122296 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788547230425

A.1 Glossário de palavras em inglês

Antonio de Lima Ribeiro Editora Saraiva PDF Criptografado

Nesta sessão, colocamos para você, prezado leitor, informações adicionais, com o objetivo de tornar sua experiência com este livro ainda mais rica e eficaz.

Aqui você encontra:

��

um glossário de palavras em inglês utilizadas no texto, com a respectiva tradução;

��

um modelo de código de ética para adoção na empresa em várias situações

(por exemplo, em gestão do conhecimento);

��

mais informações sobre bolsas de estudo, cursos e eventos na área.

Esta leitura pretende incentivar e contribuir para sua prática profissional diária, desde o contato humano básico dentro da sua organização, à organização, manutenção e implementação de treinamentos e programas de desenvolvimento de pessoal.

A.1 Glossário de palavras em inglês

Banner – Faixa publicitária.

Bitcoin – Moeda digital.

Branding – Gestão da marca de uma empresa.

Briefing – Reunião informativa e curta sobre negócios.

Bull/bear approach – Estratégias de gestão de carteiras de ações.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553172887

Lei 6.515, de 26.12.77 (LDi)

NEGRÃO, Theotonio Editora Saraiva PDF Criptografado

1374

Lei n. 6.515, de 26 de dezembro de 1977

Regula os casos de dissolução da sociedade conjugal e do casamento, seus efeitos e respectivos processos, e dá outras providências.

O Presidente da República,

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Art. 1º.A

separação judicial,1 a dissolução do casamento, ou a cessação de seus efeitos civis, de que trata a Emenda Constitucional n. 9, de 28 de junho de 1977,2 ocorrerão nos casos e segundo a forma que esta lei regula.

Art. 1º: 1. v. CC 1.571, nota 2b (Em. Const. 66, de 13.7.10).

Art. 1º: 2. Em. Const. 9, de 28.6.77, à Constituição revogada. Atualmente, v. CF 226 § 6º.

Capítulo I DA DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONJUGAL

Art. 2º.A

sociedade conjugal termina:1

I — pela morte de um dos cônjuges;

II — pela nulidade ou anulação do casamento;2

III — pela separação judicial;3-3a

IV — pelo divórcio.4-5

Parágrafo único. O casamento válido somente se dissolve pela morte de um dos cônjuges ou pelo divórcio.6

Ver todos os capítulos
Medium 9788547229146

16.6. Direitos e Deveres do Locatário

LÔBO, Paulo Editora Saraiva PDF Criptografado

Se o locador não entregar a coisa na data da conclusão do contrato de locação ou no prazo ajustado, ou dificultar o uso regular da coisa, o locatário terá direito a denunciar o contrato, sem necessidade de fixar prazo, além da pretensão

à indenização dos danos, inclusive gastos de mudança em consequência da prematura extinção da relação jurídica.

O locador tem o dever de omissão, de tolerância e de prática dos atos necessários ao uso regular da coisa pelo locatário, de acordo com o contrato e sua finalidade. Tem o locador de deixar que o locatário use o bem, de não o perturbar na posse que recebeu. Se, no curso do contrato, a coisa comprometer seu uso, sem culpa do locatário, este tem direito a exigir do locador as providências necessárias ou resolver o contrato. Se o estrago, que comprometeu o uso, for atribuído à culpa do locatário, o locador está exonerado da responsabilidade do reparo ou conserto.

Pode o locatário, em caso de vício, que não poderia ser conhecido pelo locatário e que torne a coisa imprópria ao uso ou em desconformidade com o que lhe foi informado, rejeitar a coisa ou pedir a redução proporcional do aluguel.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582710906

Capítulo 57 - Anemia

Rafael Barberena Moraes, Márcio Manozzo Boniatti, Paulo Ricardo Cerveira Cardoso, Thiago Lisboa, Elvino Barros Grupo A PDF Criptografado

PARTE VIII

Hematologia e oncologia

CAPÍTULO 57

ANEMIA

WAGNER LUIS NEDEL

INTRODUÇÃO  A anemia é uma condição bastante frequente nos pacien-

tes críticos, com uma incidência média de 66% logo na admissão à UTI, evoluindo para 95% em três ou mais dias de internação e até 98% no oitavo dia, sendo um fator preditivo independente para mortalidade e tempo de internação prolongado na UTI.

O papel da hemácia na regulação do transporte de O2 e CO2, assim como na manutenção do fluxo sanguíneo e do tônus vascular na circulação periférica são potencializados durante enfermidades agudas, especialmente aquelas associadas à falência orgânica. Em geral, a anemia no paciente crítico é de causas multifatoriais, entre elas a perda sanguínea (com consequente deficiência de ferro) e a anemia inflamatória.

ETIOLOGIA

 Dois processos fundamentais resultam na anemia no paciente crítico: meia-vida reduzida das hemácias na circulação sanguínea e diminuição na sua produção.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547223335

Dispositivos revogados pela Lei n. 13.467/2017

MATINEZ, Luciano Editora Saraiva PDF Criptografado

Dispositivos revogados pela Lei n. 13.467/2017

Dispositivo revogados pela Lei 13.467/2017

Art. 5.º Revogam­‑se:

I – os seguintes dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto­‑Lei n.

5.452, de 1.º de maio de 1943: a) § 3.º do art. 58; b) § 4.º do art. 59; c) art. 84; d) art. 86; e) art. 130­‑A; f) § 2.º do art. 134; g) § 3.º do art. 143; h) parágrafo único do art. 372; i) art. 384; j) §§ 1.º, 3.º e 7.º do art. 477; k) art. 601; l) art. 604; m) art. 792; n) parágrafo único do art. 878; o) §§ 3.º, 4.º, 5.º e 6.º do art. 896; p) § 5.º do art. 899;

II – a alínea a do § 8.º do art. 28 da Lei n. 8.212, de 24 de julho de 1991;

III – o art. 2.º da Medida Provisória n. 2.226, de 4 de setembro de 2001.

O que mudou?

O art. 5.º da Lei n. 13.467, de 2017, revogou um conjunto normativo ali referido, sendo certo que, observada a sequência numérica, todos os dispositivos mencionados foram tratados no texto desta obra, salvo o art. 2.º da Medida Provisória n. 2.226, de 4 de setembro de 2001, que a seguir será comentado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547209148

14.5. A Constituição de 1946 e a democracia

MACIEL, José Fabio Rodrigues Editora Saraiva PDF Criptografado

conhece pela intermediação da liderança sindical, que, unitária e hierarquizada, impede qualquer tipo de tentativa dissidente fora dos quadros do sindicato. Apesar de seu reconhecimento como defensor dos trabalhadores, em 1937 Getúlio proibiu a greve de trabalhadores ou interrupção da produção e/ ou prestação de serviços pelo empregador ( lockout). Ainda sobre a relação de trabalho, Vargas criou a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT); organizou a justiça do trabalho, também com representação classista, e criou o salário mínimo.

14.5. A Constituição de 1946 e a democracia

Em 1945 chegou ao cabo o Estado Novo, ordem jurídico-política posta em contradição com a inserção brasileira nas relações internacionais. A participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial transmitiu aos brasileiros um sentimento de luta pela democracia na Europa e assentimento ao autoritarismo em sua terra. Tal contradição alimentou perspectivas democráticas, provocando o fim da ditadura de Getúlio e a instituição de um tipo de ordem democrática até então inexistente na história brasileira. É desse processo que resultará a elaboração da Constituição de 1946, obra das diversas forças políticas brasileiras em confronto político-ideológico.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553603114

1. Considerações preliminares

Cézar Roberto Bitencourt Editora Saraiva PDF Criptografado

Exclusão do crime

Art. 142. Não constituem injúria ou difamação punível:

I — a ofensa irrogada em juízo, na discussão da causa, pela parte ou por seu procurador;

II — a opinião desfavorável da crítica literária, artística ou científica, salvo quando inequívoca a intenção de injuriar ou difamar;

III — o conceito desfavorável emitido por funcionário público, em apreciação ou informação que preste no cumprimento de dever do ofício.

Parágrafo único. Nos casos dos ns. I e III, responde pela injúria ou pela difamação quem lhe dá publicidade.

Retratação

Art. 143. O querelado que, antes da sentença, se retrata cabalmente da calúnia ou da difamação, fica isento de pena.

Parágrafo único. Nos casos em que o querelado tenha praticado a calúnia ou a difamação utilizando-se de meios de comunicação, a retratação dar-se-á, se assim desejar o ofendido, pelos mesmos meios em que se praticou a ofensa. (NR).

• Parágrafo único acrescido pela Lei n. 13.188, de 11 de novembro de 2015.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553602278

Anexo

MUKAI, Toshio Editora Saraiva PDF Criptografado

Sumário

3.1.4. Função e inserção da variável ambiental no direito de propriedade............................................................................. 86

3.1. Os planos diretores e seus princípios fundamentais.

Metodologia de sua elaboração e execução .................................... 91

3.3. A Constituição de 1988 e o plano diretor. Aspectos fundamentais................................................................................................ 96

3.4. A Lei n. 10.257/2001 e o plano diretor............................................ 100

3.4.1. O planejamento global das atividades municipais e o plano diretor........................................................................... 100

3.4.2. As hipóteses previstas na lei em que será obrigatório o plano diretor........................................................................... 101

3.4.3. O art. 40 da Lei n. 10.257/2001 e as regras superiores do plano diretor...................................................................... 103

Ver todos os capítulos
Medium 9788520434628

Linfoma Cutâneo Epiteliotrópico

Larry P. Tilley, Francis W. K. Smith Junior Editora Manole PDF Criptografado

834

Consulta Veterinária em 5 Minutos

Linfoma Cutâneo Epiteliotrópico

CONSIDERAÇÕES

GERAIS

REVISÃO

• Linfoma cutâneo epiteliotrópico — forma mais comum de linfoma cutâneo de células-T.

• Uma neoplasia maligna incomum de cães e gatos.

• Síndrome de Sézary — forma rara de linfoma epiteliotrópico; nessa síndrome, ocorrem lesões cutâneas, invasão de linfonodos periféricos por linfócitos neoplásicos, e leucemia simultaneamente.

• Reticulose pagetoide — forma rara de linfoma epiteliotrópico; o infiltrado linfoide fica confinado

à epiderme e estruturas anexas nos estágios iniciais da doença e estende-se para a derme nos estágios tardios.

SISTEMA(S) ACOMETIDO(S)

• Hematológico/Linfático/Imunológico.

• Cutâneo/Exócrino.

IDENTIFICAÇÃO

• Cães e gatos — mais comum em cães.

• Faixa etária de 6-14 anos — média de 8,6 anos.

• Aparentemente não há predileção racial ou sexual.

L

SINAIS CLÍNICOS

Ver todos os capítulos
Medium 9788571106093

Capítulo IV. A análise histórica

BLOCH, Marc Zahar PDF Criptografado

Capítulo IV

A análise histórica

A análise histórica

1. Julgar ou compreender?

A fórmula do velho Ranke é célebre: o historiador propõe apenas descrever as coisas “tais como aconteceram, wie es eigentlich gewesen”. Heródoto o dissera antes dele, “ta eonta legein, contar o que foi”. O cientista, em outros termos, é convidado a se ofuscar diante dos fatos. Como muitas máximas, esta talvez deva sua fortuna apenas à sua ambiguidade. Podemos ler aí, modestamente, um conselho de probidade: este era, não se pode duvidar, o sentido de Ranke. Mas também um conselho de passividade. De modo que eis, colocados de chofre, dois problemas: o da imparcialidade histórica; o da história como tentativa de reprodução ou como tentativa de análise.

Mas haverá então um problema da imparcialidade? Ele só se coloca porque a palavra, por sua vez, é equívoca.

Existem duas maneiras de ser imparcial: a do cientista e a do juiz. Elas têm uma raiz comum, que é a honesta submissão à verdade. O cientista registra, ou melhor, provoca o experimento que, talvez, inverterá suas mais caras teorias.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715413

9 - Terapia cognitivo-comportamental para a redução do risco de suicídio

Jesse H. Wright, Gregory K. Brown, Michael E. Thase, Monica Ramirez Basco Grupo A ePub Criptografado

Se um paciente tiver perdido toda a esperança e não conseguir enxergar nada além de dor e desespero no futuro, o suicídio pode parecer uma boa opção. Como as cognições de desesperança podem ter essas consequências intensamente negativas, sua validade deve ser questionada com toda a habilidade e criatividade que o terapeuta puder reunir. Se o terapeuta não se concentrar em ajudar o paciente a modificar tais cognições de desesperança, pode ocorrer uma validação tácita das crenças, e o processo de terapia pode ser prejudicado. Quando um paciente acredita que a recuperação é possível ou provável, que existem razões genuínas para viver e consegue enxergar possíveis soluções para os problemas, é possível que consiga tolerar os níveis extremos de depressão sem considerar ferir-se seriamente (Wright et al., 2009).

Vários tratamentos baseados em evidências para prevenir o comportamento suicida foram testados em estudos randomizados controlados. A terapia cognitiva para a prevenção do suicídio (Brown et al., 2005), a terapia cognitivo-comportamental (TCC) breve (Rudd et al., 2015; Slee et al., 2008), a terapia comportamental dialética (Linehan et al., 2006) e várias outras abordagens (Bateman e Fonagy, 1999; Guthrie et al., 2001; Hatcher et al., 2011) demonstraram efeitos positivos na prevenção de tentativas de suicídio ou de violência autodirigida em adultos. Por exemplo, indivíduos que tentaram o suicídio recentemente e foram tratados com terapia cognitiva para a prevenção do suicídio tiveram 50% menos probabilidade de tentar se matar novamente em um período de 18 meses do que indivíduos que não receberam a terapia (Brown et al., 2005). Uma característica principal desse tratamento é a aplicação de estratégias cognitivas e comportamentais cujo alvo seja a prevenção direta do comportamento suicida e a redução da gravidade da desesperança e da depressão. O Cadastro Nacional de Práticas e Programas Baseados em Evidências do órgão administrativo dos serviços de abuso de substâncias e saúde mental dos Estados Unidos identificou a terapia cognitiva para a prevenção do suicídio (Brown et al., 2005) como um tratamento fundamentado em evidências promissor para a redução do risco de suicídio.

Ver todos os capítulos
Medium 9788530961213

Capítulo V - JURISDIÇÃO

Nagib Slaibi Filho, Romar Navarro de Sá Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo V

JURISDIÇÃO

A doutrina da limitação do poder, conforme assinala Bertrand de Jouvenel, ao demonstrar, baseando-se em Montesquieu, a necessidade de contrapoderes, não deve esquecer que é uma experiência permanente, que todo homem que tem poder

é impulsionado a abusar do mesmo, chegando até onde encontra barreira (José

Alfredo de Oliveira Baracho).1

5. JURISDIÇÃO

5.1. Os Poderes do Estado

Ao introduzir no mundo jurídico a decisão política, isto é, ao tornar regra jurídica a decisão de modo do exercício do poder, as Constituições escritas, há mais de duzentos anos, dividem o exercício do poder em conjunto de órgãos públicos de acordo com a similaridade de funções ou atividades exercidas (funções legislativas, executivas e jurisdicionais).

Aplicou-se, na prática, o que Aristóteles já distinguira ao estudar a estrutura orgânica do poder em Atenas, e Montesquieu, no célebre Espírito das leis, imaginava existir na Inglaterra de seu tempo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553172887

Lei 8.629, de 25.2.93

NEGRÃO, Theotonio Editora Saraiva PDF Criptografado

1300

Lei n. 8.629, de 25 de fevereiro de 19931

Dispõe sobre a regulamentação dos dispositivos cons­ti­tu­cionais relativos à reforma agrária, previstos no Capítulo III, Título VII, da Constituição Federal.

O Presidente da República

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

LEI 8.629: 1. A Lei 8.629 não se aplica retroativamente (RTJ 149/103).

Art. 1º.Esta

lei regulamenta e disciplina disposições relativas à reforma agrária, previstas no Capítulo III, Título VII, da Constituição Federal.

Art. 2º.A

propriedade rural1-1a que não cumprir a função social prevista no art. 9º é passível de desapropriação, nos termos desta lei, respeitados os dispositivos cons­titucionais.

§ 1º Compete à União desapropriar por interesse social, para fins de reforma a­grária, o imóvel rural que não esteja cum­­prindo sua função social.

§ 2º (redação da Med. Prov. 2.183-56, de 24.8.01) Para os fins deste artigo, fica a União, através do órgão federal competente, autorizada a ingressar no imóvel de propriedade particular para levantamento de dados e informações, mediante prévia comunicação escrita ao proprietário, preposto ou seu representante.1b

Ver todos os capítulos
Medium 9788547215811

4.3 OBJETIVOS DA DISTRIBUIÇÃO FÍSICA

Marcos Donizete Aparecido Rocha, José Manuel Baptista Meireles de Sousa Editora Saraiva PDF Criptografado

• Gerenciamento de estoques: no decurso das operações de transferência de mercadorias entre fornecedor e seu cliente, a logística deve realizar suas atividades de forma a garantir que eventuais estoques,

sejam intermediários ou em trânsito, mantenham a integridade e os custos de manutenção sejam minimizados.

• Armazenagem e movimentação de materiais: seleção de localiza-

ção, dimensões e características (refrigeração, automação etc.) das instalações que servirão para armazenagem dos produtos.

• Transporte do produto: determinação dos meios materiais (trem, rodovia, mar, rio, duto, aéreo ou meio combinado) que serão utilizados, assim como das rotas que serão utilizadas para movimentar os produtos da origem ao destino.

• Informação: canalização de informações mercadológicas que permitam virtualizar o sistema de distribuição, garantindo um melhor controle de todas as operações.

• Compras: inclui todas as atividades relativas a geração, controle e transmissão de pedidos de aquisição de mercadorias.

Ver todos os capítulos
Medium 9788502636569

Capítulo VII - O CRÉDITO TRIBUTÁRIO

Eduardo Marcial Ferreira Jardim Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo VII

O CRÉDITO TRIBUTÁRIO

Sumário: 1. O crédito tributário. Noção e generalida­ des. 2. Constituição do crédito. Tributos cobrados por meio de lançamento e exigidos sem essa formalidade.

3. O lançamento. Conceito do Código Tributário

Nacio­nal. Observa­ção crítica. 3.1. Conceito adotado.

3.2. Modalidades de lançamento segundo o Código

Tributário Nacional. 3.3. Objurgatória à classificação do Código Tributário Nacional no tocante às moda­ lidades de lançamento. 4. Definitividade do lança­ mento. 4.1. Hipóteses de alterabilidade do lançamen­ to. 5. Suspensão da exigibilidade do crédito tributário. 6. Ex­tinção da obrigação tributária. 6.1.

Hipóteses extintivas. 6.1.1. Pagamento simples e especial. 6.1.2. Compensação. 6.1.3. Transação.

6.1.4. Remissão. 6.1.5. Decadência. 6.1.6. Prescrição.

6.1.6.1. Teorema suspensivo da prescrição. 6.1.6.2.

Fórmulas interruptivas da prescrição: a) citação do devedor; b) protesto judicial; c) ato judicial que constitua o devedor em mora; d) ato de reconheci­ mento do débito pelo devedor. 6.1.6.3. Outros co­ mentos: a) a prescrição no Código de Processo Civil; b) prescrição intercorrente. 6.1.7. Decisão adminis­ trativa irreformável. 6.1.8. Decisão judicial passada em julgado. 6.1.9. Dação em pagamento. 7. Exclusão do crédito tributário. 7.1. Isenção. Breves comentos.

Ver todos os capítulos

Carregar mais