4705 capítulos
Medium 9788520431245

18. Emergências na paciente grávida

Ana Paula Quilici Editora Manole PDF Criptografado

18

Emergências na paciente grávida

Karen Abrão

Introdução

A gestação constitui período de alterações anatômicas e fisiológicas que impactam todo o organismo feminino e podem interferir na resposta ao atendimento de emergências clínicas e traumáticas de qualquer natureza. O parto em si, apesar de se tratar de evento fisiológico, também pode envolver situações de risco à saúde da gestante e do bebê, cuja pronta assistência é essencial para salvaguardar a vida de mãe e filho, além de prevenir sequelas graves.1

Além disso, as emergências na gestante apresentam a particularidade de que as decisões tomadas devem levar em consideração o melhor interesse de dois indivíduos – mãe e feto –, o que muitas vezes constitui um dilema para o prestador da assistência.2

Felizmente, as pacientes grávidas, em sua grande maioria, são jovens, saudáveis e evitam expor-se a riscos desnecessários, o que faz as emergências clínicas e traumáticas tornarem-se menos comuns do que na população em geral.2 No entanto, apesar da baixa frequência de eventos e de se tratarem de pacientes jovens, as taxas de sobrevivência são baixas. Não há disponíveis dados nacionais a respeito; no entanto, estudos internacionais relatam taxa de sobrevivência menor que 7%.3

Ver todos os capítulos
Medium 9788597016086

11 - Reformas e transformações na Administração Pública

MATIAS-PEREIRA, José Grupo Gen PDF Criptografado

11

REFORMAS E TRANSFORMAÇÕES

NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

“Em termos gerais a função e atitude governamental tem pelo menos três aspectos complementares que servem para diferençar o governo de todas as demais instituições e atividades: largueza de objetivo, impacto e consideração; responsabilidade pública; caráter público. Nenhuma instituição não governamental tem a amplitude do governo.”

Paul H. Appleby (1945)

“A reforma e modernização do Estado, com a redefinição de suas relações com a sociedade,

é um processo eminentemente político.”

CLAD (1998)

INTRODUÇÃO

O debate sobre a democracia, ao longo do século XIX, se desenvolveu principalmente por meio do confronto entre liberalismo e socialismo. O ponto de partida para concepção liberal de Estado foi o discurso de Benjamim Constant sobre A liberdade dos antigos comparada com a dos modernos. Para ele, a liberdade dos modernos é a liberdade individual em sua relação com o Estado aquela liberdade de que são manifestações concretas as liberdades civis e política; enquanto a liberdade dos antigos, que se tornou impraticável e danosa, é a liberdade como participação direta na formação de leis pelas assembleias. Nesse contexto, foi se afirmando por meio dos escritores liberais que a única forma de democracia compatível com o

Ver todos os capítulos
Medium 9788521628118

PRIMEIRA SESSÃO - 2 - Lições dos Ajustes Fiscais na Europa

Vários autores Grupo Gen PDF Criptografado

2

Lições dos Ajustes

Fiscais na Europa

Francesco Giavazzi

Depois da visão geral de Caio sobre a crise europeia, dedicarei meus quinze minutos à análise de aspecto específico da crise – como reduzir as dívidas e os déficits.

Comecemos com um exemplo: a perda pela

Itália da confiança dos mercados, em dezembro de 2011, quando as taxas de juros dos bônus de longo prazo saltaram para 7 % e 7,5 % em poucas semanas. O país foi pressionado a reagir a essa perda de confiança dos mercados com a adoção de medidas fiscais muito rigorosas. Para tanto, mudou‑se o governo, e a nova administração promoveu forte correção fiscal – 3 % do PIB em cerca de um ano e meio, algo enorme. O ajuste consistiu

BachaEtAl_OC.indd 13

14/11/14 13:44

Estado da Economia Mundial: Desafios e Respostas

em aumento de impostos (80 %) e em redução de gastos (20 %).

Os resultados para a economia, que, em 2011, estava empacada em zero, foram uma contração de 2,5 % em 2012 e, provavelmente, outro retrocesso de 1,5 % ou 2 % em 2013. Em outras palavras, o desfecho macroeconômico da correção fiscal foi um desastre, que, infelizmente, teve consequências políticas. Nas eleições a serem realizadas na Itália em fevereiro de 2013, o principal slogan de um dos partidos políticos é “deixaremos o euro quando assumirmos o governo”. Este partido é o segundo mais popular depois da esquerda, representando cerca de 20 % do eleitorado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632313

7 - ASPECTOS FISCAIS DA PARTICIPAÇÃO DO GOVERNO NA ECONOMIA BRASILEIRA

Flávio Riani Grupo Gen PDF Criptografado

7

Aspectos Fiscais da

Participação do Governo na Economia Brasileira

INTRODUÇÃO

E

ste capítulo tem por objetivo fazer uma breve avaliação das estruturas fiscais implantadas no país em 1966 e em 1988, avaliar seus impactos sobre as receitas dos três níveis de governo, bem como fazer uma breve análise sobre a situação atual das finanças públicas no Brasil. Assim, a primeira parte preocupa-se em destacar os principais aspectos da reforma e da estrutura fiscal de 1966. Serão analisados sucintamente seus principais antecedentes, sua composição, bem como os principais estrangulamentos por ela apresentados. A parte seguinte aborda as principais mudanças ocorridas na estrutura tributária com a Constituição de 1988, as alterações e adaptações introduzidas nos períodos que a sucederam e seus reflexos sobre as receitas disponíveis às unidades de governo no Brasil. Por fim, é feita uma análise sobre os resultados fiscais do governo e a sua estrutura “intocável” de dívidas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553131242

9.6 PERDAS NA ALIENAÇÃO DE INVESTIMENTOS ORIUNDOS DE INCENTIVOS FISCAIS

Silvério das Neves, Paulo Viceconti Editora Saraiva PDF Criptografado

304

Contabilidade Avançada

9.5.2.1 Alterações da Lei no 12.973, de 2014

PARTICIPAÇÕES SOCIETÁRIAS – BALANÇO DE 31.12.20X1

N

Descrição

Valores R$

1

2

3

Valor da Participação Societária Avaliada pelo Custo de Aquisição ............

(±) Mais-Valia (Diferença de valor justo na avaliação do investimento) ......

(+) Ágio por Rentabilidade Futura (Goodwill) ...........................................

250.000,00

45.000,00

5.000,00

4

Valor Contábil da Participação Societária a ser baixada ...........................

300.000,00

o

Consulte a respeito o art. 184 da IN RFB no 1.700, de 2017.

Os registros contábeis e tributários são os estabelecidos pelo art. 31 do Decreto-Lei no 1.598, de 1977, com redação dada pela Lei no 12.973, de 2014. O leitor interessado poderá consultar os subitens 9.3.2 e 9.4.2 deste capítulo.

Nessa hipótese, caso a Participação Societária (avaliada pelo Custo de Aquisição) fosse alienada por R$ 300.000,00, não seria apurado ganho de capital contábil (Receita de R$ 300.000,00 –

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos