10 capítulos
Medium 9788566103021

Capítulo 6 - O MERCADO DA BP

RUFIN, Carlos Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 6

O MERCADO DA BP

Os capítulos anteriores abrangeram diversos conceitos e estruturas que podem ajudar a construir um modelo de negócio para a BP, prestando atenção não só nas noções básicas de modelos de estratégia e negócios, mas também nas condições únicas dos ambientes da BP. Temos deixado deliberadamente de fora até este ponto os elementos centrais de qualquer modelo de negócio relacionado com a BP: o papel que a BP pode desempenhar para o sucesso do seu empreendimento. Neste livro, temos concebido os empreendimentos da

BP como novas empresas inovadoras que atuam sobre a singularidade dos ambientes BP para alcançar a rentabilidade. Consideramos a inovação como uma característica necessária de tais empreendimentos, porque acreditamos que, nas condições dos ambientes da BP, o sucesso empresarial não pode ser atingido com probabilidade razoável sem níveis significativos de inovação em alguma(s) característica(s) do modelo de negócio. Assim, o livro não considera a inovação como uma forma específica de envolvimento com a BP, mas sim como um elemento constitutivo de qualquer empreendimento da BP. Sempre de olho na inovação, o envolvimento com a BP pode proceder de duas formas não exclusivas: enxergando a BP como um mercado, ou como uma fonte de talento humano, ideias, trabalho, insumos físicos, ou outros recursos para o seu empreendimento. Este capítulo percorre o primeiro caminho; o Capítulo 7, o segundo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103021

Apêndice - PLANO PARA O SEU EMPREENDIMENTO DA BP

RUFIN, Carlos Editora Empreende PDF Criptografado

Apêndice

PLANO PARA O SEU

EMPREENDIMENTO DA BP

Quer virar empreendedor? Você se preocupa com a pobreza e a desigualdade social? Esse é o ponto de partida!

1. Conheça o que é a BP

• �A Base da Pirâmide (BP) refere-se aos segmentos mais pobres da população do mundo; sua primeira tarefa, caso queira desenvolver um empreendimento explicitamente voltado para a BP, é entender o que é a pobreza, e como pode ser aliviada.

• �A pobreza pode ser definida em cinco dimensões: privação material, falta de educação, falta de saúde, vulnerabilidade, exclusão e falta de voz.

• �A pobreza também pode ser definida em termos absolutos ou relativos. A pobreza absoluta refere-se ao grau em que uma pessoa sofre de qualquer uma das condições acima no sentido físico de ser capaz de realizar as funções básicas dos seres humanos. A pobreza relativa refere-se ao grau em que uma pessoa sofre de qualquer uma dessas condições relativas ao grau experimentado por outras pessoas de um grupo (seja a família, a comunidade, a região, o país ou o mundo inteiro).

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103021

Capítulo 8 - A MEDIÇÃODO IMPACTO

RUFIN, Carlos Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 8

A MEDIÇÃO

DO IMPACTO

Um empreendimento da BP é diferente de outros tipos de empreendimentos na medida em que visa ter impacto benéfico para aqueles na BP, além do benefício para os investidores e criadores do empreendimento. Ao mesmo tempo, tal empreendimento não é necessariamente um empreendimento social, com benefícios privados e sociais explícitos incorporados em seu propósito fundamental. Isso deixa margem para ambiguidades sobre o impacto. Podemos afirmar que apenas a venda de produtos aos pobres, ou o fornecimento a partir de comunidades da BP, automaticamente geram impactos positivos, seja pelos efeitos de consumo (poupança do dinheiro dos consumidores da BP ao oferecer formas mais baratas de satisfazer as suas necessidades, ou fazer os consumidores mais felizes através do prazer que podem derivar de consumir seus produtos), ou de efeitos de fornecimento (aumento da renda do trabalho ou de outra fonte de recursos, ou melhoria de status ou satisfação pessoal que pode derivar do emprego ou do envolvimento com o empreendimento).

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103021

Capítulo 5 - AS PARCERIAS NA BP

RUFIN, Carlos Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 5

AS PARCERIAS NA BP

Este capítulo explica o processo de parceria com uma variedade de atores presentes na BP. Um resultado claro da investigação sobre a BP até agora é que na maioria dos ambientes da BP é muito difícil construir um empreendimento sustentável sem a participação ativa das partes interessadas locais, porque essas partes interessadas possuem recursos que você pode não ser capaz de obter de outras fontes, e sem os quais alguns empreendimentos podem sobreviver, tais como segurança física para você e seus colaboradores. Mas em contraste com outros mercados, na BP você pode não ser capaz de simplesmente comprar esses recursos das partes interessadas; em vez disso, você terá de buscar relacionamentos mais complexos de parceria, envolvendo confiança, algum grau de tomada de decisão conjunta e outros desafios.

Os recursos que estão potencialmente disponíveis através de parcerias na BP são muitos, e cobrem os tipos usuais de recursos que as empresas buscam na parceria com outras empresas, tais como fatores de produção ou serviços de conhecimento sobre o mercado ou de distribuição, bem como recursos que abordam as condições institucionais que prevalecem na BP. Alguns desses recursos são:

Ver todos os capítulos
Medium 9788566103021

Capítulo 2 - A POBREZA E A BASEDA PIRÂMIDEA

RUFIN, Carlos Editora Empreende PDF Criptografado

Capítulo 2

A POBREZA E A BASE

DA PIRÂMIDE

A fim de desenvolver iniciativas bem-sucedidas na BP, sua primeira tarefa é compreendê-la – compreender a vida dos vários bilhões de pessoas na Terra que por uma variedade de padrões podem ser chamadas de “pobres”. Empresas, aspirantes a empreendedores, estudantes de MBA ansiosos e outras pessoas bem-intencionadas querem trabalhar com a BP, mas falham porque não fazem a lição de casa e simplesmente veem a BP como um grupo de pessoas de baixa renda.

A realidade é que a pobreza é um fenômeno complexo, e baixa renda

é apenas um aspecto da pobreza. Por isso, não podemos definir a

BP sem definir a pobreza. Este capítulo apresenta essa definição, ou talvez mais precisamente uma descrição, do que constitui pobreza.

Mas ser capaz de reconhecer a pobreza quando você a vê é apenas o começo. Também é necessário ter algum conhecimento sobre as causas da pobreza. Finalmente, os empreendimentos da BP não são os primeiros a tentar combater a pobreza, nem eles operam em um vácuo. Há uma longa história de programas para reduzir a pobreza, e uma vasta indústria além do “setor” BP que continua a trabalhar na redução da pobreza. Porque tal história e experiência fornecem lições muito importantes para empreendimentos da BP, e também porque os programas de combate à pobreza estão muitas vezes presentes em locais onde estão os empreendimentos da BP, causando potenciais contradições para os beneficiários, são essenciais algumas noções de história e de atuais programas de redução da pobreza em todo o mundo.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos