Manual Roca Técnicas de Laboratório - Análise do Sêmen

Visualizações: 403
Classificação: (0)

Esta série reúne informações sobre técnicas e procedimentos laboratoriais cujo estudo sempre foi dificultado pela escasez de literatura específica. De fácil consulta, abrangente e didático, este trabalho pioneiro foca o conhecimento atual no manuseio das amostras, métodos atuais empregados e resultados esperados. Público-alvo - estudante de farmácia, bioquímica, biomedicina e biologia.

6 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

CAPÍTULO 1 - ESPERMOGRAMA NORMAL

PDF Criptografado

Capítulo 1

ESPERMOGRAMA NORMAL

COLETA

A coleta do sêmen deve ser realizada em ambiente adequado, preferencialmente próximo ao laboratório, em ambiente reservado, por meio de masturbação. O frasco para coleta deve ser fornecido pelo laboratório, deve ter uma boca larga, com tampa, e previamente testado quanto à toxicidade (vidro neutro, polipropileno ou poliestireno).

Alguns pacientes não conseguem se masturbar devido a fatores psicológicos, e excepcionalmente podese permitir a coleta em casa, desde que o frasco seja entregue em até 30min no laboratório, transportado junto ao corpo, para assegurar a temperatura. Neste caso, o paciente deve assinar um termo de compromisso informando que o material biológico pertence a ele. Entretanto, em caso de coleta para uso em reprodução assistida, esta prática não é recomendada, tendo em vista as possíveis implicações legais, em caso de troca do material. Em outros casos, pode-se solicitar ao casal que utilize um condom de material especial, atóxico, e após relação sexual o mesmo seja cuidadosamente retirado, evitando-se perda de material, sendo o ejaculado utilizado para análise. Em geral, os preservativos comuns apresentam substâncias espermatotóxicas lesivas aos espermatozoides.

 

CAPÍTULO 2 - PROCESSAMENTO SEMINAL

PDF Criptografado

Capítulo 2

PROCESSAMENTO SEMINAL

Os espermatozoides, ao progredirem pelo canal uterino em direção às trompas, adquirem várias características que conjuntamente recebem o nome de capacitação, tornando-os aptos a fertilizar os óvulos. Estas modificações incluem alterações metabólicas da membrana

(estruturais) e do fluxo de íons que preparam os espermatozoides para o processo de fertilização. O fator mais notável é o aumento da motilidade, com batimentos vigorosos da cauda. A capacitação é um processo reversível, que prepara os espermatozoides para a reação acrossômica, que é uma reação irreversível. Os espermatozoides, uma vez aderidos à zona pelúcida, por meio dos receptores de D-manose presentes na superfície dos óvulos, sofrem a reação acrossômica

(Fig. 2.1), liberando enzimas que dissolverão a zona pelúcida, permitindo a entrada de um único espermatozoide. Aparentemente, diversos espermatozoides contribuem com enzimas acrossomais, e após a entrada de um único, a membrana oocitária modificase, impedindo a entrada de novos espermatozoides

 

CAPÍTULO 3 - TESTES DE FUNÇÃO ESPERMÁTICA

PDF Criptografado

Capítulo 3

TESTES DE FUNÇÃO ESPERMÁTICA

TESTE HIPOSMÓTICO

O teste hiposmótico é um teste simples, que avalia a integridade funcional da membrana plasmática dos espermatozoides e o transporte de água através da mesma. Ele tem correlação com a capacidade fértil dos espermatozoides (capacidade de fertilizar óvulos em programas de reprodução assistida) e apresenta um dado a mais para o médico especialista, na escolha das técnicas e na avaliação da capacidade funcional. É um teste utilizado para complementar a avaliação da vitalidade, em especial na presença de amostras com motilidade muito prejudicada.

Os espermatozoides cujas membranas estão íntegras absorvem água, quando expostos a uma solução hiposmolar em relação ao meio intracelular, mantendo o gradiente osmótico. Os espermatozoides com membranas lesadas não conseguem apresentar essa atividade. A avaliação representa a porcentagem de espermatozoides vivos e íntegros que apresentam inchaço da cauda quando colocados na presença de uma solução hiposmolar (150mOsm) (Fig.

 

ANEXO 1 - MODELO DE LAUDO/FOLHA DE TRABALHO PARA ESPERMOGRAMA

PDF Criptografado

ANEXO 1

MODELO DE LAUDO/FOLHA DE

TRABALHO PARA ESPERMOGRAMA

MODELO DE LAUDO – ANÁLISE SEMINAL

COMPLETA

Paciente:

Médico:

Método de coleta:

Perda de sêmen:

Tempo de abstinência:

Protocolo:

Data:

dias (2 a 7 dias)

Avaliação Macroscópica

Volume:

Cor:

Viscosidade:

Liquefação: pH:

mL

minutos

Valores de referência normal: ≥ 1,5mL branco opalescente normal

< 30min

≥ 7,2

Avaliação Microscópica

Semen-Anexos.indd 67

Concentração:

Nº total de espermatozoides:

milhões/mL ≥ 15 milhões/mL

Motilidade total:

Grau A:

Grau B:

Grau C:

Grau D:

%

≥ 40% (≥ 32% A + B)

% (direcional rápido)

% (direcional lento)

% (móvel não progressivo)

% (imóvel)

milhões

≥ 39 milhões

03/12/10 17:09

68 ANEXO 1

Nº total de espermatozoides: móveis/amostra:

Aglutinação espermática:

 

ANEXO 2 - PREPARO DOS MEIOS DE CULTURA, SOLUÇÕES E CORANTES

PDF Criptografado

ANEXO 2

PREPARO DOS MEIOS DE CULTURA,

SOLUÇÕES E CORANTES

MEIOS DE LAVAGEM DO SÊMEN

PBS (phosphate buffered saline), Hepes tamponado, HamF10, HTF (human tubal fluid) – recomenda-se a utilização de meios comerciais (por exemplo, Irvine Scientific®).

MEIO HAM-F10 COM 10% SSS (SERUM

SUBSTITUTE SUPPLEMENT – IRVINE

SCIENTIFIC®)

978-85-7241-885-0

MEIOS DE LAVAGEM

ENRIQUECIDOS COM PROTEÍNA

Normas para o preparo de 10mL de meio de cultura

Ham-F10 + 10% SSS:

• Rotular o tubo de ensaio estéril que irá conter o meio com:

– O nome, a porcentagem de suporte proteico e a data de preparação do meio.

• Retirar, no fluxo laminar, do frasco de Ham-F10 9mL de meio de cultura e colocar no tubo de ensaio estéril graduado rotulado.

• Aspirar com uma seringa de insulina, ou uma pipeta graduada 1mL de SSS.

• Adicionar o SSS ao tubo de ensaio contendo o meio

Ham-F10.

Semen-Anexos.indd 70

03/12/10 17:09

 

ANEXO 3 - MODELO DE LAUDO/FOLHA DE TRABALHO PARA PROCESSAMENTO SEMINAL

PDF Criptografado

ANEXO 3

MODELO DE LAUDO/FOLHA DE TRABALHO

PARA PROCESSAMENTO SEMINAL

MODELO DE LAUDO

Processamento Seminal

Paciente:

Médico:

Protocolo:

Data:

Avaliação Pré-processamento Seminal

Volume:

Concentração:

Motilidade total:

Grau A:

Grau B:

Grau C:

Grau D:

Nº total de espermatozoides móveis/amostra:

mL milhões/mL

%

% (direcional rápido)

% (direcional lento)

% (móvel não progressivo)

% (imóvel) milhões

Avaliação Pós-processamento Seminal

Técnica utilizada:

Motilidade total:

Grau A:

Grau B:

Grau C:

Grau D:

%

% (direcional rápido)

% (direcional lento)

% (móvel não progressivo)

% (imóvel)

Nº total de espermatozoides móveis/amostra de 1,0mL: milhões

____________________

Dr. (A.)

Semen-Anexos.indd 74

03/12/10 17:09

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
eBook
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Sim
SKU
BPPD000205205
ISBN
9788541202213
Tamanho do arquivo
2,9 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Sim
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados