318 capítulos
Medium 9788502624115

4. O REGIME MILITAR

Rodrigo Goyena Soares Editora Saraiva PDF Criptografado

Questões do IRBr

261

Daniel Aarão Reis. In: História do Brasil Nação. Rio de Janeiro: Objetiva/MAPFRE, 2014, v. 5 (1964-2010), p. 23-4 (com adaptações).

Considerando o trecho de texto acima e o período histórico nele referido, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1. A política econômica do governo de Médici, baseada na firme condução pelo Estado, provocou um ciclo de grande crescimento econômico.

2. O projeto de desenvolvimento e industrialização, impulsionado pelo Estado, articulava capitais nacionais e estrangeiros; no plano político, o Ato Institucional n. 5 servia para reprimir as oposições.

3. Nesse período, o Brasil teve posturas de subordinação aos interesses comerciais dos países industrializados, apoiando as posições desses países nos fóruns internacionais em que se discutia o comércio internacional.

4. Houve a estatização da indústria cinematográfica, com a criação da empresa estatal

EMBRAFILME, que tinha o monopólio da produção e distribuição de filmes no

Ver todos os capítulos
Medium 9788502624115

4.2. O PROCESSO ECONÔMICO

Rodrigo Goyena Soares Editora Saraiva PDF Criptografado

162

– História do Brasil II

deputados do PT, malgrado as instruções para anular o voto, também se puseram do lado do

PMDB. Em 21 de abril de 1985, no entanto, reverteu-se o curso das eleições. Faleceu Tancredo em São Paulo, após uma série de intervenções cirúrgicas às quais foi submetido desde fevereiro de 1985. A posse, prevista para março, ocorreu, mas não sob os sapatos de Tancredo. Assumiu José Sarney, e houve quem visse nisso um retorno aos comandos da ARENA.

Os primeiros sinais da presidência de Sarney foram de ambiguidade política. Se, por um lado, dizia respeitar as liberdades públicas, por outro, manteve o repasse de verba pública para o SNI. Paralelamente, ampliou-se o direito ao voto para os analfabetos e legalizou-se o conjunto dos partidos nacionais, inclusive o PCB e o PC do B. Das eleições para o Congresso marcadas para novembro de 1986 surgiriam os parlamentares para a Assembleia Nacional

Constituinte. Em 1986, confirmou-se a maioria do PMDB tanto na Câmara quanto no Senado: das 487 cadeiras para a Câmara, o PMDB obteve 260, e das 49 para o Senado, 38.

Ver todos os capítulos
Medium 9788502624115

2.1. O PROCESSO POLÍTICO

Rodrigo Goyena Soares Editora Saraiva PDF Criptografado

78

– História do Brasil II f. O americanismo pragmático de Rio Branco nn III Conferência Pan-Americana do Rio de Janeiro, 1906: visita de Elihu Root.

Aproximação pragmática com os Estados Unidos. nn Conferência da Paz de Haia, 1907: distanciamento entre o Brasil e os Estados Unidos. g. Os sucessores do Barão nn Primeira Guerra Mundial: Brasil declara neutralidade inicial. Com entrada dos

Estados Unidos na guerra, pressões crescentes pela entrada do Brasil no conflito.

Nilo Peçanha declara guerra ao Eixo. nn Liga das Nações: estratégia de Arthur Bernardes resumida pelo bordão “vencer ou não perder”. Brasil pleiteava ser membro permanente do Conselho da Liga. Alemanha entra como membro permanente e toma o lugar pleiteado do Brasil, que sai da

Liga.

Historia_do_Brasil_II_015-288.indd 78

18/09/2015 15:20:51

2

A Er a Va rg as ( 19 3 0 -19 45 )

2.1.  O PROCESSO POLÍTICO

Quando Getúlio Vargas assumiu a presidência, em 10 de novembro de 1937, por intermédio de um golpe de Estado, punha fim, em suas próprias palavras

Ver todos os capítulos
Medium 9788502624115

3.2. O PROCESSO ECONÔMICO

Rodrigo Goyena Soares Editora Saraiva PDF Criptografado

128

– História do Brasil II

Se no Rio de Janeiro ouvia-se o lema “cunhado não é parente, Brizola presidente”, em

São Paulo os acontecimentos tomaram outro rumo. Em 19 de março de 1964, isto é, apenas seis dias após o I Comício da Central do Brasil, organizou-se a Marcha da família com Deus pela liberdade em explícita defesa ao pensamento ultraconservador. Estimou-se em 500 mil o número de pessoas que percorrem as ruas de São Paulo. Para os círculos castrenses, ficava claro que as ruas não estavam inteiramente com Goulart. Faltava um piparote para tirar os tanques das casernas. Em 24 de março de 1964, um punhado de marinheiros de baixa patente rebelou-se contra os oficiais de cúpula, ou pelo menos assim julgou o chefe do Estado-Maior do Exército, o general Castelo Branco. Exigiam-se aumentos salariais. João Goulart optou por substituir o ríspido Sílvio Mota, Ministro da Marinha, por Paulo Rodrigues, que contava com o apoio da GCT. Afinal, o levante dos marinheiros havia sido articulado no sindicato dos metalúrgicos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788502624115

1.7. RESUMO DO CAPÍTULO

Rodrigo Goyena Soares Editora Saraiva PDF Criptografado

74

– História do Brasil II

1.7.  RESUMO DO CAPÍTULO

1. A proclamação da República

A Constituição de 1891

Constituição de 1891

Constituição de 1824

�� Promulgada

�� Outorgada

�� Republicana

�� Monárquica

�� Federalista

�� Unitarista

�� Três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.

�� Quatro poderes: Poder Moderador, Executivo,

�� Estado laico

�� Padroado

�� Direitos políticos: homens maiores de 21

�� Direitos políticos: homens maiores de 25 anos

Legislativo e Judiciário.

anos, alfabetizados.

(com exceções), voto censitário.

A República das Espadas a. Deodoro da Fonseca 1889-1891 nn Governo provisório de 1889 a fevereiro de 1891. nn Governo constitucional de fevereiro de 1891 a novembro de 1891: eleições indiretas. b. Floriano Peixoto 1891-1894 nn Revolução Federalista 1893-1895. nn Revolta da Armada de 1893 a 1894.

2. A política dos Estados a. Entropia republicana: os anos Prudente de Morais nn Cisão entre jacobinos fluminenses e o Partido Republicano Paulista. nn Fim da Revolução Federalista. nn Guerra de Canudos. b. Rotinização do regime: de Campos Sales a Afonso Pena nn Para garantir a governabilidade do regime, a União conta com o apoio dos Estados, que articulam eleições para a Câmara de Deputados. Em troca, a União apoia os

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos