21 capítulos
Medium 9788521623496

Capítulo 10 - Introdução aos Sistemas de Águas Servidas

SHAMMAS, Nazih K.; WANG, Lawrence K. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

10

Introdução aos

Sistemas de Águas Servidas

S

egundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 2,4 bilhões de pessoas não têm acesso ao saneamento básico, o que representa 42% da população mundial. Mais da metade das pessoas sem acesso ao saneamento básico – quase 1,5 bilhão de pessoas – vive na China e na Índia. Na África Subsaariana a cobertura é de apenas 36%. Somente 31% da população rural nos países desenvolvidos têm acesso ao saneamento básico, ao contrário dos 73% dos habitantes das áreas urbanas.

Cerca de 2 milhões de pessoas morrem todos os anos devido a doenças diarreicas; a maior parte delas consiste em crianças com menos de 5 anos de idade. As mais afetadas são as populações nos países em desenvolvimento que vivem em condições de extrema pobreza, consistindo geralmente em moradores das zonas periféricas urbanas e rurais. Entre os problemas principais responsáveis por essa situação estão (a) falta de prioridade conferida ao setor, (b) falta de recursos financeiros, (c) falta de sustentabilidade do abastecimento de água e dos serviços de saneamento, (d) maus hábitos de higiene e (e) saneamento inadequado nos locais públicos, incluindo hospitais, centros de saúde e escolas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521623496

Capítulo 4 - Quantidades de Escoamento de Água e Águas Servidas

SHAMMAS, Nazih K.; WANG, Lawrence K. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

4

Quantidades de Escoamento de Água e Águas Servidas

O conhecimento das quantidades necessárias de escoamento de águas de abastecimento e águas servidas é fundamental para o projeto e gestão dos sistemas. Nos Estados Unidos, os volumes de

água fornecidos para as cidades e povoados ou que é removido destes locais é expresso em galões americanos por ano (galões/ano), mês (galões/mês), dia (galões/dia) ou minuto (gpm). O galão americano ocupa um volume de 0,1337 pé cúbico (ft3) ou 3,785 litros (L) e pesa 8,344 libras (lb) ou

3,785 quilogramas (kg). A unidade métrica fundamental (SI) no trabalho de engenharia é o metro cúbico (m3), pesando 1.000 quilogramas (kg) ou 1 tonelada métrica (T), equivalendo a 1.000 litros

(L). Nos Estados Unidos, os volumes anuais de águas de abastecimento ou águas servidas são convenientemente registrados em milhões de galões (MG) ou milhões de litros (ML). Os volumes diários geralmente são expressos em milhões de galões por dia (MGD) ou milhões de litros por dia (MLD), caso sejam maiores que 100.000 gpd (378.500 L/d). Os volumes diários de galões per capita são expressos em gpcd, enquanto os volumes diários em litros per capita são expressos em Lpcd. As populações conectadas ou afluentes e as quantidades de serviços ou unidades habitacionais podem assumir as populações totais.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521623496

Capítulo 2 - Recursos Hídricos: Águas Superficiais

SHAMMAS, Nazih K.; WANG, Lawrence K. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

2

Recursos Hídricos: Águas Superficiais

A

Figura 2.1 mostra onde está a água e como ela está distribuída na Terra. A barra à esquerda mostra onde existe água na Terra; aproximadamente 97% de toda a água estão nos oceanos. A barra do meio mostra a distribuição dos 3% de água potável existentes na Terra. A maioria, em torno de 69%, está presa em geleiras e calotas de gelo, principalmente na Groenlândia e na Antártica. Você pode estar surpreso pelo fato de quase toda a água doce restante estar sob os nossos pés na forma de águas subterrâneas. De toda a água doce na Terra, apenas 0,3% está contida em rios e lagos — no entanto, rios e lagos não são apenas a água com a qual estamos familiarizados, eles também são o lugar onde existe a maior parte da água que utilizamos no dia a dia.

Para uma explicação detalhada da localização da água na Terra, analise os dados na Tabela 2.1.

Repare como entre o abastecimento de água mundial total em torno de 326 milhões de milhas cúbicas

Ver todos os capítulos
Medium 9788521623496

Capítulo 16 - Materiais, Elementos e Manutenção de Esgotos

SHAMMAS, Nazih K.; WANG, Lawrence K. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

16

Materiais, Elementos e

Manutenção de Esgotos

16.1

MATERIAL DA TUBULAÇÃO DE ESGOTO POR GRAVIDADE

Existem vários materiais de tubulação diferentes para sistemas de coleta de águas servidas, cada um com uma característica única aplicável às diferentes condições. As tubulações têm vida útil que variam de 15 a mais de 100 anos, dependendo do tipo de material e do ambiente. Ao examinar uma tubulação, o material utilizado pode ser um indicador de falha mais importante do que a idade. Os quatro materiais de tubulação mais utilizados são o ferro dúctil, o concreto, o plástico e a argila vitrificada.

As considerações de escolha do material da tubulação incluem as condições da vala (condições geológicas), a corrosão, a temperatura, os requisitos de segurança e o custo. As características fundamentais da tubulação são a resistência à corrosão (interior e exterior), fator de lavagem, estanqueidade e características hidráulicas.

Os fabricantes de tubos seguem as exigências da American Society of Testing Materials (ASTM) ou da American Water Works Association (AWWA) quanto aos materiais específicos das tubulações. A especificação de padrões abrange a fabricação dos tubos e determina parâmetros como o diâmetro interno, carga (classes) e espessura da parede (schedule). Os métodos de construção da tubulação variam bastante de acordo com os materiais destas tubulações.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521623496

Capítulo 17 - Tecnologia sem Escavação e Reabilitação de Sistemas de Esgoto

SHAMMAS, Nazih K.; WANG, Lawrence K. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

17

Tecnologia sem Escavação e

Reabilitação de Sistemas de Esgoto

R

eabilitação do sistema é a aplicação de tecnologias de reparo, reforma e substituição na infraestrutura a fim de restabelecer a funcionalidade de um sistema ou subsistema de águas servidas. À medida que a infraestrutura dos Estados Unidos envelhece, cada vez mais importância é dedicada à reabilitação dos sistemas de coleta e tratamento das águas servidas do país. Rachaduras, sedimentação, invasão de raízes de árvores e outras perturbações que se desenvolvem ao longo do tempo deterioram as tubulações e outras estruturas de transporte que compõem os sistemas de coleta das águas servidas. Essas condições de deterioração podem aumentar a quantidade de influxo e infiltração (I/I) que entram no sistema, especialmente durante os períodos chuvosos. O aumento dos níveis de I/I cria uma carga hidráulica adicional sobre o sistema e diminui a sua capacidade global. Além do escoamento de I/I, as

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos