Administração de Materiais

Visualizações: 49
Classificação: (0)

Administração de Materiais na prática. Com base em modernas técnicas de gestão, Paulo Sérgio Gonçalves aborda três áreas críticas de atuação de Administração de Materiais: gestão dos estoques, administração de compras e gestão de centros de distribuição. Este livro oferece exemplos em planilhas eletrônicas complementados por um amplo conjunto de exercícios propostos e alguns estudos de caso. Além disso, abrange os seguintes temas: contratação de serviços; gestão de estoques por categorias; aplicação de Advance Ship Notice (ASN); aplicação de Vendor Managed Inventory (VMI); tecnologia da informação e Big Data na gestão de materiais; automação – aplicação de realidade aumentada nos centros de distribuição; e uso da inteligência artificial na gestão de estoques no varejo.

FORMATOS DISPONíVEIS

13 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

Capítulo 1 Administração de materiais no contexto empresarial

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• A importância da administração de materiais no contexto de uma empresa

• As diversas áreas operacionais da administração de materiais

• As interfaces da área de administração de materiais com os diversos órgãos de uma empresa

• O impacto da redução de custos dos materiais nas margens de lucro e no retorno dos ativos

Administrar materiais é uma atividade que vem sendo realizada nas empresas desde os primórdios da administração. Ela tomou um grande impulso a partir do momento em que a logística se estendeu muito além das fronteiras das empresas, tendo como principal objetivo atender às necessidades e expectativas dos clientes. No formato tradicional, a administração de materiais tem o objetivo de conciliar os interesses entre as necessidades de suprimentos e a otimização dos recursos financeiros e operacionais das empresas. Se observarmos a cadeia de suprimentos das empresas, verificamos que ela se inicia no fornecedor das matérias-primas, passando pelo fluxo de transformação dessas matérias-primas em produtos intermediários e, finalmente, chegando à ponta de consumo, nas prateleiras e nas gôndolas dos varejistas e clientes.

 

Capítulo 2 Técnicas de previsão de vendas

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• A importância de fazer previsões

• Modelos de previsão

• Requisitos para elaborar previsões

• Métodos de previsão baseados em dados históricos

• Tendência e sazonalidade

• Controle das previsões

Indiscutivelmente, as previsões fazem parte do planejamento, do negócio das empresas. No planejamento, é necessário projetar os cursos de ações futuras com base em estimativas das necessidades de recursos. Estimar a demanda futura de bens e serviços é condição essencial para a elaboração de um plano de trabalho que inclui o dimensionamento das capacidades envolvidas com a definição de equipamentos, dos recursos financeiros, da disponibilidade de mão de obra e da quantidade de materiais necessários para a produção de bens e serviços.

É importante fazer dois registros. O primeiro é o da definição que queremos utilizar para a palavra previsão, que indica a projeção do passado para o futuro. O segundo, o da palavra predição, que significa a antecipação de mudanças e de novos fatores que influenciarão a procura de bens ou serviços. Um exemplo de predição seria fazer uma estimativa de quanto o consumo aumentará em função da estabilização da economia.

 

Capítulo 3 Custo dos estoques

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• Os principais custos que envolvem os estoques

• O modelo do lote econômico de compras e do lote econômico de fabricação

• O lote econômico de compras com custos diferenciados

• O impacto da variação dos custos no lote econômico de compra

• O processo decisório entre comprar ou fabricar um item de estoque

O problema de suprimento de bens duráveis ou perecíveis existe desde os primórdios da humanidade; porém, somente com a Revolução Industrial iniciou-se, efetivamente, uma administração mais científica da gestão dos estoques.

Embora o estoque de materiais seja indispensável para um perfeito funcionamento do processo de fabricação e o equacionamento da produção e das vendas de produtos, ele tem um custo. Custo que se desdobra em vários componentes e, dependendo do enfoque utilizado, o estoque pode ter objetivos conflitantes nos diversos órgãos da administração. Por exemplo, do ponto de vista financeiro, por um lado, o estoque tem um custo que representa um capital imobilizado na forma de materiais. Por outro lado, em muitas situações, ter estoques pode ser vantajoso, especialmente se estivermos em um ambiente especulativo, como é o caso das bolsas de valores, em que a compra e a venda de ações podem ser examinadas sob a ótica do custo e do risco de manter estoque de ações por determinado período para vendê-las mais tarde. A mesma situação ocorre com algum produto que poderá ser estocado e que fica à espera da alta de preços, fenômeno muito comum em época de inflação alta, quando os comerciantes escondem os produtos porque sabem que novas altas de preços serão anunciadas. Nessa situação, os estoques são mantidos com o caráter meramente especulativo.

 

Capítulo 4 Estoques de segurança

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• A importância dos estoques de segurança

• A razão de existência de um estoque de segurança

• Critérios para o dimensionamento de um estoque de segurança

• A função de serviço e os estoques de segurança

• Dimensionamento de estoques de segurança para itens perecíveis

Se conhecêssemos perfeitamente todos os fatores que influenciam a demanda de produtos e se esses fatores pudessem ser representados por uma função matemática, mesmo a mais complexa delas, então seria possível fazer previsões da demanda com exatidão. Porém, essa possibilidade, na prática, não existe.

Muitos fatores influenciam a demanda de um e são, em muitos casos, inerentes à imprevisibilidade. Fatores como clima, economia, políticas governamentais, estratégias de marketing, tendências da moda ou estilos, modificação da renda das pessoas e muitos outros fatores podem modificar consideravelmente a demanda de determinados produtos.

Essas incertezas levam à necessidade de se determinar um estoque adicional para amortecer os efeitos da imprevisibilidade do elenco de atores que atuam no suprimento de bens em uma empresa.

 

Capítulo 5 Sistemas de controle de estoques

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• O que é um sistema de controle de estoque e qual a sua finalidade

• O sistema da quantidade fixa ou sistema “Q”

• O sistema da periodicidade fixa ou sistema “P”

• As vantagens e desvantagens de utilização dos sistemas “Q” e “P”, respectivamente

• A análise ABC ou análise de Pareto dos estoques

• A aplicação prática na análise ABC

• Os sistemas de avaliação dos estoques

Iniciamos o Capítulo 1 com a apresentação do conceito de estoques e a sua importância para o aumento da competitividade e eficiência operacional nas empresas. Nos Capítulos 2 e 3, mostramos algumas técnicas destinadas a projetar as demandas futuras dos materiais com o primordial objetivo de melhorar a performance dos estoques e seus custos, ocasião em que demonstramos que a relação, aparentemente conflituosa, entre os custos de ter estoques (custo de posse) e o custo de renovação dos estoques (custos de reposição) é minimizada pela busca da quantidade ideal de compra, refletida pelo cálculo do lote econômico de compra e pelo lote econômico de fabricação.

 

Capítulo 6 MRP, ERP e just-in-time

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• O que é um sistema de planejamento das necessidades de materiais – MRP

• O conceito de demanda dependente e de demanda independente

• O conceito de árvore de estrutura de um produto

• A programação do MRP

• O sistema de planejamento das necessidades de manufatura

• O sistema ERP

• O sistema just-in-time e o sistema kanban

As exigências dos mercados e as necessidades dos consumidores produziram mudanças substanciais na administração dos negócios. A necessidade de produzir rapidamente e de disponibilizar os produtos no mercado tornou-se uma obsessão, que produziu duas vertentes: se, por um lado, a inovação passou a ser a palavra-chave, obrigando a constantes melhorias de produtos e de serviços; de outro, a elevação dos custos tinha de ser combatida, sob pena de inviabilizar muitas operações produtivas.

O dilema passou, portanto, a oscilar dentro de duas variáveis: a primeira, levar rapidamente os produtos e serviços ao mercado consumidor; a segunda, reduzir custos e otimizar processos para que a empresa se tornasse competitiva e conseguisse sobreviver.

 

Capítulo 7 Compras – organização e objetivos

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• A função compras, sua importância e sua organização

• A centralização e a descentralização das compras: vantagens e desvantagens

• O processo de negociação das compras

• Regras básicas para as negociações

• A importância de um cadastro de fornecedores

• A dinâmica das compras e do mercado fornecedor

• Avaliação de fornecedores

• Orçamento de compras

A fabricação de produtos, a operação de uma ferrovia, a administração de ambientes como escolas, hospitais, serviços municipais etc. dependem todos, entre outros fatores, de uma boa administração no suprimento de seus materiais e serviços. A eficiência na produção e na realização de serviços depende, essencialmente, da presença de insumos e produtos no momento exato, na quantidade certa e na qualidade desejada.

A falta de um produto ou insumo, no exato momento em que ele se torna necessário, é um custo que precisa ser imediatamente banido. Uma razoável economia na produção, na operação e na manutenção de uma empresa competitiva poderá, inegavelmente, ser obtida mediante um processo de aquisição de materiais e de serviços bem estruturados que resulte na obtenção dos bens e serviços necessários dentro dos padrões esperados, reduzindo o desperdício e o custo de não conformidade.

 

Capítulo 8 Compras – parcerias e contratos

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• A importância de um bom relacionamento entre fornecedores e compradores

• Como se iniciou a terceirização das atividades produtivas

• As novas estratégias de descentralização e parcerias

• A análise das incertezas e a avaliação de cenários para efetivação de parcerias

• Os aspectos jurídicos dos contratos para aquisição de bens e serviços

• As licitações e os critérios para fechamento de contratos de fornecimento de materiais e serviços

• Algumas modalidades de contratos internacionais

• A terceirização das atividades de compras

Sob o paradigma da produção em massa que teve início com a Revolução Industrial, vários princípios surgiram no contexto da administração industrial; entre eles, a busca de uma integração vertical das empresas. Um exemplo típico dessa estratégia começou com Henry Ford, que buscava alternativas, na Malásia e no Brasil, para produzir borracha destinada à fabricação de pneus de seu famoso Ford T.

 

Capítulo 9 Centros de distribuição e movimentação física

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• O que é um centro de distribuição

• As principais funções de um centro de distribuição

• Os equipamentos destinados à movimentação, à armazenagem e ao transporte de materiais

• Sistemas de codificação dos materiais

• O uso do código de barras e etiquetas eletrônicas na identificação e controle dos materiais

Embora muitas vezes não seja desejável, os materiais são armazenados em depósitos e, em alguns casos, por curtos períodos. A área de armazenagem pode ser destinada à guarda de pequenos produtos, como medicamentos, em uma farmácia de um pequeno hospital, ocupando grandes espaços em centros de distribuição destinados ao fornecimento de materiais a diversos clientes. Na manufatura, os depósitos ou, como normalmente são denominados, almoxarifados, têm por objetivo primordial o armazenamento das matérias-primas e de insumos, o estoque de produtos em processos e o estoque de produtos acabados.

A administração dos depósitos, almoxarifados e centros de distribuição envolve, em uma visão mais generalista, a gestão do fluxo de entrada, movimentação interna e saída dos materiais. Assim, a administração da movimentação física e a gestão da armazenagem estão intimamente relacionadas.

 

Capítulo 10 Logística e cadeia de suprimentos

ePub Criptografado

Neste capítulo, você verá:

• O conceito de logística

• O conceito de cadeia de suprimentos

• Os principais elementos de uma cadeia de suprimentos

• O uso da tecnologia da informação na integração da cadeia de suprimentos

• Sistemas integrados de gestão e a cadeia de suprimentos

• Sistema de reposição contínua

• Sistemas especiais de gestão de estoque com integração da cadeia de suprimentos

A partir do momento em que o homem começou a caçar e pescar, de certa forma, ele também aplicava intuitivamente alguns conceitos da logística: transportava a caça e o pescado até o local de sua morada para servir de alimento para o seu grupo.

Em 401 a.C., Ciro, o Jovem, reconheceu a importância dos suprimentos aos seus exércitos, ao discursar para o pequeno exército grego que liderava numa guerra civil contra Artexerxes II. Seu exército possuía 14.000 homens e estava a 800 km da Grécia quando a batalha de Cunaxa começou.

A sobrevivência do seu exército dependia não apenas da disciplina, do treinamento e da moral de seus homens, mas também da cadeia de suprimentos de água, alimentos e armas para o combate.

 

Anexo I — Respostas de exercícios propostos

ePub Criptografado

Exercício 5

a) 113,00 toneladas e 123,80 toneladas.

b) 69,80 toneladas e 75,20 toneladas.

 

Exercício 6

a) 495 latas.

b) 497 latas.

c) 493 e 489 latas, aproximadamente.

 

Exercício 11

Previsão anual para 2006: 81.600 unidades, com trimestrais de: 18.360; 12.240; 14.280 e 36.720 unidades.

Previsão anual para 2008: 81.600 unidades.

Exercício 2

a) 400 unidades.

b) 10 pedidos por ano.

c) R$20.600,00.

 

Exercício 3

Lote de fabricação: 2.498 unidades.

 

Exercício 9

a) 400 unidades.

b) R$660,00.

c) 1,5 pedido por ano.

 

Exercício 10

a) Lote econômico: 1.200 unidades.

b) Duração do ciclo de produção: 3 dias.

 

Exercício 12

1. Lote econômico: 3.750 unidades.

2. Encomendas por ano: 14,4.

3. Pagamentos de R$67.500,00 a cada 30 dias da entrega.

 

Exercício 15

a) Custo de reposição: R$250,00 por pedido e custo total de R$1.500,00 + 1.800 × preço unitário.

 

Anexo II — Tabela da distribuição normal

ePub Criptografado

 

Anexo III — Tabelas e fórmulas

ePub Criptografado

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
ePub
Criptografado
Sim
SKU
BPDP000310674
ISBN
9788595157125
Tamanho do arquivo
22 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
ePub
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados