Blended

Visualizações: 35
Classificação: (0)

O ensino híbrido, mescla do ensino presencial com o virtual dentro e fora da escola, já se consolidou como uma das tendências mais importantes para a educação do século XXI. As práticas do blended learning têm se disseminado em redes de ensino de todo o mundo, oferecendo aos alunos acesso a um aprendizado mais interessante, eficiente e personalizado às suas necessidades. Michael B. Horn e Heather Staker apresentam nesta obra um guia de referência para implementar o ensino híbrido em instituições de ensino e construir um sistema educacional centrado no aluno.

 

11 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

Capítulo 1. O que é ensino híbrido?

PDF Criptografado

Capítulo

1

O que é ensino híbrido?

É impossível participar dos círculos educacionais atualmente e não ouvir falar no ensino híbrido. Ele está no topo da lista dos temas atuais relacionados a mudanças na educação. Graças, em parte, a Sal Khan, fundador da Khan Academy – que atende mais de dez milhões de estudantes por mês em pelo menos 200 países com sua enorme biblioteca de vídeos instrutivos e exercícios interativos –, a ideia do ensino híbrido está se tornando comum.1 Porém, antes da Khan Academy, e mesmo antes de o termo “ensino híbrido” surgir, milhões de estudantes estavam vivenciando a combinação do ensino on-line em suas escolas. O programa de intervenção da leitura Scholastic READ 180,* que inicialmente era carregado em computadores das escolas por meio de CD-ROMs e, posteriormente, migrou para a internet, está nas salas de aula desde 1998 e hoje atende aproximadamente

1,3 milhão de estudantes em mais de 40 mil salas de aula.2 Embora a extensão exata do ensino híbrido na educação básica dos Estados Unidos seja desconhecida, os especialistas do Grupo de Educação Evergreen estimam que mais de 75% dos distritos oferecem algumas opções on-line ou híbridas.3

 

Capítulo 2. Qualquer sala de aula pode ser híbrida?

PDF Criptografado

Capítulo

2

Qualquer sala de aula pode ser híbrida?

O ensino híbrido pode parecer uma opção interessante, mas ele é para todos?

No final de uma discussão sobre educação que estávamos conduzindo com diretores e administradores no estado de Nova York, um superintendente de um bairro rico nos confidenciou que o ensino híbrido faz muito sentido para alunos com dificuldades em escolas com falta de recursos. No entanto, por que ele deveria arriscar sua reputação e seu capital profissional defendendo uma nova forma de ensinar e aprender quando a abordagem tradicional funcionava muito bem em suas escolas altamente classificadas?

A História está repleta de exemplos de executivos em indústrias que se sentem da mesma forma. Quando a primeira embarcação a vapor comercialmente bem-sucedida viajou pelo Rio Hudson, em 1807, ela teve um desempenho inferior aos navios transoceânicos a vela em praticamente todas as dimensões de desempenho. Sua operação custava mais por milha percorrida, ela era mais lenta e propensa a frequentes avarias. Marinheiros vindos do mar que ouviram falar sobre a tecnologia a vapor, quando chegaram em terra, sem dúvida descartaram a ideia de que o vapor algum dia poderia ser tão bom quanto a clássica e segura vela. O vapor parecia apropriado apenas para viagens modestas, ao longo de lagos ou rios estreitos, onde a capacidade de se mover contra o vento – ou na ausência dele – era importante. Contudo, a vastidão do oceano Atlântico certamente exigia velas.

 

Capítulo 3. Identifique seu desafio

PDF Criptografado

Capítulo

3

Identifique seu desafio

Os estudantes carregam aparelhos em seus bolsos e os utilizam quando e onde for possível. Os professores ouvem falar de novos produtos e se perguntam se alguma coisa poderia ajudar uma criança com dificuldades ou desinteressada em sua classe. Os administradores, que sentem a pressão para produzir resultados de alto nível com um orçamento muito limitado, entendem que as soluções digitais têm melhorado a produtividade média dos trabalhadores na economia geral em mais de 2% ao ano nos últimos 60 anos.1 Muitos se perguntam se a tecnologia poderia lhes dar um impulso também. As escolas não têm escolha a não ser considerar a tecnologia.

Porém, a perspectiva de argumentar a favor de um investimento em tecnologia pode parecer intimidadora. Quem sabe se o plano irá produzir efeito e levar a melhores resultados? Além de propor o investimento, o trabalho de planejar e executar a implementação de um plano de tecnologia é ainda mais assustador. Muitas pessoas acham difícil saber por onde começar. O erro mais comum é iniciar com um apetite deslumbrado pela tecnologia, em vez do interesse no alívio que ela poderia trazer quando aplicada estrategicamente a um problema frustrante. Lamentavelmente, isso leva apenas à sobrecarga de mais dispositivos, telas, aplicativos e programas nas vidas já “ruidosas” dos estudantes e dos professores.

 

Capítulo 4. Organize para inovar

PDF Criptografado

Capítulo

4

Organize para inovar

O capítulo anterior ajuda professores, coordenadores e diretores a darem o primeiro passo na direção do ensino híbrido a partir da definição de um conjunto de problemas e metas sustentados e disruptivos que servem como uma sequência de mudanças. Este capítulo aborda o passo seguinte: organizar a equipe certa para transformar uma sequência de mudanças em uma iniciativa concreta e de alto impacto.

A importância de organizar a equipe certa tornou-se central para nós durante uma conversa telefônica com um grupo de coordenadores escolares de tecnologia de um distrito fora de uma das grandes cidades dos Estados Unidos. Em 2010, o Departamento de Educação dos Estados Unidos havia concedido ao distrito milhões de dólares, como parte da concorrência Investing in Innovation (Investir na Inovação – i3). O distrito comprometeu-se a usar o dinheiro para personalizar a aprendizagem – um ponto de partida convincente para dar início a uma sequência de mudanças. Para alcançar tal objetivo, foi desenvolvido um sistema de informação sofisticado que integrava planos do aluno baseados em padrões, uma recomendação de conteúdo e ferramenta de gestão e uma interface de usuário atraente que os alunos, os professores e os pais pudessem acessar. Porém, poucos anos mais tarde, com a implementação já consolidada, os coordenadores estavam inseguros. Uma das participantes do telefonema nos contou que, apesar do amplo treinamento de professores e apoio do distrito para ajudar a implementar o novo sistema, poucos professores estavam usando as ferramentas para realizar as transformações de longo alcance em suas salas de aula que os coordenadores distritais esperavam ver.

 

Capítulo 5. Motive os alunos

PDF Criptografado

Capítulo

5

Motive os alunos

Com uma sequência de mudanças em mente e a equipe certa definida, você está pronto para começar a planejar sua solução de ensino híbrido. Em última análise, essa solução terá muitas dimensões, incluindo uma estratégia para pessoal, dispositivos, conteúdo, instalações, modelo e cultura. Porém, o ponto de partida para o planejamento, antes de qualquer uma dessas considerações, é entrar na cabeça dos alunos e olhar para a escola através dos olhos deles. A premissa fundamental deste capítulo, e um dos achados mais importantes para planejar um modelo híbrido, é que, quando as escolas estão bem alinhadas com aquilo que importa para elas, os alunos vão à escola motivados e ávidos por aprender. Não é raro ouvir dos pais, nas escolas centradas no aluno, que seus filhos se queixam, aos sábados, que mal podem esperar a segunda-feira para voltar para a escola.

No entanto, quando as equipes planejam a escola sem considerar a perspectiva dos alunos, elas enfrentam resistência a todo momento por parte das próprias pessoas que estão tentando atender. Alguns alunos serão dóceis o suficiente para aderir ao projeto ou terão a sorte de ter uma personalidade que funciona bem nesse modelo, mas muitos eventualmente irão se frustrar com a experiência de sala de aula, e a escola se tornará uma batalha. Nas palavras infelizes de um aluno do ensino fundamental, “A escola me fez odiar a escola”.

 

Capítulo 6. Eleve o ensino

PDF Criptografado

Capítulo

6

Eleve o ensino

Um tema recorrente neste livro é que o ensino híbrido implica mais do que amontoar tecnologia nas salas de aula tradicionais; ele envolve um replanejamento mais profundo do modelo pedagógico. De preferência, o esforço de planejamento começa com uma reflexão sobre as ações necessárias para satisfazer as demandas dos alunos e, então, considerar como integrar as outras partes da escola – dos professores às instalações, ao currículo e à cultura – para proporcionar as experiências certas.

A responsabilidade de integrar, com sucesso, os professores no projeto não é questão pequena. Intuição e uma boa quantidade de evidências mostram a influência duradoura que os bons professores têm sobre os resultados dos alunos.1 Os alunos não podem pagar por uma experiência fracassada na integração de professores. Além disso, mais de três milhões de adultos apenas nos Estados Unidos têm dedicado suas carreiras à docência, e a sociedade depende de continuar a recrutar e reter talentos no futuro. Obter esse direito para os professores é importante.

 

Capítulo 7. Planeje a configuração virtual e física

PDF Criptografado

Capítulo

7

Planeje a configuração virtual e física

Alguns leitores podem ficar surpresos que tenhamos esperado até o Capítulo 7 para falar sobre tecnologia e dispositivos em um livro sobre ensino híbrido. Porém, deixar para abordar este tema nesta altura do livro foi proposital. É muito mais importante tratar primeiro dos problemas, das metas, das equipes e das experiências de alunos e professores. Com muita frequência, as escolas dão prioridade à tecnologia, em vez destas considerações. Com essa base assentada, nos voltamos agora para as questões de tecnologia.

Em 1981, o Osborne Executive entrou no mercado e se tornou o primeiro computador portátil comercialmente bem-sucedido. Ele tinha aproximadamente o tamanho de uma máquina de costura e era anunciado como o único computador que caberia embaixo do assento de um avião. Era revolucionário.

Entretanto, se você avançar para hoje, a comparação entre o Osborne Executive e o iPhone da Apple é risível. O Executive pesava cerca de 100 vezes mais, tinha quase 500 vezes mais volume, era 10 vezes mais caro em valores de hoje e operava com cerca de um centésimo da rapidez do iPhone – com muito menos funcionalidade.1

 

Capítulo 8. Escolha o modelo

PDF Criptografado

Capítulo

8

Escolha o modelo

Você sabe os problemas que quer resolver e organizou suas equipes. Você planejou as experiências que quer proporcionar aos alunos, as oportunidades que quer que os professores tenham em seus trabalhos e a tecnologia e os espaços físicos que gostaria que suas escolas tivessem. Agora é hora de calcular como operacionalizar essa visão. Isso muito provavelmente significa escolher entre os modelos de ensino híbrido que apresentamos no Capítulo 1 e, então, personalizá-los para realizar seu plano.

Em 2013, Todd Sutler, Brooke Peters e Michelle Healey iniciaram uma viagem ao redor dos Estados Unidos, da Finlândia e da Itália para pesquisar as práticas preferidas para sua charter school no Brooklyn. Sob a bandeira da

“Iniciativa Odisseia”, a equipe visitou as instalações, conversou com os alunos e sondou os professores em mais de 70 escolas inovadoras.1 A CityBridge

Foundation e o NewSchools Venture Fund patrocinaram uma viagem semelhante no mesmo ano, quando enviaram 12 professores de todo o país para visitar programas de ensino híbrido antes de implementar salas de aulas híbridas em suas escolas locais em Washington, D.C.

 

Capítulo 9. Crie a cultura

PDF Criptografado

Capítulo

9

Crie a cultura

Alguma vez você entrou em uma escola que, na teoria, parecia fantástica, mas, na prática, era simplesmente “apagada”? Os alunos não estavam fazendo o que deveriam; os professores pareciam cansados; ou talvez as instalações fossem confusas. Após todo o debate e o planejamento que entram na criação de uma inovação na educação, a execução ainda importa muito. E, quando a cultura não é certa, ou é desigual, a execução pode desmoronar. Muitos consideram a cultura um assunto nebuloso para dedicar um capítulo em um livro sobre planejar e implementar o ensino híbrido a partir do zero. É uma daquelas coisas sobre as quais as pessoas tendem a falar em termos oblíquos; elas sugerem que a cultura de uma organização está simplesmente no ar do lugar.

“Você conhece a cultura quando você a sente”, eles dizem com frequência.

Porém, a cultura é uma parte fundamental do sucesso de qualquer programa de ensino híbrido. Um amigo que trabalha em escolas híbridas uma vez nos comentou: “O ensino híbrido acelera uma boa cultura e a torna excelente, mas ele também irá acelerar uma má cultura e torná-la terrível”.1

 

Capítulo 10. Descubra seu caminho para o sucesso

PDF Criptografado

Capítulo

10

Descubra seu caminho para o sucesso

Os líderes com frequência expressam preocupação sobre realizar uma inovação quando crianças estão envolvidas. Inovação implica experimentação e incerteza. Não é muito arriscado implementar a inovação disruptiva, bem como a inovação sustentada avançada nas escolas, sendo que o bem-estar das crianças está em jogo? Como o poeta Robert Burns observou, “Os melhores planos de ratos e homens costumam dar errado”.1 E os educadores sabem que raramente novos planos ousados sobrevivem à implementação com estudantes reais.

Em alguns casos, naturalmente, o risco de dar errado é baixo, e os líderes podem avançar com uma ação rápida para implantar a inovação em toda a escola. Porém, isso só acontece quando três condições são satisfeitas:2

• Primeiro, você deve ter um plano que trate de todos os detalhes importantes necessários para o sucesso, com um alto grau de confiança de que as suposições que estão sendo feitas são corretas, e os responsáveis pela implementação devem entender cada ponto importante.

 

Capítulo 11. Conclusão

PDF Criptografado

Capítulo

11

Conclusão

Inovação é um processo, não um evento.

Neste livro, buscamos primeiro mostrar as oportunidades sem precedentes que inovar com o conjunto emergente de ferramentas de ensino on-line oferece aos alunos, aos professores, às escolas e à sociedade e, então, descrever um processo para compreender esses benefícios.

Porém, seguir esse processo uma vez – mesmo para inovações fora do ensino híbrido – não constitui o fim da viagem. Como observamos no Capítulo 10, inspirar um éthos de melhoria contínua – sempre buscando aprender e fazer melhor – é importante. Progredir e nunca ficar parado é a marca de sociedades e escolas saudáveis e modela a capacidade para aprendizagem ao longo da vida, que buscamos suscitar nos alunos. Esperamos que as ideias deste livro o estimulem – e aos educadores ao redor do mundo – a desenvolver um ritmo constante de inovação.

A adoção dessa mentalidade de inovação será fundamental para alcançar o sucesso. Embora o ensino híbrido ofereça enorme potencial para personalizar o ensino para as diferentes necessidades de cada aluno e para liberar tempo de professor e estudante para focalizarem em muitas das atividades que são fundamentais para o sucesso do aluno, mas que muito frequentemente recebem pouca atenção hoje, ainda é cedo. Na verdade, existem grandes histórias de sucesso na área – descrevemos várias delas neste livro –, e alguns caminhos claros à frente. Porém, tanto as ferramentas on-line quanto os próprios modelos de ensino híbrido estão em contínua evolução. Os professores não têm dificuldade para indicar suas listas de desejos de como as tecnologias disponíveis precisam melhorar. Os educadores inovadores estão misturando

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
eBook
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
BPP0000270848
ISBN
9788584290451
Tamanho do arquivo
3,4 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados