7835 capítulos
Medium 9788597010480

9 - PENSANDO RACIONALMENTE SOBRE A NEGOCIAÇÃO

BAZERMAN, Max H.; NEALE, Margaret A. Grupo Gen PDF Criptografado

Na primeira seção deste livro, descrevemos como e por que administradores tomam decisões irracionais em negociações. Agora vamos analisar como os administradores devem tomar decisões em um mundo em que nem sempre as pessoas agem racionalmente. Para negociar racionalmente, é necessário compreender por que você às vezes pensa irracionalmente ao esperar irracionalidades semelhantes de seus oponentes.

Neste capítulo, examinamos dois componentes críticos de um processo racional de negociação. Primeiro, um administrador eficaz deve avaliar objetivamente as alternativas de cada um dois lados a fazer um acordo negociado, seus interesses e suas prioridades. Em conjunto, estes três grupos de informação determinam a estrutura de uma negociação.1 Segundo, um administrador eficaz deve compreender os componentes integrativos e distributivos de uma negociação para ser capaz de ampliar o conjunto de recursos disponíveis para poder aumentar sua fatia.2 Utilizamos também as informações da primeira seção do livro para dar receitas sobre como evitar cometer erros comuns que interferem no desenvolvimento de uma estratégia racional.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582602928

Capítulo 11 - Perda por movimento não é trabalho

Taiichi Ohno Grupo A PDF Criptografado

CAPÍTULO 11

Perda por movimento não é trabalho

Na minha opinião, a língua japonesa é muito bem organizada, e se ela for habilmente interpretada, ajudará o desenvolvimento da indústria japonesa. Como você sabe, os caracteres japoneses “mover” (動) e “trabalhar” (働) mudam de sentido com a adição ou remoção do radical de “pessoa” (イ), mesmo que o sinal seja pronunciado de forma idêntica como “doe”.

Isso não funciona tão bem em outras línguas, pois no inglês, por exemplo, o som das palavras “trabalhar” e “mover” não são nada parecidos.

Cometi um erro semelhante no ano passado quando estive na China. Como o posto de trabalho na China era muito desorganizado, com materiais colocados aleatoriamente, expliquei que, no Japão, temos algo que chamamos de atividade 4S, originado das palavras japonesas seiri, seiton, seisou e seiketsu,11 e que aumentamos de muitas maneiras a conscientização da importância de uma boa organização no posto de trabalho, tais como dando prêmios quando a área de trabalho é mantida organizada.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580555721

Capítulo 19 - Apresentação de Ideias e Resultados: Relatórios por Escrito

Donald R. Cooper; Pamela S. Schindler Grupo A PDF Criptografado

Capítulo 19

Apresentação de Ideias e

Resultados: Relatórios por Escrito

As pessoas são fantásticas para coletar dados, mas muitas vezes são menos habilidosas para criar ideias a partir desses dados e difundi-las em toda a organização. Os dados são ótimos, mas raramente significam alguma coisa a não ser que se descubra exatamente o que eles estão dizendo – e o que você vai fazer sobre isso. 

Objetivos de aprendizagem

Nancy Porte, vice-presidente do setor de experiência do cliente,Verint-Vovici

Após ler este capítulo, você compreenderá...

1 Que a qualidade da apresentação dos resultados de uma pesquisa pode ter um efeito determinante nas percepções de qualidade do estudo por parte de um leitor ou ouvinte.

2 O conteúdo, os tipos, os tamanhos e as especificações técnicas de relatórios de pesquisa.

3 Que quem redige um relatório de pesquisa deve orientar-se por questões relacionadas a objetivo, facilidade de leitura, circunstâncias/limitações e uso.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597011708

34 - Estrutura básica do IRPF no Brasil

PÊGAS, Paulo Henrique Grupo Gen PDF Criptografado

34

Estrutura básica do IRPF no Brasil

OBJETIVO DO CAPÍTULO

Apresentar os aspectos básicos da tributação do imposto de renda das pessoas físicas. Ao final deste capítulo, será possível: a. Entender a importância da declaração de imposto de renda pessoa física para a Secretaria da Receita Federal do Brasil. b. Diferenciar os modelos de entrega permitidos pelo Fisco: completo ou simplificado. c. Compreender o critério da progressividade de alíquotas aplicadas no

Brasil.

PEGAS.indb 491

3/16/17 5:31 PM

492

34.1

Capítulo 34

ASPECTOS INTRODUTÓRIOS

A Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) informou que quase 27,5 milhões de pessoas entregaram a declaração anual de imposto de renda (IR) em 2015 referente ao ano-calendário 2014, o que demonstra a importância do estudo do tema no curso de ciências contábeis, na disciplina Contabilidade Tributária. A tendência é de manutenção desse número, por dois motivos:

»» AUMENTO por conta da não atualização da tabela progressiva.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582604243

Capítulo 11 - A Contribuição da Economia da Cooperação para o Desenvolvimento Econômico e Social do Rio Grande do Sul

José Antonio Valle Antunes Júnior; Carlos Henrique Horn; Ivan De Pellegrin, Ibes Eron Alves Vaz Artmed PDF Criptografado

11

A CONTRIBUIÇÃO DA ECONOMIA DA

COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO

ECONÔMICO E SOCIAL DO RIO GRANDE DO SUL

José Antonio Valle Antunes Júnior

Heitor José Cademartori Mendina

Luis Alberto da Silva Bairros

INTRODUÇÃO: ELEMENTOS

HISTÓRICOS E CONCEITUAIS

A palavra cooperação provém do latim cooperatione, que é um derivativo do verbo cooperari, composto de cum mais operari, que tem como significado trabalhar em conjunto, em prol do bem comum (PINHO, 2004). As maneiras de se realizar a cooperação remetem à origem da humanidade e, desde então, para mantê-la, importa reconhecer em um parceiro, a partir das interações anteriores, as características mais importantes nos momentos de relacionamento. Desta forma se pode afirmar que, filosoficamente, o homem, em sua gênese, traz consigo a arte de cooperar.

Wright (2000) aborda a questão quando menciona os kung sans, caçadores e coletores do deserto de Kalahari, na África, que viviam da caça de girafas e que, para sobreviver, tinham que rastreá-las, matá-las e consumir a carne antes que os predadores chegassem e os encontrassem. Para que isso fosse possível, necessitavam de cooperação, tendo em vista que, pelo seu porte, uma girafa oferece mais do que uma família consegue se alimentar, antes que a carne estrague. Se os caçadores de girafas vivessem em grupos do tamanho de famílias,

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos