Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788530984748

Capítulo 7 – Princípios do Direito previdenciário

CASTRO, Carlos Alberto Pereira de; LAZZARI, João Batista Grupo Gen ePub Criptografado

Proclamada a autonomia científica do Direito Previdenciário, incumbe apresentar os princípios pelos quais se norteia este ramo do Direito. É certo que princípio é uma ideia, mais generalizada, que inspira outras ideias, a fim de tratar especificamente de cada instituto. É o alicerce das normas jurídicas de certo ramo do Direito; é fundamento da construção escalonada da ordem jurídico-positiva em certa matéria.

Miguel Reale, em suas “Lições Preliminares de Direito”, trabalha essa categoria sob o ponto de vista lógico, como enunciados admitidos como condição ou base de validade das demais asserções que compõem dado campo do saber, “verdades fundantes” de um sistema de conhecimento.1

As regras ordinárias, portanto, devem estar embebidas destes princípios, sob pena de se tornarem letra morta, ou serem banidas do ordenamento. Não tem sentido, por exemplo, fixar-se uma norma legal que isente todos os empregadores da obrigação de contribuir para a Seguridade Social, se há um princípio que determina a diversidade da base de financiamento, e outro, que impõe a equidade no custeio.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521627029

9 - Fundações profundas

KNAPPETT, J. A.; CRAIG, R. F. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo 9

Fundações profundas

Resultados de aprendizagem

Depois de trabalhar com o material deste capítulo, você deverá ser capaz de:

1 Entender os princípios de funcionamento das fundações profundas, como elas são construídas/instaladas e as vantagens que oferecem em relação às rasas ou superficiais

(Capítulo 8);

2 Projetar uma estaca segundo o conceito de projeto por estados limites (Eurocode 7), de forma analítica (com base em propriedades fundamentais do terreno), diretamente dos dados de ensaios in situ ou a partir de resultados da prova de carga em uma estaca.

9.1 Introdução

Ao projetar fundações, com frequência, há situações em que o uso de uma fundação rasa (ou superficial) não é econômico ou prático. Dentre elas:

Q

quando as ações aplicadas às fundações são grandes (por exemplo, grandes cargas concentradas); quando os solos próximos à superfície têm pouca resistência e/ou rigidez (isto é, pouca capacidade de carga); quando grandes estruturas estão situadas em depósitos muito heterogêneos ou onde as camadas de solo estão inclinadas;

Ver todos os capítulos
Medium 9788547229948

131. Demarcação de imóvel em comunhão

THEODORO JÚNIOR, Humberto Editora Saraiva PDF Criptografado

Naturalmente, o edital será inevitável quando o proprietário do prédio confinante for desconhecido ou ignorado for o seu paradeiro

(art. 576, parágrafo único).

Quanto às formalidades a observar nas citações por edital e pelo correio, constam elas dos arts. 257 e 248 do novo Código, respectivamente, notando-se que se instituíram maiores facilidades para o ato a ser cumprido pela via postal: o ofício citatório poderá ser entregue não apenas ao administrador da pessoa jurídica demandada, mas também ao “funcionário responsável pelo recebimento de correspondências” (art. 248, § 2º). Além disso, se o réu residir em condomínio edilício ou loteamento com controle de acesso, válida será a citação mediante entrega da correspondência ao “funcionário da portaria responsável pelo recebimento de correspondência”, se não houver recusa de sua parte (art. 248, § 4º). Todas essas inovações aplicam-se indistintamente às citações pelo correio, inclusive nas ações de demarcação e divisão.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580555547

12 - Lubrificação e mancais de deslizamento

Richard G. Budynas; J. Keith Nisbeth Grupo A PDF Criptografado

12

12–1

Lubrificação e mancais de deslizamento

Tipos de lubrificação 

600

12–2 Viscosidade 

601

12–3

Equação de Petroff 

604

12–4

Lubrificação estável 

605

12–5

Lubrificação de película espessa 

12–6

Teoria hidrodinâmica 

12–7

Considerações de projeto 

12–8

As relações entre as variáveis 

12–9

Condições de estado estável em mancais autocontidos 

606

607

612

614

12–10 Folga 631

12–11

Mancais com lubrificação forçada 

12–12

Cargas e materiais 

12–13

Tipos de mancais 

12–14

Mancais de escora 

12–15

Mancais de contorno lubrificado 

633

639

641

642

643

627

600    Elementos de máquinas de Shigley

O objetivo da lubrificação é reduzir o atrito, o desgaste e aquecimento de partes de máquinas que se movem em relação umas às outras. Um lubrificante é qualquer substância que, quando inserida entre superfícies que se movem, alcança esses propósitos. Em um mancal de deslizamento, um eixo, ou munhão, roda ou oscila dentro da manga, ou bucha, e o movimento relativo é de deslizamento. Em um mancal antiatrito, o movimento relativo principal é o rolamento.

Ver todos os capítulos
Medium 9788563899613

16. A política de formação continuada de professores para a educação integral

Jaqueline Moll; Colaboradores Grupo A PDF Criptografado

16

A política de formação continuada de professores para a educação integral

Veronica Branco

O problema da qualidade da educação brasileira

Os dados das avaliações da aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática dos alunos das escolas brasileiras, realizados bienalmente desde os anos 1990 pelo Instituto

Nacional de Pesquisas Pedagógicas Anísio

Teixeira – INEP, têm demonstrado a baixa qualidade do ensino nas escolas públicas, uma vez que em nenhum dos segmentos avaliados, – 4º e 8º anos do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio – atingiu, no período de 1990 a 2007, uma média próxima de 5,0. Embora mereça destaque que nas avaliações de 2005 para 2007 houve pequena melhora nos resultados nacionais.

Diante desse quadro, o governo federal, através da Portaria Interministerial nº

17, de 24/04/2007, criou o Programa Mais

Educação com a finalidade de induzir os sistemas públicos de ensino, municipal e estadual, a implantarem a educação integral nas escolas situadas na periferia das cidades de mais de 200 mil habitantes, atendendo, preferencialmente, os alunos vulneráveis, em situação de risco. Também foram convidadas a ingressarem nesse programa

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos