14 capítulos
Medium 9788597020021

Exame de Suficiência do CFC – questões resolvidas

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti Grupo Gen ePub Criptografado

QUESTÕES

1. (Exame de suficiência, 01/2011) Em 31 de dezembro de 2010, uma determinada companhia publicou a seguinte demonstração contábil:

Balanço Patrimonial (em R$)

 

2009

2010

 

2009

2010

ATIVO

88.400,00

107.000,00

PASSIVO E PL

88.400,00

107.000,00

Ativo Circulante

57.400,00

61.800,00

Passivo Circulante

36.600,00

43.400,00

Disponível

1.400,00

6.600,00

Fornecedores

22.000,00

28.000,00

Clientes

24.000,00

27.200,00

Contas a Pagar

Empréstimos

Ver todos os capítulos
Medium 9788597020021

7 Índices de liquidez

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti Grupo Gen ePub Criptografado

O objetivo dos índices de liquidez é fundamentalmente verificar a capacidade da entidade de pagar as suas obrigações. Essa verificação é efetuada comparando contas do ativo e do passivo do balanço patrimonial. Existem quatro índices geralmente utilizados pelos analistas:

• Liquidez imediata.

• Liquidez seca.

• Liquidez corrente.

• Liquidez geral.

O índice usualmente é considerado bom quando é acima de 1,00.

Cabe destacar que esses índices são apenas indicadores de liquidez e não asseguram efetivamente que a entidade estaria em condições de pagar as suas dívidas nos vencimentos. Por exemplo, imagine a situação em que a entidade tem no seu ativo circulante em 31/12/20x1 apenas R$ 4.000 de contas a receber que vencem em 31/03/20x2, e no seu passivo circulante em 31/12/20x1 somente R$ 1.000 de dívidas com fornecedores que vencem em 31/01/20x2.

Poderíamos afirmar, somente analisando pelas contas do balanço patrimonial em 31/12/20x1, que a situação de liquidez é boa, já que a entidade tem, para cada R$ 1,00 de dívida, R$ 4,00 de direitos a receber. Entretanto, na realidade, a entidade tem uma situação financeira complicada, devido ao fato de que as suas dívidas vencem antes dos recebíveis dos clientes.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597020021

12 Análise da demonstração dos fluxos de caixa

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti Grupo Gen ePub Criptografado

O objetivo da demonstração dos fluxos de caixa (DFC) é fornecer informações relevantes sobre recebimentos e pagamentos de caixa de uma entidade durante certo período, de maneira a proporcionar aos usuários das demonstrações contábeis (DCs) uma base para avaliar a capacidade da entidade de gerar caixa e equivalentes de caixa, bem como de entender as necessidades da entidade de utilização desses fluxos de caixa.

A DFC foi regulamentada por meio do pronunciamento técnico contábil CPC 03, dentro do contexto de adoção pelo Brasil das normas internacionais de contabilidade (correspondente ao IAS 7 do IASB). A DFC substituiu no Brasil a Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos.

Os fluxos de caixa da DFC são apresentados de acordo com a Figura 12.1.

O objetivo deste capítulo é informar os principais dados da DFC e indicadores de análise, e não ensinar como preparar a DFC.

Figura 12.1 Apresentação dos fluxos de caixa da DFC.

As transações apresentadas na Figura 12.2 são classificadas como caixa e equivalentes de caixa (CEC) para fins da DFC. Note que somente as mutações em CEC são relatadas na DFC.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597020021

11 Ciclos operacional, financeiro, econômico e análise do capital de giro

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti Grupo Gen ePub Criptografado

Neste capítulo, abordamos questões relevantes relacionadas com entendimento e gerenciamento das atividades da entidade, com a finalidade de maximizar os lucros e reduzir problemas vinculados principalmente com liquidez, tais como:

• Qual o seu ciclo operacional?

• Qual o seu ciclo financeiro?

• Qual o seu ciclo econômico?

• Qual a relação entre os índices de rotação, estudados em capítulo anterior, com os ciclos citados?

• O que representa capital de giro?

• Como o capital de giro se relaciona com o capital circulante líquido?

• Quais estruturas patrimoniais seriam indicadores de possíveis crises financeiras?

• Como estabelecer o montante da necessidade de capital de giro?

O ciclo operacional começa com a compra da matéria-prima e vai até o recebimento da venda do produto acabado do cliente.

O ciclo financeiro começa com pagamento ao fornecedor da matéria-prima e vai até o recebimento da venda do produto acabado do cliente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597020021

5 Avaliação de ativos e passivos

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti Grupo Gen ePub Criptografado

O objetivo principal deste capítulo é analisar os principais critérios de contabilização e avaliação de ativos e passivos do balanço patrimonial (BP) e os seus reflexos na demonstração do resultado do exercício (DRE).

É relevante que o analista conheça a correlação entre contas do BP e da DRE, de maneira que possa compreender e interpretar os indicadores econômicos e financeiros.

Por exemplo, parte substancial do lucro na DRE poderia ter sido em decorrência de ajuste a valor justo do ativo de propriedade para investimento, dentro do escopo do CPC 28, e que esse lucro poderia ser econômico e não financeiro em outras palavras, esse lucro não teria afetado o caixa ou as contas-correntes bancárias da entidade. A falta do conhecimento dessa transação poderia levar o analista à interpretação equivocada sobre a capacidade do lucro da entidade em gerar fluxos de caixa positivos.

As práticas contábeis que tratam de ativos financeiros estão contempladas no CPC 48.

Em linhas gerais, o CPC 48 define instrumento financeiro como qualquer contrato que origine um ativo financeiro para uma entidade e um passivo financeiro (por exemplo, debênture a pagar) ou título patrimonial (por exemplo, ações do capital social) para outra entidade.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos