24042 capítulos
Medium 9788530981679

MARTIN HEIDEGGER E O ANTISSEMITISMO

João Ricardo Moderno Grupo Gen PDF Criptografado

MARTIN HEIDEGGER E O

ANTISSEMITISMO

Eu estudo Heidegger de maneira indisciplinada desde a década de

1970. E nunca gostei dele, mas é preciso ler, estudar, mesmo que de maneira episódica.

Desde os anos 1980, já não se podia mais separar o homem da obra. Até então, o que é que se dizia, como se diz ainda hoje? Ele aderiu ao nazismo, como vários outros, mas a obra está preservada.

E o que se sabe hoje, por todos os grandes especialistas do mundo, e principalmente por suas próprias obras “completas” publicadas em alemão, é exatamente o contrário. O que se sabe de mais grave

é sobretudo pelos próprios livros, conferências e artigos de Martin

Heidegger, que falam por si. Então, não é Heidegger “e” o antissemitismo o título deste texto, mas sim Heidegger “é” o antissemitismo.

Seu antissemitismo é ontológico.

Heidegger vem de uma geração em que os estudantes alemães impediam os estudantes judeus de participarem de várias atividades. Havia uma cultura antijudaica, que é anterior, obviamente, à ascensão de Hitler ao poder. Caso contrário, ele não teria chegado ao poder e jamais poderia ter sido praticada a política de extermínio.

Ver todos os capítulos
Medium 9788530981679

O PROBLEMA DE MARTIN HEIDEGGER E O CAMINHO DE HANNAH ARENDT

João Ricardo Moderno Grupo Gen PDF Criptografado

O PROBLEMA DE MARTIN HEIDEGGER E

O CAMINHO DE HANNAH ARENDT

Tomei a decisão de fazer esta palestra em termos coloquiais, não só porque não estamos em uma universidade, como também porque eu precisaria fazer digressões filosóficas para dar mais detalhes de natureza conceitual.

Esta palestra deve servir mais como um estímulo intelectual visando ao entendimento de uma época e, sobretudo, servir de maneira preventiva para não recairmos na barbárie, porque nós não podemos somente olhar para trás. É preciso entender o que hoje representa a “filosofia” do nacional-socialismo, como se apresenta e como pretende retomar um projeto mundial de dominação. Este projeto começa nas ideias, depois perpassa a economia e, finalmente, atinge as armas.

O problema de Heidegger e o caminho de Hannah Arendt. Eu poderia até fazer um jogo de palavras aqui e dizer que o problema de Heidegger tornou-se o problema de Hannah Arendt, e que o caminho de Hannah Arendt foi o caminho de Heidegger. Há uma terceira figura que transita entre os dois: casado com uma judia, um filósofo alemão, Karl Jaspers, uma figura de peso, uma figura eminente, orientador de tese de Hannah Arendt, e ao mesmo tempo um grande amigo de Heidegger, e que se afastou de Heidegger ao longo do tempo, à medida que Heidegger aderia formalmente ao partido em 1933 e se tornava um protagonista do nacional-socialismo na

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715512

Capítulo 21. Jogo dos Tronos: uma Canção de Gelo e Fogo, de George R. R. Martin

Táki Athanássios Cordás, Daniel Martins de Barros, Michele de Oliveira Gonzalez Grupo A PDF Criptografado

21

JOGO DOS TRONOS:

UMA CANÇÃO DE GELO E FOGO

DE

GEORGE R. R. MARTIN

Pedro Gomes Penteado Rosa

Sofia Barbieri de Senço

Considerado por muitos o “Tolkien moderno”, George R. R. Martin nasceu em 1948 na pequena cidade de Bayone, New Jersey, Estados Unidos. Filho de um estivador e o mais velho de três irmãos, desde a infância interessou-se por seriados de televisão com a temática sobrenatural, como The twilight zone. Ainda criança, começou a escrever contos fantásticos, que vendia aos colegas. Na adolescência, desenvolveu um interesse por xadrez, que praticava na escola. Nessa época, passou ainda a escrever histórias em quadrinhos, criando seus próprios super-heróis.

Sua paixão pela escrita continuou enquanto estava na Universidade

Northwestern, onde, em 1970, se formou com louvor em Jornalismo, vindo a concluir mestrado na mesma área no ano seguinte. Ainda em 1971, teve seu primeiro trabalho, um conto intitulado The hero, publicado na revista de ficção científica Galaxy.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520437308

E

Valdemar P. da Luz Editora Manole PDF Criptografado

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Z

Edital  Ato escrito oficial contendo aviso, determinação, notificação, citação ou intimação que se manda publicar por autoridade competente, no

órgão oficial ou em outros órgãos de imprensa, ou, ainda, que é afixado em lugares públicos, onde seja de fácil acesso e leitura. Podem ser objeto de edital concorrências públicas, leilões judiciais, hasta pública, abertura de concursos públicos, intimações, notificações, convocações e demais avisos que, por sua natureza, devem ter ampla divulgação.

Edital de hasta pública  Edital destinado a tornar pública a alienação de bens pertencentes ao devedor, no processo de execução, por meio de praça ou de leilão. O primeiro termo refere-se à alienação de bens imóveis; o segundo, de bens móveis. No processo de execução, não requerida a adjudicação e não realizada a alienação particular do bem penhorado, será expedido o edital de hasta pública. O edital será publicado somente uma vez, no jornal de maior circulação da cidade, fazendo-se referência às datas do primeiro e do segundo leilão, ou da primeira e da segunda praça, que terão um intervalo de 10 a 20 dias entre si (art. 686, CPC).

Ver todos os capítulos
Medium 9788573078015

E

David E. Zimerman Grupo A PDF Criptografado

E

E [BION]

Letra que na Grade de BION ocupa a fileira que designa o nível concepção na gênese da função de pensar. A concepção segue, na grade, à letra D que designa as pré-concepções e permite a passagem para a letra

E, que refere a formação de conceitos.

Econômico, ponto de vista [FREUD]

FREUD definiu a metapsicologia pela síntese de três pontos de vista: o tópico, o dinâmico e o econômico. Este último, seguindo as tendências das ciências da época, deveria levar em conta a quantidade de energia psíquica. Também deveria considerar, nas oposições a ela, a possibilidade de avaliar seu destino através de variações de intensidade, como acontece nos contra-investimentos, ou nas suas transformações, como sucede com a energia livre, própria do processo primário, quando é transformada em energia ligada, mais característica do processo secundário.

Igualmente, FREUD descreveu as perturbações da descarga libidinal que promovem as neuroses atuais. Também referiu que, levando em conta a tolerância de cada sujeito em particular, um afluxo excessivo de

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos