119670 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788547228453

1.5 Idade Contemporânea

LUDOVICO, Nelson Editora Saraiva PDF Criptografado

4

Logística internacional

1.3 Idade Média

O destaque deste período foi Constantinopla, principal núcleo do desenvolvimento do comércio entre o Oriente e o Ocidente, e Veneza e Gênova, rivais no Mediterrâneo que também conseguiram notável desenvolvimento no comércio exterior. Pode-se afirmar que nesse período ocorreu a consolidação das normas relativas ao comércio marítimo, com o ordenamento sistêmico de usos, costumes e tradições.

1.4 Idade Moderna

Nesse período, desenvolveu-se um novo ciclo histórico de comércio: o mercantilismo.

As invenções, os descobrimentos marítimos, a centralização monárquica e a reforma religiosa foram, praticamente, os responsáveis pela criação do mercantilismo, que moldou o pensamento econômico entre 1500 e 1750, haja vista que Portugal e Espanha tornaram-se, com suas descobertas, os grandes empórios do comércio internacional.

Outro fator importante das grandes descobertas, os gêneros alimentícios apareceram em abundância a custo baixo, o que também aconteceu com matérias-primas para fabricação de bens de utilidades variadas, abrindo, consequentemente, novos mercados.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547213572

Capítulo XVI - Locação de Coisas

LOBO, Paulo Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo XVI

Locação de Coisas

Sumário: 16.1. Características da locação de coisas. 16.2. Coisas e os tipos de locação. 16.3. Posse e uso pelo locatário. 16.4. Aluguel. 16.5. Direitos e deveres do locador. 16.6. Direitos e deveres do locatário. 16.7. Alienação da coisa locada. 16.8. Sublocação e cessão. 16.9. Extinção da locação. 16.10. Locação de imóveis urbanos.

16.1. Características da Locação de Coisas

A locação de coisas é o contrato mediante o qual uma pessoa (locador) entrega uma coisa para uso temporário de outra (locatário), tendo esta o dever de contraprestação pecuniária relativa a cada período de uso ajustado. São suas características: a natureza consensual do contrato, a temporariedade, a entrega da coisa, a periodicidade do aluguel, o exercício da posse pelo locatário, a devolução da coisa. Para Karl Larenz (1958, p. 194), a locação de coisas assumiu na vida moderna uma função social e econômica que quase alcança à da compra e venda. Por força do CC, art. 2.036, a locação de imóvel urbano, residencial e não residencial, é regida por lei especial (Lei n. 8.245/91).

Ver todos os capítulos
Medium 9788520428641

9 – A organização na perspectiva contingencial

CHIAVENATO, Idalberto Editora Manole PDF Criptografado

Capítulo

9

A organização na perspectiva contingencial

Tópicos deste capítulo a Organizações mecanísticas e organizações orgânicas a Ambiente a Tecnologia a As organizações e seus níveis a Desenho organizacional a Implicações da perspectiva contingencial

A perspectiva contingencial apresenta forte ênfase no ambiente e na sua poderosa influência sobre as organizações. Não há nada de absoluto nas organizações ou na TO. Tudo é relativo e tudo depende. As variáveis ambientais são variáveis independentes, enquanto as variáveis organizacionais são dependentes dentro de uma relação funcional do tipo “se... então”. Mas a organização é ativa e não passivamente dependente. Ela reage às mudanças externas ao mesmo tempo em que cria outras mudanças no ambiente. Assim, há um aspecto proativo e não apenas reativo na perspectiva contingencial.

A perspectiva contingencial foi fruto de pesquisas que mostraram como as organizações funcionam em diferentes condições ambientais, que são ditadas de fora da organização e que envolvem ameaças ou oportunidades. Percebeu-se que diferentes estruturas organizacionais são ne-

Ver todos os capítulos
Medium 9788580556148

Capítulo 50 - Fluxo de água e motilidade gastrintestinal, êmese e doenças biliares e pancreáticas

Laurence L. Brunton PhD; Randa Hilal-Dandan PhD; Björn C. Knollmann, MD, PhD Grupo A PDF Criptografado

Capítulo

50

Fluxo de água e motilidade gastrintestinal, êmese e doenças biliares e pancreáticas

Keith A. Sharkey e Wallace K. MacNaughton

Motilidade gastrintestinal

Fármacos antidiarreicos

��Geração e regulação da atividade motora do trato GI

��Diarreia: princípios gerais e abordagem terapêutica

��Acoplamento excitação-contração na musculatura lisa do trato GI

Distúrbios da função e da motilidade intestinais

FÁRMACOS procinéticos e outros estimulantes da motilidade GI

��Antagonistas dos receptores da dopamina

��Agonistas dos receptores da serotonina

��Motilina e antibióticos macrolídeos

��Fármacos que estimulam a motilidade

��Fármacos que suprimem a motilidade

Laxantes, catárticos e tratamento da constipação

��Visão geral dos fluxos de água e eletrólitos no trato GI

Síndrome do intestino irritável

��Alosetrona

��Eluxadolina

��Rifaximina

��Antiespasmódicos

Ver todos os capítulos
Medium 9788553604791

2. KARL MARX E O SOCIALISMO CIENTÍFICO

MALUF, Sahid Editora Saraiva PDF Criptografado

SOCIALISMO

379

exercidos por duas minorias organizadas, formam o conjunto da classe dirigente. Não obstante, como filósofo, e dos mais profundos, formulou a concepção da sociedade como um ser coletivo, sujeito às leis psicológicas do desenvolvimento progressivo, estabelecendo uma série de princípios doutrinários dos quais os seus discípulos deduziram as consequências socialistas. As ideias fundamentais da escola sansimonista tanto influíram nos sistemas doutrinários­de Augusto Comte e Herbert Spencer como no sistema de Karl Marx. O sansimonismo, no campo socioeconômico, é considerado atualmente como expressão básica do moderno socialismo democrático.

2. KARL MARX E O SOCIALISMO CIENTÍFICO

O socialismo científico tem como principal expoente Karl Marx, tanto que se identifica com a denominação de marxismo.

Karl Marx (1818-1883) nasceu em Trèves, na Prússia, Alemanha, em

5 de maio de 1818. Era de descendência israelita, e seu nome de família, que era Mardoche, mudou-se para Marx quando seus pais se converteram ao protestantismo. Frequentou a Universidade de Bonn e mais tarde a de

Ver todos os capítulos
Medium 9788520435755

Fim do mundo

LAPOUGE, Gilles Editora Manole PDF Criptografado

160

Dicionário dos apaixonados pelo Brasil

ravilhosa vitória, a favela do Morro dos Macacos foi atacada por um bando que queria tomar o poder. As pessoas se esconderam durante toda a noite. A polícia tentou entrar na favela. Para barrar o acesso, pneus foram incendiados. Um helicóptero sobrevoou o campo de batalha. Às dez horas, ele foi derrubado. Dois policiais morreram. Sete ônibus foram queimados.

Essas cenas de guerra civil aconteceram a dez quilômetros de um dos estádios onde se desenrolarão as competições de 2016. Vozes se levantaram para lamentar que o Brasil tenha se lançado em uma aventura tão incerta. O Rio de Janeiro é uma das cidades mais perigosas do mundo. A Olimpíada vai atrair milhões de visitantes brasileiros e estrangeiros. Como garantir a sua segurança se as favelas enlouquecerem? As autoridades brasileiras acalmam o jogo. E dizem: “Isso não é um problema!”. Elas mesmas se lançaram um desafio. E irão vencê-lo. Os mais otimistas proclamam que a Olimpíada vai ajudar a reduzir o flagelo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788520433409

7. Estudos de caso

WEARING, Stephen; NEIL, John Editora Manole PDF Criptografado

7

Estudos de caso

Conteúdo

Estudo de caso 1. Trekking na Trilha Kokoda, em

Papua Nova Guiné (PNG): aumentando a capacidade de decisão das comunidades Kokoda

História

Turismo e a Papua Nova Guiné (PNG)

■■

Trekking e o envolvimento das comunidades

■■

Estratégia de trekking

■■

Planejando o desenvolvimento de trekking

Estudo de caso 2. Os carregadores e a indústria de trekking no Nepal

■■

■■

Carregadores nepaleses

Representações dos carregadores no marketing turístico

■■

Implicações para o ecoturismo

■■

Discussão e conclusão

Estudo de caso 3. Turismo de surfe nas Ilhas

Mentawai da Indonésia, por Jess Ponting

■■

■■

■■

■■

■■

■■

■■

■■

■■

■■

■■

As Ilhas Mentawai e seu povo

Turismo nas Ilhas Mentawai

Turismo de surfe na região

Por que essas ilhas são tão boas para surfar?

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715277

Capítulo 6. A relação terapêutica e a aliança de trabalho nos principais modelos de psicoterapia

Aristides Volpato Cordioli (Org.), Eugenio Horacio Grevet (Org.) Grupo A PDF Criptografado

6

A relação terapêutica e a aliança de trabalho nos principais modelos de psicoterapia

Igor Alcantara

Katiane Silva

Leandro Timm Pizutti

A psicoterapia é um método de tratamento que utiliza meios psicológicos para auxiliar pacientes a modificar problemas emocionais, cognitivos e comportamentais. Ela é realizada no contexto de uma relação interpessoal, a relação terapêutica, que as evidências têm apontado ser tão relevante quanto as técnicas utilizadas para o sucesso de todas as psicoterapias. A relação terapêutica depende de aspectos do paciente e da pessoa do terapeuta para que se estabeleça e sustente o tratamento. Alguns desses fatores ficaram conhecidos como fatores não específicos, fatores rogerianos ou fatores comuns e são determinantes dos resultados de todas as terapias, especialmente as terapias cognitivo-comportamentais (TCCs).

Para as terapias psicodinâmicas, a relação terapêutica assume uma importância ainda maior, uma vez que o paciente repete, na relação com o terapeuta, padrões de relacionamentos primitivos, o que permite sua identificação e seu tratamento. Neste capítulo, vamos abordar os vários aspectos da relação terapêutica: neutralidade e abstinência, transferência e contratransferência, aliança terapêutica e relação real, bem como os fatores do paciente e do terapeuta que influenciam o estabelecimento da relação terapêutica. Vamos descrever também as evidências da pesquisa que comprovaram a importância da relação terapêutica para os resultados das psicoterapias.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714706

Capítulo 61. Pancreatite crônica

Luiz Rohde; Alessandro Bersch Osvaldt Grupo A PDF Criptografado

61

Pancreatite crônica

Luciano Paludo Marcelino

Luiz Roberto Rigo Wendt

Luiz Rohde

Alessandro Bersch Osvaldt

A pancreatite crônica (PC) é o resultado da sucessão de episódios inflamatórios, de intensidade variável, que levam à fibrose do parênquima pancreático, causando os desarranjos estruturais e funcionais – que se manifestam clinicamente, na maior parte das vezes, por dor abdominal crônica – e as insuficiências exócrina e endócrina. Estudos epidemiológicos demonstram aumento em sua prevalência nos

últimos anos e mortalidade associada de 50% em 20 a 25 anos após o diagnóstico, além de ser fator de risco para o desenvolvimento do adenocarcinoma de pâncreas.

Etiologia

O álcool é o principal agente etiológico em homens, responsável por aproximadamente 60 a

90% dos casos, sendo causa menos frequente em mulheres. Cerca de 5% dos alcoolistas desenvolvem a doença, e o risco é aumentado quando há associação a um segundo fator de risco, como tabagismo. Este é um fator de risco independente para o desenvolvimento precoce e acelerado da fibrose pancreática e do adenocarcinoma, em todas as etiologias da pancreatite. O tabaco também é associado com o desenvolvimento de calcificação, induz estresse oxidativo e altera a composição do suco pancreático, resultando em inflamação.1,2 A

Ver todos os capítulos
Medium 9788553603992

Questões

LENZA, Pedro Editora Saraiva PDF Criptografado

1008

Marcelo Sacramone

Se a duplicata tiver sido aceita, o protesto é imprescindível apenas para a execução dos coobrigados. Na sua ausência, permite-se a execução apenas do sacado e dos avalistas, pois já se obrigaram pela assinatura como devedores principais.

■■ 8.5.3. Prescrição

Prescreve em 3 anos, do vencimento do título, a ação contra o sacado e os avalistas; 1 ano, contado do protesto, a ação contra os endossantes e seus avalistas; em 1 ano, contado da data do pagamento, a ação promovida pelo coobrigado contra o sacador ou os endossantes anteriores e avalistas.

■■ QUESTÕES

(XIX Exame de Ordem Unificado / FGV)  Xerxes constituiu uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada

(EIRELI) com sede na zona rural do município de Vale Real para fabricação de laticínios, cuja matéria-prima será adquirida de produtores rurais da região ou de cooperativas de produtores rurais. A pessoa jurídica será administrada por sua cunhada Ceres e seu instituidor pretende adotar como nome empresarial a espécie denominação.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536325736

Capítulo 34 - Transtorno de personalidade borderline

Bernard Rangé; Colaboradores Grupo A PDF Criptografado

34

Transtorno de personalidade borderline

Paula Ventura

Helga Rodrigues

Ivan Luiz de Vasconcellos Figueira

INTRODUÇÃO

Nos últimos anos, o Transtorno de Persona­ lidade Borderline (TPB) encontra­‑se em evidência com o aumento do interesse de profissionais da área de saúde, do desenvolvimento de estratégias terapêuticas e do número de publicações. A literatura mostra crescimento também das publicações na intersecção entre TCC e TPB. Até o ano 2000, identificamos um total de 71 referências, ao passo que, até o ano de 2010, foram localizadas 473 referências (pesquisa realizada no dia 20/08/2010, na base eletrônica ISI

Web of Knowledge).

A estimativa é de que 11% de todos os pacientes psiquiátricos ambulatoriais e

19% dos pacientes psiquiátricos internados preencham critérios diagnósticos para TPB

(Linehan, 2010). Dos pacientes com transtornos de personalidade, 33% dos ambulatoriais e 63% dos internados preenchem critérios para TPB (Linehan, 1993). Na população geral, a prevalência é de cerca de 2% (DSM­‑IV­‑TR, 2000). A maior parte

Ver todos os capítulos
Medium 9788553609451

CAPÍTULO XXV - DIREITO AO DEVIDO PROCESSO LEGAL

TAVARES, André Ramos Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo XXV

DIREITO AO DEVIDO PROCESSO LEGAL

1. Previsão

O art. XI, n. 1, da Declaração Universal dos Direitos do Homem assegura que “todo homem acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa”.

O princípio do devido processo legal acabou sendo inserido de forma expressa na Constituição de 1988, no art. 5º, que foi a primeira a referir-se expressamente ao “devido processo legal”, nos casos de privação da liberdade ou dos bens. Preceitua a Constituição: “LIV — ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal”.

2. Conteúdo

2.1. Aspecto material e formal do princípio

É imprescindível, preliminarmente, destrinchar os elementos da consagrada expressão “devido processo legal”. Para tanto, proceder-se-á, preliminarmente, à verificação do conteúdo de cada termo componente da expressão.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547233150

Objetivos

DEMETRIUS, Alexandre Pereira Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo

Implicações econômicas da auditoria e sua avaliação do ponto de vista da análise econômica do Direito

4

Ao final do capítulo, o leitor será capaz de:

1. Compreender as implicações econômicas da auditoria externa inde-

pendente;

2. Analisar como a auditoria externa independente se relaciona com

os mercados de capitais e financeiros;

3. Entender como a auditoria externa independente cria condições para

possibilitar o investimento em atividades econômicas produtivas;

4. Analisar com profundidade como a auditoria se relaciona com os con-

flitos de agência, com as assimetrias informacionais e com os custos de transação.

04_cap04.indd 35

18/05/18 10:00

04_cap04.indd 36

18/05/18 10:00

Ver todos os capítulos
Medium 9788527729956

Apêndice B: Recursos de bioinformática para genética e genômica

GRIFFITHS, Anthony J. F.; WESSLER, Susan R.; CARROLL, Sean B.; DOEBLEY, John Grupo Gen PDF Criptografado

Apêndice B

Recursos de bioinformática para genética e genômica

“Você certamente encontrará algo se procurar, mas nem sempre é exatamente o que você estava procurando.” – O Hobbit, J. R. R. Tolkien

O campo da bioinformática engloba a utilização de ferramentas computadorizadas para refinar complexos conjuntos de dados. Os dados genéticos e genômicos são tão diversos que se tornou um desafio considerável identificar sites com autoridade em relação a um tipo específico de informação. Além disso, o cenário dos softwares acessíveis pela

Internet para a análise dessas informações está constantemente em alteração na medida em que ferramentas novas e mais poderosas são desenvolvidas. Este apêndice destina-se a fornecer alguns pontos de início valiosos para a exploração do universo em rápida expansão dos recursos on-line para genética e ge­nômica.

1. Busca por sites sobre genética e genômica

Aqui estão listados diversos recursos centrais que contêm grandes listas de sites relevantes:

Ver todos os capítulos
Medium 9788547222055

3 – IMPUGNAÇÃO AOS EMBARGOS

MAZZA, Alexandre Editora Saraiva PDF Criptografado

209

Modelos de peças

3 – IMPUGNAÇÃO AOS EMBARGOS

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito (ou Federal) da ... Vara das Execuções Fiscais da Comarca (ou Seção Judiciária) de ...

(pular 5 linhas)

Autos da Execução Fiscal número ...

União Federal (ou entidade federativa tributante diversa), pessoa jurídica de direito público interno, inscrita no Cadastro Nacional das Pessoas Jurídicas sob o número ..., com sede e domicílio no endereço ..., endereço eletrônico ..., por seu procurador infra-assinado, vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, com fundamento no artigo 17 da Lei n. 6.830/80 apresentar Impugnação aos Embargos em epígrafe opostos por nome, nacionalidade ..., estado civil ..., profissão ..., portador da cédula de identidade Registro Geral número ..., inscrito no Cadastro de Pessoas Físicas sob o número ..., residente e domiciliado no endereço ..., endereço eletrônico ..., fazendo com supedâneo nas razões de fato e de direito a seguir articuladas:

Ver todos os capítulos

Carregar mais