deixando o gosto do mar salgado. Você pensa por um momento sobre a beleza que percebeu nos últimos minutos. Sua mente é inundada por aquilo que viu, sentiu, cheirou, ouviu e saboreou.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527733632

Apêndice B Respostas

TORTORA, Gerard J; NIELSEN, Mark T. Grupo Gen PDF Criptografado

Apêndice B

RESPOSTAS

Respostas das Questões para avaliação crítica

Capítulo 1

1. Na radiografia, o úmero estaria localizado mais proximal. Dois ossos do antebraço, a ulna e o rádio, estariam localizados distais ao

úmero, com a ulna si­tua­da medial ao rádio. Na mão, 15 falanges compreenderiam os dedos distais, enquanto 5 metacarpais seriam encontrados na parte mais proximal da palma. Distal à ulna e ao rádio, e proximal aos metacarpais, o punho consistiria em 8 ossos carpais.

2. O alienígena teria 2 caudas, 4 braços, 2 pernas e 1 boca no local em que estaria, habitualmente, si­tua­do o umbigo.

3. Pulmão, diafragma, estômago, intestino grosso, intestino delgado; possivelmente parte do pân­creas, ovário ou tuba uterina, rim.

4. O peritônio, a maior túnica serosa no corpo, recobre a maior parte dos órgãos na cavidade abdominal. Portanto, uma infecção nessa estrutura consegue se difundir para qualquer um ou para todos os

órgãos na cavidade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527733632

24 - Sistema Digestório

TORTORA, Gerard J; NIELSEN, Mark T. Grupo Gen PDF Criptografado

SISTEMA DIGESTÓRIO

24

INTRODUÇÃO  Os alimentos contêm vários nutrientes, moléculas que são necessárias para a formação de novas células do corpo, para o reparo dos tecidos danificados e a manuten‑

ção das reações químicas necessárias. O ali‑ mento também é vital para a vida – é a fonte de energia que impulsiona as reações quími‑ cas que ocorrem em todas as células do cor‑ po. Apesar de muitas piadas, você não pode colocar um pedaço de bolo de chocolate di‑ retamente no estômago ou no quadril; com efeito, a maior parte dos alimentos não pode ser utilizada como fonte de energia celular. O alimento precisa ser inicialmente decompos‑ to em moléculas pequenas o suficiente para atravessar as membranas plasmáticas das cé‑ lulas do sistema digestório, de modo a serem transportadas até as células do corpo para serem utilizadas. Esse processo é realizado pelo siste‑ ma digestório, que forma uma extensa área de superfície em contato com o meio externo e que está estreitamente associado ao sistema circulató‑ rio. A combinação entre uma extensa exposição ambiental e uma estreita associação com os vasos sanguíneos é essencial para o processamento do alimento que ingerimos. •

Ver todos os capítulos
Medium 9788527733632

4 - Desenvolvimento

TORTORA, Gerard J; NIELSEN, Mark T. Grupo Gen PDF Criptografado

Desenvolvimento

4

INT R O D U Ç Ã O   Pense por um momento em uma máqui‑ na complexa projetada e cons‑ truída por seres humanos. Um computador ou – melhor ain‑ da – que tal o ônibus espacial?

Qualquer que seja a complexi‑ dade da máquina que venha à mente, seu projeto e sua produção são banais quando compara‑ dos aos processos de desenvolvimento que transformam uma única célula em cerca de 100 trilhões de célu‑ las do corpo humano. Antes de examinarmos o primeiro sistema do corpo, no Capítulo 5

(Tegumento Comum), veremos como se desenvolvem os sistemas. O conhecimen‑ to da origem dos diferentes sistemas do corpo humano facilitará a compreensão das estruturas e de seu mecanismo de ação.

Adiante, você aprenderá mais sobre o desen‑ volvimento no contexto dos vários sistemas do corpo. •

?

en

Tortora 04.indd 98

Você já se perguntou por que o coração, os vasos sanguíneos e o sangue começam a se formar tão cedo no processo de desenvolvimento? Você pode encontrar a resposta na página 111.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos