Análise Avançada das Demonstrações Contábeis - Uma Abordagem Crítica, 2ª edição

Visualizações: 809
Classificação: (0)

Este livro destaca-se pela abordagem diferenciada do conteúdo. Mostrar a real potencialidade de cada indicador de desempenho econômico e financeiro e evidenciar suas limitações à luz de diversos fatores são seus principais objetivos.

A análise das demonstrações contábeis é realizada sob a ótica do usuário externo, que tem como informações para avaliação e tomada de decisões apenas as demonstrações publicadas, como ocorre na prática.

Diferentemente de outras obras, em vez de exercícios fechados, são sugeridas atividades baseadas nas pedagogias ativas, as quais centralizam o leitor no processo de ensino e aprendizagem.

Também são contemplados comentários sobre os objetivos didáticos, fundamentados nas teorias educacionais, com enfoque em aspectos específicos de cada unidade para que possam ser explorados pelos professores no desempenho da atividade docente.

Livro-texto para a disciplina Análise de Demonstrações Contábeis dos cursos de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado e doutorado) em Contabilidade. Indicado também para profissionais especialistas da área de análise avançada de balanços.

Acompanhe as nossas publicações, cadastre-se e receba as informações por e-mail (Clique aqui!)

FORMATOS DISPONíVEIS

13 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

1 - Aprendendo a Fazer uma Boa Análise de Balanços. O Caso Abdul

PDF Criptografado

Aprendendo a Fazer uma Boa Análise de Balanços. O Caso Abdul 

5

1

Aprendendo a Fazer uma Boa

Análise de Balanços. O Caso Abdul

1.1 APRENDENDO A FAZER UMA BOA ANÁLISE DE BALANÇOS

Objetivo da subunidade

Apresentar aspectos essenciais àqueles que pretendem enveredar pelo processo de análise das demonstrações contábeis.

Para fazer análise de demonstrações contábeis é preciso algumas poucas coisas:

1) Saber ler. E “saber ler” não é tão fácil! Há muitas coisas que estão escritas somente nas entrelinhas. Você precisa entender o que está lá, captar o não dito.

2) Ter conhecimento mínimo de qual modelo contábil está sendo utilizado e se ele tem a capacidade de representar de fato a situação da empresa. Ou seja, conhecer a empresa, o negócio e... sua contabilidade!

Análise de balanço se faz da seguinte forma: domingão, sentado na sala com os pés em cima do sofá e jornal nas mãos. Não é necessário computador nem máquina de calcular. É absolutamente inútil utilizar máquina de calcular para definir, por exemplo, a segunda casa decimal de qualquer indicador. As continhas e as comparações mínimas são feitas mentalmente. Você lê as demonstrações e faz as comparações “de cabeça”. Quando terminar essa leitura atenta, você terá analisado e entendido o desempenho da entidade ou empresa naquele período.

 

2 - A Análise do Relatório (Parecer) do Auditor

PDF Criptografado

A Análise do Relatório (Parecer) do Auditor 

27

2

A Análise do Relatório (Parecer) do Auditor

Objetivo do capítulo

Evidenciar a relevância da adequada análise do parecer do auditor no processo de análise das demonstrações contábeis, bem como “dissecá-lo” em suas partes constituintes.

Não se começa a olhar um balanço a não ser pelo parecer do auditor (agora chamado mais formalmente de Relatório do Auditor). É óbvio que o auditor está sujeito a muitas falhas. Mas se com um parecer às vezes a análise é problemática, imagine sem ele! É perda de tempo analisar demonstrações contábeis que não têm parecer de auditoria. Pois a incerteza será muito, muito maior. A não ser que você conheça muito bem, pessoalmente, o contador, os gestores e confie no conhecimento técnico deles.

Cuidado: a primeira imagem que se obtém na leitura de um balanço é muito forte! Corre-se o risco de criar conclusões erradas antecipadas para, lendo o parecer apenas no fim, descobrir quanta bobagem se concluiu e quanto tempo se perdeu. Em muitos países, a primeira coisa que aparece no corpo das demonstrações é esse parecer, ele vem logo no início.

 

3 - Contextualizando as Vertentes Contábeis Predominantes na Atualidade

PDF Criptografado

Contextualizando as Vertentes Contábeis Predominantes na Atualidade 

41

3

Contextualizando as Vertentes

Contábeis Predominantes na

Atualidade

Objetivo do capítulo

Proporcionar uma visão histórica do contexto que envolve a evolução da contabilidade praticada na atualidade. Apresentar a origem de importantes conceitos, como: equivalência patrimonial, consolidação de balanços, correção das demonstrações contábeis, normatizações internacionais, essência sobre a forma, modelos contábeis etc. Do ponto de vista didático, tal contextualização facilitará a assimilação do conhecimento que será desenvolvido nas seções subsequentes.

Não existem duas empresas que façam suas contabilidades perfeitamente iguais, mesmo em países onde a contabilidade seja extremamente normatizada. Sempre há margens para o processo de escolha. Seus gestores, seu contador, todos têm suas visões e seus julgamentos próprios. Assim, uma adequada análise das demonstrações contábeis deve considerar vários aspectos, como: conhecer quem é a empresa, quem são essas pessoas envolvidas, quais são os julgamentos utilizados pela gestão e o próprio contexto histórico de desenvolvimento da contabilidade. Os três primeiros aspectos são específicos na análise de cada empreendimento, mas este último é geral, por isso merece ser explorado neste estudo. Vamos lá!

 

4 - Conhecendo o Negócio. Conhecendo os Fundamentos Contábeis do “Modelo do Negócio”

PDF Criptografado

Conhecendo o Negócio. Conhecendo os Fundamentos Contábeis do “Modelo do Negócio” 

55

4

Conhecendo o Negócio.

Conhecendo os Fundamentos

Contábeis do “Modelo do Negócio”

4.1 CONHECENDO O NEGÓCIO

Objetivo do capítulo

Mostrar ao leitor a diversidade de setores e ramos de atuação das entidades. Enfatizar a necessidade de conhecer as peculiaridades de cada negócio para que a análise não fique comprometida. Mostrar também a diversidade contábil existente e a necessidade de adequar cada modelo contábil ao tipo de negócio que está sendo analisado, para que se possa extrair o máximo de informações relevantes ao processo decisório. Ou, pelo menos, ter uma ideia da eventual distância entre o negócio e o modelo pelo qual

é apresentado.

Não faz o mínimo sentido querer analisar uma empresa cujo ramo de negócios se desconhece. Não se deve perder tempo e muito menos se arriscar com isso! Se você não sabe o que faz uma Distribuidora de Valores, não queira concluir sobre suas demonstrações. Se não sabe o que é uma Administradora de Consórcios, idem. Se não conhece como opera uma trading company, um fundo de pensão, uma resseguradora, idem. Se não entende de pecuária e não conhece seus riscos, não queira concluir sobre o balanço de uma empresa que se dedique a esse ramo! Não queira concluir sobre a liquidez, sobre a adequação da distribuição de ativos, sobre rentabilidade e principalmente sobre suas chances no futuro etc.

 

5 - Modelos Contábeis Especiais

PDF Criptografado

Modelos Contábeis Especiais 

65

5

Modelos Contábeis Especiais

Objetivo do capítulo

Apresentar modelos contábeis relativos a algumas especificidades que demandam análises diferenciadas. São situações relativas a muitos empreendimentos brasileiros, como: arrendadoras, financiadoras, concessionárias de rodovias, securitização e construção civil. São situações problema que fazem parte do cotidiano de muitos contadores e gestores. Nesse sentido, são apresentados casos reais para que se possa estabelecer a necessária articulação entre teoria e prática, que melhor propicia a significação ao conhecimento construído.

5.1 OPERAÇÕES DE LEASING NAS ARRENDATÁRIAS E NAS

ARRENDADORAS

O que é uma operação de leasing? Juridicamente, uma espécie de “instituição financeira”

(no caso do Brasil) que compra ativos e arrenda para os clientes. Mas existem arrendamentos e “arrendamentos”. Existem os arrendamentos que são genuínos aluguéis e existem aqueles casos que sabidamente são financiamentos disfarçados. No primeiro caso, vencido o prazo de arrendamento, o objeto é devolvido à arrendadora. No segundo caso, geralmente, o ativo

 

6 - Objetivos Centrais da Análise: Rentabilidade e Liquidez e Lucro vs. Caixa

PDF Criptografado

112 

Análise Avançada das Demonstrações Contábeis  •  Martins / Diniz / Miranda

6

Objetivos Centrais da Análise:

Rentabilidade e Liquidez e Lucro vs. Caixa

Objetivo do capítulo

Estabelecer o foco do processo de análise das demonstrações contábeis e mostrar a importância das variáveis lucro e fluxo de caixa nesse processo.

Quando você analisa um balanço, o que você quer saber resumidamente? Se a empresa

é rentável ou não e se ela apresenta liquidez, ou seja, capacidade de honrar suas obrigações.

Pode-se dizer que a análise de balanços se resume a esses dois grandes objetivos. Não existe outra coisa, é só rentabilidade e liquidez. E o pior é que elas não se “bicam”. É um “casamento” difícil de dar certo (MARTINS, 1999).

Com a análise relativa à liquidez, o que se pretende é verificar a capacidade da empresa de cumprir seus compromissos junto a todos os que a provêm de recursos, quer sejam financeiros, humanos, materiais, serviços etc. Isso pode incluir análises de liquidez a prazo muitíssimo curto, a prazo médio, longo etc.

 

7 - Analisando Demonstrações sem o Uso de Indicadores

PDF Criptografado

Analisando Demonstrações sem o Uso de Indicadores 

121

7

Analisando Demonstrações sem o

Uso de Indicadores

Objetivo do capítulo

Estabelecer independência dos indicadores na análise das demonstrações. Enfatizar a importância de conhecer o modelo do negócio e o modelo contábil para compreender o que se passa com a entidade em análise.

Será possível analisar demonstrações contábeis sem o uso de indicadores??? Que espécie de análise será essa? Apoiada em que tipo de teoria? É de se esperar que as respostas a essas perguntas sejam no mínimo curiosas! Sem mais delongas, vamos ao que interessa!

Como dissemos anteriormente, fazer análise de balanço consiste apenas em ler as demonstrações contábeis e entender o que elas dizem. Naturalmente, nenhum de nós vai conseguir entender cem por cento do que elas se propõem a transmitir. Vamos mais além, é possível que inicialmente tenhamos mais dúvidas do que conclusões.

Uma coisa muito importante na análise de balanços é olhar o conjunto dos dados contábeis. Colocar os holofotes numa demonstração específica e tentar compreender o que ela está querendo dizer, sem fazer interações com as demais, não é a forma correta de analisar um balanço. As variações ou os fatos relevantes que ocorrem em uma demonstração terão reflexos em outras, daí a necessidade de uma visão holística das demonstrações.

 

8 - Curiosidade: Fluxo de Caixa por Competência

PDF Criptografado

Curiosidade: Fluxo de Caixa por Competência 

139

8

Curiosidade: Fluxo de Caixa por

Competência

Objetivo do capítulo

Apresentar uma forma original de conciliação entre o fluxo de caixa operacional e o resultado. Evidenciar os elementos que provocam o descasamento entre essas duas variáveis ao longo do tempo. Ao final deste capítulo, o leitor poderá notar, com bastante clareza, que fluxo de caixa e lucro, no longo prazo, são a mesmíssima coisa.

A Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) se diferencia das demais demonstrações contábeis porque é elaborada sob a égide do Regime de Caixa. Por esse motivo a comparabilidade com as demais demonstrações, que são elaboradas pelo Regime de Competência, fica prejudicada, especialmente com a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).

Como forma de transpor essa barreira de regime contábil faz-se necessário promover uma comparação lúcida entre o fluxo de caixa operacional e o fluxo de lucro evidenciado na DRE, com seus afluentes nos accruals registrados no balanço patrimonial e demais demonstrações financeiras. Dessa forma, é preciso que se realize uma conciliação entre o Resultado Líquido do Exercício na DRE e o fluxo de caixa operacional da DFC, intercambiando aspectos temporais basilares dos Regimes de Caixa e Competência. É o que denominamos de Fluxo de Caixa por Competência.

 

9 - Análise Crítica dos Instrumentos Clássicos de Análise das Demonstrações Contábeis

PDF Criptografado

164 

Análise Avançada das Demonstrações Contábeis  •  Martins / Diniz / Miranda

9

Análise Crítica dos Instrumentos

Clássicos de Análise das

Demonstrações Contábeis

Objetivo do capítulo

Este capítulo tem o objetivo de apresentar, de maneira muito sucinta, mas bastante crítica, os principais instrumentos utilizados nas análises de demonstrações contábeis no cotidiano dos analistas. São eles: análise horizontal e vertical, índices financeiros tradicionais (liquidez, prazos médios, estrutura patrimonial, rentabilidade), alavancagens operacional, financeira e total, avaliação de desempenho empresarial (EBITDA e EVA) e indicadores de previsão de insolvência. Para aprofundamento desses instrumentos, sugere-se buscar as referências sugeridas ao final desta seção.

9.1 ANÁLISE HORIZONTAL E VERTICAL

Essas duas análises são técnicas relevantes na avaliação de tendências, pois, de acordo com Assaf Neto (2006, p. 115), “o critério básico que norteia a análise de balanços é a comparação”, aspecto sob o qual se fundamentam as análises horizontal e vertical. Nessa direção, afirma Matarazzo (2008, p. 243) que, “por intermédio desse tipo de análise podem-se conhecer pormenores das demonstrações financeiras que escapam à análise genérica através de índices”.

 

10 - Os Efeitos Inflacionários na Análise das Demonstrações Financeiras

PDF Criptografado

Os Efeitos Inflacionários na Análise das Demonstrações Financeiras 

221

10

Os Efeitos Inflacionários na Análise das Demonstrações Financeiras

Objetivo do capítulo

Este capítulo tem o objetivo de evidenciar os efeitos causados pela ausência da consideração dos efeitos inflacionários na publicação das demonstrações financeiras; apresentar alguns aspectos políticos e sociais que permearam a curta vida da correção monetária integral na sociedade brasileira; e a entrada em cena dos Juros sobre o Capital Próprio.

Atualmente, como se sabe, a correção monetária não é permitida pela lei brasileira nem pelas normas internacionais de contabilidade, a não ser que em determinado período haja hiperinflação. As regras internacionais determinam que hiperinflação existe quando a inflação acumulada em três anos consecutivos ficar ao redor de 100%. A ausência da correção dificulta a comparabilidade entre demonstrações de empresas que tiveram seus patrimônios constituídos em diferentes épocas. Imagine, por exemplo, o balanço de um banco inglês constituído há

 

11 - Custo de Oportunidade

PDF Criptografado

252 

Análise Avançada das Demonstrações Contábeis  •  Martins / Diniz / Miranda

11

Custo de Oportunidade

Objetivo do capítulo

Este capítulo tem o objetivo de discutir o conceito e o registro do custo de oportunidade nas demonstrações contábeis e apresentar algumas possibilidades.

O conceito de custo de oportunidade é algo extremamente banal e corriqueiro, faz parte das escolhas que fazemos a todos os instantes. Vamos visualizar, por exemplo, a figura de um cão comendo um osso... Ao passar um gato, o cão imediatamente avalia a possibilidade de correr atrás do gato, e, com isso, largar por um tempo o osso. Pode valer a pena para ele num certo momento; noutro momento, havendo outro cão por perto que possa lhe roubar o osso, pode tomar decisão diferente. Ou seja, o preço pago (custo de oportunidade) para correr atrás do gato é postergar o prazer de roer o osso num caso e também o risco de perder o osso no outro.

O custo de oportunidade é o benefício perdido por causa da melhor alternativa abandonada quando se toma qualquer decisão. Só que, no caso do investimento econômico, essas alternativas precisam estar alinhadas quanto ao risco para poder haver a comparação.

 

12 - IFRSs e seus Reflexos na Análise das Demonstrações Contábeis

PDF Criptografado

260 

Análise Avançada das Demonstrações Contábeis  •  Martins / Diniz / Miranda

12

IFRSs e seus Reflexos na Análise das Demonstrações Contábeis

Objetivo do capítulo

Diferentemente de outras obras, não pretendemos abordar cada grupo constituinte das demonstrações financeiras. Pretende-se enfocar exclusivamente os grupos ou demonstrações que entendemos tenham sido fortemente modificados pelas novas normas contábeis brasileiras que seguem as internacionais.

A partir das Leis nos 11.638/07 e 11.941/09, começou o processo de mudança na contabilidade brasileira rumo aos padrões contábeis emitidos pelo IASB (conhecidos por IFRSs). O

Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC – passou a emitir essas normas e, a partir de sua aprovação pelo Conselho Federal de Contabilidade – CFC –, passaram a ser de uso obrigatório por todas as sociedades limitadas, sociedades por ações e quaisquer outras entidades de fins lucrativos no Brasil. Aprovadas pela CVM, passaram a ser obrigatórias para todas as companhias abertas. E assim por diante. Passaram a ser obrigatórias para uso nas demonstrações individuais e nas demonstrações consolidadas (com exceção das reguladas pelo Banco

 

13 - Tópicos Relevantes para a Análise de Balanços não Tratados neste Livro

PDF Criptografado

310 

Análise Avançada das Demonstrações Contábeis  •  Martins / Diniz / Miranda

13

Tópicos Relevantes para a

Análise de Balanços não

Tratados neste Livro

Como sempre, a sensação que se tem, ao chegar ao fim, é a de que tópicos relevantes deixaram de ser tratados. Confirmamos isso. Alguns deles:

13.1 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

Já foi mencionado que esse assunto é de extrema importância para certos tipos de análise.

Por exemplo, quem avalia ações em bolsa de valores para fins de negociação tende a querer chegar à conclusão de quanto a empresa vale para verificar se as ações estão super ou subavaliadas. Por isso, analisa as demonstrações contábeis com o propósito de, juntamente com outras informações, chegar a esse valor.

Muitos livros de análise, principalmente os norte-americanos, dão enorme ênfase a esse assunto, chegando muitos deles a confundir análise de demonstrações financeiras com avaliação de empresas.

Procuramos, neste livro, tratar da análise de uma forma mais geral. De qualquer maneira, discutimos um pouco sobre esse assunto na seção que cuidou do Caso Abdul. Para quem quiser uma pequeníssima introdução (e verificação de erro comumente cometido nessa tarefa) vá a esse ponto.

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
BPP0000238890
ISBN
9788597014006
Tamanho do arquivo
12 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados