Q & R - Questões e Respostas - Fisioterapia, 2ª edição

Visualizações: 453
Classificação: (0)

Mais um livro de perguntas e respostas para concursos? Não! Este é diferente!

Q&R | Fisioterapia é referência imprescindível para os que desejam se preparar para concursos, bem como atualizar e renovar o estudo na área de Fisioterapia. Elaborada de modo prático e objetivo, reúne resumos sobre os principais temas cobrados em processos seletivos, ilustrações para facilitar a aprendizagem e questões selecionadas.

Novidades desta edição:
• Questões atualizadas
• Resumo sobre órteses e próteses
• Imagens para facilitar a fixação do conteúdo
• Material criteriosamente revisado
• Novos colaboradores

1.000 questões: 500 comentadas e 500 gabaritadas

Assuntos abordados:
• Anatomia humana, Fisiologia e Cinesiologia
• Eletroterapia, Termoterapia e Hidroterapia
• Cardiologia e Pneumologia
• Neurologia
• Traumatologia, Ortopedia e Reumatologia
• Geriatria e Gerontologia
• Pediatria
• Uroginecologia e Obstetrícia

 

9 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

1 - Anatomia Humana, Fisiologia e Cinesiologia

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 01.indd 1

Anatomia

Humana,

Fisiologia e

Cinesiologia

Carolina de Lourdes Julião Vieira

Liana Antonucci Reis

u

Resumo, 2

u

Questões, 9

u

Respostas comentadas, 22

u

Referências bibliográficas, 36

14/2/2014 15:46:12

2

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Divisão do esqueleto

• Axial: composto pelos ossos da cabeça, do pescoço e do tronco

• Apendicular: composto pelos ossos dos membros superior e inferior.

A união entre os esqueletos axial e apendicular é feita pelas cinturas escapular e pélvica. A primeira une os membros superiores ao tronco e

é constituí­da pela escápula e pela clavícula. A segunda une os membros inferiores ao tronco e é constituí­da pelos ossos do quadril.

Alguns autores consideram ainda que os ossos da cintura escapular e os da pélvica fazem parte do esqueleto apendicular e formam os cíngulos do membro superior e os do inferior, respectivamente.

 

2 - Eletroterapia, Termoterapia e Hidroterapia

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 02.indd 39

Eletroterapia,

Termoterapia e

Hidroterapia

Marco Aurélio dos Santos Silva

Liana Antonucci Reis

u

Resumo, 40

u

Questões, 46

u

Respostas comentadas, 54

u

Referências bibliográficas, 61

14/2/2014 16:57:20

40

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Métodos de transferência de calor

Definição

A transferência de calor ocorre quando dois ou mais corpos que estão em temperaturas diferentes são colocados em contato, ou em um mesmo local, fazendo com que a energia térmica de um corpo seja transferida para outro.

Tipos de transferência

• Condução: é a transferência de energia térmica por contato direto com a fonte (colisão molecular direta). Acontece principalmente em meios sólidos. Ex.: compressas quentes, parafinoterapia

• Convecção: é a transferência de energia térmica de um fluido (gás ou líquido) para sua vizinhança. Ex.: forno de Bier, hidroterapia, turbilhão

 

3 - Cardiologia e Pneumologia

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 03.indd 63

Cardiologia e

Pneumologia

Monica Tanaka Paganotti

Liana Antonucci Reis

u

Resumo, 64

u

Questões, 71

u

Respostas comentadas, 86

u

Referências bibliográficas, 97

28/1/2014 10:43:43

64

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Anatomia cardía­ca

Coração

O coração está si­tua­do na cavidade torácica entre os pulmões em um espaço denominado mediastino (médio). Funciona como uma bomba ­muscular, cuja função primária é impulsionar o sangue para todas as partes do corpo. É composto por quatro câmaras: átrio direito (AD), átrio esquerdo (AE), ven­trículo direito (VD) e ven­trículo esquerdo (VE).

A irrigação do coração é assegurada pelas artérias coronárias e pelo seio coronário. Sua inervação é rea­li­zada pelo sistema nervoso autônomo.

Átrio esquerdo

Válvula pulmonar

Átrio direito

Válvula tricúspide

 

4 – Neurologia

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 04.indd 99

Neurologia

Liana Antonucci Reis

u

Resumo, 100

u

Questões, 106

u

Respostas comentadas, 117

u

Referências bibliográficas, 125

20/2/2014 13:49:09

100

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Escala de coma de Glasgow

Definição

Escala neurológica utilizada na avaliação do nível de consciên­cia do paciente após um trauma cranioencefálico (TCE).

Variáveis

Abertura ocular

Resposta verbal

Resposta motora

Escore

Espontânea

4

À voz

3

À dor

2

Nenhuma

1

Orientada

5

Confusa

4

Palavras inapropriadas

3

Palavras incompreensivas

2

Nenhuma

1

Obedece comandos

6

Localiza dor

5

Movimento de retirada

4

Flexão anormal

3

Extensão anormal

2

Nenhuma

 

5 - Traumatologia, Ortopedia e Reumatologia

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 05.indd 127

Traumatologia,

Ortopedia e

Reumatologia

Ana Cláu­dia Rabelo da Silva de Moura

Liana Antonucci Reis

u

Resumo, 128

u

Questões, 135

u

Respostas comentadas, 149

u

Referências bibliográficas, 160

29/1/2014 10:45:09

128

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Fraturas do corpo humano

Fratura de Colles

Fratura da extremidade distal do rádio, o fragmento desloca-se posteriormente (deformidade em “dorso de garfo”).

Causa: queda sobre a palma da mão (punho em extensão).

Fratura de Smith

Fratura da extremidade distal do rádio, o fragmento desloca-se anteriormente. Conhecida como fratura de Colles invertida.

Causa: queda sobre o dorso da mão (punho em flexão).

Fratura de Galeazzi

Fratura da diá­fise do rádio, acompanhada de luxação da ar­ticulação radioulnar distal. Decorrente de trauma em alta energia (acidente automobilístico ou queda de altura) com hiperextensão do punho em pronação.

 

6 - Geriatria e Gerontologia

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 06.indd 163

Geriatria e

Gerontologia

Liana Antonucci Reis

u

Resumo, 164

u

Questões, 168

u

Respostas comentadas, 176

u

Referências bibliográficas, 181

29/1/2014 10:47:43

164

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Osteoporose

Definição

Doença caracterizada por diminuição da massa óssea e modificações da arquitetura trabecular, ocasionando aumento da fragilidade do osso e suscetibilidade a fraturas.

Células ósseas

• Osteoblasto: célula jovem responsável pela deposição óssea

• Osteócito: célula madura que atua na manutenção dos componentes da matriz óssea

• Osteoclasto: célula responsável pela reabsorção óssea e pela degradação do tecido ósseo.

Classificação da osteo­porose

• Primária (fisiológica): também conhecida como osteo­porose idiopática, é classificada em dois tipos:

° Tipo I: é a osteo­porose pós-menopausa (associada à redução hormonal). Acomete principalmente mulheres e atinge o osso trabecular

 

7 – Pediatria

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 07.indd 183

Pediatria

Júlia Fabres do Carmo

Liana Antonucci Reis

u

Resumo, 184

u

Questões, 189

u

Respostas comentadas, 197

u

Referências bibliográficas, 202

29/1/2014 11:21:32

184

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Desenvolvimento motor normal

1o mês

Predomina no recém-nascido a postura em flexão, chamada também de flexão fisiológica. Em decúbito ventral os quadris estão fletidos, promovendo descarga de peso sobre os ombros e a cabeça. A cabeça é capaz de girar para os lados, liberando as vias respiratórias. Em supino, o neonato não é capaz de manter a cabeça na linha média. A cabeça cai para trás quando ele é puxado para a posição sentada.

2o mês

A flexão fisiológica persiste, mas vai diminuindo gradualmente devido à força da gravidade e ao aumento da atividade extensora. Em prono, o bebê ergue a cabeça por curtos perío­dos, porém não ultrapassa 45°. Os movimentos nessa fase envolvem principalmente chutes, esperneios e rotações da cabeça. Ouvindo ruí­dos, pode virar-se para a direção do som.

 

8 - Uroginecologia e Obstetrícia

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Reis 08.indd 205

Uroginecologia e Obstetrícia

Mariana Gisely Amarante Teixeira da Cunha

Liana Antonucci Reis u

Resumo, 206

u

Questões, 209

u

Respostas comentadas, 218

u

Referências bibliográficas, 224

20/2/2014 13:48:41

206

Q & R  |  Fisioterapia

ff

Resumo

Anatomia feminina

Pelve

Constituí­da por dois ossos ilía­cos ar­ticulados posteriormente com o sacro e anteriormente unidos pela sínfise púbica.

Cavidade pélvica

• Superior: corresponde à falsa pelve. Cavidade maior e mais rasa que contém os órgãos abdominais

• Inferior: corresponde à pelve verdadeira. Abriga a bexiga, parte dos ureteres e do sistema genital, e porção final do tubo digestório

Articulação sacroilía­ca

Rea­li­za os movimentos de nutação e contranutação. A nutação é a inclinação anterior do sacro, de modo que a base move-se para frente e o

 

9 - Questões Gabaritadas

PDF Criptografado

12

453

6

78

9

Questões

Gabaritadas

Liana Antonucci Reis

u

Reis 09.indd 227

Gabarito, 298

29/1/2014 11:27:13

228

1

2

3

(Prefeitura Municipal de Porto Velho – RO,

Fisioterapeuta, Consulplan, 2012) Em uma gasometria arterial, a interpretação correta para um distúrbio acidobásico do tipo acidose respiratória, ocorre:

�� A) Quando o pH estiver abaixo de 7,35 e a SpO2 < 90%

�� B) Com a PaCO2 menor que 35 mmHg, a fre­quência respiratória em 38 irpm e o pH maior que 7,45

�� C) Com o HCO3 maior que 28 mEq/l com desvio do pH > 7,45

�� D) Quando PaCO 2 estiver maior que

45  mmHg, a fre­quência respiratória em

10 irpm e o pH menor que 7,35

�� E) Com a SpO2 abaixo de 88% e o pH abaixo de 7,35

(Prefeitura Municipal de Porto Velho – RO,

Fisioterapeuta, Consulplan, 2012) Sobre os pares cranianos, é correto afirmar que:

�� A) III, IV e VI são responsáveis pela inervação dos ­músculos do olho

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
eBook
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
BPPD000223585
ISBN
9788527724548
Tamanho do arquivo
5,4 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados