89537 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788582715253

Leituras sugeridas

P. J. Fellows Grupo A PDF Criptografado

754   PARTE IV   Processamento pela remoção de calor getables, Allione Ricerca Agroalimentare, SpA, pp. 101109.

Torreggiani, D., Lucas, T., Raoult-Wack, A., 2000. The pre-treatment of fruits and vegetables. In: Kennedy, C. (Ed.),

Managing Frozen Foods. Woodhead Publishing, Cambridge, pp. 57-80.

Tortoe, C., 2010. A review of osmodehydration for food industry. African J. Food Sci. 4, 303-324.

Tosun, B.N., Yűcecan, S., 2008. Influence of commercial freezing and storage on vitamin C content of some vegetables. Int. J. Food Sci. Technol. 43, 316-321, http://dx.doi. org/10.1111/j.1365-2621.2006.01436.x

Veerkamp, C.H., 2001. Chilling and freezing of poultry and poultry products. In: Sun, D.-W. (Ed.), Advances in Food

Refrigeration. Leatherhead Publishing, LFRA, Leatherhead, Surrey, pp. 387-402.

Wang, J.-H., 2000. A comprehensive evaluation of the effects and mechanisms of antifreeze proteins during low- temperature preservation. Cryobiology. 41 (1), 1-9, http:// dx.doi.org/10.1006/cryo.2000.2265

Ver todos os capítulos
Medium 9788597017625

Parte I: 13 - Atribuições do Presidente do Tribunal do Júri

CAMPOS, Walfredo Cunha Grupo Gen PDF Criptografado

13

ATRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE DO TRIBUNAL DO JÚRI

As atribuições do presidente do Tribunal do Júri, segundo o art. 497 do CPP, são as abaixo comentadas. A secretaria dos trabalhos geralmente está a cargo do escrivão, mas pode funcionar, em seu lugar, um escrevente habilitado do cartório do Júri, não sendo caso de se arguir qualquer nulidade, pois a função deste último é justamente substituí-lo, nos seus impedimentos.1

1. Regular a polícia das sessões e prender os desobedientes, podendo requisitar o auxílio da força pública, que ficará sob sua exclusiva autoridade (art. 497, I e III, do CPP).

Ensina Firmino Whitaker:

“As medidas que o juiz pode pôr em prática para manter o prestígio do tribunal são de duas ordens: preventivas e repressivas. Preventivas, quando requisita a presença da força pública, veda a entrada de desordeiros e ébrios, ordena revista aos que porventura carregarem armas proibidas, etc. Repressivas, quando adverte, chama à ordem, impõe silêncio, expulsa, prende ou interrompe os trabalhos.”2

Ver todos os capítulos
Medium 9788547213558

PEÇA N. 24 – RECURSO ADESIVO

MAZZA, Alexandre Editora Saraiva PDF Criptografado

124

Administrativo #naprática

PEÇA N. 24 – RECURSO ADESIVO

Fundamento legal: art. 997 do CPC/2015.

Cabimento resumido: de acordo com o art. 997 do CPC/2015, sendo vencidos autor e réu (sucumbência recíproca), ao recurso interposto por qualquer deles poderá aderir a outra parte.

 ATENÇÃO:

na prova, somente interponha recurso adesivo se o enunciado expressa-

mente o solicitar.

Terminologia: Recorrente, Recorrido e interpor

Estrutura básica: duas peças: interposição ao juiz de primeira instância; razões com endereçamento tríplice. Fatos, direito e pedidos.

Pedidos: conhecimento e provimento do recurso.

PEÇA N. 25 – CONTRARRAZÕES EM RECURSO ADESIVO

Fundamento legal: art. 997 do CPC/2015.

Cabimento resumido: é a defesa do cliente quando o recurso adesivo for interposto pelo fisco.

Terminologia: Recorrido, Recorrente e apresentar

Estrutura básica: duas peças: interposição ao juiz de primeira instância; contrarrazões com endereçamento tríplice. Fatos, direito e pedidos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547228002

3.6. AÇÃO PÚBLICA CONDICIONADA À REPRESENTAÇÃO

REIS, Alexandre Cebrian Arapujo Editora Saraiva PDF Criptografado

Processo Penal – Parte Geral

Veja-se, sobre o tema, a docência de Afrânio Silva Jardim: “Ressalte-se, entretanto, que uma coisa é constatar a existência da prova do inquérito ou peças de informação e outra coisa é valorá-la, cotejá-la. É preciso deixar claro que a justa causa pressupõe um mínimo de lastro probatório, mas não prova cabal. É necessário que haja alguma prova, ainda que leve. Agora, se esta prova é boa ou ruim, isto já é questão pertinente ao exame do mérito da pretensão do autor...”, (Direito processual penal, 11. ed., Forense, p. 98).

Da decisão que rejeita a denúncia ou queixa cabe recurso em sentido estrito (art. 581, I, do CPP). Uma vez interposto tal recurso, o denunciado deve ser intimado para oferecer contrarrazões, sob pena de nulidade. Nesse sentido, a Súmula 707 do Supremo Tribunal Federal, que assim dispõe: “Constitui nulidade a falta de intimação do denunciado para oferecer contrarrazões ao recurso interposto da rejeição da denúncia, não a suprindo a nomeação de defensor dativo”.

Ver todos os capítulos
Medium 9788522482115

PARTE III — 12 Arranjo físico

Djalma De Pinho Rebouças de Oliveira Grupo Gen PDF Criptografado

12

Arranjo físico

“As ideias não se conservam.

É preciso fazer alguma coisa por elas.”

Alfred North Whitehead

12.1 INTRODUÇÃO

Principalmente pela evolução tecnológica aplicada nas empresas, o estudo de arranjo físico ou layout tem assimilado importância maior.

A preocupação principal neste capítulo é a abordagem dos aspectos básicos do arranjo físico nos escritórios, o que está de acordo com as atividades profissionais do analista de sistemas, organização e métodos.

O arranjo físico adequado proporciona para a empresa maior economia e produtividade, com base na boa disposição dos instrumentos de trabalho e por meio da utilização otimizada dos equipamentos de trabalho e do fator humano alocado no sistema considerado.

O arranjo físico apresenta um dinamismo correlacionado à evolução dos sistemas, bem como ao aprimoramento técnico-profissional dos funcionários alocados no sistema considerado. Portanto, representa um assunto para o qual o analista de sistemas, organização e métodos deve proporcionar forte atenção.

Ver todos os capítulos
Medium 9788530983932

PARTE III – Capítulo XXXIII – Petição de Juntada

KNIPPEL, Edson Luz Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo XXXIII

Petição de Juntada

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ...ª VARA

CRIMINAL DA COMARCA DE...

[ou]

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ...ª VARA DO

JÚRI DA COMARCA DE...

[Crimes dolosos contra a vida, consumados ou tentados, e os que lhe são conexos]

[ou]

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA ...ª VARA CRIMINAL

DA JUSTIÇA FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE...

[Crimes de competência da Justiça Federal – artigo 109 da

Constituição Federal]

[Ou ao juízo no qual tramita o feito]

[Espaço de dez linhas]

Autos n.º...

[Espaço de uma linha]

“A”, já qualificado nos autos em epígrafe, por intermédio de seu advogado, vem à presença de Vossa Excelência requerer a juntada [dos documentos, das razões, das contrarrazões etc.] anexas.

[Espaço de uma linha]

Termos em que, pede deferimento.

Pratica_Penal_8ed.indb 383

17/12/2018 08:23:16

Ver todos os capítulos
Medium 9788582601556

Capítulo 8 - Implantação de uma rede WPA-Enterprise com certificados

Wrightson, Tyler Grupo A PDF Criptografado

CAPÍTULO 8

Implantação de uma rede WPA-Enterprise com certificados

189

Neste capítulo, veremos

• Configuração da autoridade certificadora

• Configuração do servidor RADIUS

• Configuração do ponto de acesso sem fio

N

este capítulo, implementaremos a arquitetura abordada no capítulo anterior.

Isso inclui a implementação de todas as tecnologias necessárias para darmos suporte a essa rede. O único pré-requisito é termos um domínio do Active Directory em funcionamento.

Começaremos implantando nossa autoridade certificadora empresarial. Em nosso exemplo, instalaremos o serviço no controlador de domínio, mas o processo é idêntico a se estivéssemos instalando em um servidor autônomo que fizesse parte do domínio. Em seguida, configuraremos modelos de certificados e selecionaremos os grupos que têm permissão para se registrar automaticamente e obter certificados. Depois, obteremos o certificado da CA no computador cliente e o certificado do usuário para autenticação.

Passaremos, então, para a instalação do servidor RADIUS e sua configuração para aceitar solicitações de autenticação de nossos pontos de acesso. Feito isso, configuraremos nossos pontos de acesso para autenticar usuários no servidor RADIUS e testaremos a autenticação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547223519

17.12. ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA EM GARANTIA

CHAGAS, Edilson Enedino das Editora Saraiva PDF Criptografado

17

Contratos Bancários

679

alienação fiduciária), especificando que aquele procedimento também se aplicará aos casos de “reintegração de posse de veículos referente às operações de arrenda­ mento mercantil previstas na Lei n. 6.099, de 12 de setembro de 1974” (art. 3º, § 15, do DL 911/69).

JJ 17.11.4. Esquema

CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL (LEASING)

CONCEITO

PARTES

EXEMPLO

CARACTERÍSTICAS

Contrato complexo para locação de bens duráveis propiciadores da atividade empresarial do arrendado ou como serviço de financiamento para aquisição de bens.

JJ

JJ

Arrendante (somente Pessoa Jurídica) e Arrendatário (Pessoa Jurídica ou Pessoa Física).

Universitário que, ao adquirir carro zero quilômetro, opte por financiar o saldo devedor por meio do contrato de arrendamento mercantil.

JJ

JJ

Contrato de adesão, bilateral, oneroso e de execução continuada.

STJ — Súmula 138 — O ISS incide sobre a operação de arrendamento mercantil de coisas móveis.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715291

Gabapentina

Stephen M. Stahl Grupo A PDF Criptografado

GABAPENTINA

TERAPÊUTICA

Marcas �• Neurontin

• Horizant

Genérico? 

Sim (não para liberação

prolongada)

• Ainda não está claro se tem efeitos de estabilização do humor no transtorno bipolar ou ações antineurálgicas na dor neuropática crônica, mas alguns pacientes podem responder e, nesse caso, são esperados efeitos clínicos em 2 semanas, embora possa levar várias semanas até meses para otimizar

Se funcionar

Classe

• Nomenclatura baseada na neurociência: bloqueador dos canais de cálcio dependentes de voltagem do glutamato (BC-Glu)

• Anticonvulsivante, antineurálgico para dor crônica, ligante de delta alfa-2 nos canais de cálcio sensíveis à voltagem

Comumente prescrita para

(em negrito, as aprovações da FDA)

• Convulsões parciais com ou sem generalização secundária (adjunto)

• Neuralgia pós-herpética

• Síndrome das pernas inquietas (liberação prolongada)

• Dor neuropática/dor crônica

Ver todos os capítulos
Medium 9788553607426

18. Suspensão condicional do processo

ALMEIDA, Fabricio Bolzan de Editora Saraiva PDF Criptografado

556

Legislação penal especial Andreucci

– Conflito conhecido para declarar a competência do Juízo Federal da Segunda Vara de Uruguaiana/RS” (STJ – CC 39.055/RS – Rel. Min. Paulo Medina – 3ª S. – j. 23-2-2005 – DJ, 11-4-2005, p. 176).

“CONFLITO DE COMPETÊNCIA. PENAL. CRIME CONTRA A FAUNA. PESCA PREDATÓRIA MEDIANTE A UTILIZAÇÃO DE PETRECHOS PROIBIDOS. AUSÊNCIA DE LESÃO A BENS,

SERVIÇOS OU INTERESSES DA UNIÃO. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ESTADUAL.

1. A partir do cancelamento do enunciado n. 91 da súmula desta Corte, a competência da Justiça

Federal restringe-se aos casos em que os crimes ambientais foram perpetrados em detrimento de bens, serviços ou interesses da União, suas autarquias ou empresas públicas.

2. O crime do caso ‘sub examine’ não se amolda às hipóteses que justificam a fixação da competência na Justiça Federal.

3. Conflito de competência conhecido para declarar competente para processar e julgar o feito o

Juízo de Direito do Juizado Especial Criminal de Rio Grande/RS” (STJ – CComp 36.594/RS – Rel.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527716109

35 Blastomicose

Zaitz, Clarisse Grupo Gen PDF Criptografado

35

Blastomicose

Sílvio Alencar Marques

IēęėĔĉĚİģĔ

Blastomicose é infecção aguda ou crônica causada pelo Blastomyces dermatitidis, um fungo dimórfico capaz de provocar doença no homem e em animais. É enfermidade endêmica de regiões específicas dos Estados

Unidos e do Canadá, mas também diagnosticada nas Américas Central e do Sul, África e

Ásia.2,11,14,25 Como sinonímias, são utilizadas as denominações blastomicose norte-americana e doença de Gilchrist.

HĎĘęŘėĎĈĔ

A enfermidade foi descrita em 1894 por Gilchrist, a partir da observação de paciente com lesão cutânea.17 Em 1896, Gilchrist e Stokes relataram o segundo caso clínico, cultivaram o agente causal à temperatura ambiente e o denominaram Blastomyces dermatitidis.18 Em

1907, demonstrou-se o dimorfismo térmico do

B. dermatitidis.20 Até 1951, acreditava-se que a blastomicose teria um padrão clínico dis-

35-Clarisse.indd 323

tinto caso a infecção fosse pulmonar e outro padrão caso o inóculo primário fosse cutâneo, mas Schwartz e Baum demonstraram que, com frequência, os quadros cutâneos crônicos apresentavam lesão pulmonar concomitante ou precedente e que todos os casos de blastomicose tinham origem nos pulmões, à semelhança das demais micoses sistêmicas.32 Em

Ver todos os capítulos
Medium 9788582605196

Termos-chave

Ramesh Sharda, Dursun Delen, Efraim Turban Grupo A PDF Criptografado

218  BI e análise de dados para gestão do negócio leque de ferramentas de ETL e análise no ambiente de armazenamento de dados.

• Tecnologias de ETL recuperam dados de muitas fontes, limpam-nos e carregam-nos em data warehouse. O ETL é um processo integral de qualquer projeto centrado em dados.

• O armazenamento de dados em tempo real ou ativo suplementa e amplia o armazenamento

de dados tradicional, passando para a arena de decisões operacionais e táticas ao carregar dados em tempo real e fornecer dados aos usuários para tomada de decisões ativas.

• A segurança e a privacidade de dados e informações são as principais preocupações de um profissional de data warehouse.

Termos-chave administrador de data warehouse (DWA) armazenamento de dados em tempo real (RDW) aumentar o foco balanced scorecard

(BSC) cubo data mart (DM) data mart dependente data mart independente

data warehouse (DW) data warehouse empresariais (EDW) depósitos de dados operacionais (ODS)

Ver todos os capítulos
Medium 9788547208509

VII Ilicitude ou antijuridicidade

PUCCINELLI JUNIOR, André Editora Saraiva PDF Criptografado

VII

Ilicitude ou antijuridicidade

1. Introdução

De introito é importante elucidar que existe na doutrina divergência acerca de qual expressão seria a correta ou a mais correta de se empregar, ilicitude ou antijuridicidade. O fato é que nenhuma das duas traduz com a exatidão técnica desejada a expressão alemã Rechtwidrigkeit. De somenos importância, no entanto, é tal discussão, que traz nenhuma ou pouca consequência prática para o

Direito Penal brasileiro. Não obstante a isso, para não ficarmos repetindo os dois signos, ilicitude e antijuridicidade, todas as vezes que falarmos nesse instituto utilizaremos o primeiro, por ter sido a opção do legislador no Código Penal ao empregar, por exemplo, no artigo 23, a expressão: “Exclusão de ilicitude”.

Ao que nos importa, já vimos antes que o crime é fato típico, ilícito e culpável (divisão tricotômica) ou, pelo menos, fato típico e ilícito (divisão dicotômica). Em qualquer hipótese, portanto, a ilicitude é elemento indispensável do crime e sem ela não há o próprio crime.

Ver todos os capítulos
Medium 9788565848442

Capítulo 25 - A cidade no currículo e o currículo na cidade

José Gimeno Sacristán Grupo A PDF Criptografado

25 A cidade no currículo

e o currículo na cidade

Jaume Martínez Bonafé

Universidade de Valência

[...] não falo sobre a cidade, mas daquilo que através dela nos convertemos. (Rainer-Maria

Rilke, Diário Florentino)

N

ão podemos pensar na cidade sem pensar no sujeito que nela habita, no sujeito que a interpreta, que nela vive ou sobrevive. A cidade é uma forma material da cultura, um complexo dispositivo cultural, de onde emergem mensagens, significados, onde se constroem e destroem experiências, de onde se alimentam os relatos, as narrativas, onde se formam e transformam as biografias. O que se pretende, neste texto, é estudar a cidade como projeto e experiência didática; estudar a cidade como currículo, ou seja, como “texto” que penetra a experiência de subjetivação nos diferentes programas educacionais dos quais o sujeito participa ao longo da vida. A cidade é currículo, território semeado por velhos e novos alfabetismos. O sujeito habita a cidade e é habitado por ela. O currículo habita o sujeito e é habitado por ele.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547223663

10.7 Estrutura da Peça Processual de Recurso Ordinário em Dissídio Coletivo

REDINZ, Marco Antonio Editora Saraiva PDF Criptografado

282

PASSO A PASSO PARA ELABORAÇÃO DE PETIÇÕES TRABALHISTAS

pagamento do adicional de insalubridade, com a extinção do processo sem reso‑ lução do mérito, neste particular, bem como deverá ser excluído o reconhecimen‑ to do vínculo de emprego no período pretendido pelo Recorrido.

Consequentemente, deve ser julgada improcedente a pretensão do Reclaman‑ te ao pagamento das férias vencidas de 2010/2011 e de 2011/2012, do décimo ter‑ ceiro salário integral de 2010 e de 2011, do décimo terceiro salário proporcional de

2012, além do adicional de periculosidade e dos depósitos fundiários.

8º Passo

Desfecho de praxe: requerimentos, local, data e assinatura do advogado.

Nesses termos, pede deferimento.

Local..., data...

Advogado OAB/... n. ...

Dicas

O recurso ordinário tem muita semelhança com a contestação. No entanto, a contestação tem como objetivo impugnar ou refutar as pretensões do autor, enquanto o recurso ordi‑ nário busca a reforma total ou em parte da sentença de primeiro grau.

Ver todos os capítulos

Carregar mais