Bases Teóricas de Enfermagem - 4ª Edição

Visualizações: 238
Classificação: (0)

As diferentes teorias aqui apresentadas receberam novas informações e exemplos de sua aplicação sempre que pertinente, incluindo novas teorias de médio alcance em enfermagem. Além disso, esta edição apresenta um capítulo sobre a prática baseada em evidências, salientando sua relação com a teoria em enfermagem e apresentando os diferentes modelos em geral utilizados pelosprofissionais da área.

FORMATOS DISPONíVEIS

Impresso
eBook

22 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

Capítulo 1 - Filosofia, ciência e enfermagem

PDF Criptografado

CAPÍTULO 1

Filosofia, ciência e enfermagem

Melanie McEwen

Principalmente devido ao trabalho dos cientistas, dos teóricos e dos estudiosos de enfermagem durante as últimas cinco décadas, a enfermagem tem sido reconhecida como profissão emergente e disciplina acadêmica. As inúmeras discussões relacionadas aos fenômenos de interesse dos enfermeiros e os incontáveis esforços para intensificar o envolvimento na utilização, na geração e nos testes da teoria para orientar a pesquisa e melhorar a prática foram essenciais para atingir essa distinção.

Uma revisão da literatura de enfermagem desde o final da década de 1970 até a atualidade mostra discussões esporádicas sobre a enfermagem ser uma profissão, uma ciência ou uma disciplina acadêmica. Essas discussões são, algumas vezes, súplicas frequentemente esotéricas e, em algumas ocasiões, confusas. As questões levantadas incluem: o que define uma profissão? O que constitui uma disciplina acadêmica? O que é a ciência da enfermagem? Por que é importante para a enfermagem ser vista como profissão ou como disciplina acadêmica?

 

Capítulo 2 - Visão geral da teoria na enfermagem

PDF Criptografado

CAPÍTULO 2

Visão geral da teoria na enfermagem

Melanie McEwen

Matt Ng é enfermeiro no setor de emergência há quase seis anos e, recentemente, decidiu inscrever-se em um programa de pós-graduação para se tornar enfermeiro especialista em paciente crítico. Ao ler as exigências para o pós-graduação, Matt ficou um tanto espantado. Uma das primeiras disciplinas exigidas no programa era intitulada Aplicação da teoria na enfermagem. Ele se interessava pelas disciplinas de farmacologia avançada, investigação física avançada e fisiopatologia e estava entusiasmado com as disciplinas de prática clínica avançada, mas uma disciplina que focalizava a teoria de enfermagem não parecia aplicável às suas metas.

Examinar o conteúdo da disciplina e a aplicação da teoria não o tranquilizou, mas ele estava determinado a tirar o melhor proveito da situação e foi para a primeira aula com a mente aberta. Os primeiros períodos de aula foram cada vez mais interessantes, pois os estudantes e o professor discutiram a evolução histórica da enfermagem e os estágios do desenvolvimento da teoria de enfermagem.

 

Capítulo 3 - Desenvolvimento de conceito: Esclarecimento do significado dos termos

PDF Criptografado

CAPÍTULO 3

Desenvolvimento de conceito:

Esclarecimento do significado dos termos

Evelyn M. Wills e Melanie McEwen

Mary Talbot é uma enfermeira de atendimento domiciliar com vários anos de experiência. Recentemente, Mary recebeu a atribuição de cuidar da senhora Janet

Benson, que foi submetida a uma mastectomia. O relatório da patologia revelou um carcinoma in situ, de crescimento lento, não invasivo, sem gânglios envolvidos, e ausência de metástases constatada em exames posteriores. A senhora Benson ficou agradecida por estar, provavelmente, livre da doença.

No hospital, ela evoluiu bem. Porém, depois que recebeu alta e iniciou a quimioterapia, chorava com frequência por coisas aparentemente triviais. Seu marido chamou Mary porque ficou preocupado com esse comportamento, que não era habitual na esposa. Normalmente, ela era contida, estoica e aceitava as circunstâncias da vida, raras vezes, demonstrando emoções excessivas. Para melhor entender a reação da senhora Benson e planejar o cuidado apropriado, Mary consultou Rebecca Wallis, uma enfermeira especialista em oncologia (ONS – oncologist nurse specialist). Depois de discutir o caso com Mary, Rebecca marcou uma consulta para os Benson. A fim de obter dados tanto do senhor Benson quanto da esposa, Rebecca pediu que cada um deles falasse a respeito de como se sentia sobre o câncer. O esposo respondeu que a perda do seio da sua esposa significava pouco para ele; ele a amava do mesmo modo e estava agradecido por ela estar melhorando.

 

Capítulo 4 - Desenvolvimentoda teoria: Estruturação dos relacionamentos conceituais na enfermagem

PDF Criptografado

CAPÍTULO 4

Desenvolvimento da teoria:

Estruturação dos relacionamentos conceituais na enfermagem

Melanie McEwen

Jill Watson está inscrita em um programa de mestrado em enfermagem e inicia o trabalho em sua tese. Como enfermeira de saúde ocupacional em uma grande empresa de telecomunicações há sete anos, Jill concentrou grande parte de sua prática na área da promoção da saúde. Organiza inúmeras feiras de saúde, lidera incontáveis sessões de auxílio à saúde, divulga regularmente informações de saúde na intranet e organiza programas de rastreamento para muitas doenças. Apesar de seus esforços para melhorar a saúde dos trabalhadores, muitos ainda fumam, estão com excesso de peso, não se exercitam e têm outros hábitos negativos de estilo de vida. Percebendo que a falta de informação sobre aspectos relacionados com a saúde não é o problema, Jill concentrou-se em tentar entender por que as pessoas escolhem não se engajar nas práticas positivas de saúde. Em consequência, passou a interessar-se pelo conceito de motivação.

 

Capítulo 5 - Análise e avaliação da teoria

PDF Criptografado

CAPÍTULO 5

Análise e avaliação da teoria

Melanie McEwen

Jerry Thompson está perto da conclusão de seu mestrado em enfermagem. Atualmente, gerencia casos para um serviço de cuidado de saúde domiciliar e sua meta

é tornar-se diretor depois de completar o curso. Para seu projeto de pesquisa, Jerry quer comparar a eficácia do ensino de saúde nos ambientes hospitalar e domiciliar.

Identificou várias áreas a serem examinadas, como a qualidade e o tipo de informação de saúde proporcionado, as competências profissionais dos enfermeiros que dão as informações, o sistema de apoio do paciente e os recursos ambientais. As variáveis dos resultados que medirá se concentram na utilização dos cuidados de saúde (p. ex, a duração do tempo no serviço de saúde domiciliar, as readmissões hospitalares, o desenvolvimento de complicações).

À medida que seu projeto de pesquisa começou a tomar forma, Jerry percebeu que necessitava de uma estrutura conceitual para sua elaboração e organização.

 

Capítulo 6 - Visão geral das grandes teorias da enfermagem

PDF Criptografado

CAPÍTULO 6

Visão geral das grandes teorias da enfermagem

Evelyn M. Wills

Janet Turner trabalha como enfermeira no setor pós-cirúrgico cardiovascular. Como deseja uma visão mais ampla dos conhecimentos de enfermagem e quer tornar-se especialista em atendimento clínico ou de família, começou, recentemente, um programa de mestrado online para obter outro título, sendo já enfermeira com registro profissional. Os requisitos para o curso intitulado “Fundamentos teóricos de prática da enfermagem” levaram Janet a se familiarizar com algumas teorias da enfermagem. Com as leituras, aprendeu inúmeros modos de classificar as teorias: grande teoria, modelo conceitual, teoria de médio alcance, teoria prática, teoria emprestada, modelo interativo-integrado, paradigma da totalidade e paradigma da ação simultânea. Janet chegou à conclusão de que não há coesão entre os autores das teorias da enfermagem. Ela inclusive passou a questionar a relação de alguma teoria com o que realiza na prática da enfermagem de cuidados críticos.

 

Capítulo 7 - Grandes teorias da enfermagem baseadas nas necessidades humanas

PDF Criptografado

CAPÍTULO 7

Grandes teorias da enfermagem baseadas nas necessidades humanas

Evelyn M. Wills

Donald Crawford é um enfermeiro clínico especialista em cuidados intensivos que acaba de concluir sua pós-graduação. Acredita fortemente que a prática da enfermagem orientada por evidências deve ser experimental e mensurável e, durante o mestrado, criou um sistema de avaliação das necessidades de indivíduos gravemente doentes, cuidados por ele. Também projetou uma forma de diagramar a fisiopatologia da doença para vários pacientes seus, com base no Modelo de Sistemas de

Neuman (Neuman e Fawcett, 2009).

Durante o mestrado, Donald começou a aplicar conceitos e princípios do modelo de Neuman à prática, com resultados encorajadores. Observou que o modelo o ajudava a prever o que poderia acontecer a seguir com alguns pacientes, e isso o ajudava a definir suas necessidades, prever resultados e prescrever algumas intervenções de enfermagem com mais exatidão. Em especial, Donald valorizou como Neuman focalizava a identificação e a redução de estressores pelo uso das intervenções de enfermagem e gostou do construto prevenção como intervenção. Empregando seu cargo na unidade de cuidado de pacientes graves, está desenvolvendo uma proposta de implementação de seus métodos em toda a UTI para ajudar outros enfermeiros a aplicarem o modelo de Neuman na gestão dos cuidados dos pacientes.

 

Capítulo 8 - Grandes teorias da enfermagem baseadas no processo interativo

PDF Criptografado

CAPÍTULO 8

Grandes teorias da enfermagem baseadas no processo interativo

Evelyn M. Wills

Jean Willowby é estudante de um programa de mestrado em enfermagem, trabalhando para se tornar enfermeira pediátrica. Em uma de suas tarefas práticas, ela deve incluir uma teoria da enfermagem em seu trabalho clínico, usando-a como guia.

Durante um curso anterior sobre o assunto, Jean leu várias teorias da enfermagem centradas nas interações entre o paciente e o enfermeiro e entre o paciente e o sistema de atenção à saúde. Ela lembrava que, nos modelos e nas teorias de interação, os humanos são percebidos como todos em interação, e os problemas do paciente são vistos como multifatoriais.

As teorias que destacam as interações humanas ajustam-se melhor à filosofia de enfermagem pessoal de Jean, pois levam em conta os múltiplos fatores que ela acredita serem parte da prática clínica da enfermagem. Da mesma forma que a perspectiva adotada pelos teóricos do modelo de interação, Jean entende que, às vezes, os resultados das intervenções são imprevisíveis e que muitos elementos, nos antecedentes e no ambiente do paciente, têm efeito sobre tais resultados. Ela também reconhece que existem muitas interações entre os pacientes e seus ambientes, internas e externas, sendo que algumas não podem ser mensuradas.

 

Capítulo 9 - Grandes teorias da enfermagem baseadas no processo unitário

PDF Criptografado

CAPÍTULO 9

Grandes teorias da enfermagem baseadas no processo unitário

Evelyn M. Wills

Kristin Kowalski é uma enfermeira especialista em cuidado a pacientes no final de suas vidas, que deseja expandir o escopo de sua prática terapêutica. Tem planos de aprofundar os conhecimentos no cuidado holístico de saúde, e, recentemente, concluiu cursos de estudo de medicina fitoterápica, toque terapêutico e enfermagem holística. Kristin sabe que, para atuar de forma independente, necessita de credenciais profissionais de ampla aceitação; por isso, inscreveu-se no programa de pós-graduação de uma escola de enfermagem bem conceituada em uma grande universidade.

Como acredita muito na prática de enfermagem holística, ela concentrou seus estudos para o mestrado nas teorias da enfermagem que consideram a pessoa como um todo e têm uma visão de saúde ampla, não tradicional. Interessou-se particularmente pelo Paradigma do tornar-se humano, de Rosemarie Parse, pois esse ponto de vista salienta a maneira individual de ser e tornar-se saudável, sendo o enfermeiro uma presença intersubjetiva.

 

Capítulo 10 - Introdução às teorias da enfermagem de médio alcance

PDF Criptografado

CAPÍTULO 10

Introdução às teorias da enfermagem de médio alcance

Melanie McEwen

Annette Cohen é uma estudante de pós-graduação em enfermagem, no segundo ano, interessada em iniciar seu principal projeto de pesquisa/estudo. Para esse projeto, gostaria de desenvolver algumas de suas experiências na enfermagem com pacientes em final de vida, dentro de uma teoria preliminar de médio alcance sobre a saúde espiritual. Annette estudou as necessidades e o cuidado espiritual durante muitos anos, mas acha que o conceito de saúde espiritual não está bem entendido. Ela encara a saúde espiritual como o resultado da interação de múltiplos valores intrínsecos e variáveis externas nas experiências do paciente e acredita que seja um fator contribuinte significativo para a saúde e o bem-estar geral.

Depois de rever escritos teóricos que tratam do cuidado espiritual na enfermagem, Annette encontrou um ponto de partida para seu trabalho na teoria do cuidado humano de Jean Watson (Watson, 2005) devido a sua ênfase na espiritualidade e na fé. No trabalho de Watson, ela ficou particularmente interessada na aplicação dos conceitos de “ocasião real de cuidado” e cuidado “transpessoal”. Para desenvolver a teoria, Annette obteve uma cópia do estudo mais recente de Watson e fez uma revisão abrangente da literatura, cobrindo o desenvolvimento da teoria e a teoria do cuidado humano. Depois, analisou o conceito de saúde espiritual. A combinação da análise de conceito com a revisão de literatura do trabalho de Watson levou ao desenvolvimento de pressupostos e definições formais de conceitos relacionados e indicadores empíricos. Após conversar com a orientadora, concluiu que seus próximos passos seriam construir enunciados relacionais e, em seguida, elaborar um modelo descrevendo as relações entre os conceitos que compreendem a saúde espiritual.

 

Capítulo 11 - Visão geral de algumas teorias de enfermagem de médio alcance

PDF Criptografado

CAPÍTULO 11

Visão geral de algumas teorias de enfermagem de médio alcance

Melanie McEwen

Elaine Chavez trabalha como enfermeira em uma clínica de saúde pública da área urbana. Está no segundo semestre de um programa de pós-graduação em enfermagem, preparando-se para se tornar enfermeira especialista em saúde mental. Em sua prática, Elaine trabalhou com inúmeras mulheres que foram abusadas por seus parceiros e observou um padrão de comorbidade nessas pacientes, incluindo depressão, alcoolismo, abuso de substância e tentativas de suicídio. Durante os últimos meses, ela revisou a literatura de enfermagem e identificou várias estratégias de intervenção efetivas no trabalho com mulheres vítimas de violência doméstica. Usando essa informação, ela gostaria de implementar um programa para promover a identificação precoce do abuso e a intervenção em múltiplos níveis. Tal projeto serviria bem para uma das tarefas do mestrado.

Na revisão da literatura, Elaine identificou várias teorias relacionadas com seu estudo. Interessou-se, em particular, em examinar o conjunto de circunstâncias que fariam com que as mulheres procurassem ajuda. Para isso, fez uma revisão mais detalhada da literatura e encontrou a teoria do conforto, de Kolcaba (1994, 2003,

 

Capítulo 12 - Prática baseada em evidências e teoria da enfermagem

PDF Criptografado

CAPÍTULO 12

Prática baseada em evidências e teoria da enfermagem

Evelyn M. Wills e Melanie McEwen

Helen Soderstrom foi acometida de mudanças na visão, perturbações na marcha e períodos ocasionais de fadiga severa durante o último ano do curso de enfermagem.

Apresentou períodos intermitentes de normalidade e doença, e os períodos em que não teve sintomas duraram muitos meses. Durante o tempo em que os sintomas ficaram incomumente inativos, Helen buscou ajuda médica, e seu médico determinou que os sintomas tinham relação com estresse. Apesar dos períodos de fraqueza e cansaço, Helen conseguiu concluir o curso de enfermagem.

Durante o primeiro ano de prática, ela teve dois períodos de exacerbação de sintomas, embora cada um de curta duração. Procurou um neurologista que concluiu que ela estava passando pelos primeiros estágios de uma doença neuromuscular.

Como não tinha “cura”, o neurologista trabalhou com a paciente para encontrar intervenções que a ajudassem a controlar os sintomas quando ficassem problemáticos.

 

Capítulo 13 - Teorias das ciências sociológicas

PDF Criptografado

CAPÍTULO 13

Teorias das ciências sociológicas

Grace Bielkiewicz

Simon Brown é um enfermeiro escolar que atualmente está trabalhando em uma clínica de uma escola de ensino médio de um bairro central de baixa renda. Em sua prática,

Simon vê inúmeros estudantes sexualmente ativos, assim como alguns que já são pais e mães. Embora os índices de gestação e paternidade/maternidade na adolescência tenham caído de forma acentuada nos últimos anos em outros locais, permaneceram desproporcionalmente altos nessa escola. Simon dá aulas de educação sexual, mas acredita que a chave para uma intervenção mais eficaz está em outro lugar.

A revisão na literatura reforçou a suspeita de Simon – os programas focalizados na abstinência sexual e na contracepção para adolescentes haviam tido resultados modestos na redução das taxas de gestação de adolescentes e um impacto mínimo sobre os jovens das comunidades urbanas carentes. Ele confirmou que os padrões de comportamento sexual de risco do adolescente são modelados por classe social, posição, raça e gênero. Ele também aprendeu que, nos EUA, a maternidade na juventude está cada vez mais concentrada nos grupos carentes, tanto de brancos como de não brancos, mas que o papel de mãe não é a primeira escolha típica das jovens que percebem ter opções.

 

Capítulo 14 - Teorias das ciências comportamentais

PDF Criptografado

CAPÍTULO 14

Teorias das ciências comportamentais

Debra Brossett Garner

Darlene Williams está em um programa de mestrado para se tornar uma enfermeira especialista em psiquiatria/saúde mental de adultos. Numa disciplina sobre a aplicação da teoria na enfermagem, uma de suas tarefas é elaborar um trabalho descrevendo como usou uma teoria na prestação de cuidado ao paciente. Embora Darlene tenha trabalhado como enfermeira em um hospital psiquiátrico nos últimos 10 anos, achou essa tarefa difícil porque, até então, no curso, a professora havia focalizado principalmente as grandes teorias da enfermagem. Darlene sabe pouco sobre essas teorias, pois em sua prática costuma usar uma abordagem ampla, eclética, aplicando predominantemente teorias das ciências comportamentais.

Darlene discutiu seu dilema com a professora e soube que podia aplicar qualquer teoria, ou conjunto de teorias, em sua tarefa; não seria necessário se ater rigidamente a teorias de enfermagem. A conversa com a professora esclareceu sobre a necessidade de empregar teorias de não enfermagem à sua prática. Perceber a importância das teorias de outras disciplinas para a enfermagem aumentou o seu interesse nas muitas teorias fundamentadas na psicologia, e ela realizou uma revisão da literatura.

 

Capítulo 15 - Teorias das ciências biomédicas

PDF Criptografado

CAPÍTULO 15

Teorias das ciências biomédicas

Melanie McEwen

Maria Leon está no último ano do curso de mestrado, preparando-se para ser uma enfermeira-anestesista. No transcurso do programa de estudos, Maria observou que a maioria das pessoas relatava sensação de ardência à medida que o propofol

(fármaco usado para induzir a anestesia geral) era administrado por via endovenosa

(EV). Conduzindo uma revisão da literatura e discutindo suas observações com outros enfermeiros-anestesistas, ela descobriu várias técnicas usadas para minimizar a dor da injeção. Com base nessas informações, decidiu que realizaria uma pesquisa para examinar a eficácia do uso de lidocaína para reduzir a dor da aplicação do propofol. Esse projeto atenderia à exigência para certificá-la como mestre.

Uma revisão da literatura sobre controle da dor levou Maria à teoria do portão de controle da dor, que postula a existência de um mecanismo de portão na medula espinal. Quando os impulsos de dor são transmitidos, a partir da periferia do corpo pelas fibras nervosas, os impulsos se deslocam para os cornos dorsais da medula espinal, especificamente até a área da medula, a substância gelatinosa. De acordo com a teoria, quando o portão está aberto, os impulsos de dor ascendem ao cérebro; quando o portão está parcialmente aberto, somente alguns impulsos de dor conseguem atravessá-lo. O medicamento para dor tem um efeito sobre o portão e, se administrado antes do surgimento da dor, o manterá fechado, permitindo que muito menos impulsos o atravessem.

 

Capítulo 16 - Teorias, modelos e estruturas de administração e gestão

PDF Criptografado

CAPÍTULO 16

Teorias, modelos e estruturas de administração e gestão

Melinda Granger Oberleitner

Richard Gomez, enfermeiro clínico especialista cardiovascular, foi recentemente contratado por um hospital que busca a condição de hospital “magneto”. Embora seja experiente como especialista e familiarizado com o termo hospital “magneto”, desconhece as expectativas sobre assistência em instituição desse tipo. Ao revisar a literatura publicada relativa a resultados associados a instituições “magneto”, tem uma noção de seu papel como líder clínico na melhoria do desempenho e implementação das melhores práticas, com base nas mais recentes evidências clínicas. Embora Richard não veja seu papel como de administrador ou gerente, admite que, para liderança clínica, as informações recebidas sobre estilos de liderança e práticas de liderança, no mestrado (p. ex., motivar pessoas, implementar mudanças e liderar a melhoria do desempenho), serão especialmente úteis a ele para novamente conceituar seu papel.

 

Capítulo 17 - Teorias do aprendizado

PDF Criptografado

CAPÍTULO 17

Teorias do aprendizado

Evelyn M. Wills e Melanie McEwen

Barbara Davis é uma enfermeira domiciliar que trabalha numa clínica comunitária.

Recentemente, cuidou de Frank Young, um afro-americano de 65 anos que veio à clínica por insistência da esposa devido a cefaleias severas recorrentes. O senhor

Young relatou que as cefaleias haviam iniciado há seis meses, ocasionadas, segundo ele, pelo estresse causado pela aposentadoria recente.

Os achados físicos do senhor Young indicaram que ele estava com aproximadamente 25 kg de excesso de peso e sua pressão sanguínea, quando sentado, era de

204/110 mmHg. A parte inferior das pernas e os pés estavam ligeiramente edemaciados, e os exames laboratoriais revelaram colesterol total de 290 mg/dL. Todos os outros resultados dos exames de sangue e urina estavam normais.

Barbara explicou ao senhor Young que ele tinha hipertensão e pediu para incluir a esposa na discussão do problema. Ela levou o casal para uma sala, em que sentaram em cadeiras confortáveis, em torno de uma mesa pequena. Barbara começou, perguntando se o casal tinha alguma experiência com hipertensão (HAS). Explicou a relação entre HAS, raça, idade, gênero e peso e descreveu sua prevalência entre vários grupos. Exibiu ao casal um vídeo curto que usava termos não médicos para descrever a HAS, ilustrou visualmente as mudanças fisiológicas que causam essa condição e depois explicou algumas possíveis complicações.

 

Capítulo 18 - Aplicação da teoria na prática de enfermagem

PDF Criptografado

CAPÍTULO 18

Aplicação da teoria na prática de enfermagem

Melanie McEwen

Emily Chan é uma enfermeira clínica especialista que coordena o programa de transplante hepático em um grande centro médico. No cargo, ela atua como gerente de caso para inúmeros indivíduos. Emily foi designada para trabalhar com Sarah

Bishop, uma professora do ensino médio, de 45 anos, que recebeu recentemente um novo fígado após contrair hepatite C em decorrência de uma transfusão sanguínea há mais de uma década. Sarah é casada e tem dois filhos adolescentes.

O controle de pacientes com transplante hepático é altamente complexo; é essencial considerar as múltiplas facetas do cuidado durante um período prolongado.

Ao formular um plano de cuidados para Sarah, Emily conduziu uma investigação detalhada. Ela ficou satisfeita em descobrir que a paciente era bem instruída e sabia muito sobre sua doença. Sarah fez muitas perguntas pertinentes e estava ansiosa em aprender tudo o que podia com Emily. Durante o tempo em que trabalhou com Sarah, Emily usou inúmeros princípios e teorias na prestação do cuidado. Explicou os princípios fisiológicos relacionados a doença hepática crônica e insuficiência hepática à Sarah e acrescentou a essa informação os princípios farmacológicos relativos ao grande número de medicamentos exigidos para evitar a rejeição. As complicações da doença e os efeitos colaterais dos medicamentos foram examinados em profundidade. Para os processos educativos, Emily aplicou vários princípios e teorias de aprendizado diferentes e incorporou uma série de técnicas de ensino, como tempo individualizado, material impresso, programas interativos de computador e vídeos.

 

Carregar mais


Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
MFPP000001738
ISBN
9788582712887
Tamanho do arquivo
5,6 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados