46 capítulos
Medium 9788582715277

Capítulo 1. Aspectos conceituais e raízes históricas das psicoterapias

Aristides Volpato Cordioli (Org.), Eugenio Horacio Grevet (Org.) Grupo A PDF Criptografado

Aspectos conceituais e raízes históricas das psicoterapias

1

Nuno Pereira Castanheira

Eugenio Horacio Grevet

Aristides Volpato Cordioli

As psicoterapias têm suas raízes na história da filosofia, da medicina, da psiquiatria e da psicologia. Neste capítulo, descrevemos a evolução do conhecimento que nos permitiu ter um conceito de mente ligada ao funcionamento cerebral, passo essencial para o surgimento de intervenções psicoterapêuticas racionais para o tratamento dos transtornos mentais. São abordados conceitos como mente, dualismo, monismo e método científico. Dessa forma, o leitor poderá ter uma visão sucinta dos pressupostos filosóficos e científicos que são as bases teóricas das diferentes formas de psicoterapia. Entender tais pressupostos é essencial para uma leitura crítica dos capítulos que se seguem a este, assim como para iniciar a construção de uma racionalidade mínima, necessária para o exercício do papel de psicoterapeuta. Também são descritas as origens históricas das principais correntes de psicoterapia − a psicanálise, a terapia comportamental, a terapia cognitivo-comportamental (TCC) e a terapia existencial.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715277

Capítulo 45. Psicoterapia psicodinâmica nos transtornos da personalidade

Aristides Volpato Cordioli (Org.), Eugenio Horacio Grevet (Org.) Grupo A PDF Criptografado

45

Psicoterapia psicodinâmica nos transtornos da personalidade

Sidnei S. Schestatsky

Este capítulo aborda a complexidade dos transtornos da personalidade (TPs) no que se refere a questões sobre identificação, diagnóstico e classificações atuais – reconhecendo o aspecto provisório presente de todas essas dimensões. Enfatiza uma dessas compreensões parciais, a psicodinâmica, para examinar alguns modelos etiológicos psicossociais implicados na gênese dos TPs, sempre reconhecendo os fatores multidimensionais envolvidos em sua etiologia. De forma sumária, examina duas abordagens terapêuticas de inspiração psicanalítica, já testadas, validadas e descritas em manuais, a terapia focada na transferência

(TFT) e a psicoterapia baseada na mentalização, assim como discute os limites atuais e as questões em aberto sobre toda a área dos TPs e seus tratamentos.

Percebidos como “intratáveis”, os TPs estiveram afastados por longo tempo dos principais interesses da psiquiatria moderna. No entanto, o crescente reconhecimento de sua prevalência e o importante sofrimento e incapacitação que produzem passaram a preocupar os sistemas de saúde devido ao alto índice de ocupação que esses pacientes demandavam, sem que houvesse programas organizados e adequados, ­tampouco pessoal treinado para atendê-los. Embora o estu­ do dos TPs seja uma área ainda em desenvolvimento na psiquiatria, nos últimos anos, esse panorama experimentou uma mudança substancial: pesquisas se multiplicaram, várias formas de abordagem terapêutica foram desenvolvidas, e as publicações científicas vêm mostrando inusitado vigor – o que faz pensar que, finalmente, esses transtornos tenham sido reconhecidos como “filhos legítimos” da área da saúde mental.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715277

Capítulo 33. Intervenções psicoterápicas para o tratamento do transtorno bipolar

Aristides Volpato Cordioli (Org.), Eugenio Horacio Grevet (Org.) Grupo A PDF Criptografado

33

Intervenções psicoterápicas para o tratamento do transtorno bipolar

Ives Cavalcante Passos

Karen Jansen

Luciano Dias de Mattos Souza

Flávio Milman Shansis

O transtorno bipolar (TB) acomete cerca de 2 a 4% da população mundial. As taxas de suicídio em pacientes com esse transtorno são de 7,8% para homens e de 4,9% para mulheres.

Sabe-se que cerca de 30% dos pacientes com TB serão hospitalizados em algum momento da vida. Essas evidências demonstram a importância de um tratamento efetivo. Nesse sentido, o tratamento do transtorno inclui intervenções biológicas, como o uso de medicamentos, bem como o emprego de psicoterapias e estratégias de intervenção psicossocial. Neste capítulo, apresentamos os principais modelos de intervenções psicoterápicas que apresentam evidência empírica de eficácia no TB. Tais intervenções demonstraram eficácia na melhora da adesão ao tratamento farmacológico, na remissão dos sintomas maníacos e depressivos, na melhora do funcionamento social e na diminuição das taxas de recaída. Por fim, o capítulo apresenta perspectivas futuras para o manejo do transtorno.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715277

Capítulo 34. Terapia cognitivo-comportamental do transtorno de ansiedade social (fobia social)

Aristides Volpato Cordioli (Org.), Eugenio Horacio Grevet (Org.) Grupo A PDF Criptografado

Terapia cognitivo-comportamental do transtorno de ansiedade social (fobia social)

34

Daniela Zippin Knijnik

Maria do Céu Salvador

Ligia Ito

Neste capítulo, são descritos os diversos modelos de conceitualização do transtorno de ansiedade social (TAS) no que se refere a genética, temperamento, neurobiologia e fatores psicossociais. Também são apresentados os fundamentos da terapia cognitivo-comportamental (TCC) no TAS e as estratégias e técnicas nos formatos individual e de grupo, incluindo as etapas de avaliação e psicoeducação que antecedem o tratamento. São discutidos, ainda, dentro de uma perspectiva de “terceira onda” dos modelos cognitivo-comportamentais, a terapia de aceitação e compromisso (ACT) e os aspectos do tratamento farmacológico do TAS.

São abordados também as evidências de eficácia, questões em aberto, desafios e perspectivas futuras. Um caso de TAS e outros exemplos clínicos são apresentados ao longo do capítulo para ilustrar o conteúdo apresentado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715277

Capítulo 40. Psicoterapias no tratamento dos transtornos relacionados ao transtorno obsessivo-compulsivo

Aristides Volpato Cordioli (Org.), Eugenio Horacio Grevet (Org.) Grupo A PDF Criptografado

40

Psicoterapias no tratamento dos transtornos relacionados ao transtorno obsessivo-compulsivo

Lucas Lovato

Gabriela Lotin Nuernberg

Aristides Volpato Cordioli

Tricotilomania (TTM), transtorno de escoriação (TE), transtorno de acumulação compulsiva

(TAC) e transtorno dismórfico corporal (TDC) são psicopatologias altamente prevalentes na população e que, até então, vinham recebendo pouca atenção na literatura. A partir do

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais, quinta edição (DSM-5), essas condições passaram a fazer parte de um novo grupo diagnóstico: os transtornos relacionados ao transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Este capítulo descreve a apresentação clínica desses transtornos e o uso de psicofármacos e, em especial, de técnicas comportamentais e cognitivo-comportamentais em seu tratamento.

A partir do DSM-5, em 2013, o TOC foi retirado do grupo dos transtornos de ansiedade e ganhou um agrupamento próprio, TOC e transtornos relacionados (TRs). Esses “relacionados” incluem transtornos graves, que costumavam ser pouco reconhecidos e pouco estudados: TDC, TAC, TTM e TE.1 Além destes, também estão incluídos transtornos que envolvem pensamentos obsessivos ou comportamentos compulsivos induzidos por substâncias ou desencadeados por condições clínicas, classificados como “outros TRs”.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos