Desenvolvimento cognitivo e educação: os inícios do conhecimento. Volume 1

Autor(es): Castorina, José A.
Visualizações: 532
Classificação: (0)

FORMATOS DISPONíVEIS

eBook

Disponível no modelo assinatura da Minha Biblioteca

2 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

Parte I - Bases Conceituais e Metodológicas

PDF Criptografado

1

Piaget: perspectivas e limitações de uma tradição de pesquisa

José A. Castorina

A psicologia genética como uma tradição de pesquisa científica

A

obra da psicologia de Piaget – e a pesquisa sobre psicologia poste rior, inspirada em suas ideias – é uma tradição de pesquisa cientí fica (Castorina, 1993), ou seja, uma sequência histórica de hipóteses e teorias que surgem e se modificam a partir de um núcleo básico, cujos compromissos estabelecem como devem ser enfrentados os problemas da pesquisa. Basicamente, o núcleo duro oferece um conjunto de pressupostos gerais sobre as entidades e os processos do âmbito do questionamento, bem como os métodos que devem ser utilizados para investigar os problemas e construir as teorias no âmbito do domínio (Laudan,

1986). A avaliação de uma tradição de pesquisa científica como progressiva ou retrógrada depende tanto da qualidade empírica da independência de suas pesquisas como da consistência interna e externa da totalidade de suas teses básicas e elaborações. É necessário contar com seu potencial para a revisão de seu próprio núcleo, isto é, para a recuperação da consistência frente às críticas ou exigências da pesquisa.

 

Parte II - Os inícios do conhecimento

PDF Criptografado

Desenvolvimento cognitivo e educação: os inícios do conhecimento 155

to) e estimar a frequência de acontecimentos ou objetos (número). Dificilmente poderíamos imaginar um mundo alheio a eles e menos ainda sobreviver nele.

Passando agora ao bebê: suas expectativas sobre o mundo são semelhantes às do adulto? Desde quando ele conhece as propriedades que distinguem seres animados (pessoas, animais) de seres inanimados (objetos)?

Neste capítulo abordaremos estes e outros aspectos do desenvolvimento do conhecimento do bebê, anteriores ao surgimento da função semiótica.

Como o bebê conhece a realidade?

Diferentes teorias, diferentes respostas

Uma das grandes diferenças entre os teóricos do desenvolvimento reside precisamente em sua perspectiva sobre o desenvolvimento. Alguns o concebem como um processo evolutivo no qual as transformações mais importantes são produzidas durante a ontogênese (a vida do indivíduo) enquanto outros o consideram um processo de enriquecimento a partir de um substrato filogenético (p. ex., as capacidades selecionadas ao longo da história da espécie). Entre os dois extremos existem posições intermédias que tentam integrar aspectos de ambas as perspectivas, a evolutiva-ontogenética e a evolucionista-filogenética. Mas qualquer que seja a abordagem teórica escolhida todos consideram que o estudo do bebê é uma oportunidade única para tentar desvendar os segredos da origem do conhecimento: Qual é o estado inicial do bebê e como ele experimenta o mundo? Como ele chega a conhecer a realidade? Comecemos esboçando as respostas que diferentes teorias têm oferecido desde os princípios do século XX até os dias de hoje.

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
B000000042703
ISBN
9788565848718
Tamanho do arquivo
7 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados