440 capítulos
Medium 9788553131129

3.3 Controle interno e seu relacionamento com a área de auditoria

Antonio de Loureiro Gil, Carlos Hideo Arima Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo 3

Controle interno e auditoria operacional e de sistemas

121

Analisando a extensão dessa definição, verifica-se a existência dos seguintes itens, aos quais o controle deve atender:

��

proteger os bens;

��

conferir a exatidão e a fidelidade dos dados contábeis;

��

promover a eficiência operacional;

��

estimular a obediência às diretrizes administrativas estabelecidas.

Tais itens possibilitam a determinação de diversos parâmetros de controle interno, permitindo o estabelecimento dos objetivos de desenvolvimento do trabalho da auditoria operacional e de sistemas.

3.3 Controle interno e seu relacionamento com a

área de auditoria

Conforme a natureza das especificações dos itens da definição de controle interno, e para permitir uma melhor identificação dos seus parâmetros, pode-se classificá-lo em dois subconjuntos:

��

controle interno contábil;

��

controle interno administrativo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553131129

1.3 Fundamentos da auditoria

Antonio de Loureiro Gil, Carlos Hideo Arima Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo 1

��

��

Auditoria da gestão: processo/produto

7

ser viabilizada com metodologia da gestão e sistema de informação gerencial; ser regida pela ideia de aposta no amanhã organizacional.

A mudança da mentalidade gerencial de executivos, gestores e profissionais especializados com convergência de suas práticas administrativas, financeiras, técnicas e operacionais baseadas no decálogo da decisão é o foco da gestão de pessoas.

A gestão de pessoas e a gestão do risco são o veio central da metodologia para a gestão de negócios: comportamento (CCM); risco (DEQ); problema (Swot); estratégia

(BSC); ação tática/projeto (PMBOK);2 meritocracia (BIN/marca própria) – o decálogo da decisão em ação.

A auditoria da gestão valida e propõe mudanças, via recomendação e opinião, para a conformidade, customização e inovação da metodologia para gestão de negócios por meio da metodologia para a auditoria de negócios: validação (AUD); comportamento (CCM); risco (DEQ); problema (Swot); estratégia (BSC); ação tática/projeto

Ver todos os capítulos
Medium 9788553131129

2.4 Técnicas e procedimentos que permitem contribuir com os trabalhos da auditoria

Antonio de Loureiro Gil, Carlos Hideo Arima Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo 2

Técnicas e procedimentos de auditoria

95

2.4 Técnicas e procedimentos que permitem contribuir com os trabalhos da auditoria

2.4.1 Técnica/procedimento 1

Nome: cumprir contratos

��

Objetivos

�� Atender ao conceito de controle interno com atendimento a stakeholders, clientes ou fornecedores.

�� Evitar processos judiciais com o direcionamento dos esforços ao core business.

�� Garantir melhor atendimento à vertente governança da qualidade da sustentabilidade.

�� Analisar cláusulas de contratos da perspectiva da variável contingência, incerteza, risco (cláusula contábil-financeira e técnico-operacional).

��

Breve descrição

�� Vigência de regulamentação específica para a elaboração e aceitação de contratos referentes ao processo/produto do negócio.

�� Contratos que contemplem cláusulas financeiras e, como complemento, o acordo de nível de serviços (service level agreement – SLA) com cláusulas técnico-operacionais.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553131129

1.8 Compliance e auditoria

Antonio de Loureiro Gil, Carlos Hideo Arima Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo 1

Auditoria da gestão: processo/produto

61

1.8 Compliance e auditoria

A vigência da área de compliance e de seus respectivos profissionais analistas de compliance nas organizações privadas ou governamentais é matéria relevante neste século XXI, em particular diante das ocorrências e da magnitude das fraudes, da corrupção e da conivência nos negócios com TI.

As responsabilidades imputadas a executivos e a pessoas jurídicas e respectivas penalidades financeiras, inclusive com prisões de profissionais da alta administração, traz como reflexo a criação da função analista de compliance, responsável pela estabilização do controle interno organizacional.

Dessa sorte, a função conformidade tem um novo elemento interveniente, o analista de compliance, o qual deve ser objeto de projetos de auditoria na perspectiva do cumprimento de normas, regulamentações, documentação de sistemas, contratos, legislação e demais instrumentos que formalizam as boas práticas de governança institucional.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553131129

1.5 Natureza da auditoria

Antonio de Loureiro Gil, Carlos Hideo Arima Editora Saraiva PDF Criptografado

14

Auditoria do negócio com TI: gestão e operação

A auditoria da vertente governança, qualidade, sustentabilidade, quando associada à vertente contingência, incerteza, risco e a problema, estratégia, projeto obriga a realização da viagem virtual no espaço/tempo gestional com o exercício da engenharia reversa de resultados/cenários futuros alternativos organizacionais

(projetados e simulados paralelos) – vide capítulo 3 do livro Gestão: controle interno, risco, auditoria,3 o que determina o diferencial competitivo das organizações de primeira linha.

A viagem virtual no espaço/tempo gestional objeto das três vertentes da auditoria é exercida via práticas inerentes à metodologia para gestão e à metodologia para auditoria da gestão.

A auditoria da gestão exercida via as três vertentes lógicas da auditoria

é mandatória para a continuidade organizacional.

O contexto lógico da auditoria da gestão, da auditoria operacional e da auditoria de TI, quando nos momentos gestão da auditoria, auditoria do núcleo expandido e auditoria do núcleo duro, é estruturado conforme o Quadro 1.4 e deve atender à vertente lógica da auditoria, como estudado.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos