Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788553131181

2.2 AS ÁREAS E OS PROCESSOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUNDO O PMBOK

MAGNO, Carlos Editora Saraiva PDF Criptografado

Capí tu lo 2 • Os Pro cessos de Gerencia mento de Projetos

Após termos estudado, no Capítulo 1, os conceitos básicos em gerencia‑ mento de projetos, neste capítulo iremos então nos aprofundar nos 47 proces‑ sos de gerenciamento de projetos propostos pelo PMBOK®.

2.2 �As áreas e os processos do gerenciamento de projetos segundo o PMBOK®

Para gerenciar um projeto, aplicando conhecimentos, habilidades, ferra‑ mentas e técnicas às suas atividades, a fim de atender ao propósito para o qual ele foi autorizado, o PMBOK® propõe que sejam consideradas dez áreas de conhecimento: Escopo, Cronograma, Custo, Qualidade, Recursos, Comunicações,

Riscos, Aquisições, Integração e Stakeholders (Partes Interes­sadas), que podem ser visualizadas na Figura 2.3.

FIGURA 2.3 Áreas de conhecimento do gerenciamento de projetos

A

AM

CR

ON

O

O

ST

GR

DE

ESCOPO

QU

AL

ES

ÇÕ

ICA

N

MU

Ver todos os capítulos
Medium 9788536702667

Capítulo 1. Conceitos de pH, sistemas tampão e solubilidade: aplicação na odontologia

Cury, Jaime A., Tenuta, Livia Maria Andaló, Tabchoury, Cinthia P. M. Grupo A PDF Criptografado

1

Conceitos de pH, sistemas tampão e solubilidade: aplicação na odontologia

Livia Maria Andaló Tenuta

Cínthia P. M. Tabchoury

Jaime A. Cury

O conhecimento dos conceitos de pH e das propriedades de algumas substâncias que atuam como sistemas tampão é indispensável para diversos processos biológicos. Especificamente na odontologia, é imprescindível o conhecimento dos efeitos de soluções de diferentes pHs sobre os dentes e da maneira como o meio bucal controla o pH diante dos desafios ácidos provenientes da dieta ou da metabolização de açúcares pela microbiota bucal. O equilíbrio entre os tecidos duros dentais e o meio bucal, sua dissolução ou a precipitação de minerais serão função, principalmente, das oscilações de pH nesse meio.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

• Compreender os conceitos básicos e aplicados sobre pH, sistemas tampão e solubilidade de minerais dentais

• Entender os efeitos desses conceitos nos processos bioquímicos e biológicos que acontecem diariamente na cavidade bucal

Ver todos os capítulos
Medium 9788553602667

1. Introdução

CAPEZ, Fernando Editora Saraiva PDF Criptografado

Abuso de Autoridade

LEI N. 4.898, DE 9 DE DEZEMBRO DE 1965

1. Introdução

1.1.  Breves noções sobre os direitos e garantias fundamentais1

“Direitos fundamentais”, “direitos do homem”, “direitos humanos”,

“direitos públicos subjetivos” são algumas das diversas expressões empregadas pela doutrina para designar os direitos fundamentais da pessoa humana. Anota José Afonso da Silva2 que “direitos fundamentais do homem significa direitos fundamentais da pessoa humana ou direitos fundamentais. É com esse conteúdo que a expressão direitos fundamentais encabeça o Título II da Constituição...”. E conceitua: “A expressão direitos fundamentais do homem ‘são situações jurídicas, objetivas e subjetivas, definidas no direito positivo, em prol da dignidade, igualdade e liberdade da pessoa humana”. A respeito da natureza jurídica dessas normas, afirma: “São direitos constitucionais na medida em que se inserem no texto de uma Constituição ou mesmo constam de simples declaração solenemente estabelecida pelo poder constituinte. São direitos que nascem e se fundamentam, portanto, no princípio da soberania popular”.

Ver todos os capítulos
Medium 9788584291779

Capítulo 8. Encontrando sentido nas frações (nos decimais e nas porcentagens)

Cathy Humphreys; Ruth Parker Grupo A PDF Criptografado

Encontrando sentido nas frações (nos decimais e nas porcentagens)

8

Certo dia, quando Cathy estava trabalhando com alunos do 6º ano para auxiliá-los a encontrar diferentes maneiras de comparar frações, a classe estava estranhamente passiva – e quase taciturna. Por fim, ela parou e perguntou o que estava errado.

Depois de mais ou menos 1 minuto, Anthony falou e, embora isso tenha acontecido alguns anos atrás, suas palavras ainda estão gravadas em sua mente: “Srta. Humphreys, tivemos frações no 3º, 4º e 5º anos. Não entendemos na época, e não vamos entender agora – e não queremos estudá-las mais!”. Não ser capaz de entender frações fez Anthony sentir-se fracassado – e quem quer trabalhar com matérias que fazem nos sentirmos assim?

Entretanto, para o sucesso no ensino médio, não há como evitar as frações.

Alunos que estão tendo sucesso em aprender conceitos complexos em álgebra, trigonometria e cálculo podem ser confundidos por uma fração no meio de uma equação. Katie, uma jovem na classe de álgebra 2 de Cathy, era extrovertida e conscienciosa; estava cursando inglês avançado e história, era ativa nas atividades do grêmio estudantil. Contudo, sua confiança ficava abalada quando ela entrava na classe de matemática, e a visão de uma fração a deixava paralisada. Certo dia, ela chamou Cathy para auxiliá-la a resolver esta equação:

Ver todos os capítulos
Medium 9788527732895

2 - Circulação Renal

RIELLA, Miguel Carlos Grupo Gen PDF Criptografado

2

Circulação Renal

José Luiz Monteiro  •  Claudia M. B. Helou

INTRODUÇÃO

de proteínas. Entretanto, as células endoteliais, em especial as da microcirculação renal, atuam como verdadeiros órgãos, dotados de propriedades metabólicas autócrinas e parácrinas, isto é, com síntese de moléculas vasomotoras com ação nas próprias células ou nos tecidos adjacentes. O

óxido nítrico, as prostaglandinas e o fator hiperpolarizante derivado do endotélio (EDHF) são os principais exemplos de vasodilatadores, e a endotelina e o tromboxane, dos vasoconstritores. Então, esses agonistas sintetizados no endotélio exercem a sua função parácrina na musculatura lisa das arteríolas renais.

Os rins humanos pesam cerca de 300 g, o que representa aproximadamente 0,5% do peso corpóreo. Apesar desse aspecto, eles recebem de 20 a 25% do débito cardíaco, o que corresponde a 400 ml de fluxo por 100 g de tecido renal por minuto.

Esse fluxo é 5 a 50 vezes maior do que o de outros órgãos também importantes, como o coração, o cérebro e o fígado. Em virtude de sua baixa resistência vascular, associada à grande capacidade filtrante, têm, portanto, o maior volume de perfusão entre todos os tecidos dos mamíferos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos