113 capítulos
Medium 9788580553123

Capítulo 11 - Tecnologia computacional e a avaliação em sala de aula

Michael K. Russell, Peter W. Airasian Grupo A PDF Criptografado

capítulo

11

Tecnologia computacional e a avaliação em sala de aula

Tópicos-chave

Crescimento da tecnologia educacional

Computadores e o processo instrucional

Computadores são caixas de ferramentas

Computadores e planejamento da instrução

Avaliação inicial

Computadores e avaliação durante a instrução

Computadores e avaliação somativa

Avaliação em sala de aula: resumo

304

Russell & Airasian

OBJETIVOS DO CAPÍTULO

Após ler este capítulo, você poderá:

Descrever a evolução do uso do computador em sala de aula.

Fornecer exemplos de como os computadores são usados para auxiliar na instrução.

Identificar diversos usos dos computadores durante a avaliação inicial.

Descrever estratégias que os professores podem usar para coletar informações formativas sobre os alunos usando computadores.

Descrever como os computadores podem ser usados para tornar a avaliação somativa mais eficiente.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580553123

Capítulo 1 - A abrangência da avaliação em sala de aula

Michael K. Russell, Peter W. Airasian Grupo A PDF Criptografado

capítulo

1

A abrangência da avaliação em sala de aula

Tópicos-chave

A importância da avaliação*: como a avaliação mudou nos últimos anos?

Propósitos da avaliação em sala de aula

Fases da avaliação em sala de aula

Avaliação, provas, mensurações e análises

Três métodos gerais de coleta de dados: produtos dos alunos, observações e questionamento oral

Avaliações padronizadas e não padronizadas

Avaliações adequadas: válidas e confiáveis

Questões éticas e responsabilidades

* N. de T.: Tanto o termo evaluation quanto ao termo assessment podem ser traduzidos pelo termo “avaliação”, em português. Porém, esses dois termos da língua inglesa representam conceitos distintos em educação: evaluation refere-se à valoração de um curso ou programa, fundamentada em um ou mais critérios de desempenho; já assessment refere-se à tentativa de mensuração do desempenho do aluno por meio de instrumentos de verificação, como provas e trabalhos escolares. A fim de evitar confusão, optou-se por traduzir o termo assessment como “avaliação”, ao passo que evaluation ficou traduzido como “análise”.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577260379

Capítulo 16: Avaliação em sala de aula

John W. Santrock Grupo A PDF Criptografado

16

C A P Í T U L O

1 6

Avaliação em sala de aula

Chamo minhas avaliações de “oportunidades” que dão aos alunos uma maneira diferente de pensar sobre eles.

—Bert Moore

Psicólogo americano contemporâneo

Objetivos de aprendizagem

Tópicos do capítulo

A sala de aula como um contexto de avaliação

1

Discutir a sala de aula como um contexto de avaliação.

2

Proporcionar algumas diretrizes para elaboração de testes tradicionais.

3

Descrever alguns tipos de avaliações alternativas.

4

2

Construir uma abordagem sólida para a atribuição de notas.

5

2

Identificar alguns usos de computadores na avaliação.

A avaliação como parte integral do ensino

Tornando a avaliação compatível com visões contemporâneas de aprendizagem e motivação

Criando metas de aprendizagem claras e apropriadas

Estabelecendo avaliações de alta qualidade

Tendências atuais

Testes tradicionais

Ver todos os capítulos
Medium 9788580553123

Capítulo 4 - Avaliação formativa

Michael K. Russell, Peter W. Airasian Grupo A PDF Criptografado

capítulo

4

Avaliação formativa

Tópicos-chave

Avaliação informal durante a instrução

Validade e confiabilidade na avaliação instrucional

Atividades formais de avaliação formativa

Acomodações durante a instrução

98

Russell & Airasian

OBJETIVOS DO CAPÍTULO

Após ler este capítulo, você poderá:

Diferenciar avaliação de planejamento de avaliação instrucional.

Descrever o que os professores fazem ao longo da avaliação instrucional.

Explicar o uso de nível de tolerância e conhecimento prático.

Identificar problemas que influenciam a validade e a confiabilidade na avaliação instrucional.

Escrever ou fazer perguntas de nível mais alto ou mais baixo e perguntas convergentes e divergentes.

Citar estratégias para o questionamento efetivo.

Acomodar os alunos com deficiências durante a instrução e a avaliação instrucional.

PENSAR SOBRE ENSINAR

Quais são as atividades mais importantes para as quais o professor deve estar preparado durante a instrução?

Ver todos os capítulos
Medium 9788580553123

Capítulo 7 - Design universal para a avaliação

Michael K. Russell, Peter W. Airasian Grupo A PDF Criptografado

capítulo

7

Design universal para a avaliação

Tópicos-chave

Como as questões de prova funcionam

Acessibilidade

Design universal e avaliação

Diretrizes para redigir e criticar questões de prova

Aplicando provas

Design universal e acomodações para a prova

Avaliação em sala de aula

OBJETIVOS DO CAPÍTULO

Após ler este capítulo, você poderá:

Descrever como uma questão foi criada para mensurar uma habilidade ou conhecimento-alvo.

Identificar construtos pretendidos e não pretendidos.

Redigir questões de prova de alta qualidade.

165

Criar as condições adequadas para a aplicação das provas.

Aplicar os princípios do design universal para adquirir mensurações mais precisas da aprendizagem dos alunos.

Descrever de que modo uma questão de prova foi feita para mensurar uma habilidade ou conhecimento-alvo.

Criar acomodações que reduzam as barreiras entre o desempenho dos alunos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos