Casos Clínicos em Neurociências

Visualizações: 74
Classificação: (0)

Este livro apresenta 49 casos clínicos que abordam conceitos fundamentais de neurociências. Por meio de uma discussão completa sobre cada tema abordado, definição de termos-chave, dicas e ênfase em tópicos relevantes, além de questões de compreensão, esta obra permite a estudantes e residentes assimilar as informações e aprimorar seus conhecimentos em um contexto real.

7 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

Introdução

PDF Criptografado

INTRODUÇÃO

Dominar áreas extensas e variadas do conhecimento dentro de um campo tão amplo como a neurociência não é uma tarefa fácil. É ainda mais difícil extrair o conhecimento, relacioná-lo com casos clínicos e aplicá-lo ao contexto do paciente individualmente. Para aprender essas habilidades, bons modelos, orientação adequada por professores experientes e inspiração para uma leitura assídua e autodirigida são fundamentais. Claramente, não há substituto para a educação no laboratório de pesquisa. Mesmo com conhecimento exato da ciência básica, a aplicação desse conhecimento nem sempre é fácil. Assim, esta coleção de casos de pacientes foi projetada para simular uma abordagem clínica e enfatizar a relevância clínica nas neurociências. No entanto, também é importante lembrar que, embora muitas vezes se mencione que “a pesquisa no laboratório vai até o leito clínico”, na verdade, a curiosidade e a perspicácia das hipóteses do clínico é que impulsionam pesquisadores básicos a refletir sobre certas questões no laboratório. Por isso, é igualmente poderoso dizer que o caminho é “do leito clínico ao laboratório de pesquisa”. É por esse caminho que esperamos que este livro também estimule seus leitores.

 

1. Quadro geral

PDF Criptografado

2

TOY, SNYDER, NEMAN & JANDIAL

1. Quadro geral

A neurociência é única, pois integra um entendimento da ciência em vários níveis, a partir de uma compreensão molecular de eventos, como, por exemplo, desde os receptores ao nível das sinapses até uma compreensão global dos tratos sensoriais/ motores e suas interações espaciais. É por meio do entendimento de todos estes conceitos que o aluno pode compreender melhor as apresentações clínicas dos distúrbios neurológicos e a teoria envolvida nas diferentes opções de tratamento. O aluno deve abordar cada tópico em neurociência em ambos os aspectos, se aplicável. Por exemplo, ao estudar a esclerose múltipla (EM), o aluno deve compreender que essa doença em nível molecular envolve a destruição de oligodendrócitos, responsáveis pela formação e pela manutenção da bainha de mielina em torno dos axônios do sistema nervoso central. O estudante, então, deve revisar os nódulos de Ranvier e os conceitos relativos à condução saltatória do potencial de ação. Em seguida, ele deve avaliar a condição de uma perspectiva neuroanatômica. Por exemplo, se o paciente com EM apresenta prejuízo na adução do olhar à direita, mas convergência normal e abdução normal ao olhar para a esquerda, o aluno terá condições não só de diagnosticar que o paciente possui uma oftalmoplegia intranuclear (OIN) à esquerda, mas também de entender que a lesão se localiza no fascículo longitudinal medial (FLM) à esquerda, e poderá seguir com a revisão da anatomia do trato FLM

 

2. Conhecer as vias

PDF Criptografado

2

TOY, SNYDER, NEMAN & JANDIAL

1. Quadro geral

A neurociência é única, pois integra um entendimento da ciência em vários níveis, a partir de uma compreensão molecular de eventos, como, por exemplo, desde os receptores ao nível das sinapses até uma compreensão global dos tratos sensoriais/ motores e suas interações espaciais. É por meio do entendimento de todos estes conceitos que o aluno pode compreender melhor as apresentações clínicas dos distúrbios neurológicos e a teoria envolvida nas diferentes opções de tratamento. O aluno deve abordar cada tópico em neurociência em ambos os aspectos, se aplicável. Por exemplo, ao estudar a esclerose múltipla (EM), o aluno deve compreender que essa doença em nível molecular envolve a destruição de oligodendrócitos, responsáveis pela formação e pela manutenção da bainha de mielina em torno dos axônios do sistema nervoso central. O estudante, então, deve revisar os nódulos de Ranvier e os conceitos relativos à condução saltatória do potencial de ação. Em seguida, ele deve avaliar a condição de uma perspectiva neuroanatômica. Por exemplo, se o paciente com EM apresenta prejuízo na adução do olhar à direita, mas convergência normal e abdução normal ao olhar para a esquerda, o aluno terá condições não só de diagnosticar que o paciente possui uma oftalmoplegia intranuclear (OIN) à esquerda, mas também de entender que a lesão se localiza no fascículo longitudinal medial (FLM) à esquerda, e poderá seguir com a revisão da anatomia do trato FLM

 

3. Entender a terminologia

PDF Criptografado

CASOS CLÍNICOS EM NEUROCIÊNCIAS

3

é ascendente (o sentido da informação desloca-se cranialmente). A terceira etapa envolve conhecer as secções transversais tão completamente que o estudante pode visualizar ou desenhar qualquer secção transversal, incorporando todos os tratos e núcleos envolvidos nessa secção. Durante todo o processo de estudo, os alunos devem estar se perguntando: se houver uma lesão nessa estrutura ou a este nível, que sintomas irão se manifestar?

3. Entender a terminologia

Embora seja mais fácil memorizar a terminologia médica sem entender a origem do termo, é muito mais eficaz a longo prazo compreender a razão por trás do nome de uma estrutura ou condição patológica. Voltando ao nosso exemplo da EM, o termo esclerose refere-se às placas ou lesões na substância branca, enquanto o termo múltipla se refere à variedade de local e tempo. Em outras palavras, a fim de diagnosticar EM, o paciente deve ter pelo menos duas lesões anatomicamente distintas que ocorrem em dois períodos diferentes. Da mesma forma, o estudante não deve simplesmente memorizar estruturas como o trato espinotalâmico e os tratos corticospinais anteriormente mencionados. Em vez disso, deve entender que o trato espinotalâmico recebe a informação no nível da medula espinal que percorre até fazer sinapses nos núcleos talâmicos. Da mesma forma, o trato corticospinal envia informação proveniente de células no córtex motor para a medula espinal, o que, no final, coordena o movimento muscular via neurônios motores inferiores.

 

Seção II - Casos clínicos

PDF Criptografado

SEÇÃO II

Casos clínicos

Toy_Neurociências_Seção II_Caso 1.indd 5

28/09/2015 14:20:15

Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

CASO 1

Um paciente de 53 anos chega à emergência após uma crise epiléptica generalizada de início recente. Após a crise, ele se apresenta alerta e orientado quanto a pessoa, lugar e tempo, embora não tenha qualquer memória específica da ocorrência da crise. Não se observam déficits neurológicos ao exame físico, mas a imagem por ressonância magnética (RM) e a tomografia por emissão de pósitrons (PET, positron emission tomography) indicam a presença de uma lesão cerebral. O paciente é submetido à cirurgia para ressecção do tumor e é diagnosticado com um tumor encefálico maligno primário identificado como um glioblastoma multiforme (GBM). O plano do neurocirurgião é colocar o paciente sob profilaxia antiepiléptica de longo prazo e esteroides em combinação com radioterapia estereotáxica.

XXQue

outros tipos de tumores têm estreita relação com a malignidade desse tumor no paciente?

 

Lista por número do caso

PDF Criptografado

LISTA POR NÚMERO DO CASO

No DO CASO ASSUNTO

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

Tipos celulares do sistema nervoso

Neurônio

Propriedades elétricas dos neurônios e potencial de repouso da membrana

Bainha de mielina e potencial de ação

Sinapses

Integração sináptica

Tipos de neurotransmissores

Liberação de neurotransmissores

Receptores de neurotransmissores

Junção neuromuscular

Desenvolvimento do sistema nervoso central

Desenvolvimento do sistema nervoso periférico

Neurulação

Neurogênese

Determinação do destino celular

 

Lista por assunto (em ordem alfabética)

PDF Criptografado

402  

TOY, SNYDER, NEMAN & JANDIAL

LISTA POR ASSUNTO (EM ORDEM ALFABÉTICA) no DO CASO ASSUNTO

36

22

4

39

26

43

48

24

35

11

12

15

44

29

38

17

47

28

49

6

10

41

37

8

45

16

27

14

2

13

20

25

21

42

3

18

9

40

5

46

34

32

31

33

30

1

7

19

23

Adição

Audição

Bainha de mielina e potencial de ação

Células-tronco neurais

Cerebelo

Cognição espacial

Consciência

Controle do movimento

Controle neural da respiração

Desenvolvimento do sistema nervoso central

Desenvolvimento do sistema nervoso periférico

Determinação do destino celular

Distúrbios de linguagem

Eixo neuroendócrino

Fatores de crescimento do nervo

Formação do córtex cerebral

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
eBook
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
MFPP000001958
ISBN
9788580555387
Tamanho do arquivo
15 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados