15 capítulos
Medium 9788582600658

Capítulo 1 - O que é Gestão de Processos de Negócio?

Jan vom Brocke; Michael Rosemann Grupo A PDF Criptografado

O que é Gestão de

Processos de Negócio?

1

Michael Hammer∗

Resumo Ao buscar no Google a expressão “business process management” (gestão de processos de negócio) em maio de 2008, o mecanismo gerou 6,4 milhões de entradas, a grande maioria (baseada em amostragem) aparentemente relacionada aos assim chamados sistemas de software de BPM. Isso é paradoxal e lastimável, porque, na realidade, a tecnologia da informação (TI) em geral e esses sistemas de BPM em particular são, na melhor das hipóteses, um aspecto periférico de BPM. Na verdade,

BPM é um sistema abrangente de gestão e transformação de operações organizacionais que se baseia no que constitui, comprovadamente, o primeiro conjunto de novas ideias sobre desempenho organizacional desde a Revolução Industrial.

1

As origens da gestão de processos de negócio

A gestão de processos de negócio (BPM) tem dois principais antecedentes intelectuais. O primeiro é o trabalho de Shewhart e Deming (Shewhart e Deming, 1986;

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600658

Capítulo 14 - Escritório de Processos: Estudo de Caso sobre uma Empresa Brasileira

Jan vom Brocke; Michael Rosemann Grupo A PDF Criptografado

Escritório de Processos:

Estudo de Caso sobre uma

Empresa Brasileira

14

Leandro Jesus, André Macieira,

Daniel Karrer e Heitor Caulliraux∗

Resumo O escritório de processos tem sido amplamente adotado nas organizações que acreditam no potencial da gestão de processos de negócio (Business Process Management – BPM) como ferramenta para promover um ambiente organizacional tecnicamente e culturalmente propenso à inovação e à mudança. Este capítulo mostra a importância do escritório de processos para implementar uma governança eficaz em

BPM, que gere sinergia, eficiência e colaboração em todos os tipos de iniciativas de

BPM dentro da organização. Além disso, este capítulo analisa as lições aprendidas com a implementação de um escritório de processos apresentando um estudo de caso real sobre uma empresa brasileira.

1

Introdução

O mundo da gestão nunca foi tão complexo e a concorrência jamais foi tão acirrada. Pesquisas demonstram que o tempo médio que uma empresa permanece na lista

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600658

Capítulo 13 - O Processo de Gestão de Processos de Negócio

Jan vom Brocke; Michael Rosemann Grupo A PDF Criptografado

O Processo de Gestão de

Processos de Negócio

13

August-Wilhelm Scheer e Eric Brabänder∗

Resumo Este capítulo apresenta uma visão geral do processo de gestão de processos de negócio (Business Process Management – BPM) e dos elementos necessários para estabelecer uma abordagem holística de BPM em toda a empresa. O objetivo é descrever a infraestrutura organizacional ideal para alcançar essa abordagem holística de BPM e identificar os processos, os papéis e as responsabilidades que devem vigorar. Na abertura deste capítulo, é apresentada uma introdução sobre a necessidade de implementar uma abordagem holística de BPM em toda a organização e sobre os principais equívocos identificados na interpretação do significado de BPM nesse contexto. Com base na análise do processo de BPM em si, os principais elementos dessa abordagem holística são identificados e descritos mais detalhadamente. Atenção especial é dirigida à descrição detalhada do escritório de processos, de seus serviços e responsabilidades dentro da empresa e dos papéis resultantes que são essenciais para as estruturas de BPM da empresa. Este capítulo é finalizado com um resumo e um exemplo de referência que mostra quais passos devem ser dados na implementação de estruturas organizacionais holísticas em toda a empresa para apoiar a gestão de processos de negócio.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600658

Capítulo 6 - Análise e Estrutura de Processos de Negócio Utilizando BPMN

Jan vom Brocke; Michael Rosemann Grupo A PDF Criptografado

Análise e Estrutura de Processos de Negócio Utilizando BPMN

6

Gustav Aagesen e John Krogstie∗

Resumo Em 2004, a notação de modelagem de processos de negócio (Business

Process Modeling Notation – BPMN) foi apresentada como uma linguagem de modelagem de processos de negócio padrão. Seu desenvolvimento foi considerado um avanço importante na diminuição da fragmentação que havia sido constatada entre as ferramentas e notações de modelagem de processo existentes. Desde então essa notação foi avaliada de diferentes maneiras pela comunidade acadêmica e passou a ser amplamente respaldada pelo setor. Depois de concluir as primeiras revisões essenciais de BPMN, o Object Management Group (OMG) está buscando um novo padrão,

BPMN 2.0. Este capítulo sintetiza algumas das avaliações de BPMN, apresentando experiências relatadas e alguns exemplos das extensões que foram propostas e das expectativas futuras com base nessas extensões.

1

Introdução

Há muito tempo os modelos de processos de negócio e trabalho vêm sendo utilizados para obter informações, orientar e respaldar a prática em inúmeras áreas. No desenvolvimento de processos de software (Derniame, 1998), modelagem empresarial (Fox e

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600658

Capítulo 7 - Gestão de Processos Habilitados por Serviços

Jan vom Brocke; Michael Rosemann Grupo A PDF Criptografado

Gestão de Processos

Habilitados por Serviços

7

Marlon Dumas e Thomas Kohlborn∗

Resumo Este capítulo discute algumas relações entre a arquitetura orientada a serviços

(Service-Oriented Architecture – SOA) e a gestão de processos de negócio (Business

Process Management – BPM) e apresenta particularmente um método para analisar um processo de negócio e possibilitar que ele seja executado em um contexto de aplicação orientada por serviços, conduzindo ao conceito de processos de negócio habilitados por serviços. Além disso, este capítulo apresenta uma visão geral dos padrões de tecnologia contemporâneos para a implementação de processos habilitados por serviços.

1

Introdução

A arquitetura orientada a serviços (SOA) é um paradigma para estruturar sistemas de informação e software que se baseia nas capabilities que as partes do sistema oferecem para outras partes. Em comparação aos componentes, normalmente os serviços têm um nível superior de abstração, bem como uma filosofia subjacente distinta, especialmente com relação ao respectivo mecanismo de entrega (Elfatatry, 2007).

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos