Terapia ocupacional para disfunções físicas

Visualizações: 469
Classificação: (0)

Você não só ganha as habilidades necessárias para prestar serviços eficazes de Terapia Ocupacional com esta sexta edição, mas também desenvolve uma base teórica pra orientar suas decisões. Essa fundamentação teórica, o Modelo Funcional Ocupacional, é estabelecida na primeira seção do texto, definindo o estágio para discussões que o orientam na avaliação inicial do tratamento até o acompanhamento.

Entre os 60 colaboradores da sexta edição estão terapeutas ocupacionais do mais alto nível na prática clínica e na academia. Cada capítulo enfatiza a base científica para a prática, ajudando-o a usar as evidências para selecionar a avaliação e as ferramentas de intervenção corretas.

Novos recursos para ajudá-lo a ser um terapeuta ocupacional de sucesso

Material Suplementar Online incluído em cada texto, com recursos em videoclipes dinâmicos que demonstram amplitude de movimento, testes musculares manuais, construção de órteses para a mão e para a transferência de pacientes.

• As tabelas de evidência resumem os estudos clínicos que apresentam as melhores evidências de eficácia das intervenções apresentadas no texto.

As tabelas de avaliação salientam as propriedades psicométricas e as vantagens e desvantagens de cada método de avaliação.

 

Acompanhe

as nossas publicações, cadastre-se e receba as informações por e-mail (Clique aqui!).

 

FORMATOS DISPONíVEIS

46 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

1 Fundamentos Conceituais para a Prática

PDF Criptografado

SEÇÃO I: Funcionalidade Ocupacional:

Definição, Processo e História

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

CAPÍTULO

1. �Descrever o Modelo Funcional

Ocupacional.

1

2. �Utilizar interativamente a linguagem do Modelo Funcional

Ocupacional, da Estrutura Prática da Terapia Ocupacional (EPTO) da

Associação Americana de Terapia

Ocupacional e da Classificação

Internacional de Funcionalidade

(CIF) da Organização Mundial de

Saúde.

3. �Organizar a avaliação e o plano de tratamento de acordo com o

Modelo Funcional Ocupacional.

X

E

C

O

N

T

M

B

A

M

B

IE

N

T

E

C

O

N

T

A

E

X

T

A

M

IE

B

N

IE

T

T

O

E

N

T

E

NTEXTO AMBIENTE CONTEXTO AM

 

3 Planejando, Direcionando e Documentando a Prática

PDF Criptografado

40

NONMONM

- Nomnononmnomnonmnonm

SEÇÃO

I – Funcionalidade Ocupacional: Definição, Processo e História

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, o leitor irá começar a ser capaz de realizar o seguinte:

3

1. D

� escrever quatro linhas de raciocínio clínico que direcionam a prestação de serviços de terapia ocupacional.

2. E

� fetivamente documentar os serviços de terapia ocupacional.

3. D

� iferenciar entre os resultados previstos da

IS

LWW uthor e as metas terapia a ro l

-7817- 461-9 curto e longoocuprazo. i . nt na

1-1

461

uthor s r i i n d d

1- 1

Initials

O

orr

at

r tist

GW o uma r ation dat 3 5 1

4. C

� onsiderar ditor s r i c

O orr ision dat variedade6457 de abordagens

W

MS 86 4

M at

Initials de tratamento no

Graphic World Illustration Studio ¥ St. Louis, MO ¥ 314-567-9854 planejamento da terapia.

 

5 Avaliando Habilidades e Capacidades: Amplitude de Movimento, Força e Tolerância

PDF Criptografado

CAPÍTULO 5 - Avaliando Habilidades e Capacidades: Amplitude de Movimentos, Força e Tolerância

91

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

1. �Avaliar a amplitude de movimento dos membros superiores usando um goniômetro.

2. �Utilizar dois métodos diferentes para determinar o grau de edema da mão.

3. �Realizar um teste muscular manual para a força uthor s r i

IS

LWW avaliar uthor i n d d ro lsuperiores. -7817- 461-9

O orr dos membros i . ocu nt na at

Initials

4. �Determinar1-1a força 461 1- 1 r tist

GW o r ation dat 3 5 1 ditor s r i funcional da musculatura c

6457

O orr ision dat dos membros inferiores

W

MS 86 4

M at

Initials selecionada.

Graphic World Illustration Studio ¥ St. Louis, MO ¥ 314-567-9854

5. �Determinar o nível de tolerância funcional.

6. �Utilizar uma Escala Visual

Analógica para determinar o nível de dor.

 

6 Avaliando Habilidades e Capacidades: O Comportamento Motor

PDF Criptografado

186 SEÇÃO DOIS - Avaliação da Função Ocupacional

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

CAPÍTULO

6

1. C

� ontrastar o modelo reflexo-hierárquico e o modelo de sistemas de controle motor.

2. D

� escrever vários tipos de disfunção motora observados em pessoas com lesões do sistema nervoso central.

3. C

� omparar as teorias de sistemas e neuromaturacional do desenvolvimento motor.

4. C

� ontrastar a pressuposição das abordagens de tratamento neurofisiológica e relacionadas a tarefas.

5. D

� escrever as diferentes estratégias de avaliação que são utilizadas pelas abordagens neurofisiológicas e relacionadas às tarefas.

6. D

� escrever algumas estratégias adicionais de avaliação que não estejam associadas diretamente a qualquer abordagem.

T

E

T

N

T

E

A

C

O

N

T

X

 

7 Avaliando Habilidades e Capacidades: A Sensibilidade

PDF Criptografado

212 SEÇÃO DOIS - Avaliação da Função Ocupacional

7

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

1. �Descrever os efeitos da perda sensorial nas funções ocupacionais.

2. �Predizer o padrão de perda sensorial baseado no diagnóstico ou na lesão descrita sobre o sistema somatossensorial.

3. �Demonstrar técnicas apropriadas de teste sensorial para sensação tátil quando proporcionadas ferramentas ou equipamento apropriado.

4. �Diferenciar testes táteis padronizados e não padronizados.

5. �Selecionar técnicas apropriadas de teste sensorial para um determinado paciente ou uma determinada situação.

6. �Interpretar corretamente os resultados do teste sensorial para o planejamento do tratamento.

NTEXTO AMBIENTE CONTEXTO AM

TE CO

BIEN

BIEN

TE

NTEXTO AMBIENTE CONTEXTO A

AM

O

C

TE

MBIE

N

E

I

B

N

B

I

E

M

 

8 Avaliando Habilidades e Capacidades: Visão, Percepção Visual e Práxis

PDF Criptografado

234 SEÇÃO DOIS - Avaliação da Função Ocupacional

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

8

1. C

� ompreender a importância de avaliar as habilidades visuais básicas anteriormente

às habilidades visuais cognitivas de nível superior.

2. I� dentificar e descrever técnicas de avaliação para acuidade visual, campos visuais e controle motor ocular.

3. D

� escrever e avaliar os dois subtipos de negligência unilateral: sensorial e motora.

4. D

� escrever e avaliar a apraxia.

T

N

C

O

T

E

A

X

T

M

T

E

B

IE

X

N

B

IE

M

A

T

E

E

X

T

A

M

B

IE

N

T

E

C

O

N

M

C

O

B

IE

N

N

T

ONTEXTO AMBIENTE

AMBIENTE C

 

9 Avaliando Habilidades e Capacidades: Cognição

PDF Criptografado

260 SEÇÃO DOIS - Avaliação da Função Ocupacional

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

9

1. D

� escrever capacidades e habilidades cognitivas específicas e analisar sua influência sobre a função ocupacional.

2. S

� elecionar métodos e ferramentas de avaliação cognitiva baseados nas características e necessidades individuais dos pacientes.

3. A

� ntecipar e descrever fatores que podem confundir o desempenho durante a avaliação cognitiva.

4. D

� istinguir a contribuição da terapia ocupacional para a avaliação cognitiva multidisciplinar daquela de outras especialidades de reabilitação.

N

C

O

T

E

A

X

T

M

T

B

E

IE

X

N

T

IE

B

M

A

T

E

E

X

T

A

M

B

IE

N

T

E

 

10 Avaliando o Contexto: Pessoal, Social e Cultural

PDF Criptografado

284 SEÇÃO DOIS - Avaliação da Função Ocupacional

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

10

1. D

� escrever os componentes do contexto pessoal, social, e cultural que influenciam a avaliação de terapia ocupacional e orientam o plano de tratamento.

2. E

� mpregar métodos de quantificar a influência dos vários fatores contextuais sobre o desempenho.

3. R

� econhecer o papel dos fatores contextuais no desenvolvimento do raciocínio condicional na prática clínica.

4. E

� xaminar sua estrutura contextual – os fatores pessoais, sociais e culturais que dão forma

às experiências cotidianas do terapeuta.

T

O

E

X

N

T

B

IE

O

C

T

N

E

T

E

A

X

M

T

O

M

B

A

M

B

IE

N

O

A

N

T

 

11 Avaliando o Contexto: Acessibilidade do Lar, Comunidade e Local de Trabalho

PDF Criptografado

310 SEÇÃO DOIS - Avaliação da Função Ocupacional

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

11

1. D

� escrever os papéis e responsabilidades do terapeuta ocupacional na avaliação da acessibilidade do ambiente.

2. I� dentificar fatores que atuam como barreiras e suportes ambientais para o desempenho ocupacional.

3. A

� plicar avaliações críticas quando instrumentos de avaliação apropriados são selecionados para uso na avaliação da acessibilidade ao lar, comunidade e local de trabalho.

4. E

� xplicar como a legislação e os padrões de construção influenciam o grau de acessibilidade ambiental que está disponível para as pessoas com incapacidades.

T

O

E

T

E

O

N

C

E

T

E

A

X

T

O

M

B

IE

X

N

T

N

B

IE

M

A

 

12 Ocupação: Filosofia e Conceitos

PDF Criptografado

CAPÍTULO 12 -

339

SEÇÃO III: Mecanismos Terapêuticos

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

CAPÍTULO

1. Definir ocupação.

2. D

� iscutir a importância da ocupação na vida das pessoas.

12

3. D

� iscutir a ocupação como recurso terapêutico.

4. C

� aracterizar ocupação-como-fim e ocupação-como-meio.

5. D

� iscutir as qualidades terapêuticas da ocupação: propósito e significado.

6. C

� itar a evidência que sustenta a utilização da ocupação como terapia.

7. D

� escrever como a ocupação terapêutica é implementada na prática

X

E

T

M

C

O

N

Ocupação: Filosofia e Conceitos

A

M

B

IE

N

T

E

C

O

N

T

E

A

X

T

A

B

M

IE

B

N

IE

T

T

O

 

13 Ocupação como Terapia: Seleção, Graduação, Análise e Adaptação

PDF Criptografado

358 SEÇÃO TRÊS - Mecanismos Terapêuticos

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

13

1. S

� elecionar ocupação­

‑como-meio para atingir metas específicas.

CAPÍTULO

2. G

� raduar ocupações que desafiam as habilidades da pessoa de modo a melhorar o desempenho.

3. A

� nalisar as ocupações para determinar seus valores na correção de habilidades e capacidades deficientes.

4. A

� nalisar as ocupações para determinar se elas estão dentro das capacidades de uma pessoa específica.

5. A

� daptar as ocupações para aumentar seu valor terapêutico ou para adequá-las à capacidade de uma pessoa.

T

T

N

C

O

T

E

A

X

T

M

B

E

X

IE

N

IE

B

M

A

A

M

B

IE

N

T

E

C

O

N

X

T

 

14 Aprendizagem

PDF Criptografado

382 SEÇÃO TRÊS - Mecanismos Terapêuticos

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

14

CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

1. D

� iferenciar entre o desempenho e o aprendizado do paciente.

2. E

� stabelecer as considerações clínicas necessárias para o planejamento do ensinamento específico do paciente.

3. E

� xplicar os papéis de contexto, retroalimentação e prática na aquisição tanto de habilidades para tarefas específicas quanto para estratégias gerais.

4. L

� istar as fases do ensinamento dos pacientes e descrever as vantagens e desvantagens das várias tecnologias de ensino.

5. I� dentificar as estratégias para facilitar a formação e o treinamento do assistente.

T

E

T

N

T

E

A

C

O

N

T

X

X

M

B

IE

N

IE

B

M

A

X

enso de autoe i n ia e autoestima

 

15 Vínculo Terapêutico

PDF Criptografado

402 SEÇÃO TRÊS OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

15

1. D

� efinir um alto vínculo terapêutico.

CAPÍTULO

2. D

� escrever como o vínculo influencia a intervenção e o funcionamento ocupacional do cliente.

3. D

� escrever como a colaboração entre o terapeuta e o cliente contribui para a obtenção do alto vínculo terapêutico.

4. S

� elecionar métodos para aumentar o vínculo com um cliente.

5. I� dentificar os atributos do terapeuta e do cliente que podem influenciar o desenvolvimento do vínculo.

6. A

� plicar o conhecimento da ética da prática ao relacionamento terapêutico.

N

C

O

T

E

A

X

T

M

T

B

E

IE

X

N

T

IE

B

M

A

X

T

E

E

Linda Tickle-Degnen

enso de autoe i n ia e autoestima

T

 

16 Órtoses de Membro Superior

PDF Criptografado

CAPÍTULO 16 - Órteses de Membro Superior

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

421

SEÇÃO IV: Tecnologias Terapêuticas

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

16

1. D

� efinir e discutir conceitos e termos-chave relacionados a órteses.

CAPÍTULO

2. I� dentificar os principais propósitos para o uso de

órteses.

3. E

� xplicar as precauções gerais relacionadas ao uso de órteses.

4. I� dentificar fatores-chave a serem considerados quando se seleciona a órtese mais apropriada.

5. D

� e acordo com uma fotografia ou uma ilustração, identificar a órtese e um problema clínico para o qual ela possa ser utilizada.

6. S

� elecionar uma órtese apropriada para um determinado diagnóstico com base em uma necessidade clínica específica.

Órteses de

Membro Superior

T

O

X

E

T

C

O

N

M

A

M

B

IE

 

17 Confecção de Órtoses para Mão

PDF Criptografado

CAPÍTULO 17 - Confecção de Órteses para a Mão

465

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

17

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

CAPÍTULO

1. D

� escrever os princípios anatômicos, biomecânicos e mecânicos aplicados à confecção de órteses.

2. I� dentificar as propriedades, benefícios e limitações de vários materiais para órteses.

3. R

� econhecer fatores que afetam a adesão à utilização da órtese.

4. E

� xplicar o modelo, molde de confecção e confecção para três órteses.

5. D

� escrever os componentes para verificação de órtese.

X

E

T

C

O

N

A

M

enso de autoe i n ia e autoestima

E

T

E

T

T

E

N

T

E

C

O

N

atis ação om a is de vida

CONTEXTO AMBIENTE

B

M

l Automanutenção

Autodesenvolvimento l Autorealização

C

O

 

18 Seleção da Cadeira de Rodas

PDF Criptografado

CAPÍTULO 18 - Seleção da Cadeira de Rodas

487

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

1. D

� escrever os fatores que deveriam ser considerados na seleção da cadeira de rodas e explicar como estes se inter-relacionam.

CAPÍTULO

18

2. D

� escrever os três tipos básicos de cadeiras de rodas e as razões para a escolha de cada um.

3. E

� specificar as mensurações tipicamente realizadas para determinar a cadeira de rodas e as configurações relacionadas aos sistemas de assentos para um indivíduo específico.

4. D

� emonstrar conhecimento dos componentes comuns a muitas cadeiras de rodas e descrever por que cada um merece consideração na seleção da cadeira de rodas.

5. D

� iscutir os papéis e responsabilidades do terapeuta ocupacional na seleção da cadeira de rodas.

6. S

� ugerir como o terapeuta ocupacional pode facilitar a participação do usuário na seleção da cadeira de rodas.

 

19 Adaptações de Alta Tecnologia para Compensar a Incapacidade

PDF Criptografado

510 SEÇÃO QUATRO OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

19

CAPÍTULO

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

1. E

� xplicar o papel da tecnologia assistiva (TA) como compensação pela perda da funcionalidade ocupacional e incapacidade de realizar as atividades subjacentes ao desempenho de papéis.

2. D

� escrever os componentes básicos da avaliação de TA, os membros da equipe e a contribuição ímpar da terapia ocupacional para o processo.

3. U

� tilizar o conhecimento de capacidades não deficientes para determinar a interface de tecnologia necessária ao paciente e a capacidade de utilizar características de dispositivos de TA.

4. R

� econhecer um indivíduo que poderia se beneficiar da avaliação e serviços de TA e fazer um encaminhamento apropriado.

E

X

T

C

O

N

A

M

N

T

E

X

T

A

B

M

B

IE

N

 

20 Tratamento com Agentes Físicos

PDF Criptografado

542 SEÇÃO QUATRO - Tecnologias Terapêuticas

OBJETIVOS DO

APRENDIZADO

CAPÍTULO

20

Após estudar este capítulo, o leitor será capaz de realizar o seguinte:

1. D

� escrever as fases de cicatrização da lesão e os tipos de dor.

2. I� dentificar o profissional e as questões regulamentares relacionadas aos agentes físicos.

3. D

� efinir e discutir agentes térmicos superficiais e profundos.

4. L

� istar os cuidados e contraindicações na utilização de agentes físicos.

5. D

� escrever a aplicação clínica de modalidades eletroterapêuticas.

6. D

� escrever como o feedback eletromiográfico (EMG) superficial pode ser utilizado para a reeducação muscular.

T

O

E

T

C

O

T

E

X

T

A

M

N

T

B

E

IE

X

N

B

IE

M

A

A

M

B

IE

N

T

E

C

 

Carregar mais


Detalhes do Produto

Livro Impresso
Book
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
BPP0000223798
ISBN
9788541204019
Tamanho do arquivo
270 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados