Língua portuguesa: noções básicas para cursos superiores, 9ª edição

Visualizações: 1327
Classificação: (0)

O objetivo do programa apresentado neste livro é oferecer ao aluno de qualquer curso superior os conhecimentos básicos para um desempenho eficaz nas comunicações escritas, inclusive em outras disciplinas do cursos.

Como resultado, tem-se o caráter prático do programa, constituído de três unidades fundamentais: uma introdutória sobre teoria da comunicação, outra sobre técnicas de leitura e interpretação de texto e uma terceira sobre técnicas de expressão escrita.

Livro-texto para a disciplina PORTUGUÊS do ciclo universitário básico.

FORMATOS DISPONíVEIS

8 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

Parte I - 1 COMUNICAÇÃO

PDF Criptografado

1

COMUNICAÇÃO

Conceitos

Elementos da comunicação

Funções da linguagem

Simultaneidade e transitividade das funções da linguagem

Linguagem e comunicação

Língua oral e língua escrita

Níveis de linguagem

Exemplário – níveis de linguagem

Livro 1.indb 2

3/11/2009 18:11:57

Comunicação

3

Conceitos

Não existe uma única atividade humana que não seja afetada, ou que não dependa, de alguma forma, da comunicação. Tão relevante é o papel da comunicação humana no mundo moderno, que seu estudo deveria merecer especial atenção. Ocorre, contudo, que a necessidade de estudar as múltiplas formas de comunicação só muito recentemente vem sendo reconhecida. Efetivamente, para que se aprenda a comunicar adequadamente, com clareza e eficiência, torna-se indispensável o conhecimento de algumas noções fundamentais sobre o assunto.

A palavra comunicar vem do latim communicare, que significa pôr em comum.

Depreende-se daí que a essência da palavra comunicar está associada à ideia de convivência, comunidade, relação de grupo, sociedade.

 

Parte II - 2 BREVES NOÇÕES METODOLÓGICAS DE LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO

PDF Criptografado

2

BREVES NOÇÕES

METODOLÓGICAS

DE LEITURA E

INTERPRETAÇÃO

DE TEXTO

O ato de ler

A técnica de sublinhar

Como redigir resumos

Elaboração de esquemas

Fichamentos

Livro 1.indb 34

3/11/2009 18:12:00

Breves Noções Metodológicas de Leitura e Interpretação de Texto

35

O Ato de Ler

Embora estejamos no século da informação através da imagem (“uma imagem vale mais que mil palavras”), são inegáveis a importância e a necessidade da leitura, pois, além de desempenhar suas funções informativa e recreativa, a transmissão da História, da Cultura e da Ciência, ainda hoje, faz-se através da linguagem escrita.

Não basta, porém, ser alfabetizado para fazer da leitura um ato de “crítica”, que envolve constatação, reflexão e transformação de significados.

A leitura pode não ser encarada como simples decodificação de signos, atividade mecânica que determina uma postura passiva diante do texto. Paulo Freire

 

Parte III - 3 O LÉXICO

PDF Criptografado

3

O LÉXICO

Vocabulário e contexto

Denotação e conotação: o sentido das palavras Polissemia e homonímia

Sinônimos e parônimos

Campos semânticos e campos léxicos

Exemplário de textos para análise e discussão

Livro 1.indb 50

3/11/2009 18:12:00

O Léxico

51

Vocabulário e Contexto

Léxico e vocabulário são dois termos empregados usualmente com a mesma acepção – conjunto de palavras de uma língua, um autor ou uma obra. Modernamente, distingue-se léxico de vocabulário: léxico é um inventário, teoricamente finito, mas dificilmente mensurável, de todas as palavras realizadas e potenciais de uma língua. Vocabulário refere-se apenas às palavras efetivamente realizadas ou empregadas no discurso.

O Dicionário de linguística (Dubois et al., 1978, p. 364) esclarece que “o termo léxico é reservado à língua, o termo vocabulário ao discurso. (...) O vocabulário de um texto, de um enunciado qualquer da performance é, desde então, apenas uma amostra do léxico do locutor ou, conforme a perspectiva adotada, do léxico da comunidade linguística considerada”.

 

Parte III - 4 ESTRUTURAS FRASAIS

PDF Criptografado

4

ESTRUTURAS

FRASAIS

Frase, oração, período

Funções das classes gramaticais

Sujeito e predicado

Estruturas mínimas e suas expansões

Processos de coordenação e subordinação

Relações sintáticas – concordância, regência, colocação

Livro 1.indb 70

3/11/2009 18:12:01

Estruturas Frasais

71

Frase, Oração, Período

Importa estabelecer, ainda que a galope, o que seja frase, oração e período.

FRASE

Frase é a representação intelectual de um objeto ou de uma ideia ou de um conceito cuja expressão verbal pode ser menos elaborada ou mais elaborada. a) A frase menos elaborada ou de estrutura mais simples não é passível de análise linguística por ser de caráter emotivo; é, porém, passível de análise lógica, uma vez que apresenta conteúdo significativo. Nos exemplos abaixo, temos o que se chama de frase não oracional ou nominal; constituem uma forma de comunicação de dimensão menor, porque não estão concentradas num verbo. Exemplos:

 

Parte III - 5 O PARÁGRAFO

PDF Criptografado

5

O PARÁGRAFO

Conceitos

Qualidades do parágrafo

Estrutura do parágrafo

Tópico frasal

Desenvolvimento

Conclusão

Formas de desenvolvimento do parágrafo

Organização do texto: coesão entre os parágrafos

Exemplário para análise de estrutura de parágrafo, identificação do tópico frasal etc.

Livro 1.indb 83

3/11/2009 18:12:01

84

Língua Portuguesa • Andrade e Henriques

Conceitos

Parágrafo é a unidade de composição do texto que apresenta uma ideia básica à qual se agregam ideias secundárias relacionada pelo sentido.

Conceituando-se o parágrafo como unidade de ideias, verifica-se que o parágrafo de descrição deve corresponder a cada aspecto do objeto descrito; o parágrafo de narração reflete cada fato da sequência narrada; o de dissertação corresponde a cada argumento ou raciocínio.

De maneira geral, nos textos bem escritos, a cada parágrafo relaciona-se uma ideia importante.

É variável a extensão do parágrafo: pode conter apenas uma frase ou alongarse por uma página inteira. A tendência moderna é a intercalação de parágrafos curtos aos de média extensão. Não se usam, atualmente, parágrafos demasiadamente longos.

 

Parte III - 6 FORMAS DE COMPOSIÇÃO DO TEXTO

PDF Criptografado

6

FORMAS DE

COMPOSIÇÃO

DO TEXTO

Introdução

Elementos estruturais do texto

Tipos de texto

Descrição

Características da narração

Técnicas de dissertação

Aplicação das diferentes formas de composição do texto Editorial

Crônica

Notícia

Reportagem

Livro 1.indb 97

3/11/2009 18:12:01

98

Língua Portuguesa • Andrade e Henriques

Introdução

Um texto pode ser vazado em diversas formas, consoante a sua finalidade ou funcionalidade. Nunca é demais lembrar que uma redação comporta três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão. Introdução “é o que não admite nada antes e pede alguma coisa depois”, segundo Aristóteles. Serve para situar o leitor dentro do assunto a ser desenvolvido, não apresentando fatos ou razões, pois sua finalidade é predispor o espírito do leitor para o que virá a seguir. Desenvolvimento é o corpo do trabalho propriamente dito. Nele são apresentados os fatos, as ideias e as razões, exigidos pelo que foi anunciado na introdução. A conclusão ou fecho “é o que pede alguma coisa antes e nada depois”, ainda no dizer de Aristóteles. É o conjunto que encerra a redação, de tal modo que seja desnecessário aduzir-se algo mais.

 

Parte III - 7 ASPECTOS DA REDAÇÃO TÉCNICA

PDF Criptografado

7

ASPECTOS DA

REDAÇÃO

TÉCNICA

Carta comercial

Requerimento

Memorando

Ofício

Relatório

Curriculum vitae

Procuração

Livro 1.indb 129

3/11/2009 18:12:02

130

Língua Portuguesa • Andrade e Henriques

Carta Comercial

EXEMPLO DE CARTA COMERCIAL

1. São Paulo, 19 de julho de 1994.

(5 espaços)

2. Prezados Senhores:

(3 espaços)

3. Com referência à sua reclamação, na carta do dia 15 do mês em curso, levamos ao conhecimento de V. Sas. os necessários esclarecimentos.

(2 espaços)

O atraso na entrega da mercadoria solicitada ocorreu não por falha de nossos funcionários, mas por incúria da empresa entregadora.

Estamos tomando as devidas providências a fim de que as mercadorias sejam entregues rapidamente.

(2 espaços)

4. Escusamo-nos pelo ocorrido e continuamos à disposição de V. Sas.

(3 espaços)

5. Benevenuto Cascadura

Gerente de Vendas.

 

APÊNDICE – LEMBRETES GRAMATICAIS

PDF Criptografado

APÊNDICE –

LEMBRETES

GRAMATICAIS

Emprego da crase

Infinitivo flexionado e não flexionado

Casos práticos de concordância nominal

Notações sobre ortografia, prosódia e algumas dificuldades gramaticais

Observações sobre conjugação, concordância e regência de alguns verbos

Verbos abundantes

Os verbos fazer e haver

Regência de alguns verbos

Livro 1.indb 152

3/11/2009 18:12:04

Apêndice – Lembretes Gramaticais

153

Emprego da Crase

I – CONCEITO

Crase é a fusão da preposição a + o artigo a, indicada pelo sinal diacrítico

(`). Considera-se também crase a fusão da preposição a com a vogal a inicial dos demonstrativos aquele (aqueles), aquela (aquelas), aquilo. Exemplo:

“O Dia de Finados, em Paris, não é o mais recomendável para a visita aos mortos, principalmente àqueles que descansam no cemitério do Père

Lachaise.” (Josué Montello)

“O esquecimento e o silêncio constituem a punição que se inflige àquilo que nos parece feio ou vulgar no passeio através da vida.” (Renan, apud

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
BPP0000205918
ISBN
9788522481576
Tamanho do arquivo
2 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados