122972 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788553611577

14. São Paulo Poder Legislativo: a) Funções, organização e funcionamento; b) Atos parlamentares; c) Espécies normativas; d) Processo legislativo; e) Estatuto dos congressistas; f) Tribunalde Contas. Paraná Poder Legislativo. Estrutura, atribuições, funçõe

GOMES, Marcos Editora Saraiva PDF Criptografado

14. �São Paulo Poder Legislativo: a) Funções,

organização e funcio-

namento; b) Atos parlamentares; c) Espécies normativas; d)

Processo legislativo; e) Estatuto dos congressistas; f) Tribunal de Contas. Paraná Poder Legislativo. Estrutura, atribuições, funções, funcionamento. Congresso Nacional. Câmara dos Deputados e Senado Federal. Poder Legislativos estadual, municipal e distrital. Reuniões, comissões e sessões. Comissões parlamentares de inquérito. Processo legislativo. Procedimento legislativo. Espécies normativas. Estatuto dos congressistas. Fiscalização contábil, financeira e orçamentária.

Tribunal de Contas. Rio de Janeiro Processo legislativo. Repartição de competências

A partir deste ponto, são abordadas as normas constitucionais que disciplinam os três Poderes (funções) do Estado (Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário nos pontos 14, 15 e 16, respectivamente, deste livro), sendo possível perceber que os editais das Defensorias de São Paulo e Paraná buscam elencar as matérias de cada um destes pontos em consonância, basicamente, com o disposto no texto constitucional, com exceção do ponto 16 do edital da Defensoria paulista, que traz outros temas associados ao Poder Judiciário (como a “responsabilidade do Estado por atos jurisdicionais”, o “papel do tribunal constitucional na efetivação da Justiça” e as “políticas públicas e controle jurisdicional”, que serão examinados em momento oportuno).

Ver todos os capítulos
Medium 9788553611577

16. São Paulo Poder Judiciário: a) Funções, organização, competências e funcionamento; b) Estatuto da magistratura e seus princípios informativos; c) Garantias institucionais da função judicial; d) Precatórios; e) Jurisdição constitucional do SupremoTribu

GOMES, Marcos Editora Saraiva PDF Criptografado

Nesses dois casos, haverá um juízo prévio de admissibilidade da acusação, empreendido pela Câmara dos Deputados, que somente autorizará o julgamento do Presidente pelo voto de 2/3 de seus membros (art. 51, I, e art. 86, caput, ambos da Constituição Federal)274.

Se, depois de autorizado o julgamento pela Câmara, for recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal (no caso de crime comum) ou for instaurado o processo pelo Senado Federal (no caso de crime de responsabilidade), o Presidente da República ficará suspenso de suas funções, somente as retomando na hipótese do julgamento não se concluir no prazo de

180 dias, sem prejuízo, porém, do regular prosseguimento do processo (art. 86,

§ 1º, I e II, e § 2º, da Constituição Federal).

Ainda no plano constitucional sobre a matéria, merecem destaque duas normas constitucionais a respeito, respectivamente, da: a) prisão: tratando-se de crimes comuns, o Presidente da República não estará sujeito à prisão enquanto não sobrevier sentença condenatória

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531571

4 - Evolução dos Computadores

RAMOS, Luis Fernando Pizzarro Bueno Editora Saraiva PDF Criptografado

4

Evolução dos

Computadores

Para começar

Quem não utiliza um computador hoje em dia? Seja para fins pessoais ou profissionais, estamos sempre conectados. No Capítulo 4, vamos aprender sobre a história dos computadores, os primeiros sistemas desenvolvidos, até chegarmos às tecnologias atuais. Também vamos aprender sobre as Cinco Gerações que marcam a história da evolução dos computadores e os fatos mais importantes de cada uma delas.

4.1 História

A história da criação e desenvolvimento de computadores é longa. Esse tipo de máquina vem sendo desenvolvida e aprimorada desde a Idade Antiga, nos momentos em que os povos tinham a necessidade de realizar contagens cada vez mais complexas. Os métodos utilizados até então, como contar com pedras, não eram mais suficientes para atender às necessidades. Foi, então, pensado em um novo método de contagem, arquitetando-se novos dispositivos voltados à realização prática de cálculos maiores.

Nesse processo, surgiu o ábaco, na China, que consiste em um aparelho mecânico com hastes paralelas e pequenas esferas, as contas, utilizadas para realizar contagens. A posição de cada conta representava um número e, ao movimentá-las, cálculos de até 5 dígitos eram realizados. De acordo com as habilidades de quem o utilizava, os cálculos poderiam ser executados com grande rapidez.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531571

17 - Monitores de Vídeo

RAMOS, Luis Fernando Pizzarro Bueno Editora Saraiva PDF Criptografado

17

Monitores de Vídeo

Para começar

No Capítulo 17, vamos detalhar os tipos de monitores existentes no mercado e quais as melhores opções, de acordo com o propósito do usuário. Desde a TV de tubo até a TV em 3D, houve grande avanço tecnológico na área.

17.1 Introdução

Antigamente, os monitores de vídeos e televisores eram chamados de Catodic Ray Tube (CRT), ou seja, constituídos por um tudo de raios catódicos, desenvolvidos primeiramente em 1897. Tal estrutura fazia com que sua dimensão e peso fossem muito grandes.

Com a evolução da tecnologia, surgiram as telas de display de cristal líquido, chamadas de

Liquid Crystal Display (LCD) e as telas de plasma. Em seguida, sugiram as telas LED, as Organic

Light-Emitting Diode, (OLED) e as Active Matrix Organic Light-Emitting Diode (AMOLED). Veremos cada uma delas.

17.2 Tela LCD

As telas LCD trabalham com um material denominado cristal líquido. Esse cristal possui algumas características que fazem com que seu funcionamento haja como uma substância em estado líquido, embora ele não se trate de um componente líquido. A constituição dessas telas apresenta

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531489

9 - Negociação na Administração

BATISTA, Audrey Barretti Carvalho Editora Saraiva PDF Criptografado

9

Negociação na

Administração

Para começar

Este capítulo aborda a importância da negociação na área de Administração, explicita seu processo, variáveis e habilidades essenciais aos negociadores.

Para elaborar um estudo de técnicas de negociação é necessário que haja conhecimento prévio da arte de negociar. Hoje, a habilidade de negociar se tornou característica essencial e determinante de um profissional bem-sucedido.

A negociação não está presente somente nas organizações, ela faz parte do cotidiano de todas as pessoas, que a todo o momento negociam, mesmo que inconscientemente.

A técnica da negociação é uma das ferramentas mais valorizadas no mundo moderno, por conta da pressão que as empresas sofrem para se manterem relevantes no mercado cada dia mais competitivo.

Martinelli e Guisi (2009) afirmam que o termo negociação vem do latim negocium, palavra formada pela junção dos termos nec (nem, não) e ocium (ócio, repouso), que significa atividade difícil e trabalhosa. Segundo os mesmos autores apud Nierenberg (2009, p.15) o termo é definido como

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531489

1 - Introdução às Organizações

BATISTA, Audrey Barretti Carvalho Editora Saraiva PDF Criptografado

1

Introdução às

Organizações

Para começar

Neste capítulo é explicado o que é uma organização e seus tipos. Também é feito um breve relato da história delas.

É possível definir organizações como agrupamentos humanos com a finalidade de atingir objetivos específicos, comuns a todos os seus membros. De um modo geral, as organizações estão sempre em busca de inovações e estudando meios cada vez mais eficientes e eficazes para alcançarem seus objetivos com maior qualidade e menor custo.

As mudanças podem ocorrer por diversos fatores, por exemplo, por força da concorrência de mercado; pelas mudanças socioeconômicas; ou por terem atingidos seus objetivos e, assim, necessitarem de reformulações internas para continuarem na busca de novos resultados.

Os profissionais das áreas administrativas, independentemente de suas funções, exercem um papel importante no processo de mudança, uma vez que devem buscar planejar, organizar, orientar e disponibilizar informações de forma assertiva para auxiliar nos processos de tomada de decisões necessários em tempo oportuno.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531540

12 - Planejamento da Rede Logística

CASTIGLIONI, Bruno Paoleschi, José Antônio de Mattos Editora Saraiva PDF Criptografado

Planejamento da

Rede Logística

12

Para começar

Você vai aprender neste capítulo como o planejamento da rede logística é essencial para tornar a empresa mais competitiva e como ele proporciona a economia de escala na rede logística.

O planejamento e a configuração da rede logística de distribuição fazem parte do planejamento estratégico indispensável ao sucesso das empresas, implementando as estruturas administrativa, logística operacional e física, abrangendo o dimensionamento de instalações, a localização dos estoques e a definição da política de transporte mais adequada. Dessa forma, proporciona competitividade, atratividade e preços aos seus produtos. Um bom planejamento deve minimizar os custos da rede logística para atender as demandas e satisfazer certos limites de nível de serviço.

É assunto fundamental nos objetivos de uma empresa e prioritário nas tomadas de decisões por parte dos diretores das empresas, já que promove uma melhoria constante no serviço ao cliente e torna a empresa mais competitiva no mercado em que atua, principalmente pela economia de escala que proporciona.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531571

3 - Tipos de Hardware

RAMOS, Luis Fernando Pizzarro Bueno Editora Saraiva PDF Criptografado

3

Tipos de Hardware

Para começar

Quando falamos sobre arquitetura de computadores, principalmente equipamentos da linha PC, encontramos uma característica muito importante: ela é extensível, ou seja, permite a inclusão de novos componentes. No Capítulo 3, veremos todos os dispositivos de um computador e quais outros elementos podem ser acoplados ao computador que vem de fábrica. O objetivo de alterar configurações iniciais é sempre melhorar a performance.

3.1 Motherboard ou placa-mãe

A placa-mãe é o centro de comando do computador. Sendo a peça fundamental de um sistema computacional, pode ser considerada o coração e o cérebro. As capacidades dos sistemas são determinadas pelo tipo de placa utilizada. Os componentes de uma placa-mãe são: a)

Chipset: é o elemento responsável por determinar quais componentes, como memória e processadores, a placa-mãe pode utilizar. É a sua “inteligência”.

Modelos mais antigos do chipset podiam ser dividido em dois componentes, mas, atualmente, suas funções foram integradas em um mesmo chip. Dentro desse chip, encontram-se:

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531540

8 - Sistemas de Gerenciamento Logísticos e SCM

CASTIGLIONI, Bruno Paoleschi, José Antônio de Mattos Editora Saraiva PDF Criptografado

Sistemas de

Gerenciamento

Logísticos e SCM

8

Para começar

O objetivo deste capítulo é apresentar ao leitor os sistemas de gerenciamento. Também abordará como se deu o processo de revolução logística e o conceito de logística reversa no Brasil.

8.1 SCM como escopo da Logística

O Supply Chain Management (Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento) tem como principais funções a redução de custos operacionais, a melhoria da produtividade e a diminuição dos tempos de ciclo, fatos que fazem com que cada vez mais empresas busquem meios para sua implementação.

Apesar de começar a se desenvolver a partir do final de 1980, as empresas encontram dificuldades para implementá-lo devido às mudanças profundas que seriam necessárias para o seu sucesso.

As empresas que conseguiram se adaptar são hoje grandes exemplos de que o SCM, quando implantado com sucesso, só traz benefícios, entre os quais está aquele que toda a empresa almeja: a redução de custos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531489

2 - Profissionais de Administração

BATISTA, Audrey Barretti Carvalho Editora Saraiva PDF Criptografado

2

Profissionais de

Administração

Para começar

Neste capítulo são abordados diversos os aspectos relacionados ao profissional da Administração, como estatuto legal, perfil e atuação no mercado.

A área administrativa passou por diversas mudanças e por conta da introdução de novas tecnologias na área, alguns processos também se reestruturaram, como as formas de manter em ordem toda a documentação necessária aos processos administrativos e legais, a fim de se criar um sistema de informações adequado às exigências necessárias. Essas mudanças também refletem no processo de tomada de decisões e em todas as esferas da organização, o que corrobora para o seu sucesso.

O apoio administrativo, independentemente de suas atribuições e cargos, auxilia as organizações a cumprirem seu serviço principal, ou seja, sua atividade-fim (STYCER, 2008). Portanto, é correto afirmar que auxiliar ou assistente administrativo são nomes dados a todas as pessoas que de alguma forma auxiliam o desenvolvimento da atividade principal (atividade-fim) da organização.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531571

8 - Dispositivos de Armazenamento

RAMOS, Luis Fernando Pizzarro Bueno Editora Saraiva PDF Criptografado

8

Dispositivos de

Armazenamento

Para começar

Neste capítulo, veremos quais são os dispositivos de armazenamento disponíveis no mercado, com foco em suas características e aplicação. Estudaremos com atenção os modelos PATA, SATA,

SCSI, IDE e SAS.

8.1 Introdução

Dispositivos de armazenamento são responsáveis por, como diz o nome, armazenar informações e dados importantes para o bom desempenho de um computador. Tanto discos rígidos quanto outros dispositivos chamados de memória secundária (CD-ROM, Blu-ray) são utilizados para armazenar grandes volumes de informações.

As siglas PATA, SATA, SCSI e SAS relacionam-se a modelos distintos de conexão entre os dispositivos de armazenamento de um computador, ou seja, os discos rígidos e unidades de discos

ópticos. Tais modelos podem ser divididos de acordo com suas características, conforme será visto a seguir.

59

FUND_HARDWARE.indb 59

19/03/2018 11:18:43

8.2  Modelos PATA, SATA, SCSI, IDE e SAS

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531755

5 - Instrumentos de Medidas Elétricas

FILHO, Christovam Paschoal Editora Saraiva PDF Criptografado

5

Instrumentos de

Medidas Elétricas

Para começar

Este capítulo discorre sobre os principais instrumentos de medição utilizados na área elétrica.

5.1 Galvanômetro

O galvanômetro é um aparelho que, pela sua extrema sensibilidade, é capaz de detectar e medir correntes elétricas contínuas de pequena intensidade, que o atravessam.

É composto por uma agulha imantada, circundada por um enrolamento metálico chamado de bobina. Quando a corrente passa pela bobina, a agulha se desloca e indica o seu valor. Entretanto, isso só será objeto de estudo em Eletromagnetismo.

Quem criou o galvanômetro foi Hans Christian Oersted, físico e químico dinamarquês que, em homenagem ao médico e pesquisador italiano Luigi Galvani, batizou assim sua criação. Luigi

Galvani descobriu a força da eletricidade nos movimentos musculares.

O galvanômetro é extremamente sensível, danificando-se mesmo com correntes relativamente fracas, conforme Figura 5.1a. Entretanto, juntamente com outros componentes, faz parte dos instrumentos analógicos utilizados para medir corrente, tensão, potência, temperatura, nível sonoro em aparelhos de som e muitos outros.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531670

11 - Identificação de Saídas de Emergência e do Equipamento de Combate ao Incêndio

LIMA, Edson Roberto de; STOCO, Fernando; SILVA, José Jonathan Rodrigues da; SCHNOR, Maria Luisa; ARA, Pedro Editora Saraiva PDF Criptografado

Identificação de Saídas de

Emergência e do Equipamento de Combate ao

Incêndio

11

Para começar

Neste capítulo, veremos que cada Estado tem uma legislação específica para o bombeiro; nesse caso, será desenvolvido um estudo sobre a legislação do Estado de São Paulo.

A legislação do Corpo de Bombeiros determina que as edificações que se enquadram na Instrução Técnica n° 11 e no Decreto Estadual n° 46.076/01 sejam providas de Saídas de Emergência.

A Saída de Emergência deve atender aos requisitos de dimensionamento estabelecidos pela

Norma; como largura das escadas, portas e comprimento da rota de fuga. Ela não abrange somente a saída do prédio, mas também a rota de fuga. Devem ser observados os seguintes itens: a)

hall de acesso e acessos às escadas de emergência;

b)

rotas de saídas horizontais, quando houver, e respectivas portas ou espaço livre exterior nas edificações térreas;

c)

escadas ou rampas;

d)

Ver todos os capítulos
Medium 9788536531670

1 - Visão Geral

LIMA, Edson Roberto de; STOCO, Fernando; SILVA, José Jonathan Rodrigues da; SCHNOR, Maria Luisa; ARA, Pedro Editora Saraiva PDF Criptografado

1

Visão Geral

Para começar

Neste capítulo, veremos que o desenho técnico é uma forma de linguagem, assim como a fala e a escrita.

Com a criação de projetos cada vez mais complexos e para a materialização de novas ideias, foi necessária a utilização de uma ferramenta para converter os pensamentos em algo que todos pudessem entender e, assim, transformá-lo em realidade. O desenho técnico é a ferramenta extremamente importante para a criação de qualquer tipo de máquinas, equipamentos, estruturas etc.

Para que todo tipo de linguagem seja entendido por todos, é necessário existir regras comuns, os desenhos técnicos possuem normas brasileiras e internacionais, sendo todas muito parecidas, tornando possível a fácil compreensão de qualquer desenho técnico normatizado, feito em qualquer país, indiferentemente do idioma de origem. As normas referentes aos desenhos técnicos serão vistas e estudadas mais adiante.

1.1 Material necessário para criação de desenhos técnicos

Ver todos os capítulos
Medium 9788553611577

21. São Paulo Ordem social: a) Fundamentos e objetivos; b) Seguridade social; c) Educação, cultura e desporto; d) Comunicação social; e) Meio ambiente; f) Família, criança, adolescente e idoso; g) Índios; h) Pessoas com deficiência; i) A justiça social. P

GOMES, Marcos Editora Saraiva PDF Criptografado

b) Súmula Vinculante 50 (tornando vinculante a Súmula 669 do mesmo Tribunal): “Norma legal que altera o prazo de recolhimento da obrigação tributária não se sujeita ao princípio da anterioridade”. c) Súmula Vinculante 52 (tornando vinculante a Súmula 724 do mesmo Tribunal): “Ainda quando alugado a terceiros, permanece imune ao

IPTU o imóvel pertencente a qualquer das entidades referidas pelo art.

150, VI, c, da CF, desde que o valor dos aluguéis seja aplicado nas atividades para as quais tais entidades foram constituídas”.

20. �São Paulo Ordem

econômica e financeira: a)

Princípios gerais e

Atuação e posicionamento do Estado no domínio econômico; c) Das propriedades na ordem econômica; d) Política urbana: bases constitucionais do direito urbanístico; e) Política agrícola fundiária e reforma agrária; f) sistema financeiro nacional; g) A justiça social. Paraná Ordem econômica e financeira. Princípios gerais da atividade econômica. Política urbana. Política agrícola e fundiária e reforma agrária. Sistema financeiro nacional fins da ordem econômica; b)

Ver todos os capítulos

Carregar mais