18 capítulos
Medium 9788522497836

13 O Panorama Econômico e Social

FERRONATO, Airto João Grupo Gen PDF Criptografado

13

O Panorama

Econômico e Social

E

xiste outro conjunto de fatores essenciais e imprescindíveis aos negócios de menor tamanho. Nesse sentido, fará parte da primeira seção o contexto do mercado e a força da concorrência. Centrados no enfoque do espaço público, na segunda seção faremos uma incursão sobre as relações da pequena firma com a comunidade e com o meio ambiente.

A terceira seção refletirá uma síntese retrospectiva do trabalho e outra síntese do emprego. Na sequência, abordaremos a questão dos trabalhadores, detendo-nos na estratégia de sobrevivência dos empregados. A quinta seção estará organizada de maneira a permitir que se tenha uma visão panorâmica sobre poder e autoridade.

13.1 O mercado e a concorrência

Inexoravelmente, a posição de uma empresa muda com a velocidade de expansão ou retração do mercado e com o comportamento agressivo ou retraído da concorrência. Em conexão com isso, o texto traz algumas abordagens recentes acerca dessas duas estrelas do cenário econômico.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522497836

9 Três Pilares de Sustentação

FERRONATO, Airto João Grupo Gen PDF Criptografado

9

Três Pilares de Sustentação

O

capítulo será dividido em seções e abordará três alavancas de peso: uma direção estratégica clara e bem definida; um saber teórico e técnico sobre Contabilidade e sobre Finanças Corporativas. O quarto pilar de sustentação – gestão empresarial – será estudado, separadamente, nos Capítulos 10, 11 e 12.

9.1 Estratégia

Nesta seção inicial, apresentamos o primeiro pilar básico: a estratégia dos negócios iniciantes. A literatura de administração estratégica é vasta e cresce a cada dia, porém, ninguém realmente soube definir o que é uma estratégia ótima.

Em tal cenário, o arcabouço do diagrama que apresentamos no Capítulo 4 nos remete a prestar atenção especial à estratégia. Termo criado pelos antigos gregos que significava um magistrado ou um comandante militar, a estratégia consiste basicamente num conjunto de regras que orientam as decisões e o comportamento de uma organização.

A estratégia existe na mente do líder como perspectiva; trata-se do conceito global do negócio, uma grande concepção, uma sacada magistral, uma visão de futuro da pequena organização, uma máxima muito bem articulada. Enfim, a grande estratégia também é uma obra de arte. Peça a alguém uma definição de estratégia e provavelmente lhe dirão que estratégia é um plano, ou algo equiva-

Ver todos os capítulos
Medium 9788522497836

17 Desempenho e Enlaces

FERRONATO, Airto João Grupo Gen PDF Criptografado

17

Desempenho e Enlaces

Para a contextualização do universo de conhecimentos que sugerimos, neste capítulo apresentaremos os derradeiros assuntos, reservando-nos a perspectiva ambiciosa de afirmar que alcançamos os objetivos propostos.

Nessa configuração, visando atingir o equilíbrio entre teoria e pesquisa de um lado, aplicação e prática de outro lado, apresentaremos quatro seções: (1) análise do desempenho; (2) controle microempresarial; (3) monitoramento microcorporativo; e (4) proposições de enlaces.

17.1 Análise do desempenho

Para a avaliação do desempenho da microempresa, vamos reunir informações sobre as variações patrimoniais e os esforços feitos para manter tais variações aos níveis desejados. O fio do argumento nessa direção viabiliza diagnosticar, interna e comparativamente, o comportamento e a evolução da microempresa, a fim de que seja possível medir os resultados e analisar o seu desempenho.

Avaliar a performance de uma pequena empresa é estabelecer um juízo de comparação dos níveis de seu desempenho em dois mais períodos. Avaliar a performance também é comparar a pequena firma com outra empresa de tamanho similar ou com a média de desempenho do setor.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522497836

3 Análise do Resultado da Pesquisa

FERRONATO, Airto João Grupo Gen PDF Criptografado

3

Análise do Resultado da Pesquisa

Visando comprovar ou refutar nossas hipóteses de que os maus resultados apurados pelos pequenos negócios decorrem em grande parte das relações com seus principais parceiros, realizamos uma pesquisa. Fundamentalmente, procuramos elucidar fatores que contribuem de alguma forma para a ocorrência de tantos insucessos no que se refere ao elevado nível de mortandade das pequenas e microempresas.

Em outras palavras, a pesquisa que realizamos se propôs a provar que as relações em que se envolvem as pequenas firmas interferem em boa dose no sentido de agigantar o número de falências e concorrem para a inibição do crescimento de tantas outras.

Efetuamos uma investigação aplicando três questionários, onde formulamos uma série de questões, buscando desvendar a percepção que os sujeitos possuem acerca do problema. Nessa dinâmica, a coleta de dados foi realizada no período de 10 de março de 2008 a 25 de setembro de 2009.

As pessoas que responderam ao questionário foram enquadradas em três grupos distintos de atores: (a) no primeiro grupo, estiveram sujeitos à pesquisa os micro e pequenos empresários; (b) no segundo, os contadores responsáveis pelos escritórios de contabilidade; (c) no terceiro e último grupo, pesquisamos empregados dos estabelecimentos econômicos de pequeno tamanho.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522497836

6 Fundamentos do Microempreendedorismo

FERRONATO, Airto João Grupo Gen PDF Criptografado

6

Fundamentos do

Microempreendedorismo

A

partir do centro do esquema apresentado no Capítulo 5, agora abordaremos os fundamentos para iniciar um pequeno negócio. O eixo da questão estará focado na análise preliminar de cada decisão, a qual se defrontará nos seguintes campos: dinheiro, tecnologia, relações e risco. Umbilicalmente ligado à temática dos riscos dos negócios, o quinto fundamento – retorno do investimento – será abordado nos Capítulos 10 e 14.

6.1 Dinheiro

A primeira decisão que o executivo-empreendedor precisa tomar para constituir uma pequena firma diz respeito ao tipo de negócio que deseja operar, alinhado à grandeza do empreendimento pretendido e à capacidade de financiá-lo.

Em outras palavras, esse passo reporta à injeção de certa quantia mínima de dinheiro necessária para o início da jornada.

É esse alinhamento que determina o tamanho da firma, a magnitude ajustada à capacidade financeira do empreendedor, medida em termos de capitais próprios e do volume de recursos de terceiros possíveis de captação. Provavelmente, o melhor resumo dessa ideia vem da seguinte reflexão: a máquina corporativa deve ser leve, flexível e enxuta.1

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos