Suplementação Nutricional no Esporte, 2ª edição

Visualizações: 138
Classificação: (0)

Suplementação Nutricional no Esporte aborda um tema muito relevante nos dias atuais: a nutrição e o desempenho físico. Os capítulos incluem bioenergética, suplementação de lipídios, proteínas, carboidratos e vitaminas, bem como hidratação e doping. Além dos conhecimentos básicos relevantes, são discutidos aspectos da aplicação e do desempenho esportivo. Trata-se de texto de fundamental relevância para estudantes e profissionais de Educação Física, Nutrição, Medicina do Esporte e Fisioterapia, assim como técnicos, praticantes de esporte e demais interessados._x000D_
Elaborada com muita competência pelos organizadores e colaboradores – pesquisadores reconhecidos nas suas respectivas áreas de interesse –, esta segunda edição foi reestruturada didaticamente em Partes, suas imagens foram todas refeitas ou substituídas, seu texto foi revisado e atualizado com base em recentes publicações científicas, e seu conteúdo, acrescido de dois novos temas._x000D_
_x000D_
Diferenciais_x000D_
Tema muito relevante na atualidade_x000D_
O organizador Antônio Herbert Lancha Jr. é reconhecido no país e no exterior por seu trabalho nos campos da pesquisa e do ensino_x000D_
Segunda edição reestruturada, revisada e atualizada, com novas imagens e conteúdo ampliado.

FORMATOS DISPONíVEIS

13 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

1 - Bioenergética

PDF Criptografado

Capítulo 1

Bioenergética

André dos Santos Costa e Jakeline Francelino

INTRODUÇÃO

A atividade física causa mudanças na natureza química das células musculares, resultando na ativação de diferentes vias de sinalização que informarão ao sistema nervoso central que houve alteração na homeostase. O conceito de homeostase, difundido por Walter Bradford Cannon (1929), derivou do princípio do meio interno descrito por Claude Bernard em 1911, em que os elementos que interagem diretamente com a célula (sangue e demais fluidos) devem ser preservados em patamares que garantam as funções da célula e não sejam modificados pelo ambiente externo. Assim, a bioenergética assume papel relevante na conservação do equilíbrio do meio interno, ou seja, na manutenção da homeostase, pois se refere ao estudo dos vários processos químicos que tornam possível a continuidade das funções celulares do ponto de vista energético.

Quando se realiza qualquer tipo de atividade física, a demanda energética

 

2 - Suplementos Lipolíticos

PDF Criptografado

Capítulo 2

Suplementos Lipolíticos

Rodolfo Gonzalez Camargo, Daniela Caetano Gonçalves e Marília Cerqueira Leite Seelaender

INTRODUÇÃO

Hoje em dia, o apelo da mídia aliado a um aumento expressivo no número de obesos tem levado um contingente enorme de pessoas a buscar procedimentos eficazes de redução da gordura corporal, por meio de dieta balanceada, prática regular de exercícios físicos e, muitas vezes, utilização de medicamentos e suplementos que possam contribuir nesse processo. Há um número grande de suplementos que prometem potencializar a redução do percentual de gordura corporal, por modular positivamente vias de sinalização que culminam na liberação de ácidos graxos do tecido adiposo, processo este conhecido como lipólise, ou por modular negativamente as vias de sinalização de síntese de triacilgliceróis (TG), ou seja, a lipogênese.

O tecido adiposo armazena gordura na forma de TG e representa a maior reserva de energia nos seres humanos. Em situações de balanço energético positivo devido a um excesso no consumo de energia, lipídios presentes na dieta são absorvidos por células do tecido adiposo, esterificados em TG e armazenados em gotículas lipídicas citosólicas. Em condições em que a demanda por energia é maior do que a oferta, ou seja, o balanço energético é negativo, como o jejum ou o exercício, a mobilização de energia endógena se faz necessária, e assim, o processo de lipólise é ativado e os TG armazenados no tecido adiposo são hidrolisados, liberados para a circulação na forma de ácidos graxos livres

 

3 - Compensadores Alimentares

PDF Criptografado

Capítulo 3

Compensadores

Alimentares

Eduardo Medeiros Ferreira Gama, Patricia Soares Rogeri e Antonio Herbert Lancha Jr.

INTRODUÇÃO

Nas últimas décadas, o mundo passou por diversas modificações que transformaram o modo de vida da população, entre elas, as mudanças nos hábitos alimentares, como a substituição de alimentos in natura de origem vegetal

(arroz, feijão, mandioca, batata, legumes e verduras) e preparações culinárias

à base desses alimentos, por produtos prontos para consumo. Essas alterações contribuíram, pelo menos em parte, para o desequilíbrio na oferta de nutrientes e a ingestão excessiva de calorias, promovendo mudanças na composição corporal.

Paradoxalmente às deficiências de micronutrientes e à desnutrição crônica ainda serem prevalentes em determinados grupos da população, o Brasil vem enfrentando um aumento expressivo de sobrepeso e obesidade em todas as faixas etárias. Segundo o último levantamento do Ministério da Saúde, o sobrepeso atinge 53% da população e 1 em cada 5 brasileiros já apresenta obesidade (Figura 3.1).

 

4 - Suplementos Tamponantes

PDF Criptografado

Capítulo 4

Suplementos

Tamponantes

Marcus Vinicius Lucio dos Santos e Ronaldo Vagner Thomatieli dos Santos

INTRODUÇÃO

O exercício físico representa um desafio ao organismo. De acordo com a intensidade de sobrecarga, a homeostase é quebrada e, para atender à demanda imposta pela maior necessidade de produção de energia, substratos e oxigênio devem ser disponibilizados. Ao mesmo tempo, remover metabólitos considerados tóxicos aos tecidos é fundamental para garantir o bom funcionamento celular. Para tanto, alterações fisiológicas e bioquímicas acontecem, resultando em maior disponibilidade de glicose e ácidos graxos e reordenamento das vias de utilização desses substratos para a produção de energia.

Durante o exercício moderado, a liberação de hormônios lipolíticos associada

à demanda maior por energia faz com que as vias aeróbias de produção de energia sejam predominantes, tendo as vias oxidativas e a cadeia transportadora de elétrons papel fundamental na execução dos exercícios moderados por períodos prolongados. Por outro lado, quando a intensidade do exercício aumenta a ponto de as vias aeróbias não serem capazes de suprir a maior demanda por energia em curto espaço de tempo, as vias anaeróbias passam a ter papel crucial na síntese de novas moléculas de adenosina trifosfato (ATP). Por conseguinte, cresce a importância da glicólise, que produz elevada quantidade de ATP a despeito de este ser fruto dos estoques endógenos de glicogênio e glicose e, portanto, limitados.

 

5 - Hidratação

PDF Criptografado

Capítulo 5

Hidratação

Marcelo Luis Marquezi, Antonio Herbert Lancha Jr. e Luciana Pereira Oquendo Lancha

INTRODUÇÃO

A água, nutriente essencial para a vida, desempenha diferentes funções no organismo: sustenta grande parte da estrutura das células e preenche o espaço entre elas; atua como solvente para diversas substâncias; participa da maior parte das reações bioquímicas do corpo; e desempenha importante papel durante a digestão, a absorção, o transporte e a utilização de nutrientes. Além disso, atua como regulador da temperatura corporal e do equilíbrio acidobásico.

Aproximadamente 60% de nossa massa corporal é constituída pela água, correspondendo a 42 l em um indivíduo adulto de 70 kg. No corpo, a água é distribuída entre os fluidos dos espaços intra (40% da massa corporal) e extracelulares (20% da massa corporal). O conteúdo hídrico intracelular tem como função manter a integridade e a funcionalidade das células, enquanto o conteúdo extracelular promove manutenção das condições necessárias para a constante atividade destas. O fluido extracelular é composto pelo fluido intersticial (15% da massa corporal) e plasma sanguíneo (5% da massa corporal).

 

6 - Suplementos de Carboidratos

PDF Criptografado

Capítulo 6

Suplementos de

Carboidratos

José Cesar Rosa Neto, Luana Amorim Biondo e Alexandre Abílio de Souza Teixeira

INTRODUÇÃO

Os carboidratos são macronutrientes que, além de serem utilizados como substratos energéticos essenciais para o metabolismo celular, são potentes moduladores das respostas agudas e das adaptações fisiológicas crônicas frente ao exercício físico. A suplementação de carboidrato é a estratégia mais antiga e bem estudada entre todas as estratégias ergogênicas ligadas à suplementação esportiva.

O primeiro estudo de que se tem notícia e que demonstrou a importância da glicose como importante fonte energética para corredores de longa distância

é datado de 1924. Nele foi relatado que corredores de maratona apresentavam hipoglicemia associada à fadiga. A partir daí muitos estudos corroboraram o fato de que a glicose é um macronutriente fundamental para a manutenção do desempenho em exercícios de longa duração. Na década de 1960, com o advento da biopsia muscular, diversos autores demonstraram a depleção de glicogênio muscular causada no músculo de indivíduos que se exercitavam em esportes aeróbios de longa duração, mas até o fim dos anos 1980 a principal estratégia em provas longas era a hidratação com água, só sendo observada a introdução do carboidrato em fluido para melhora do desempenho nesse tipo de exercício no início da década de 1990.

 

7 - Suplementos de Proteínas e Aminoácidos

PDF Criptografado

Capítulo 7

Suplementos de

Proteínas e Aminoácidos

André dos Santos Costa, Felipe Pereira Ventura dos Santos e Antonio Herbert Lancha Jr.

INTRODUÇÃO*

A macromolécula orgânica proteína, termo derivado da palavra prōteîos, do grego, primário, é de suma importância para os seres humanos, pois além de ser, junto com as moléculas de água, um dos elementos mais abundantes nas células, ela também possui inúmeras funções. As proteínas são responsáveis por mecanismos contráteis (actina e miosina), pela sustentação do corpo (colágeno e citoesqueleto), por processos biológicos (biossíntese de enzimas e alguns hormônios), pelo transporte de moléculas (albumina, hemoglobina, mioglobina e fármacos), pelos mecanismos de defesa do organismo (imunoglobulinas e interferona), por contribuir para a sinalização intra e entre células e tecidos, e por servir como substrato energético para o organismo em situações extremas (1 g de proteína fornece 4 kcal ou 17 kJ).

Estima-se que no corpo de um homem adulto de 70 kg haja aproximadamente 12 kg de proteínas e 200 a 220 g de proteínas e/ou aminoácidos livres (ou pool de aminoácidos), com apenas 5 g (variando entre 20 mmol/l e

 

8 - Suplementos de Lipídios

PDF Criptografado

Capítulo 8

Suplementos de Lipídios

Daniela Caetano Gonçalves, Rodolfo Gonzalez Camargo e Marília Cerqueira Leite Seelaender

INTRODUÇÃO

Os lipídios são macronutrientes que apresentam diversas funções no organismo. O triacilglicerol é a principal molécula lipídica encontrada na alimentação e é capaz, como uma de suas funções, de fornecer energia tanto para as células como formar estoques de energia no organismo a partir de seu armazenamento no tecido adiposo. Entretanto, os triacilgliceróis podem apresentar diferentes composições de ácidos graxos, alterando sua função. Os ácidos graxos saturados são responsáveis pelo fornecimento de energia ao organismo, e os insaturados têm funções sinalizadoras, são precursores de hormônios e desencadeiam diversas reações metabólicas, como regulação do processo inflamatório.

Além do triacilglicerol, outras moléculas são consideradas lipídicas, como o colesterol, que está envolvido com a formação de membranas celulares, é componente dos sais biliares, precursor de hormônios esteroides e da vitamina D, e os fosfolipídios, que são os principais componentes da bicamada lipídica das membranas celulares, além de compor os sais biliares e as lipoproteínas.

 

9 - Suplementos de Minerais

PDF Criptografado

Capítulo 9

Suplementos de Minerais

Fernando Mata Ordoñez, Pedro Carrera Bastos, Andrea Bonvini e Marcelo Macedo Rogero

INTRODUÇÃO

A ingestão adequada de micronutrientes na dieta de atletas é um dos principais pilares para garantir o desempenho e a saúde desses indivíduos. Dentre esses micronutrientes, destacam-se os minerais, como cálcio, magnésio, ferro, cromo, zinco e iodo. Neste capítulo visa-se sintetizar o conhecimento disponível sobre os minerais no contexto do exercício físico, abordando temas relacionados à biodisponibilidade, ao metabolismo, às recomendações dietéticas e aos aspectos funcionais desses micronutrientes.

CÁLCIO

O cálcio é um dos cátions mais prevalentes no corpo humano; mais de 99% desse mineral encontra-se nos ossos e dentes e o restante nas células (onde está, na sua maioria, sequestrado em organelas, como o retículo endoplasmático e o núcleo), no fluido extracelular e no plasma.

As fontes mais significativas de cálcio são o leite e seus derivados (queijo e iogurte), as sementes de sésamo, chia e linhaça, a couve-galega e as amêndoas e avelãs. A ingestão dietética recomendada (Recommended Dietary Allowance

 

10 - Suplementos de Vitaminas

PDF Criptografado

Capítulo 10

Suplementos de

Vitaminas

Thiago Onofre Freire, Aline Pereira Queiroz, Bruno Dias da Costa e Israel Adolfo Miranda Busto

INTRODUÇÃO

Vitaminas são compostos orgânicos essenciais ao funcionamento adequado do corpo humano. São muito importantes na regulação do metabolismo pois atuam, direta ou indiretamente, como cofatores em diversas reações enzimáticas responsáveis pela produção de energia. Também são fundamentais no metabolismo dos macronutrientes, na proteção contra os radicais livres e na atividade do sistema imunológico. A ingestão adequada de vitaminas, pela alimentação ou suplementação, merece ser estudada para maximizar o desempenho esportivo e a saúde do corpo humano.

As vitaminas podem ser classificadas de acordo com seu grau de solubilidade, sendo hidrossolúveis as vitaminas C e do complexo B, e as lipossolúveis as vitaminas A, D, E e K. As vitaminas hidrossolúveis são absorvidas no intestino delgado pela ação de carreadores ou receptores presentes na borda em escova. Há ainda algumas peculiaridades, como é o caso da cianocobalamina

 

11 - Microbiota Intestinal e Probióticos Aplicados aos Praticantes de Exercício Físico e Atletas

PDF Criptografado

Capítulo 11

Microbiota Intestinal e

Probióticos Aplicados aos

Praticantes de Exercício

Físico e Atletas

Geovana S. F. Leite, Ayane de Sá Resende, Aline Vasques da Costa e Antonio Herbert Lancha Jr.

COMPOSIÇÃO DA MICROBIOTA HUMANA

O trato gastrintestinal (TGI) é colonizado por trilhões de microrganismos

(bactérias, fungos, protozoários), conhecidos como microbiota intestinal. Esta colonização estabelece uma relação simbiótica que é benéfica para ambos (microrganismos e hospedeiro) desde o nascimento do hospedeiro.

A microbiota intestinal normal do ser humano é vasta tanto em massa quantitativa absoluta quanto em diversidade qualitativa, atingindo uma densidade de 10¹² bactérias por grama de conteúdo no intestino grosso. A composição da microbiota é alterada em duas fases no início da vida: do nascimento ao desmame e do desmame até a vida adulta, sendo tais alterações impulsionadas pelo aumento da diversidade na dieta.

No início da vida, uma das grandes influências para a colonização da microbiota intestinal é o tipo de parto. No parto normal, o bebê entra em contato com as bactérias comensais a partir do contato com o canal vaginal da mãe, sendo a colonização inicial da criança nascida por parto normal muito semelhante às bactérias presentes na mucosa vaginal da mãe. Já no parto cesáreo, as

 

12 - Novos Recursos Ergogênicos com Potencial para Aumento - de Desempenho Esportivo | ATP, Malato-Citrulina e Sais de - Cetona

PDF Criptografado

Capítulo 12

Novos Recursos Ergogênicos com Potencial para

Aumento de Desempenho

Esportivo | ATP, MalatoCitrulina e Sais de Cetona

Fernanda Lima-Soares, Kassiana Araujo Pessôa e Nelo Eidy Zanchi

INTRODUÇÃO

A descoberta de substâncias com propriedades ergogênicas constitui um desafio para as ciências nutricionais. Identificadas essas propriedades, a caracterização de sua especificidade (tipo de atividade na qual melhora o desempenho), a dosagem, a forma de administração e os mecanismos de ação são necessários. Em busca recente na literatura (e também em sites especializados na área de nutrição esportiva), pudemos observar que três “novos” compostos vêm sendo utilizados como recursos ergogênicos nutricionais, com boas perspectivas de melhora do desempenho esportivo, um deles com possibilidade de utilização no âmbito clínico. São eles a adenosina trifosfato (ATP), a malato-citrulina e os sais de cetona. Essas substâncias, quando ingeridas por indivíduos praticantes de atividades físicas, são capazes de potencializar o metabolismo energético muscular em diversos níveis, que vão desde o aumento

 

13 - Doping

PDF Criptografado

Capítulo 13

Doping

Patricia Soares Rogeri e Érico Chagas Caperuto

INTRODUÇÃO

A busca do ser humano pela melhora do rendimento não é uma novidade. A observação desse fenômeno ao longo da história mostrou que a motivação por essa busca variava entre reduzir o sofrimento provocado pelo trabalho excessivo no campo e melhorar efetivamente a capacidade de trabalho.

Albert Schweitzer, em sua passagem pelo Gabão ainda no início do século XX, observou que determinadas ervas, quando mascadas pela população local, mantinham o indivíduo trabalhando o dia todo sem que sentisse fome ou perdesse o bom humor. Já os guerreiros escandinavos da era dos vikings

(chamados de Berserkers) se utilizavam do Butotens, um cogumelo (Amanita muscaria) que aumentava o vigor em cerca de 12 vezes, mas causava alucinações.

No início do século XX, o termo doping passou a ser usado para cavalos de corrida, mas a verdade é que o doping é tão antigo quanto o esporte.

DEFINIÇÃO

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
BPP0000269458
ISBN
9788527734578
Tamanho do arquivo
12 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados