Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788582603550

Capítulo 17 - O Fim das Glaciações no Hemisfério Norte

William F. Ruddiman Grupo A PDF Criptografado

O Fim das Glaciações no Hemisfério Norte

O

17

clima da Terra muda em muitas escalas de tempo, com mudanças de curto prazo sobrepostas a outras oscilações de longo prazo, assim como hoje as flutuações diárias de temperatura se dão sobre mudanças sazonais mais longas. Ao longo das escalas de tempo mais longas (dezenas de milhares de anos), evidências vindas de diversas fontes mostram que a Terra está fazendo uma viagem muito gradual até um frigorífico (Figura 17-1).

Após uma época muito mais quente, 50 milhões de anos atrás, o planeta resfriou bastante, com mantos de gelo surgindo primeiramente na região polar sul e depois no norte. Vários fatores podem ter contribuído para esse resfriamento, mas a maioria dos cientistas conclui que a lenta queda dos níveis de

CO2 foi a causa principal.

O continente Antártico, centrado no polo, atingiu um estado glacial muito antes dos continentes setentrionais, localizados em latitudes temperadas. Durante o calor relativo de 50 milhões de anos atrás, as faias eram comuns na Antártida (apesar de ela estar na sua localização polar atual), mas há 35 milhões de anos o clima havia esfriado o suficiente para os primeiros gelos aparecerem. Há 14 milhões de anos atrás, a Antártica havia entrado em congelamento profundo, com gelo permanentemente presente na maioria do continente. Agora, mesmo em épocas de calor interglacial, como hoje, o gelo se estende em quase todas as direções até a costa desse continente polar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582600221

Capítulo 16 - Soldagem

Norton, Robert L. Grupo A PDF Criptografado

16

SOLDAGEM

Para inventar, você precisa de uma boa imaginação e de um monte de lixo.

THOMAS A. EDISON

16.0

INTRODUÇÃO

Soldagens (ou conjuntos soldados) são utilizadas em muitas aplicações, como estruturas e componentes de máquinas, edifícios, pontes, navios, veículos, equipamentos de construção (motoniveladoras, pás carregadeiras, etc.) e muitos outros sistemas. Nosso foco será no seu uso como projeto de máquinas, não em elementos estruturais como edifícios e pontes, embora os princípios do projeto de uniões soldadas sejam similares entre essas aplicações. Também não abordaremos os vasos de pressão soldados operando a altas temperaturas e que sofram corrosão.

A ASME publica normas detalhadas para essas aplicações.

Meio século atrás, as estruturas de máquinas eram comumente construídas com ferro fundido cinzento, que apresenta um bom amortecimento. Atualmente é muito comum ver máquinas com estruturas de aço soldadas. Uma razão para esta mudança é a rigidez superior do aço sobre o ferro fundido (30E6 psi contra 16E6 psi). Uma estrutura de aço pode ser mais leve e ter a mesma rigidez do que outra em ferro fundido ou ter o mesmo peso e ser muito mais rígida.

Ver todos os capítulos
Medium 9788502636842

Capítulo V - CENTRAIS SINDICAIS

César Reinaldo Offa Basile Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo V

CENTRAIS SINDICAIS

Com a edição da Lei n. 11.648/2008, as centrais sindicais (CUT,

UGT, Força Sindical etc.) passaram a ser reconhecidas formalmente como entidades associativas de direito privado, constituídas em âmbito nacional, para representação geral dos trabalhadores. Não existirá, portanto, central sindical que exerça representação geral de empresas ou empregadores.

Na forma do art. 10 da Constituição Federal é assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação.

Assim, são atribuições e prerrogativas das centrais sindicais (art. 1º):

I — coordenar a representação dos trabalhadores por meio das organizações sindicais a ela filiadas; e

II — participar de negociações em fóruns colegiados de órgãos públicos e demais espaços de diálogo social que possuam composição tripartite, nos quais estejam em discussão assuntos de interesse geral dos trabalhadores (não podendo, contudo, substituir ou suprir a ausência da entidade sindical, mas somente auxiliá-la).

Ver todos os capítulos
Medium 9788553172726

8. A norma constitucional no “tempo” - Relações entre a Constituição e a ordem jurídica anterior

SARLET, Ingo Wolfgang Editora Saraiva PDF Criptografado

8

A norma constitucional no “tempo”

Relações entre a Constituição e a ordem jurídica anterior

Ingo Wolfgang Sarlet

8.1 Considerações gerais

A relação entre a constituição e as normas jurídicas (constitucionais ou infraconstitucionais) anteriores é complexa e não pode ser reduzida a um único fenômeno, além de implicar importantes e diferenciados efeitos. Nesse sentido, como bem aponta Jorge

Miranda, há que levar em conta tanto o fato de se tratar de uma nova ordem constitucional (uma constituição originária) quanto de uma reforma constitucional que venha a se manifestar em relação ao direito constitucional originário ou mesmo em relação à legislação infraconstitucional.1

8.2 A Constituição e o direito constitucional anterior

8.2.1 A Constituição originária e a Constituição anterior

Considerando que somente pode existir uma constituição em cada Estado, a entrada em vigor de uma nova constituição tem por efeito a revogação global da constituição

Ver todos os capítulos
Medium 9788520431825

10. Avaliação física em enfermagem das mamas e axilas

CHAVES, Loide Corina; POSSO, Maria Belén Salazar Editora Manole PDF Criptografado

Avaliação física em enfermagem das mamas e axilas

10

Maria Elisa R. G. Ramos

Sônia Angélica Gonçalves

Maria Belén Salazar Posso

Objetivos de aprendizagem

DDAssociar aspectos da anatomia e da fisiologia das mamas e axilas com as possíveis alterações.

DDRealizar o histórico de enfermagem: entrevista e avaliação física das mamas e axilas.

DDObter aptidão para observação, identificação e compreensão da presença de alterações nas mamas e axilas.

Tópicos fundamentais de aprendizagem

DDDistribuição de pelos, pigmentação da pele, presença de linfonodos sensíveis, fixos, dolorosos e com mobilidade nas axilas.

DDAssimetria das mamas e/ou dos mamilos, mamilo invertido, presença de vermelhidão, espessamento e poros proeminentes, retração mamilar e areolar e nódulos na cauda mamária.

Tópicos abordados

DDAspectos anatômicos e fisiológicos gerais.

DDHistórico de enfermagem: entrevista e avaliação física.

ASPECTOS ANATÔMICOS E FISIOLÓGICOS GERAIS

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos