1021 capítulos
Medium 9788582711453

Capítulo 5 - Infância interrompida (Caso Lara)

Gley P. Costa e colaboradores Grupo A PDF Criptografado

5

INFÂNCIA INTERROMPIDA

(Caso Lara)

Gley P. Costa

R ESUMO

Estudo sobre experiência traumática precoce e sobreadaptação, ilustrado com a descrição de um caso típico da clínica psicanalítica contemporânea, formada por pacientes narcisistas empobrecidos em suas atividades mentais fantasmáticas, carentes de subjetividade e com tendência a somatizações.

Até alguns anos atrás, a hipótese dos neurobiólogos era de que o desenvolvimento e o funcionamento do cérebro eram estabelecidos geneticamente.

Contudo, estudos mais recentes têm mostrado que a variedade dos estímulos ambientais é determinante no modo de formação das redes neuronais, cujas conexões são afetadas pelas experiências traumáticas, capazes de interferir no equilíbrio dos neurotransmissores, causando mudanças que podem aumentar a vulnerabilidade a transtornos psíquicos em etapas posteriores da vida (Bock; Braun, 1999).

A concepção de experiência traumática de Ferenczi (1988) se apoia em dois pilares freudianos: a teoria da sedução, ampliada para incluir a hostilidade e, também, o desvalimento (Hilflosigkeit)* infantil, que faz da criança um ser necessitado do amor e do cuidado de um adulto. O trauma se instala quando o adulto não cumpre com a função protetora e a situação pega a criança desprevenida, destruindo um sentimento prévio de confiança em si mesma e no ambiente. Como consequência, ela desenvolve um sentimento de insegurança que a leva a se submeter ao agressor e com ele se identificar, tendo em vista resgatar a ternura perdida. Contudo, embora o ataque ex-

Ver todos os capítulos
Medium 9788582710142

Capítulo 1 - Conceitos e teorias sobre o envelhecimento

Leandro Malloy-Diniz, Daniel Fuentes, Ramon M. Cosenza Grupo A PDF Criptografado

1

Conceitos e teorias sobre o envelhecimento

ANITA LIBERALESSO NERI

O objetivo da psicologia do envelhecimenvisão esquemática das teorias psicológicas to é estudar os padrões de mudança comdo envelhecimento. A denominação “clássiportamental associados ao avanço da idade, cas” foi adotada com referência às teo­rias de distinguindo aqueles que são típicos da veestágio da vida adulta e da velhice, que reslhice daqueles que são compartilhados por pondem ao modelo crescimento-culminânoutras idades. Os conceicia-contração e ao paratos e as teorias mais indigma de ciclos de vida.

O objetivo da psicologia do enfluentes na atualidade foForam clas­ sificadas desvelhecimento é estudar os padrões de mudança comportamental assoram construídos nos úlsa forma as teorias de esciados ao avanço da idade, distintimos 60 anos, período tágios de Bühler (1935), guindo aqueles que são típicos da em que também se obJung (1971), Kühlen velhice daqueles que são compartilhados por outras idades. servaram profundas mu(1964) e Levinson (1978), danças na temporalizaa teoria de tarefas evolução da vida humana e da velhice, graças ao tivas/da atividade (Havighurst, 1951; Havienvelhecimento populacional que se exghurst & Albrecht, 1953) e a teoria do afastapandiu para praticamente todo o mundo. mento (Cummings & Henry, 1961).

Ver todos os capítulos
Medium 9788582710142

Capítulo 18 - Avaliação da funcionalidade em idosos

Leandro Malloy-Diniz, Daniel Fuentes, Ramon M. Cosenza Grupo A PDF Criptografado

18

Avaliação da funcionalidade em idosos

FABRICIA QUINTÃO LOSCHIAVO-ALVARES

O envelhecimento, de forma geral, encontra-se associado a uma alta frequência de incapacidades, declínio cognitivo, hospitalizações e prejuízos funcionais (Mudge, O’Rourke, & Denaro, 2010). O referido quadro deve-se tanto à maior vulnerabilidade a doenças quanto ao declínio das funções orgânicas, estreitando-se, assim, o limiar entre saúde e doença, havendo

Infância e adolescência

maior predisposição ao comprometimento funcional (Fig. 18.1). A prevalência elevada de doenças crônicas nessa faixa etária contribuiu para a modificação da ênfase dos programas governamentais de saúde e previdência, anteriormente centrados em projetos de cura e sobrevivência, para os focados em melhora do estado funcional e do bem-estar (Paixão, & Reichenheim, 2005).

Vida adulta

Velhice

Função

Vulnerabilidade

Fatores externos

Comorbidades

Limiar de incapacidade

Ver todos os capítulos
Medium 9788536324531

Introdução

Maria Regina Fay de Azambuja, Maria Helena Mariante Ferreira Grupo A PDF Criptografado

INTRODUÇÃO

Maria Helena Mariante Ferreira

Maria Regina Fay de Azambuja

Cenas de violência fazem parte do dia a dia de todos nós. Geram medo e exigem medidas capazes de fazer frente ao problema. Não se trata de fenômeno novo, embora sejam relativamente recentes as pesquisas e os estudos voltados a conhecer suas causas e consequências. No Relatório

Mundial sobre Violência e Saúde, lançado em Bruxelas, em 3 de outubro de 2002, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta a violência como um dos maiores problemas de saúde pública do mundo, definindo­‑a como o uso intencional da força física ou do poder, real ou por ameaça, contra a própria pessoa, contra outra pessoa ou contra um grupo ou comunidade, que possa resultar ou tenha alta probabilidade de resultar em morte, lesão, dano psicológico, problemas de desenvolvimento ou privação de direitos.

Nesse sentido, conhecer e compreender as diversas manifestações de violência

é fundamental para pensar, planejar e executar ações e políticas públicas na área da prevenção.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580554595

Capítulo 14 | Teoria dos Fatores de Base Biológica de Eysenck

Jess Feist, Gregory J. Feist, Tomi-Ann Roberts Grupo A PDF Criptografado

CAPÍTULO 14

Teoria dos Fatores de Base

Biológica de Eysenck

♦ Panorama da teoria dos traços de base biológica

♦ Biografia de Hans J. Eysenck

♦ Teoria dos fatores de Eysenck

Critérios para a identificação dos fatores

Hierarquia da organização do comportamento

Eysenck

♦ Dimensões da personalidade

Extroversão

Neuroticismo

Psicoticismo

♦ Medindo a personalidade

♦ Bases biológicas da personalidade

♦ Personalidade como um preditor

♦ Pesquisa relacionada

A biologia dos traços de personalidade

♦ Críticas à teoria de base biológica de Eysenck

♦ Conceito de humanidade

♦ Termos-chave e conceitos

Personalidade e comportamento

Personalidade e doença

Feist_14.indd 270

27/10/14 15:14

TEORIAS DA PERSONALIDADE

A

caso e fortuidade com frequência desempenham um papel decisivo na vida das pessoas. Um evento casual desses aconteceu a um jovem alemão de 18 anos que deixou seu país natal em consequência da tirania nazista. Ele acabou se estabelecendo na Inglaterra, onde tentou ingressar na Universidade de Londres. Tratava-se de um leitor ávido, interessado em artes e ciências, mas sua primeira opção de currículo foi física.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos