Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788547207977

27. PRESCRIÇÃO. CITAÇÃO. INTERRUPÇÃO

THEODORO JUNIOR, Humberto Editora Saraiva PDF Criptografado

Art. 8º

27. PRESCRIÇÃO. CITAÇÃO. INTERRUPÇÃO

O efeito interruptivo atribuído por norma pretérita à lide iniciada prevalece, embora a ação prossiga sob o império de preceitos ulteriores que o não admitam. Tendo o prazo prescricional de cinco anos já decorrido todo, sem interrupção, antes da entrada em vigor da lei nova que modificou o momento e a causa interruptiva, acolhe-se a preliminar de prescrição, extinguindo-se o processo na forma do art. 269, IV, do CPC [NCPC, art. 487, II].

ACÓRDÃO

ACORDAM, em Sétima Câmara Civil do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, por votação unânime, dar provimento ao recurso.

1. Embargos à execução por ICM e consectários foram julgados improcedentes pela r. sentença de fls., condenada a contribuinte nas custas e em honorários advocatícios de 10% do valor do débito total.

A vencida apela, insistindo em preliminar de prescrição; no mérito, argumenta com a falta de prova da existência do crédito.

Em adendo, a apelante exibe documentos, argumentando não ser sucessora de quem apresentou a defesa administrativa. Houve contrarrazões e preparo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521630029

Tabelas

CAPUTO, Homero Pinto; CAPUTO, Armando Negreiros; RODRIGUES, J. Martinho de A. Grupo Gen PDF Criptografado

Tabelas

Coeficientes de influência para aplicação da fórmula de Steinbrenner

Coeficientes de influência: I = sz/p z/b

a/b =

1,0

a/b =

1,5

a/b =

2,0

a/b =

3,0

a/b =

5,0

a/b =

10,0

a/b =

0,25

0,50

0,75

1,00

1,50

2,00

3,00

4,00

6,00

8,00

10,00

12,00

15,00

18,00

20,00

0,247

0,233

0,208

0,1752

0,1210

0,0840

0,0447

0,0270

0,0127

0,0073

0,0048

0,0033

0,0021

0,0015

0,0012

0,248

0,238

0,218

0,1936

0,1451

0,1071

0,0612

0,0383

0,0185

0,0107

0,0070

0,0049

0,0031

0,0022

0,0018

0,248

0,239

0,222

0,1999

0,1561

0,1202

0,0732

0,0475

0,0238

0,0140

0,0092

0,0065

0,0042

Ver todos os capítulos
Medium 9788527722018

Capítulo 13. Padronização de Dietas Hospitalares

VIEIRA, Marta Neves Campanelli Marçal; JAPUR, Camila Cremonezi Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

13

Padronização de Dietas Hospitalares

Nancy Yukie Yamamoto Tanaka, Edith de Castro Martins Brandão e Júlio Sérgio Marchini

Introdução

Uma dieta adequada e balanceada é aquela que fornece ao organismo todos os nutrientes necessários à saúde, seguindo as recomendações das Ingestões Dietéticas de Referência (do inglês Dietary

Reference Intakes1 – DRI), além de poder ser utilizada como medida terapêutica única ou auxiliar no tratamento de doenças.

No caso de pacientes, a dieta deve fornecer nutrientes em quantidades necessárias para o restabelecimento e/ou cura, podendo diferir das recomendações para população sadia.1 A oferta de nutrientes depende da fisiopatalogia da doença, bem como da condição clínica e nutricional do paciente.

A desnutrição intra-hospitalar é um problema relevante, cuja prevalência varia entre 20 e 50%, sendo sempre mais alta em pacientes idosos e nos que fazem parte de setores como oncologia.2

Considerando o custo da má nutrição e de suas consequências, inclusive os benefícios gerados pelo diagnóstico precoce e intervenção nutricional imediata, estes procedimentos deveriam ser considerados prioridade.3 Essa prática é essencial para obtenção de qualidade em saúde, pois a terapia nutricional adequada é capaz de melhorar os resultados clínicos e reduzir os custos, que atingem taxas de 35 a 75% mais altas em pacientes malnutridos, relacionados diretamente ao aumento do tempo de hospitalização e ao uso de recursos sofisticados para tratamento de complicações associadas à má nutrição.4 No Brasil as evidências apontam para uma elevada porcentagem de pacientes malnutridos, demonstrando ainda que a má nutrição é um fator de risco independente, em impacto com o alto

Ver todos os capítulos
Medium 9788530985813

Unidade 4 | Capítulo 1 – Prolegômenos da Organização do Estado

MOTTA, Sylvio Grupo Gen ePub Criptografado

Para bem compreender a organização do Estado, é preciso repisar alguns conceitos.O poder constituinte dá vida a um ente imaginário, o Estado, com a finalidade de o mesmo se organizar e executar sua vontade original. O titular do poder quer que o Estado gerencie e administre a vida social. Administrar, do latim administrare (ad: junto de + ministrare: ajudar, cuidar, ministrar), significa gerir negócios (públicos ou particulares), reger com autoridade; governar, dirigir, exercer função de administrador. O Estado existe para decidir (fazer leis) e cumprir (executar as leis e decisões). A primeira conduta se situa bem próxima da atividade do titular do poder, sendo feita essencialmente pelos representantes escolhidos pelo povo (parlamentares). A segunda atividade se aproxima daquela realizada pelos serviçais domésticos: bem cumprir aquilo que foi mandado.O poder constituinte, que é quem verdadeiramente manda, institui a Constituição, que cria e manda no Estado, que organiza e manda na Administração, que obedece a todos os seus superiores: o povo (titular do poder), a Constituição e o Estado.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547214753

CAPÍTULO 4 - PRINCÍPIOS DE AMOSTRAGEM

VIRGILLITO, Salvatore Benito Saraiva - Uni PDF Criptografado

4

PRINCÍPIOS DE AMOSTRAGEM

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Neste capítulo, você poderá encontrar a definição dos tipos de amostra, os fundamentos da forma de coleta e seleção adequada, além da demonstração por meio do programa estatístico.

No tema “inferência estatística”, estudará o significado prático de estimação e estimadores para que possa, com base nas amostras, inferir resultados obtidos nas populações das quais elas foram retiradas.

A inferência estatística nos propicia ferramentas de previsão que são aplicadas a eventos de diversos ramos do conhecimento.

Conseguir detectar uma característica de interesse numa amostra e poder estabelecer ligações entre esta e a população da qual foi retirada é deveras importante.

Em Medicina, Marketing, Finanças, Custos etc., é necessário interpretar características existentes nas populações. Mas essa necessidade encontra limitações de tempo e custo para se poder realizar censos (testes com todos os elementos da população) em todos os experimentos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos