12 capítulos
Medium 9788522466535

8 Gastos, Ativos, Passivos, Despesas (Custos) e Receitas Ambientais

TINOCO, Eduardo Prudêncio Tinoco; KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira Grupo Gen PDF Criptografado

8

Gastos, Ativos, Passivos,

Despesas (Custos) e Receitas

Ambientais

“Muito além de ser uma simples sofisticação, na atualidade a denominada Contabilidade Ambiental é uma evolução necessária que dignifica nossos estudos perante a história do conhecimento.”

Antônio Lopes de Sá

O capítulo apresenta uma abordagem conceitual da Contabilidade da Gestão

Ambiental, tratando objetivamente de gastos, ativos, passivos, despesas (custos) e receitas ambientais, em decorrência das atividades empresariais que impactam no meio ambiente. Expõem-se, ainda, neste capítulo, demonstrações contábeis adaptadas ao meio ambiente, relativas a Balanço Patrimonial e Demonstração do

Resultado do Exercício.

8.1 Considerações iniciais

A Contabilidade Ambiental, como já explicitamos, constitui-se numa das vertentes da Contabilidade. Particularmente serve para evidenciar e espelhar a relação das empresas e da Nação com o meio ambiente.

Destaca em particular os gastos e as ações ambientais que decorrem das atividades operacionais das empresas, ao reconhecerem a existência de compromissos com o meio ambiente; aborda, ademais, o tratamento dispensado aos eventos

Ver todos os capítulos
Medium 9788522466535

1 Introdução ao Ambiente da Contabilidade

TINOCO, Eduardo Prudêncio Tinoco; KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira Grupo Gen PDF Criptografado

1

Introdução ao Ambiente da

Contabilidade

“Não há senão um mestre, a natureza.”

Leonardo da Vinci

Neste capítulo, apresentaremos uma breve digressão histórica da Contabilidade, desde os tempos em que o homem primitivo necessitou de registros e de informações para conhecer seu patrimônio, que sempre foi o objeto central da

Contabilidade. O surgimento do comércio, que floresceu em cidades italianas das Idades Média e Moderna, contribuiu sobremaneira para o surgimento da

Contabilidade, em base científica, passando pelos descobrimentos marítimos, empreendimentos nos quais navegadores portugueses e espanhóis se envolveram, desembocando na Revolução Industrial.

Empreendida por ingleses, alemães e franceses nos séculos XVIII e XIX, a Revolução Industrial abriu novos horizontes para a humanidade, com a implantação da indústria em larga escala, bem como da ferrovia, inicialmente, e posteriormente outros meios de transporte. Integrou países e continentes (Europa), além de outros empreendimentos de porte, que por sua complexidade, pelos capitais investidos, e pela demanda de informação exigiram e exigem uma Contabilidade que atenda basicamente aos interesses decisoriais de seus usuários, os stakeholders.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522466535

6 Sustentabilidade Empresarial

TINOCO, Eduardo Prudêncio Tinoco; KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira Grupo Gen PDF Criptografado

6

Sustentabilidade Empresarial

“Nos últimos dois séculos temos vivido sob a tríade da liberdade, da igualdade e da fraternidade. À medida que caminhamos para o século XXI, precisamos tomar como inspiração os quatro valores da liberdade, da igualdade, da fraternidade e da sustentabilidade.”

Camargo, apud Novaes (2002, p. 313)

Este capítulo aborda a inserção das empresas em questões relativas a sustentabilidade empresarial, explicitando empresas brasileiras que apresentam bons exemplos a serem seguidos.

A sustentabilidade exige uma postura preventiva, que identifique tudo o que um empreendimento pode fazer de positivo – para ser maximizado – e de negativo

– para ser minimizado –, conforme explicita Almeida (2002).

6.1 Desenvolvimento econômico em relação ao meio ambiente

Os avanços ocorridos na área ambiental quanto aos instrumentos técnicos, políticos e legais, principais atributos para a construção da estrutura de uma política de meio ambiente, são inegáveis e inquestionáveis. Nos últimos anos, saltos quantitativos foram dados, em especial no que se refere à consolidação de práticas

Ver todos os capítulos
Medium 9788522466535

4 Balanço Social: Balanço da Transparência Corporativa

TINOCO, Eduardo Prudêncio Tinoco; KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira Grupo Gen PDF Criptografado

4

Balanço Social: Balanço da

Transparência Corporativa

Este capítulo objetiva estruturalmente evidenciar os aspectos econômicos, sociais e de responsabilidade pública que dizem respeito à atividade desempenhada pelas entidades econômicas. Insere-se no contexto da accountability, mostrando como a Contabilidade pode e deve em muito enriquecer a informação que reporta a seus mais diferenciados usuários, parceiros de suas atividades, que buscam informação plena, justa e não enviesada. As informações destacadas e comentadas fazem parte de um novo relatório, denominado Balanço Social, que surgiu na

Europa, especialmente em França, a partir de 1970.

No Brasil, o Balanço Social passou a ser pesquisado nos anos 80, no contexto da Contabilidade, ocorrendo as primeiras publicações ao final dos anos 80.

4.1 Introdução

Observa-se, presentemente, que o acesso à informação de boa qualidade é um pré-requisito para o exercício de cidadania, vale dizer, condição essencial para que os problemas socioeconômicos sejam debatidos e resolvidos com base no convívio democrático entre os grupos sociais.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522466535

12 Indicadores Ambientais e Socioeconômicos do Desempenho Sustentável

TINOCO, Eduardo Prudêncio Tinoco; KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira Grupo Gen PDF Criptografado

12

Indicadores Ambientais e Socioeconômicos do

Desempenho Sustentável

A apresentação de indicadores de desempenho ambiental

é importante no processo de fornecer informações ao público externo, à medida que o processo de transparência passa pela padronização e utilização deste tipo de indicador, os quais permitem sintetizar as informações quantitativas e qualitativas relativas a seu desempenho ambiental.

Neste capítulo, iremos apresentar indicadores de desempenho ambientais e socioeconômicos de sustentabilidade das empresas.

A utilização desses indicadores de desempenho e a disseminação de indicadores de ecoeficiência são medidas necessárias para conferir transparência aos negócios das empresas.

Faremos inicialmente uma discussão teórica acerca de sua importância, apresentando em seguida de forma prática uma bateria de indicadores, explicitando sua importância para os usuários de informação.

6244.indb 248

17/01/2011 14:16:33

Indicadores Ambientais e Socioeconômicos do Desempenho Sustentável 

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos