16 capítulos
Medium 9788597010787

13 - Controle de Custos Administrativos

FIGUEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo Cesar Grupo Gen PDF Criptografado

13

Controle de Custos

Administrativos

FIGUEIREDO&CAGGIANO.indb 295

1/4/17 4:31 PM

Capítulo 13

Tradicionalmente, os contadores de custos têm se preocupado com o controle dos custos fabris. Recentemente, o crescimento proporcional das despesas operacionais em relação ao custo total tem levado a um aumento de interesse no controle de tais custos. As despesas operacionais podem ser divididas em três categorias: administrativas, de vendas e pesquisa e desenvolvimento.

Como esses custos incorrem sob o controle dos gestores, são frequentemente referidos como custos administráveis ou discricionários. Horngren define: “... custos fixos que se originam de decisões periódicas, geralmente anuais, sobre apropriações que refletem diretamente as políticas da administração geral. Os custos discricionários podem não ter nenhuma relação com o volume de atividade”.1

Com o objetivo de controlar os custos de produção é possível estabelecer padrões de estimativa desses custos. No caso do custo da mão de obra direta, por exemplo, estudos de tempos e movimentos da engenharia determinam a quantidade requerida de horas de mão de obra em cada operação, e a aplicação das taxas apropriada de salários pelo tempo trabalhado resultam em valor monetário para o custo da mão de obra num dado nível de atividades. Consequentemente, é possível estabelecer uma clara relação entre níveis de saída e custos de mão de obra direta.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597010787

1 - Contabilidade e Gestão Empresarial – a Controladoria

FIGUEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo Cesar Grupo Gen PDF Criptografado

1

Contabilidade e Gestão

Empresarial – a Controladoria

FIGUEIREDO&CAGGIANO.indb 7

1/4/17 4:31 PM

Capítulo 1

O novo entorno econômico globalizador, vivido atualmente no mundo, tem introduzido profundas mudanças no ambiente econômico internacional, provocando novo arranjo na Economia Mundial, que tende a um processo de globalização, caracterizado basicamente pela união de países em torno de uma proposta comum de intercâmbio comercial por meio da queda de barreiras tarifárias cambiais e de outras condições de livre comércio.

Como desdobramentos dessas mudanças, emergiram os blocos econômicos:

Nafta, Mercosul, Países Asiáticos e a Comunidade Econômica Europeia.

Todo esse processo impacta tanto o contexto externo das relações contratuais das organizações, como o ambiente interno das empresas, criando assim a demanda por melhores práticas de gestão.

Quer queiramos quer não, os movimentos sociais exigirão futuramente um posicionamento das empresas e elas serão cobradas em seu papel social, principalmente em relação a seu desempenho; assim sendo, a otimização do uso dos recursos disponíveis é preocupação primeira dos gerenciadores das organizações.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597010787

2 - O Sentido do Planejamento e Controle

FIGUEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo Cesar Grupo Gen PDF Criptografado

2

O Sentido do Planejamento e Controle

FIGUEIREDO&CAGGIANO.indb 27

1/4/17 4:31 PM

Capítulo 2

Existem duas escolas de pensamento conflitantes com referência à profundidade da responsabilidade da empresa para com seu próprio destino.

A Teoria de Mercado estabelece que a firma está unicamente à mercê das forças econômicas e sociais predominantes; assim, o sucesso da administração depende da habilidade dos gestores em “ler” o cenário.

Contrastantemente, a Teoria do Planejamento e Controle acredita que os gestores têm controle sobre o futuro da firma e que seu destino pode ser manipulado, isto

é, planejado e controlado. Nesta visão, a qualidade das decisões do planejamento e controle gerencial é o fator-chave do sucesso.

Na verdade, as empresas operam normalmente entre estes dois pontos de vista extremos.

Para muitos elementos, como matéria-prima, por exemplo, os preços estão completamente fora do controle; por outro lado, alguns elementos, como preço de venda do seu produto, são determinados pela organização.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597010787

14 - Aspectos Comportamentais da Avaliação de Desempenho

FIGUEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo Cesar Grupo Gen PDF Criptografado

14

Aspectos Comportamentais da

Avaliação de Desempenho

FIGUEIREDO&CAGGIANO.indb 305

1/4/17 4:31 PM

Capítulo 14

Em anos recentes, os aspectos comportamentais da tomada de decisão têm assumido uma crescente importância na literatura gerencial. Tradicionalmente, os contadores têm seguido os economistas quando assumem que o principal problema da organização é a maximização do lucro e a alocação dos recursos necessários para este fim.

Consequentemente, os contadores tendem a encarar a organização de um ponto de vista técnico, considerando o homem na medida de seu ajustamento ou substituição

às máquinas, sendo este admitido e empregado no propósito de maximização do lucro e da produtividade.

O reconhecimento de que a importância da contabilidade está relacionada com o processo decisorial tem evidenciado a necessidade de um entendimento do comportamento humano nas organizações.

14.1 Objetivos da avaliação de desempenho

Os objetivos da avaliação de desempenho podem ser estabelecidos como sendo os seguintes:

Ver todos os capítulos
Medium 9788597010787

12 - Custo-padrão e Análise das Variações

FIGUEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo Cesar Grupo Gen PDF Criptografado

12

Custo-padrão e Análise das Variações

FIGUEIREDO&CAGGIANO.indb 271

1/4/17 4:31 PM

Capítulo 12

Analisa-se agora um método importante para estabelecimento de padrões de desempenho através da utilização do custo-padrão.

A dificuldade de utilização dos dados do sistema de contabilidade financeira para planejamento é que eles estão relacionados com o passado e, embora os gestores estejam interessados em conhecer o resultado de suas decisões passadas, eles estão muito mais preocupados com decisões que afetarão o futuro.

O custo histórico, no qual se baseiam as informações do sistema contábil financeiro, tem pouca utilidade para propósitos de controle, particularmente em condições inflacionárias, a experiência passada não informa aos gestores quando uma operação, ou um trabalho, ou um departamento, é muito dispendioso. Dessa maneira, os gestores desejam saber não quanto custou, mas quanto custará. Uma vez que o custo seja determinado previamente, o custo real pode ser comparado com ele e suas diferenças analisadas.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos