27 capítulos
Medium 9788597009026

4 - A Relevância da Governança na Gestão de Processos

ARAUJO, Luis César G. de; GARCIA, Adriana Amadeu; MARTINES, Simone Grupo Gen PDF Criptografado

4

A Relevância da Governança na

Gestão de Processos

O termo governança na gestão de processos é recente, entretanto os principais componentes deste tema, veremos adiante, são conhecidos, e na maioria das vezes mencionados separadamente, tanto nas definições de gestão organizacional quanto nas definições de processos. Nos próximos parágrafos, procuraremos abordar primeiramente, para melhor compreensão do tema, como a governança na gestão organizacional subsidiou a governança na gestão de processos e como contribuiu para a definição de sua estrutura, características e benefícios.

A governança ganha maior importância e torna-se imprescindível na gestão de processos quando falamos em organizações abertas. Nas organizações abertas, os processos estão conectados, tanto internamente – processos com processos da própria organização –, quanto externamente – processos com processos de outras organizações, neste caso envolvendo também clientes e fornecedores.

Para subsidiar o parágrafo anterior, podemos dizer que, em essência, trabalhar com processos em silos é transparente, sem maiores complicações ou segredos de integração. Como já mencionado anteriormente, é algo que vem acontecendo desde o século XX, onde temos um cenário relativamente conhecido, formado por verticais, apenas um contexto por vertical, apenas um objetivo na execução do processo e, o mais importante, as pessoas envolvidas na maioria das vezes seguem o mesmo interesse. Já quando relacionamos os processos horizontalmente, temos contextos diferentes, objetivos diferentes, e as pessoas envolvidas têm interesses diferentes. O papel da governança ganha importância justamente neste ponto, que tem sob este cenário a função de garantir a uniformidade dos interesses da

Ver todos os capítulos
Medium 9788597009026

6 - O Papel das Pessoas na Gestão de Processos

ARAUJO, Luis César G. de; GARCIA, Adriana Amadeu; MARTINES, Simone Grupo Gen PDF Criptografado

6

O Papel das Pessoas na

Gestão de Processos

Qualquer pessoa, mesmo as mais leigas no assunto, diria que se as organizações são formadas por pessoas o papel delas em qualquer circunstância é decisivo. Contudo, “decisivo” é uma classificação um tanto quanto abrangente que não ajuda muito a tomar decisões, principalmente com relação aos processos que ali ocorrem.

Sendo assim, ao buscar a melhor forma de apresentar o papel das pessoas na gestão de processos, não se pode esquecer que diante da realidade dos sistemas abertos, apresentados no primeiro capítulo, existem, segundo Burns e Stalker

(1961), duas formas de as organizações se relacionarem com o ambiente externo, como consta na Figura 6.1. São elas: mecânica e orgânica.

SISTEMAS FECHADOS

ORGANIZAÇÕES

MECÂNICA

SISTEMAS ABERTOS

ORGÂNICA

Figura 6.1  Tipos de organizações.

Na mecânica, consideramos o ambiente externo estável, de modo que qualquer mudança ocorre de forma gradativa e pode ser acompanhada pela organização sem maiores transtornos. Digamos que a organização mecanicista funciona, como sugere seu rótulo, de forma mecânica, rotineira, o que muito se assemelha

Ver todos os capítulos
Medium 9788597009026

2 - Processos

ARAUJO, Luis César G. de; GARCIA, Adriana Amadeu; MARTINES, Simone Grupo Gen PDF Criptografado

2

Processos

Sendo objetivo primordial desta obra trabalhar a gestão de processos, este capítulo tem o intuito de explicar não apenas a evolução das propostas de entendimento dos processos que compõem a organização, mas seu conceito, tipos e características fundamentais que contemplam este “personagem” fundamental no novo modelo de gestão ora abordado, para enfim trabalhar as técnicas de modelagem amplamente difundidas no mercado de trabalho e a proposta do escritório de processos, que reforça a complexidade deste modelo de gestão.

2.1 EVOLUÇÃO DAS PROPOSTAS

Difícil falar em processos sem falar em administração. Aliás, difícil mesmo

é falar em administração sem falar em Taylor, o pioneiro. Todavia, entenda que este tópico não pretende se aprofundar ou idolatrar pensadores e filósofos, mas sim mostrar como os processos evoluíram. E mais, como os estudos dos processos foram sendo refinados.

Que o princípio fundamental da administração é a divisão do trabalho e que para termos uma organização são necessárias duas pessoas, podendo dessa forma aplicar o princípio ora apresentado, ninguém discute. Contudo, ao tentar saber quando exatamente a administração começou na prática, poucos se arriscam a delimitá-lo, de modo que dificilmente conseguiríamos definir qual de fato foi o primeiro estudo que contribuiu para o tema processos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597009026

7 - Gestão da Mudança

ARAUJO, Luis César G. de; GARCIA, Adriana Amadeu; MARTINES, Simone Grupo Gen PDF Criptografado

7

Gestão da Mudança

A literatura direcionada a propostas de mudança organizacional mostra claramente a complexidade das dinâmicas do cotidiano dessas organizações. O mundo das organizações pouco mudou no século passado. Deixe-nos explicar:

é lógico que muito mudou, países se tornaram potências, outros perderam essa condição, outros desapareceram, as economias se agigantaram. Nossa referência nesta obra é a organização e a tecnologia utilizada para a busca da excelência.

Durante a primeira metade do século passado, predominou a tecnologia voltada essencialmente para o modo como as coisas eram feitas e a busca incessante da eliminação dos excessos e natural eficiência contínua; as ferramentas não eram pouco mais de meia dúzia. Assim, organogramas, manuais predominavam e, no caso brasileiro, havia a utilização dos fluxogramas, que eram gráficos de rotinas específicas. Aliás, da mesma forma os organogramas e manuais eram ferramentas de situações específicas. É bem verdade que alterações globais eram motivadas pelos organogramas e manuais e não se pode considerá-las específicas. Também

Ver todos os capítulos
Medium 9788522491261

6 Empresas Brasileiras e Demandas de Estruturação e de Ação Organizacional: Resultados de Pesquisa que Aponta Caminhos para os Próximos Tempos

ARAUJO, Luis César G. de Grupo Gen PDF Criptografado

6

Empresas Brasileiras e Demandas de

Estruturação e de Ação Organizacional:

Resultados de Pesquisa que Aponta Caminhos para os

Próximos Tempos

6.1 Preliminares

A realização da pesquisa sobre empresas brasileiras nasceu do desejo de saber, no campo de trabalho, das atuais demandas das empresas brasileiras e quais ações estariam sendo tomadas para enfrentar esse novo mundo dos negócios. As transformações são muitas e criaram novas demandas, forçando as empresas a buscar soluções para permanecerem lutando (e sobrevivendo) por posições de mercado mais tranquilizadoras.

As entrevistas foram longas (entre uma e duas horas e meia) e todos os entrevistados ocupam posição na administração superior. As questões fechadas foram poucas e serviram como aclimatação para as questões abertas. Essas questões proporcionaram ganhos para ambas as partes, entrevistados e entrevistadores.

6.2 Objetivo

Identificar, por meio de questionário/roteiro de entrevista, a forma pela qual

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos