Contabilidade Financeira

Visualizações: 102
Classificação: (0)

Este livro possui uma abordagem inovadora para o ensino da contabilidade brasileira. O conteúdo está estruturado de maneira moderna e didática, com o objetivo de estimular e facilitar a leitura e a compreensão pelos estudantes. Além disso, permite ao professor implementar metodologias ativas de aprendizagem. A obra traz exemplos reais e notícias de jornais e revistas que contextualizam os temas com a realidade do mercado brasileiro. Aqui você também encontrará grande quantidade de questões e exercícios práticos que auxiliarão na compreensão e fixação dos conteúdos estudados.

Alguns dos temas abordados são:

Balanço patrimonial.
Performance financeira.
Patrimônio líquido.
Estoque. n Contas a receber.
Provisões e contingências.
Operações financeiras ativas e passivas.
Investimentos.
Ativos imobilizado e intangível.
Teste de impairment.
Tributos sobre o lucro.
Demonstração do resultado abrangente.
Demonstração dos fluxos de caixa.
Demonstração do valor adicionado.
O livro conta ainda com vários materiais suplementares, com acesso on-line, como resolução de questões e exercícios (parcialmente disponível para todos e parcialmente restrita a docentes), além de orientações ao professor para aplicação de estudos de casos e dilemas éticos. Diversos vídeos dos autores comentando os conteúdos de cada capítulo podem ser acessados por meio de QR Codes.

APLICAÇÃO

Este livro é dirigido a todos os estudantes de cursos de graduação e pós-graduação em negócios ou áreas afins que demandam conhecimentos fundamentais de contabilidade. Pode ser utilizado como livro-texto principal ou complementar para as disciplinas Contabilidade Geral, Fundamentos de Contabilidade, Contabilidade Introdutória, Contabilidade Intermediária e Contabilidade Avançada dos cursos de Ciências Contábeis, Administração de Empresas, Economia, Ciências Atuariais, Direito, dentre outros. Leitura indicada para contadores, auditores, controllers e demais profissionais que necessitam tomar decisões baseadas em informações contábeis.

FORMATOS DISPONíVEIS

Impresso
eBook

17 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

1 Introdução à Contabilidade Financeira

ePub Criptografado

Preços voláteis e baixa liquidez deixam o mercado financeiro especialmente mais conturbado e tornam ainda mais importante para as empresas apresentar balanços transparentes e confiáveis, bons sistemas de governança e controles internos (compliance) para vencer a resistência de bancos e investidores e conseguir captar recursos.

[...] O ponto de partida do processo é a contabilidade: os registros financeiros devem se transformar em informações contábeis e serem traduzidos de modo a serem compreendidos pelos diferentes participantes do mercado – acionistas, investidores, credores e demais stakeholders. As informações devem retratar não apenas a situação da empresa no momento, mas também suas perspectivas futuras, a conjuntura em que está inserida e como afeta o mercado e a sociedade.

[...] A preocupação com a transparência está disseminada também entre as médias e familiares que sabem que não vão chegar longe apenas com as tradicionais declarações de faturamento e buscam a melhoria dos processos contábeis e da forma de apresentação das informações para acionistas, agentes financiadores e fundos de investimento.

 

2 Posição Financeira: O Balanço Patrimonial

ePub Criptografado

Faça chuva ou faça sol na economia do país, quem trabalha com contabilidade parece estar sempre a salvo de turbulências. Mas toda essa lendária estabilidade da carreira não se traduz em ausência de novidades – ou de mudanças.

A chegada de novas tecnologias está alterando a antiga profissão, e quem não acompanhar esse ritmo acabará ficando para trás. Foi-se o tempo em que o contador era o mero encarregado de registrar manualmente em livros cada ocorrência contábil do negócio. As atividades burocráticas da área passaram a ser cada vez menos feitas por humanos com a chegada da informática e, mais tarde, dos softwares especializados.

O profissional deixou de produzir os dados e passou a analisá-los, com o objetivo de prever o impacto contábil de cada decisão de negócios. Nesse sentido, deixou de olhar para o passado da empresa – o dinheiro que entrou e que saiu no mês anterior, por exemplo –, e passou a fazer projeções para seu futuro.

A automatização de processos em contabilidade transformou um trabalho burocrático em analítico, o que também abriu espaço para que ele pudesse se tornar gerencial: há anos, grandes empresas já contam com a figura do CAO (Chief Accounting Officer), uma posição de diretoria alternativa à do tradicional CFO (Chief Financial Officer).”

 

3 Performance Financeira: A Demonstração de Resultado

ePub Criptografado

Moeda americana subiu 18% no 1o semestre, pressionando as margens de lucro, que já estavam apertadas; estudo indica que, se aumentos fossem repassados, inflação de manufaturados ao consumidor estaria em 3,5% e não em 1,9%.

A alta de 18% do dólar no primeiro semestre fez subir os custos com matéria-prima e investimentos, principalmente na indústria, num momento em que as empresas já estão com pouca gordura para queimar. Isso pode levar as companhias a adiar investimentos e contratações.

A valorização do dólar encarece a compra de insumos importados ou cotados na moeda americana. Em condições normais, as empresas reajustariam preços, mantendo seus ganhos e acelerando a inflação ao consumidor. Só que, no quadro atual, por causa da grande recessão de 2014 a 2016 e à recuperação ainda lenta da economia, as famílias estão consumindo menos.

As empresas já estão absorvendo altas de custos porque há um descompasso entre a inflação de bens industriais no atacado e os preços ao consumidor. [...] As indústrias estão diante de uma “escolha de Sofia”: se reajustam os preços finais, podem vender menos e perder mercado, mas a opção de reduzir o lucro para absorver a alta de custos depende da situação financeira de cada empresa.

 

4 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido

ePub Criptografado

A administração da Cielo propôs aos acionistas um aumento de capital de R$ 1 bilhão, sem a emissão de novas ações, mediante capitalização de parcela da reserva de lucros. Segundo a companhia, a operação tem por objetivo tornar o capital social ‘mais compatível com a realidade operacional da Cielo e com o segmento em que atua, bem como demonstrar ao seu novo regulador a solidez de seu capital’.

(...) A proposta será avaliada nas assembleias gerais ordinária e extraordinária a serem realizadas no dia 20 de abril. Se aprovado o aumento, o capital social passará a ser de R$ 5,7 bilhões.

A administração da Cielo também propõe pagamento de dividendo adicional relativo a 2017 de R$ 1,058 bilhão, além de R$ 318,2 milhões em juros sobre capital. (...).”

Fonte: Adaptado de CAMPOS, Álvaro. Valor Econômico, 21 mar. 2018.

A Eletrobras pode distribuir dividendos no ano que vem se terminar 2016 com lucro líquido, ainda que seja reflexo da contabilização das indenizações por ativos antigos de transmissão, devido ao seu estatuto social.

 

5 Estoques

ePub Criptografado

Maior farmacêutica do país, a Hypermarcas reiterou a meta de encerrar 2017 com resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) das operações continuadas de cerca de R$ 1,2 bilhão, equivalente a crescimento de 6%. [...] A expansão no trimestre foi de 4,6%, para R$ 318,9 milhões, com alta menor do que o potencial devido à ruptura nos estoques acima da média histórica.

[...]

A ruptura de estoques, que levou ao não atendimento de pedidos da ordem de R$ 35 milhões, é explicada por uma diferença entre as previsões de venda e de produção. Segundo Bergamo, a Hypermarcas iniciou o trimestre com estoques baixos e previsão de vendas mais conservadora. ‘A demanda reagiu a partir de maio, e não houve tempo para a produção reagir.’

Agora, a empresa trabalha na recomposição de estoques para que, neste trimestre, seja possível atender à demanda e até a que não foi atendida no trimestre.

‘A falta de produto é um bom problema, porque significa que a demanda está bem. A empresa vem trabalhando para se certificar de que isso não ocorra’, afirmou.”

 

6 Contas a Receber

ePub Criptografado

A Light registrou prejuízo de R$ 25 milhões no segundo trimestre de 2018, uma queda de 50,1% em comparação com o mesmo período do ano passado.

De abril a junho deste ano, a receita operacional líquida subiu 21,5% em base anual, para R$ 2,78 bilhões.

A redução das perdas de abril a junho da empresa foi proporcionada pela Light Distribuição, cujo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) cresceu cinco vezes na comparação anual, para R$ 328 milhões. O impacto positivo neste segmento, segundo a Light, veio da recuperação do mercado faturado e da diminuição das perdas estimadas para créditos de liquidação duvidosa (PECLD). [...].”

Fonte: Adaptado de GUTIERREZ, Marcelle. Valor Econômico, 13 ago. 2018.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM DO CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, você será capaz de:

1. Compreender quando as contas a receber devem ser reconhecidas.

2. Identificar o modelo de negócio da entidade.

 

7 Provisões e Contingências

ePub Criptografado

As provisões realizadas para o pagamento de multas e exigências do governo frente ao desastre com a barragem de Fundão, em Bento Rodrigues, subdistrito de Mariana (MG), ocorrido em novembro, levaram a Samarco a registrar prejuízo líquido de R$ 5,84 bilhões no ano passado. Em 2014, a mineradora, controlada pela Vale e BHP Billiton, havia contabilizado lucro de R$ 2,81 bilhões. A paralisação de suas operações em Minas Gerais no fim do ano também ajudou a reduzir as vendas no período. Em 2015, a companhia produziu 25,37 milhões de toneladas de concentrado de minério de ferro, queda de 3,5%.

(...) O que mais chama a atenção no balanço anual da Samarco de fato é o rompimento da barragem de Fundão, que devastou Bento Rodrigues. Por conta do acordo fechado com o governo e as perspectivas de multas e exigências, foram provisionados R$ 9,83 bilhões em 2015, que aparecem na linha de outras despesas operacionais. Efetivamente, a companhia gastou R$ 144,4 milhões. (...)

O balanço de 2015 de Samarco foi aprovado sem ressalvas pela auditoria independente, a PricewaterhouseCoopers (PwC). Mas o escritório ressaltou alguns pontos de preocupação em sua ênfase. Em primeiro lugar, os valores provisionados pela companhia, na hora de efetivamente serem pagos, podem ser muito diferentes do previsto. Essa ênfase é normal quando há litígios desse tamanho, pois há sempre uma dificuldade em prever quanto será necessário a companhia gastar. A auditoria também chamou a atenção para o estouro dos limites de alavancagem determinado pelos credores à Samarco. A maioria dos contratos determina um teto de quatro vezes na relação entre dívida líquida e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) e em 2015 o índice ficou em 3,05 vezes. Mas a PwC afirma que no primeiro trimestre, pelo congelamento das operações, o chamado ‘covenant’ foi estourado.”

 

8 Operações Financeiras

ePub Criptografado

A Petrobras deve refazer e republicar as demonstrações financeiras de 2013, 2014 e 2015 por conta do uso da contabilidade de hedge, conforme determinou a área técnica da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na terça-feira. A decisão final da CVM ainda não foi tomada. A estatal diz em comunicado ao mercado divulgado na noite de terça-feira que vai recorrer da exigência e que tomará as medidas necessárias em defesa de seus interesses.

(...)

A Petrobras diz que, ‘conforme divulgado ao mercado em 2013, passou a aplicar às suas exportações a prática contábil conhecida por Contabilidade de Hedge, a partir de maio daquele ano’. ‘Com base na referida prática, que é regulada no Brasil pelo pronunciamento contábil CPC 38 – Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração e pela norma contábil internacional IAS 39 – Financial Instruments Recognition and Measurement, a companhia designa relações de hedge entre ‘exportações futuras altamente prováveis’ e parcelas de certas obrigações em dólares norte-americanos, para que os efeitos cambiais de ambos sejam reconhecidos ao mesmo momento na demonstração de resultado, conforme divulgado ao mercado nas demonstrações contábeis anuais’.

 

9 Ativo Não Circulante – Investimentos

ePub Criptografado

Nova York – O bilionário investidor Warren Buffett negociou um investimento de US$ 3 bilhões na Uber no começo deste ano, mas as conversas acabaram não indo para a frente, segundo fontes com conhecimento do assunto. Buffett geralmente diz que não gosta de investir em empresas de tecnologia, porque não é especialista nessa área, mas seu conglomerado Berkshire Hathaway vem comprando ações da Apple recentemente e hoje já é um dos maiores acionistas da companhia. (...)

O executivo-chefe da Uber, Dara Khosrowshahi, trabalha para preparar a empresa para uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) em 2019. Ele busca reduzir custos, após a companhia registrar um prejuízo de US$ 4,5 bilhões no ano passado, além de melhorar a imagem da Uber, depois de uma série de problemas recentes. Mesmo com o prejuízo, a receita da Uber vem crescendo rapidamente, com expansão anual de 70% no primeiro trimestre deste ano, a US$ 2,59 bilhões. Além disso, a empresa tem uma forte posição de caixa, depois de rodadas anteriores de aporte de capital. No fim de março, a Uber possuía US$ 6,3 bilhões em caixa, segundo dados obtidos pelo Wall Street Journal.”

 

10 Ativo Imobilizado

ePub Criptografado

A Telefônica Brasil, dona da marca Vivo, registrou lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no balanço do quarto trimestre de 2016, crescimento de 9% em relação ao mesmo período de 2015. No ano, o lucro atingiu R$ 4,08 bilhões, alta de 22,6% na comparação anual.

(...)

A companhia atribuiu a evolução do lucro à menor depreciação, devido à reavaliação da vida útil de ativos imobilizados.”

Fonte: SANTANA, Ivone. Valor Econômico, 21 fev. 2017.

Beneficiada por uma série de fatores sem relação direta com suas operações, a empresa de engenharia e construção do grupo Techint no Brasil viu seu lucro líquido passar de R$ 572 mil, em 2015, para R$ 6,02 milhões, no ano passado. As ajudas vieram principalmente da venda de máquinas e equipamentos para outras empresas do grupo e de menos imposto pago.

(...) A linha de ‘outras receitas’ do balanço cresceu 275% – de R$ 2,72 milhões, passou para R$ 10,19 milhões. Desse total, R$ 9,1 milhões dizem respeito a venda de imobilizado, com R$ 8,1 milhões para outras companhias no mesmo grupo. É uma estratégia, segundo as notas explicativas do balanço, de ‘readequar e realocar máquinas e equipamentos estratégicos’ (...).”

 

11 Ativo Intangível

ePub Criptografado

O valor das marcas e das carteiras de clientes adquiridas de terceiros são o principal tipo de ativo intangível das empresas brasileiras listadas em bolsa, depois dos direitos contratuais, como as concessões públicas, segundo estudo exclusivo obtido do Valor.

A pesquisa feita pela consultoria e auditoria Mazars mapeou a maneira como os intangíveis são registrados nos balanços por 12 diferentes setores. Os intangíveis são ativos não físicos considerados estratégicos, por trazerem vantagens competitivas, como domínios de internet e licenças. No Brasil, a partir da Lei 11.638, de dezembro de 2007, passou a existir um lugar para eles nos balanços das empresas. ‘Não existia uma visão consolidada da forma como se faz na prática o registro de intangíveis por setor no Brasil. A proposta foi produzir um diagnóstico da nossa realidade’, diz Fabio Pecequilo, diretor da Mazars.

[...] A firma analisou as demonstrações financeiras de 2012 e 2013 de 228 companhias de capital aberto, reunidas segundo a relevância de seu valor de mercado ou pela listagem em um dos segmentos de governança da bolsa. Os direitos contratuais responderam por 39% dos intangíveis reconhecidos nos últimos dois anos, seguidos por aqueles relacionados a clientes e marcas, com cerca de 5% cada um. Excluídas as empresas de utilidade pública, como geradoras de energia, o valor dos direitos relacionados a contratos representa apenas 4% das transações e é superado pelo preço pago por carteiras de clientes (10,4%) e por marcas (9,4%), mostra o estudo.

 

12 Teste de Impairment

ePub Criptografado

A baixa contábil de R$ 48,3 bilhões divulgada na segunda-feira pela Petrobras, principal causa do maior prejuízo da história da petroleira, é a mais significativa de um trimestre marcado por ajustes contábeis bilionários pelas empresas de capital aberto. Na bolsa brasileira, ao menos cinco companhias registraram perdas elevadas por redução ao valor recuperável de ativos (impairment, na expressão em inglês). Petrobras, Vale, Usiminas, Gerdau e BM&FBovespa divulgaram em seus balanços do quarto trimestre baixas contábeis que somam mais de R$ 90 bilhões. O montante representa cerca de 5% do valor de mercado de todas as 57 companhias que compõem o Ibovespa (R$ 1,83 trilhão). Outras empresas como Grendene, Embraer, Natura, Tractebel, Senior Solution e Mills também registraram baixas por impairment, mas em proporções menores, na casa dos milhões.”

Fonte: CARRANÇA, Thais. Valor Econômico, 23 mar. 2016.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM DO CAPÍTULO

 

13 Tributos Sobre o Lucro

ePub Criptografado

A Gol informou no release de resultados do quarto trimestre que a controlada GLA – principal empresa da holding, responsável pelo transporte aéreo – possui créditos fiscais no montante de R$ 1,4 bilhão.

(...)

‘Face aos recentes acontecimentos no Brasil, instabilidade econômica, oscilações do dólar e demais variáveis que afetaram projeções de resultados futuros, a GLA deixou de registrar os créditos sobre prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social na sua totalidade’, afirma a Gol.

A Gol diz que o grupo (GLA) possui um montante total de créditos fiscais de R$ 62,5 milhões, sendo R$ 58,7 milhões referente a prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social e R$ 3,8 milhões referente a diferenças temporárias, com realização suportada pelo plano de longo prazo da companhia.”

Fonte: OLIVEIRA, João José. Valor Econômico, 7 mar. 2018.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM DO CAPÍTULO

 

14 Demonstração do Resultado Abrangente

ePub Criptografado

A partir do balanço deste ano, ganhos e perdas atuariais gerados por planos de pensão passarão a ser registrados apenas no patrimônio líquido das empresas, na conta ‘outros resultados abrangentes’, acabando a possibilidade de contabilização no resultado ou o uso do método ‘corredor’. (...)

Com base nas premissas atuariais – e dentro do método ‘corredor’ (ver mais ao lado) –, o Banco do Brasil deve reconhecer R$ 1,35 bilhão no resultado de 2012, referente ao saldo positivo no plano 1 da Previ (parcelas mensais de R$ 130 milhões no primeiro semestre e de R$ 96 milhões no segundo). A partir deste ano, com a mudança de regra, esse reconhecimento deixa de existir. As variações serão registradas no PL. (...)”

Fonte: Valor Econômico, 16 jan. 2013.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou hoje em audiência pública uma proposta para proibir que as empresas apresentem o chamado resultado abrangente exclusivamente dentro da demonstração de mutações do patrimônio líquido. Seguindo as exigências do Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade (IASB, na sigla em inglês), a autarquia quer que a demonstração do resultado abrangente seja, obrigatoriamente, apresentada de forma isolada. (...)

 

15 Patrimônio Líquido

ePub Criptografado

Pela segunda vez no ano, o governo reduz as reservas estatutárias do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para realizar o pagamento de dividendos. Em março, foi drenado R$ 1,85 bilhão, montante que ajudou o governo central a fazer um superávit de R$ 3,17 bilhões naquele mês.

(...)

Todo o dinheiro saiu das reservas estatutárias constituídas com o resultado de 2013, que foram zeradas após essas operações. O montante se soma a outros R$ 7 bilhões já pagos no ano passado.”

Fonte: Adaptado de CAMPOS, Eduardo. Valor Econômico, 12 maio 2014.

O Palácio do Planalto autorizou o aumento do capital social da Trensurb, empresa pública que opera trens de Porto Alegre. O decreto permite que a empresa incorpore em seu capital ‘adiantamento para futuro aumento do capital, transferido pela União nos exercícios de 2014 e 2015 e em janeiro de 2016, no montante de R$ 180,6 milhões’.

(...) Além disso, a União fica autorizada a subscrever as ações após a aprovação do aumento do capital social pela assembleia geral de acionistas da Trensurb.”

 

16 Demonstração dos Fluxos de Caixa

ePub Criptografado

Braskem prevê que a geração de caixa deve crescer em 2018 quando comparada à de 2017. De acordo com o presidente da Petroquímica, Fernando Musa, a Braskem teve impactos negativos que afetaram a geração de caixa em 2017 que não devem se repetir esse ano, ajudando na melhora dos números.

‘Devemos ter taxa de juros menor, menores pagamentos de impostos por causa da reforma tributária nos Estados Unidos, o capex deve ser maior e, em geral, o fluxo de caixa livre deve ser maior’, disse Musa.

No entanto, a projeção para o Ebitda (resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização), é de retração na comparação anual.

Musa comentou que a projeção de demanda por resinas no Brasil foi revista de uma alta de 5% para um desempenho de 3 a 4% e que a demanda no país deve recuperar--se ao longo do segundo semestre.”

Fonte: Adaptado de MAIA, Camila. Valor Econômico, 9 ago. 2018.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM DO CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, você será capaz de:

 

17 Demonstração do Valor Adicionado

ePub Criptografado

Da riqueza gerada pelas cem maiores companhias abertas do país por valor de mercado em 2009, que somou R$ 558 bilhões, as três esferas de governo abocanharam 45% na forma de impostos, contribuições e taxas. As empresas retiveram 13,5% do total para engordar seu patrimônio e distribuíram 9,5% aos acionistas na forma de juros sobre capital próprio e dividendos. Os funcionários ficaram com 20% e os credores, com 12%.

Os dados foram coletados pelo Valor a partir da Demonstração do Valor Adicionado, peça que se tornou obrigatória nos balanços das companhias abertas com a edição da Lei no 11.638/07, que mudou a contabilidade no país.

Grosso modo, trata-se da contribuição empresarial para o Produto Interno Bruto (PIB), já que o valor adicionado nada mais é do que o faturamento bruto de uma empresa menos os custos com insumos adquiridos de terceiros, como matérias-primas, mercadorias e energia (…).

A nova demonstração obrigatória vem preencher uma lacuna de informações ‘sociais’ nos balanços das empresas. Para o professor Ariovaldo dos Santos, da Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi), a demonstração de resultados, que mostra as receitas, custos, despesas e o lucro é ‘egoísta e só serve para o dono da empresa’, porque o lucro é apenas uma parte da riqueza gerada pela companhia.”

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
ePub
Criptografado
Sim
SKU
BPE0000270875
ISBN
9788597022469
Tamanho do arquivo
14 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
ePub
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados