Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788553602445

Ementário - Letra de Câmbio e Nota Promissória

NEGRA, THEODORO Editora Saraiva PDF Criptografado

1499

Ementário

Letra de Câmbio e Nota Promissória

Dec. (legislativo) 2.044, de 31.12.1908 — Define a letra de câmbio e a nota promissória e regula as operações cambiais (RF 11/122; v. adiante, texto integral).

Dec. 57.663, de 24.1.66 — Promulga as Convenções para adoção de uma lei uniforme em matéria de letras de câmbio e notas promissórias (Lex 1966/160, RT 366/427; v. adiante, texto do Anexo I, que adotou uma lei uniforme, e do Anexo II, que especificou as reservas feitas pelos signatários do Anexo I ao texto aprovado). O Dec. leg. 54, de 8.9.64 (Lex 1964/160, RT 359/621), aprovou Convenção internacional para adoção de uma lei uniforme sobre letras de câmbio e notas promissórias, tendo essa Convenção sido promulgada pelo Dec. 57.663, de 24.1.66 (Lex 1966/160, RT 366/427), com o que ficou incorporada ao direito interno brasileiro (RTJ 58/744), menos quanto às reservas apostas às mesmas pela delegação nacional (RTJ 60/217).

07_Codigo Civil - 1494-1729.indd 1499

Ver todos os capítulos
Medium 9788597012903

2 - Estimativa dos fluxos futuros

BRUNI, Adriano Leal; FAMÁ, Rubens Grupo Gen PDF Criptografado

2

Estimativa dos fluxos futuros

“A provação vem, não só para testar o nosso valor, mas para aumentá-lo; o carvalho não é apenas testado, mas enrijecido pelas tempestades.”

Lettie Cowman

2.1 Objetivos do capítulo

Os investimentos feitos por qualquer empresa devem possuir a capacidade de gerar fluxos de caixa incrementais. Os fluxos de caixa analisados em um processo de avaliação de investimentos resultam, como o próprio expressa, da consideração dos ingressos e desembolsos de caixa. Podem ser mensurados de diferentes formas, mas, geralmente, são construídos a partir de informações contábeis.

Este capítulo possui o objetivo de apresentar o conceito associado aos fluxos de caixa incrementais, ilustrando e exemplificando sua forma de obtenção.

2.2 Componentes da projeção

Investir consiste em fazer um desembolso presente em prol da obtenção de uma série de fluxos de caixa futuros. A análise da viabilidade de investimentos deve preocupar-se em verificar se os benefícios gerados com investimento compensam os gastos realizados. Para isso, é preciso construir estimativas futuras de fluxos de caixa.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582713013

Capítulo 9 - Desenvolvimento de Habilidades Manipulativas

Kathleen M. Haywood; Nancy Getchell Grupo A PDF Criptografado

9

Desenvolvimento de

Habilidades Manipulativas

OBJETIVOS DO CAPÍTULO

• Considerar como os receptores são capazes de interceptar objetos.

• Demonstrar como o tamanho de um objeto, em relação ao tamanho da mão, pode influenciar a pegada utilizada para segurá-lo.

• Documentar a transição na infância desde o uso de pegadas de potência, para pegar objetos, até o uso de pegadas de precisão.

• Examinar o papel da visão para alcançar os objetos.

• Identificar mudanças de desenvolvimento na recepção.

184

Desenvolvimento de Habilidades Manipulativas

Desenvolvimento motor no mundo real

Mãos que ajudam

Em janeiro de 2013, Matthew Scott celebrou o 14º aniversário de seu transplante de mão, que foi o primeiro nos Estados Unidos e o mais bem-sucedido do mundo até hoje. Scott, um canhoto, perdeu sua mão esquerda em um acidente com fogos de artifícios, em 1985. Ele recebeu o transplante de um cadáver em uma cirurgia de 15 horas (mãos cheias de alegria, 2000). Um ano e meio após o procedimento, Scott era capaz de sentir temperatura, pressão e dor em sua nova mão, além de folhear páginas, amarrar cadarços de sapato e arremessar uma bola de beisebol. No check-up realizado após oito anos, ele conseguia segurar um peso de 6,5 kg com sua mão transplantada e pegar pequenos objetos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788530983543

8. - Da Prescrição e da Decadência no Código Civil de 2002. O Tratamento Diferenciado

TARTUCE, Flávio Grupo Gen PDF Criptografado

8

DA PRESCRIÇÃO E DA DECADÊNCIA NO

CÓDIGO CIVIL DE 2002.

O TRATAMENTO DIFERENCIADO

Sumário: 8.1 Introdução – 8.2 Da prescrição: 8.2.1 Conceito de prescrição; 8.2.2

Disposições gerais sobre a prescrição; 8.2.3 Das causas impeditivas e suspensivas da prescrição; 8.2.4 Das causas de interrupção da prescrição; 8.2.5 Dos prazos de prescrição previstos na Parte Geral do Código Civil. As ações imprescritíveis; 8.2.6 Prescrição e direito intertemporal – 8.3 Da decadência. Conceitos e disposições gerais: 8.3.1 Prazos de decadência – 8.4 Resumo esquemático – 8.5 Questões correlatas – Gabarito.

8.1

INTRODUÇÃO

Como é notório, o exercício de um direito não pode ficar pendente de forma indefinida no tempo. O titular deve exercê-lo dentro de um determinado prazo, pois o Direito não socorre aqueles que dormem. Com fundamento na pacificação social, na certeza e na segurança da ordem jurídica é que surge a matéria da prescrição e da decadência. Pode-se também afirmar que a prescrição e a decadência estão fundadas em uma espécie de boa-fé do próprio legislador e na punição daquele que é negligente com seus direitos e pretensões.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553172795

1. INTRODUÇÃO: O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

GAGLIANO, Pablo Stolze Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo XVII

Responsabilidade Civil nas

Relações de Consumo

Sumário: 1. Introdução: o Código de Defesa do Consumidor. 1.1. Partes na relação de consumo: fornecedor e consumidor. 1.2. Objeto da relação de consumo: produto ou serviço. 2. Responsabilidade civil pelo fato do produto ou serviço (acidente de consumo). 2.1. A responsabilidade civil dos profissionais liberais. 2.2.

Prazo prescricional para a pretensão reparatória decorrente do acidente de consumo. 3. Responsabilidade civil pelo vício do produto ou serviço. 4. Responsabilidade civil pela inserção do nome do consumidor nos bancos de dados.

1. Introdução: O Código de Defesa do Consumidor

Respeitando comando constitucional, que erigiu a defesa do consumidor como princípio da ordem econômica (art. 170, V, da CF), aprovou-se, no início da década de 1990, o Código de Defesa do Consumidor — Lei n. 8.078, de 12 de setembro de 1990.

Trata-se, sem sombra de dúvida, do mais importante e significativo diploma legal dos últimos tempos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos