9501 capítulos
Medium 9788520433270

Sumário

Juliana de Souza Azevedo Manole PDF Criptografado

sumár i o

Prólogo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . XI

Prefácio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . XIII

1. Água: estrutura química e molecular . . . . . . . . . . . . 1

2. A água e a ligação de hidrogênio . . . . . . . . . . . . . 27

3. Distribuição geográfica da água . . . . . . . . . . . . . . 43

4. Água e clima . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

5. Água e fontes de energia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79

6. Água e transporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91

7. Água na agropecuária . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99

8. Salvemos nossas águas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 103

Índice remissivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433270

Prólogo

Juliana de Souza Azevedo Manole PDF Criptografado

pr ólogo

É com otimismo que apresentamos o Volume III da Série “Curso de

Química para Engenharia”. O Volume I referiu-se à Energia, o II abordou Materiais e, agora, discutimos sobre Água.

Água é quase sinônimo de vida, uma vez que tem propriedades, distribuição e utilidades inúmeras e vitais. A água líquida não é simplesmente H2O, porque diversas associações entre as moléculas são formadas, determinando suas excepcionais propriedades, como os altíssimos pontos de fusão e ebulição.

As matérias cobertas abrangem diversos aspectos dos temas, que podem interessar a diferentes especialidades da engenharia. Quando pertinente, discutimos aspectos químicos. Esta Série não se enquadra em programas específicos de química de nenhuma instituição. Os tópicos escolhidos refletem nossa visão e nossa experiência nos temas de química de utilidade para o engenheiro. Abordamos igualmente os assuntos correlatos que completam a discussão, mesmo que não tenham relação direta com a química.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536533599

Apêndice A | Utilização do Software Zelio Soft 2

Claiton Moro Franchi, Valter Luís Arlindo de Camargo Editora Saraiva ePub Criptografado

Utilização do Software Zelio Soft 2

Para melhorar o aprendizado dos conteúdos abordados no livro, foi utilizado o software de edição de diagramas Zelio Soft 2, da Schneider Electric. Ele foi escolhido em razão da facilidade de uso, idioma disponível em português (Portugal), por ser gratuito, conter as principais linguagens de programação utilizadas no livro (Ladder, SFC e blocos) e possuir simulador.

Atenção!

O software pode ser obtido em <http://www.schneider-electric.com.br>. Para fazer o download, é necessário um cadastro na página e efetuar login.

Entrar no item Downloads  Produtos e serviços, selecione a categoria Módulo lógico programável – Zelio Logic e, depois, Assunto: Módulo Lógico Programável –Software Zelio Logic V5.3.

Após a instalação, inicie o software Zelio Soft 2, como ilustra a Figura A.1.

Figura A.1 Iniciar o software Zelio Soft 2.

Após abrir o software, aparecerá a tela da Figura A.2. Deve-se, então, clicar no ícone Criar um novo programa. Na tela seguinte, é feita a escolha do módulo a ser usado. Os aspectos que diferem os módulos são: tipo de fonte de alimentação (CC ou CA), número de entradas e saídas, tipos de entrada (analógicas ou digitais), display, entre outros.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536533599

Capítulo 3 | SENSORES E ATUADORES

Claiton Moro Franchi, Valter Luís Arlindo de Camargo Editora Saraiva ePub Criptografado

SENSORES E ATUADORES

3.1 INTRODUÇÃO

A indústria trabalha continuamente para desenvolver produtos com mais velocidade e menor custo. Pela automação de processos, é possível alcançar esses objetivos mantendo altos níveis de qualidade e confiabilidade. O uso de sensores e chaves para detecção de posição é fundamental para monitorar, regular e controlar a automação das máquinas envolvidas nos processos de fabricação.

Os sensores geralmente são aplicados para contagem, verificação de posição e seleção entre dimensões diferentes de peças, entre outras aplicações. Assim, é fundamental a escolha correta de um sensor para que a automação de um processo industrial possa funcionar corretamente. Os sensores para indicação de posição comumente utilizados são chaves fim de curso, indutivos, capacitivos, ópticos e ultrassônicos, descritos a seguir.

3.2 CHAVES

As chaves são componentes eletromecânicos usados para ligar, desligar ou direcionar a corrente elétrica, por meio de um acionamento mecânico manual ou automático. A chave de duas posições é um componente binário de circuito simples e fundamental, com uma entrada e uma saída.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536533599

Capítulo 11 | GRAFCET/SFC

Claiton Moro Franchi, Valter Luís Arlindo de Camargo Editora Saraiva ePub Criptografado

GRAFCET/SFC

O Grafcet surgiu em 1977 em um grupo de trabalho da Association Française pour la Cybernétique Economique et Technique (AFCET – Associação Francesa para a Cibernética Econômica e Técnica). E em junho de 1982, que foi criada a norma francesa UTE NF C 03-190 (diagrama funcional Grafcet para a descrição dos sistemas lógicos de comando).

A criação do Grafcet foi necessária, entre outros motivos, em razão das dificuldades para a descrição de processos com várias etapas simultâneas utilizando linguagens normais de programação (diagramas de fluxo e linguagens de uso corrente na informática).

Trata-se de uma técnica desenvolvida para a modelagem de sistemas sequenciais, inicialmente desenvolvida na França e conhecida como Graphe Fonctionnel de Commande Etape/Transition. Sua evolução e sua adoção em nível mundial resultaram em uma norma da Comissão Eletrotécnica Internacional denominada IEC 848. Posteriormente, foi criada uma linguagem com base no Grafcet, chamada de SFC (Sequential Function Chart – sequenciamento gráfico de funções).

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos