Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788597011906

14 - Painel integrado: envolvendo todos individualmente

LEAL, Edvalda Araújo; MIRANDA, Gilberto José; NOVA, Silvia Pereira de Castro Casa Grupo Gen PDF Criptografado

14

Painel integrado: envolvendo todos individualmente

CRISTIANO CAMARGO

MÁRCIA FREIRE DE OLIVEIRA

Todo o conhecimento supõe ao mesmo tempo separação e comunicação. Assim, as possibilidades e os limites do conhecimento revelam o mesmo princípio: o que permite o nosso conhecimento limita o nosso conhecimento, e o que limita o nosso conhecimento permite o nosso conhecimento. O conhecimento do conhecimento permite reconhecer as origens da incerteza do conhecimento e os limites da lógica dedutiva identitária. O aparecimento de contradições e de antinomias num desenvolvimento racional assinala-nos os estratos profundos do real.

EDGARD MORIN

leal miranda_MIOLO.indd 187

06/06/17 17:00

Capítulo 14

1. Introdução

O processo de ensino-aprendizagem reserva ao professor um papel central na transmissão, comunicação e orientação do conteúdo programático da(s) disciplina(s) que ministra. Nesse sentido avalia-se1 que quando se atribui ao professor a prerrogativa de condutor do processo de ensino-aprendizagem, concomitantemente a ênfase passa a ser o ensino, o que reafirma o paradigma da função do docente para orientar, instruir e avaliar o aluno a quem, por sua vez, cabe receber, assimilar e repetir o conhecimento.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547228132

11.1 Breves Considerações

CARNEIRO, Claudio Editora Saraiva PDF Criptografado

11

Garantias e Privilégios do

Crédito Tributário

11.1 Breves Considerações

Este capítulo do CTN inaugura as normas protetivas ao crédito tributário. Em função da Lei n. 11.101/2005, que trata da Falência e Recuperação

Judicial, foi editada a LC n. 118, de 2005, que fez algumas alterações nos artigos que envolvem a matéria tributária quanto às garantias e privilégios do crédito tributário. Em síntese, podemos dizer que as garantias e os privilégios do crédito tributário nada mais são do que as prerrogativas de que dispõe a

Administração Pública na busca da satisfação do credor tributário em função da natureza de seu crédito.

Ressalte-se que esses privilégios não são da Fazenda Pública, mas sim do crédito tributário; em função da sua natureza, se assim não fosse, poderia ser invocada a violação do princípio da isonomia. Daí dizer-se que o que se veda

é o privilégio odioso. Nesse sentido, o STF, na ADI 1.753-2/DF, suspendeu a eficácia do art. 4º da MP n. 1.577-6/97, que havia aumentado para cinco anos o prazo para a Fazenda ajuizar ação rescisória.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600016

Capítulo 7 - Geotecnologias

Cibele Schwanke Grupo A PDF Criptografado

Luiz Felipe Velho

Eliana Lima da Fonseca

capítulo 7

Geotecnologias

Conhecer a superfície da Terra nos dá segurança e oportunidades. Quando saímos de casa, temos o conhecimento da vizinhança, de onde podemos pegar um ônibus, de como ir para uma direção e de como retornar para casa. Isso acontece porque vivenciamos aquele espaço, e esse conhecimento acumulado nos dá segurança para irmos aos mais diferentes lugares e aproveitarmos o que eles podem nos oferecer.

Mas e quando não conhecemos o lugar, o que podemos fazer? Para onde ir?

Certamente você vai procurar um mapa para conseguir encontrar essas respostas!

A busca pelo conhecimento da superfície da Terra, dos elementos que a constituem e das características e propriedades de cada elemento levou o homem a desenvolver tecnologias que permitiram a construção de ferramentas e de técnicas para a observação e a interpretação dos dados terrestres.

OBJETIVOS

Após o estudo deste capítulo, você deverá ser capaz de:

Ver todos os capítulos
Medium 9788520430361

Capítulo 4 - Tórax

SOVNDAL, Shannon Editora Manole PDF Criptografado

4

TÓRAX

A

maioria dos ciclistas não dedica muito tempo ao desenvolvimento dos músculos do tórax. No entanto, esses músculos são importantes quando se considera o ciclista como um todo. O tórax desempenha um papel fundamental na relação do ciclista com sua bicicleta por meio dos ombros e dos membros superiores. Como foi discutido anteriormente, a simetria e o equilíbrio são necessários para aumentar o desempenho e prevenir lesões. Um ciclista com bom preparo físico é aquele que tem a musculatura forte e equilibrada; ele precisa de uma base sólida para obter um desempenho ótimo.

Quando anda de bicicleta, seu dorso hipertrofia em decorrência do esforço exigido pela posição no ciclismo. Visto que os músculos do tórax são exigidos principalmente durante esforços extremos, como em uma subida ou durante um sprint, esses músculos podem não passar pela mesma adaptação que o dorso durante o treino com a bicicleta.

Por essa razão, você deve prestar especial atenção aos músculos do tórax enquanto estiver treinando na academia.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527724227

52 - Terapia Intravascular: Cateter Central de Inserção Periférica (PICC)

BOWDEN, Vicky R.; GREENBERG, Cindy Smith Grupo Gen PDF Criptografado

CapÍTULO

52

Terapia Intravascular: Cateter Central de

Inserção Periférica (PICC)

Diretrizes clínicas

• A inserção do dispositivo deve ser feita por um profissional de saú­de especialmente treinado na colocação de cateter central de inserção periférica (PICC)

• O acesso, os cuidados com o local de inserção, a infusão e a remoção do PICC podem ser rea­li­zados por um profissional de saú­de treinado, ou pela criança ou pelos pais devidamente treinados. A enfermeira é responsável pelo monitoramento do local de inserção e do estado da criança depois da inserção do

PICC, especialmente quando tiverem sido utilizadas medidas de anestesia/sedação

• A introdução do PICC é feita por via percutâ­nea até uma veia periférica. Quando o PICC é inserido em um dos membros superiores, a ponta fica alojada na veia cava superior, e quando puncionado em um dos membros inferiores a ponta se posiciona na veia cava inferior. A colocação de vias centrais está associada a menores complicações em lactentes e crianças. Antes do uso, a localização da ponta do cateter deve ser confirmada radiograficamente

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos