164 capítulos
Medium 9788582713389

Capítulo 53 - Quando o Amor se Torna um Problema

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A PDF Criptografado

53

QUANDO O AMOR SE TORNA

UM PROBLEMA

Os modelos de relações afetivas passaram, ao longo do tempo, por uma expressiva mudança em seus desenhos e configurações.

Se, no passado, a origem dos relacionamentos foi associada à junção das famílias para que os filhos pudessem herdar os bens de seus pais ou, ainda, para selar alianças de natureza econômica ou política, seguramente esses propósitos hoje se tornaram muito mais amplos, abrindo espaço para outras possibilidades.

Antigamente, casar com alguém era, muitas vezes, uma decisão coletiva. Nas sociedades menos rígidas, esse desenho foi alterado, colocando a decisão na mão dos parceiros.

Ao que tudo indica, então, os sentimentos de afeto, paixão e amor tornaram-se elemento determinante nessa decisão, influenciando seus componentes e catalisando os laços por toda uma vida.

O AMOR

Assim, atualmente, seja a relação aberta, fechada, monogâmica, celibatária, mista, etc., entende-se que o vínculo afetivo atua como uma poderosa aliança na criação e na manutenção dessa vinculação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713389

Capítulo 40 - A Química da Paixão

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A PDF Criptografado

40

A QUÍMICA DA PAIXÃO

Ser acertado pela flecha do Cupido faz com que as pessoas percam o fôlego, sintam o coração acelerar e, possivelmente, também venham a suar frio, apenas para descrever algumas consequências mais imediatas.

E você, já se apaixonou por alguém?

Dependendo de sua idade, é bem provável que faça parte de um grupo que já experimentou as reações químicas de gostar de alguém, ainda que tenha sido apenas um amor platônico.

Não sei se você sabe, mas a paixão dispara diversos gatilhos cerebrais, iniciando reações físicas em nosso corpo. Esse coquetel químico, ativado por diversas glândulas, deixa-nos com o rosto corado, as mãos suadas e a respiração alterada.

Dopamina, adrenalina e noradrenalina são algumas das substâncias que inundam nosso corpo quando nos apaixonamos por alguém. Explico melhor.

A dopamina, por exemplo, deixa-nos eufóricos, enquanto a adrenalina e a noradrenalina fazem o coração bater mais rápido, aumentando nosso

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713389

Capítulo 25 - Comprar Aumenta o Sentimento de Solidão

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A PDF Criptografado

25

COMPRAR AUMENTA O

SENTIMENTO DE SOLIDÃO

Nem sempre se consegue comprar a felicidade. Pelo menos, é o que afirma um novo estudo.

De acordo com uma publicação do Journal of Consumer Research, muitas pessoas usam o materialismo como forma de tentar fugir da solidão e dos momentos difíceis, entretanto, os resultados do estudo indicaram que isso não funciona lá muito bem.

Rik Pieters, da Escola de Economia de Tilburt, na Holanda, acompanhou mais de 2,5 mil consumidores por mais de seis anos e mediu padrões de consumo que incluíam comprar por prazer, comprar para melhorar o status social e comprar para compensar estados de humor negativos.

E os resultados? Interessantes.

Dos três padrões de comportamento avaliados, o que menos impactava o sentimento de solidão era comprar por prazer. Isso significa dizer que, muitas vezes, pessoas compravam pela simples gratificação que isso gerava, ou seja, compravam apenas e tão somente pela satisfação envolvida no ato e ponto final. Sem quaisquer implicações psicológicas maiores.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713389

Capítulo 88 - Uma Questão de Tempo: O Paradoxo da Vida

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A PDF Criptografado

88

UMA QUESTÃO DE TEMPO:

O PARADOXO DA VIDA

É realmente curioso notar o que acontece conosco quando nos debruçamos sobre as distintas memórias do que já vivemos. Não sei se é seu caso, mas no meu, por exemplo, fico me perguntando a razão pela qual o tempo, em diferentes fases da existência, aparenta ter distintos significados e duração.

Quando somos pequenos, é fato que os anos custam muito a passar.

Nossos aniversários de infância e as festas de fim de ano são momentos

únicos; com eles, centenas de memórias são colecionadas desses períodos.

Recordamo-nos com detalhes das vivências, das roupas que usávamos, das pessoas envolvidas e de tudo que permeou esses importantes acontecimentos.

Sejam boas ou más, essas reminiscências de nossa primeira década passam lentas, cheias de acontecimentos e de recordações até que, finalmente, chegamos à adolescência. Nesse momento, alcançar os 18 anos de idade se torna um de nossos maiores objetivos.

É interessante notar que desfrutamos, nesses estágios, de um sentimento muito estranho em relação ao tempo, isto é, se, antes, pouco nos

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715802

Capítulo 41. O que está por trás da fofoca?

Cristiano Nabuco de Abreu Grupo A ePub Criptografado

Embora muitas vezes passe totalmente despercebida, a fofoca está presente em toda parte. Apesar de ser vista como algo ruim e de conotação negativa, ela cumpre um papel social de extrema importância.

Segundo os antropólogos, esse fenômeno tem suas raízes em nossos antepassados mais distantes; assim, para entendermos o presente, vale a pena olharmos para trás.

Nos primórdios, vivíamos em comunidades de até 150 indivíduos e, entre eles, alguns se destacavam por suas habilidades de caça e de proteção do bando – os chamados “machos-alfa”. Eles eram poucos e desfrutavam de um status elevado por terem um papel vital para a comunidade, já que a vida dos demais dependia diretamente de suas aptidões físicas e de seus esforços contínuos.1

Como nem todos possuíam destreza para caça e/ou força, os menos hábeis acabavam por desempenhar papéis menores na pirâmide social. Tenha em mente que, em épocas de difícil sobrevivência, qualquer informação a respeito dos colegas ou do ambiente se tornava fundamental, e, mais do que isso, virava uma moeda de troca e de poder.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos