14 capítulos
Medium 9788584291014

Capítulo 9. O papel do professor: deixar os alunos livres e construir parcerias

Elizabeth G. Cohe; Rachel A. Lotan Artmed PDF Criptografado

9

O papel do professor: deixar os alunos livres e construir parcerias

Pergunta: Qual é sua percepção mais importante sobre o ensino que você gostaria de ter conhecido nos seus primeiros dois anos de experiência?

Resposta: Deixar que os alunos façam mais e eu menos. Essa foi uma lição difícil de ser aprendida ao longo dos anos. Eu utilizo muito a aprendizagem cooperativa, atividades práticas e questionamento na turma, e foi difícil aprender a recuar e deixar as coisas acontecerem.

(Paul Martini, professor de ciências da Escola de Ensino Médio de

Woodside – Woodside High School, Woodside, Califórnia)

O trabalho em grupo muda drasticamente o papel de um professor. Com ele, você não é mais um supervisor direto dos alunos, responsável por garantir que façam seu trabalho exatamente como você os orienta. Não é mais sua responsabilidade buscar cada erro e corrigi-lo de imediato. Em vez disso, a autoridade é delegada aos alunos e a grupos de alunos, que são encarregados de garantir que o trabalho seja feito de maneira eficiente e eficaz e que seus colegas de turma recebam a ajuda necessária. Eles são empoderados para cometerem erros, descobrirem o que deu errado e explorarem o que pode ser feito a respeito. “Na minha sala de aula, os erros são esperados, respeitados e investigados”, afirmam professores que se tornaram confortáveis em delegar autoridade.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291014

Capítulo 11. Avaliando o trabalho em grupo na sua sala de aula

Elizabeth G. Cohe; Rachel A. Lotan Artmed PDF Criptografado

11

Avaliando o trabalho em grupo na sua sala de aula

Drew e Wofsey (2012), dois professores de inglês graduados pelo programa de

Formação de Professores de Stanford (Standford Teacher Education Program), trabalharam como uma equipe no planejamento, na implantação e na avaliação de uma tarefa adequada ao trabalho em grupo. Em seu trabalho, incluíram a seguinte avaliação do trabalho em grupo realizado na sala de aula de Zach em uma escola pública de ensino médio sem seleção prévia, diversificada, mas monitorada, na

Área da Baía de São Francisco.

Nosso objetivo nessa tarefa foi fazer os alunos aplicarem seu conhecimento de caracterização a um novo contexto e, agindo assim, explorarem como a caracterização funciona em um cenário dramático. Também queríamos motivar os alunos a pensar sobre a natureza performática do teatro, uma vez que eles leriam uma peça, que é realmente feita para ser vista e não lida. Ao se envolverem nesse ato de tradução – movendo-se de uma imagem para um roteiro e para uma atuação – esperávamos que os alunos estivessem mais bem preparados para entender “Fences” (em português, “Cercas”) como drama e não apenas como palavras em uma página. Além disso, esse processo de tradução se espelha naquele de August Wilson, que menciona as colagens de Romare

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291014

Capítulo 5. Etapas do planejamento para o trabalho em grupo

Elizabeth G. Cohe; Rachel A. Lotan Artmed PDF Criptografado

5

Etapas do planejamento para o trabalho em grupo

O processo de planejamento começa com a resposta a uma questão fundamental: como é que os alunos trabalham juntos, em sala de aula, para aprender o que devem saber e o que devem fazer? Sua resposta determina a natureza dos exercícios que serão realizados para o estabelecimento das habilidades cooperativas. A orientação para o trabalho colaborativo, um dos primeiros passos para o seu plano geral, está descrita no Capítulo 4. Neste capítulo, descrevemos os próximos passos a dar para que você e seus alunos estejam prontos para que o trabalho em grupo ocorra de maneira produtiva.

Sua decisão sobre os objetivos de aprendizagem leva a um processo de planejamento reverso (WIGGINS; MCTIGHE, 2005). Em primeiro lugar, você desenvolve as ferramentas para avaliar os produtos do grupo assim como o desempenho individual de cada membro. Em seguida, você cria ou adapta as atividades que os grupos irão cumprir. Depois, reúne recursos e materiais necessários. Na sequência, planeja a disposição física da sala de aula, decide como os grupos serão compostos e como você vai distribuir os alunos. Por fim, você faz um plano para avaliar os resultados gerais da aula, ou aulas, que preparou com tanto cuidado. Investe-se boa quantidade de esforço antes mesmo que os alunos comecem suas tarefas de trabalho! Se tiver sorte e seu plano for um sucesso, você terá um procedimento útil para usar em outras aulas no ano seguinte, bem como um formato básico que pode ser replicado em diferentes atividades para as turmas desse período letivo. Ao desenvolver pelo menos um desses projetos a cada ano, em pouco tempo, você poderá reunir como parte de seu repertório uma variedade de experiências bem-sucedidas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291014

Apêndice A

Elizabeth G. Cohe; Rachel A. Lotan Artmed PDF Criptografado

Apêndice A

Exercícios de práticas cooperativas

TORNANDO OS ALUNOS SENSÍVEIS ÀS

NECESSIDADES DOS OUTROS EM UM GRUPO

CÍRCULOS PARTIDOS

As instruções aos participantes e a discussão sugerida a seguir foram feitas pelos criadores de “Círculos Partidos”, Nancy e Ted Graves (1985). Os “Círculos Partidos” se baseiam no jogo “Quadrados Partidos”, criado pelo Dr. Alex Bavelas (1973).

A turma é dividida em grupos de três a seis pessoas. Cada pessoa recebe um envelope com diferentes peças do círculo. O objetivo é que cada uma complete um círculo. Para que esse objetivo seja alcançado, algumas peças devem ser trocadas.

Não é permitido que os membros do grupo conversem ou peguem as peças do envelope de outra pessoa. É permitido apenas que eles doem suas peças (uma de cada vez).

Instruções para os participantes

Cada um de vocês receberá um envelope contendo duas ou três peças de um quebra-cabeça, mas não abram o envelope até que eu lhes autorize. O objetivo do exercício

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291014

Capítulo 1. Trabalho em grupo como estratégia pedagógica

Elizabeth G. Cohe; Rachel A. Lotan Artmed PDF Criptografado

1

Trabalho em grupo como estratégia pedagógica

“As crianças aprendem falando e trabalhando juntas? Gostaria que alguém tivesse me mostrado como de fato eu poderia implementar isso na minha sala de aula” foi o comentário de uma professora do 3º ano que tentava trabalhar com as crianças em estações, mas sem conseguir bons resultados. Você já notou que aprende mais sobre conceitos e ideias quando fala com alguém sobre eles, explica ou discute com outras pessoas, mais do que quando ouve uma palestra ou lê um livro? Apesar de muitos de nós, adultos, entendermos isso, é frequente encontrarmos salas de aula que não reservam tempo suficiente para que os alunos conversem e trabalhem juntos. Este

é um livro para professores que querem saber como esse princípio da aprendizagem funciona com os alunos de todas as idades. Se um professor quer construir uma aprendizagem ativa, então o trabalho em grupo, planejado intencionalmente, é uma ferramenta poderosa, que oferece oportunidades simultâneas para todos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos